Análise de extrato etereo

Análise de extrato etereo

FAI

FACULDADES ADAMANTINENSES INTEGRADAS

CURSO: ENGENHARIA DE ALIMENTOS

DISCIPLINA: ANÁLISE DE ALIMENTOS

DOCENTE: PROF. Dr. ESTÊVÃO ZILIOLI

RELATORIO DE ANÁLISE DE

EXTRATO ÉTEREO

ALUNOS:

LUCILENE DE FREITAS RA: 0059/08

DEISELENE DE PAULA RA: 0200/08

REGIANE DEMETRIO RA: 0680/08

PABLO ZAGO RA:0244/08

PAULO DE FREITAS RA:

5° TERMO

ANÁLISE DE

EXTRATO ÉTEREO

Adamantina, 25 de Maio de 2010

ÍNDICE

1- Introdução..........................................................................................Pag. 4

2 – Objetivo............................................................................................Pag. 5

3 – Método..............................................................................................Pag. 5

4 – Materiais e equipamentos utilizados.................................................Pag. 6

5 - Procedimentos....................................................................................Pag. 6

6 – Dados e Resultados............................................................................Pag. 6

7 - Conclusão...........................................................................................Pag. 8

8 - Bibliografia.........................................................................................Pag. 8

1- Introdução

A determinação do extrato etéreo é um método aplicável na determinação de lipídios em alimentos, mas não é adequado para sementes oleaginosas, rações líquidas ou alimentos que contêm produtos lácteos.

Gordura, óleos, pigmentos e outras substâncias gordurosas solúveis no éter e em outros solventes orgânicos chamados de extratores contidos em uma amostra seca serão dissolvidos através da extração com éter, o qual é então, evaporado desta solução gordurosa. O resíduo resultante é pesado, sendo chamado de extrato etéreo ou gordura bruta.

O éter e as amostras devem estar livres de umidade, para evitar a co-extração de componentes solúveis em água presentes na amostra, como carboidratos, uréia, ácido láctico, glicerol, etc. Se componentes solúveis em água estiverem presentes em grande quantidade na amostra, eles deverão ser eliminados da amostra antes da secagem.(Análise de Alimentos – Dirceu Jorge Silva, Augusto César de Queiroz).

Os lipídios são compostos orgânicos altamente energéticos, contém ácidos graxos essenciais ao organismo e atuam como transportes das vitaminas lipossolúveis, são substâncias insolúveis em água, solúveis em solventes orgânicos, tais como éter, clorofórmio e acetona, dentre outros. Estes são classificados em: simples (óleos e gorduras), compostos (fosfolipídios, ceras etc.) e derivados (ácidos graxos, esteróis). Os óleos e gorduras diferem entre si apenas em sua aparência física. sendo que à temperatura ambiente os óleos apresentam aspecto líquido e as gorduras, pastoso ou sólido. (INSTITUTO ADOLFO LUTZ. Normas Analíticas do Instituto Adolfo Lutz. v. 1: Métodos químicos e físicos para análise de alimentos 3. ed. São Paulo: IMESP, 1985. p. 42-43.)

2 - Objetivo

Determinar a quantidade de extrato etéreo presente na amostra de salgadinho (torcida), e comparar com a tabela nutricional descrita na embalagem do mesmo.

3. Método

Método de Soxhlet

  • Utiliza refluxo de solvente para extração;

  • Processo de extração contínuo, logo, mais rápido;

  • Pode ser utilizado somente com amostras sólidas.

  • O éter utilizado no processo é aquecido até se tornar volátil e, ao condensar-se, circula sobre a amostra em análise. Arrastando toda a fração gordurosa e demais substâncias solúveis em éter. Este é recuperado em outro recipiente, enquanto a gordura extraída é calculada por diferença de pesagem.

O método está baseado em três etapas:

    1. Extração da gordura da amostra com solvente.

    2. Eliminação do solvente por evaporação.

    3. A gordura extraída é quantificada.

Vantagem: utiliza menos solvente e é mais rápido, pois, sendo contínuo, faz com que a amostra esteja permanentemente em contacto com o solvente.  

Desvantagem:O contacto do solvente muito quente com a amostra pode levar à degradação da gordura. (Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Seminário Orientada nº 3 Mestrado Integrado em Medicina – Bioquímica I)

.

4.Materiais e equipamentos utilizados

  • Aparelho de Goldfisch de 5 amostra

  • Balança analítica

  • Papel de filtro

  • Éter de petróleo

  • Proveta

  • Pinça tenaz

  • Dessecador

  • Estufa

5.Procedimentos

  • Pesou 1 6220 g da amostra em papel de filtro devidamente tarado.

  • Embrulhou o papel de filtro com a amostra em formato de trouxinha.

  • Colocou a trouxinha na cestinha do extrator para posterior extração

  • Adicionou 40 ml de éter de petróleo em uma cápsula, devidamente tarada

  • Tomando cuidado para não deixar escorrer éter no grafite da cápsula.

  • Rosqueou a cápsula no extrator,

  • Após ter começado a ebulição do éter, verificou se não estava tendo vazamento dele durante sua ebulição e condensação.

  • Manter, sob aquecimento em chapa elétrica, á extração contínua.

  • Retire a cápsula, destile o éter e transfira a cápsula com o resíduo extraído para uma estufa a 105°C. Mantendo por cerca de uma hora,

  • Resfrie em dissecador até a temperatura ambiente, após frio pesou-se para calcular o extrato estéreo.

6-Dados e resultados

Tabela 1: Dados e resultados obtidos.

Cápsula

Tara

Peso da mostra

Peso da cápsula após extração

% extrato estéreo

n°04

108,6433

1,6220

109,1111

28,84

7-Conclusão

Na tabela nutricional do produto está descrito que a quantidade em gramas de extrato etéreo para uma porção de 25g é de 8.5g, isso representa 34%.

Em análise realizada no Laboratório de Bromatologia da FAI – Faculdades Adamantinenses Integradas foram encontradas 7,21g, isso representa 28,84%, resultando em uma diferença de 1.29g ou 5,16%.

Considerando o ambiente não apropriado por não se tratar de salas quentes individuas temperatura e umidade do ar não controlados, e a distância entre estufa, balança e dessecador, podemos afirmar que foi atingido o propósito desta análise chegando ao resultado aproximado do registrado na embalagem.

8-Bibliografia

Análise de Alimentos – Dirceu Jorge Silva, Augusto César de Queiroz Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra Seminário Orientada nº 3 Mestrado Integrado em Medicina – Bioquímica I

Comentários