Química

Química Experimental

Determinação de pontos de fusão e ebulição Avaliação do fenômeno de sublimação.
Experimento 2

Professora: Sandra Zago Falone
Data: 24/03/2011
Turma: 1º Período noturno
Data da entrega: 07/04/2011
Aluna: Cleonice Gomes de Lima

RESUMO
Foi realizado o processo de determinação do ponto de fusão e ebulição de água pura, foi monitorada a temperatura em função do tempo.
Realizou-se o experimento de sublimação do Iodo, que ao entrar em contato com o vidro de relógio re-sublimou tornando-se sólido novamente.

INTRODUÇÃO

Ponto de fusão, de ebulição e a propriedade que substância tem de sublimar, são chamadas de propriedades físicas da matéria.
Os fenômenos físicos são aqueles em que as propriedades da matéria permanecem inalteradas, e não há mudanças na constituição atômica.
O fenômeno de sublimação ocorre quando a pressão do ambiente não é suficiente para frear a aceleração das partículas atômicas permitindo a passagem direta do estado sólido para o gasoso.
Por tratar-se de sistemas que precisam ser aquecidos, ou seja, absorvem calor são denominados fenômenos endotérmicos.
Segundo Leeson (2005) os vapores de iodo são vistos, em temperaturas acima de 50°C, sendo invisíveis em temperaturas ambientes.
Objetivo: Determinação do ponto de fusão e ebulição de água pura, através de procedimentos experimentais. Avaliação do fenômeno de sublimação do Iodo.

MATERIAIS E MÉTODOS
1- Materiais utilizados
Béquer de 100ml
Vidro de relógio
Termômetro
Suporte universal
Tela de Amianto
Garra de metal
Bico de Bunsen
Tripé
Bastão de vidro
Pisseta
2-Reagentes
Gelo
Água destilada
Cristais de Iodo

3-Procedimento Experimental
*Determinação de ponto de fusão e ebulição
Foi montada a aparelhagem, conforme na figura, adicionaram-se cubos de gelo, aproximadamente 2/3 de um béquer de 100ml, foi introduzido um termômetro sustentado por uma garra metálica no interior do béquer, adicionou-se água destilada. A temperatura foi monitorada.
Depois de constatado o ponto de fusão, o Bico de Bunsen foi ligado para aquecer a água, podendo assim verificar o ponto de ebulição.

*Avaliação do fenômeno de sublimação do Iodo
Adicionaram-se três cristais de Iodo em um Béquer de 50ml, que foi colocado sobre a tela de amianto montada sobre o tripé, o béquer foi tampado com o vidro de relógio. O Bico de Bunsen foi ligado. Observou-se o fenômeno de sublimação.
Resultados e Discussão
Determinação ponto de fusão e ebulição
Após adicionar gelo em um Béquer, observou-se que a temperatura manteve-se constante durante o processo de fusão do gelo, adicionou-se água destilada para acelerar o processo, observou-se que durante os 25 minutos iniciais do procedimento a temperatura manteve-se em 5°C até que no béquer houvesse apenas água no estado líquido, logo após a temperatura passou a subir, a partir deste momento a água foi aquecida pelo Bico de Bunsen.

Figura1: Fusão e Ebulição

Figura2: Ponto de fusão e ebulição
Observou-se que 16 minutos aproximadamente após o inicio do processo de aquecimento com o bico de Bunsen a água já se se encontrava em ponto de ebulição à 98°C. Esse fato pode ser observado na tabela abaixo:
Tabela 1: Temperatura em função do tempo e estado físico da matéria
TEMPO(min)
TEMPERATURA(°C)
ESTADO
0 min
5°C
Sólido/Líquido
7 min
5°C
Sólido/Líquido
10 min
5°C
Sólido/Líquido
25 min
5°C
Sólido/Líquido
32 min
6°C
Líquido
35 min
20°C
Líquido
41 min
60°C
Líquido
43 min
70°C
Líquido
44 min
80°C
Líquido
46 min
90°C
Líquido
47 min
95°C
Líquido
48 min
98 °C
Líquido/Gasoso

Avaliação do fenômeno de sublimação
Adicionou-ser três cristais de iodo em um béquer de 50ml, o béquer foi aquecido, após alguns segundos notou-se formação de gases de cor violeta e odor irritante, o Iodo que no estado inicial tinha aspecto rosa-acinzentado, quando em contato com o vidro de relógio resfriou e solidificou tomando agora um aspecto acinzentado e brilhante.

CONCLUSÃO
Durante o procedimento de fusão e ebulição observou-se que a temperatura da substância não se altera em quanto todo o sistema não estiver no mesmo estado.
Por ser um sólido altamente volátil o Iodo é um material que tem propriedade de sublimar mesmo em temperaturas ambientes, porém o processo é bastante lento, o procedimento realizado foi para acelerar a reação para observação.

REFERÊNCIAS
FELTRE, RICARDO. Química Geral. Editora Moderna.7ª Edição

SANTOS, WILDSON; FARIAS, SALVIA. Química e Sociedade. SP. 1ªEdição. 2008.
VOLATILIDADE DO IODO
Disponível em:
www.infoescola.com.br Acessado em 01/04/2011

SUBLIMAÇÃO DO IODO
Disponível em:
www.revistaescola.abril.com.br Acessado em 03/04/2011

FUSÃO E EBULIÇÃO DA ÁGUA
Disponível em:
www.qnesc.sbq.org.br Acessado em 03/04/2011

Comentários