EXTRAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO AMIDO

EXTRAÇÃO E CARACTERIZAÇÃO DO AMIDO

APUCARANA 2011

Relatório apresentado à docente do curso de Tecnologia em Processos Químicos da Universidade Tecnológica Federal do Paraná como requisito para obtenção da nota parcial da disciplina de Bioquímica Profª. Dra. Alessandra Baron

Apucarana 2011

1 Introdução4
2 Objetivo5
3 Parte experimental6
3.1 CARACTERIZAÇÃO DO AMIDO6
3.2 PRECIPITAÇÃO DO AMIDO6
4 Resultado e discussão7
4.1 Teste do Iodo7
4.2 TESTE DE PRECIPITAÇÃO DO AMIDO7
4.2.1 Precipitação do amido por solução saturada de sulfato de amônio7
4.2.2 Precipitação com álcool etílico8
5 Questôes9

1 Introdução

O amido é um alimento de reserva em plantas (tubérculos, caules, raízes e algas) e um nutriente importante para os animais. As plantas sintetizam uma mistura de glicanos, tranformando na principal reserva de alimento, e está depositado no citoplasma das células de plantas como grânulos insolúveis compostos por αamilose e amilopectina. 1 A α-amilose é um polímero linear de milhares de resíduos de glicose ligados por ligações α(1 4). Apesar da α-amilose ser um isômero da celulose, ela possui propriedades estruturais muito diferentes. Isso ocorre porque as ligações βglicosídicas da celulose causam nos resíduos sucessivos de glicose uma rotação de 180º em relação ao resíduo anterior, fazendo com que o polímero assuma uma conformação completamente distendida e facilmente empilhável. As ligações αglicosídicas da α-amilose fazem com que ela adote uma conformação helicoidal. (figura 1) irregularmente agregada (Figura 2). 1

Figura 1 Confomação helicoidal do polissacarídeo Figura 2 Conformação do polissacarídeo

2 Objetivo O objetivo desta prática foi extrair e caracterizar o amido da batata.

3 Procedimento

Foi feito o procedimento com uma quantia não específica de material ralado, adicionado água (50 mL) onde foi agitado e parcialmente moído, Foi então filtrado em algodão (gaze), pois o filtro de papel iria reter o amido da solução. O filtrado ficou em um béquer em repouso para decantação. Depois de aproximadamente 10 minutos, o amido encontrava-se no fundo do béquer e foi então retirado o excesso de água (sobrenadante)

Logo que o amido foi separado, foi levado a aquecimento com adição de 50mL de água destilada quente, que em termos mais simples foi feito um cozimento do amido, até que ficasse uma solução esbranquiçada. Os testes de caracterização foram realizados com amostras desta solução, denominada “Solução de Amido”.

4 Parte experimental

4.1 CARACTERIZAÇÃO DO AMIDO Reação com Iodo

Foram separados 2 mL de solução de amido preparada anteriormente em um tubo de ensaio (tubo 1) e adicionou-se 3 gotas de Lugol (uma solução com Iodo) e logo que o lugol entrou e contato com a solução de amido ficou azul escuro e completamente turvo. Foi então levado a aquecimento e em poucos minutos deixou a cor azul para ficar da cor do lugol. Quando resfriado voltou a cor azul intensa de antes.

4.2 PRECIPITAÇÃO DO AMIDO Precipitação com solução salina

Em um tubo de ensaio (tubo 2) foram colocados 5 mL da solução de amido com 5 mL de solução saturada de sulfato de amônio após agitação a mistura ficou em repouso durante aproximadamente 10 minutos. Foi então filtrado para ser analisado o líquido filtrado e o produto que ficou no filtro.

Precipitação com álcool etílico

Em um tubo de ensaio (tubo 3) foram separados 5 mL da solução de amido com 5 mL de álcool etílico e após agitação, a mistura foi filtrada.

5 Resultados e discussão 5.1 Teste do Iodo

Com o resultado de coloração azul na solução de amido em contato com o lugol quando aquecido muda e refrigerado volta ao estado original azul. O amido é formado pela combinação da amilose com a amilopectina. Também sabemos que a amilose forma um complexo azul com o iodo, o iodo se aloja dentro da cadeia do polissacarídeo.(Figura 3).

O resultado da mudança de cor, é por que o amido perde sua estrutura espiral quando aquecido assim o iodo sai do interior do polissacarídeo e o complexo que tem cor azul é momentaneamente desestruturado. Quando resfriado volta a forma espiral do amido (desnaturação reversível) e o iodo forma novamente o complexo, voltando a forma azul.

Figura 3, Iodo dentro da estrutura do amido

5.2 TESTE DE PRECIPITAÇÃO DO AMIDO

5.2.1 Precipitação do amido por solução saturada de sulfato de amônio

Depois de 10 minutos de repouso, observa-se a formação de um precipitado no fundo do tubo, sendo este de coloração branca e aspecto viscoso. Ele ocorre devido a adição de sulfato de amônio na solução de amido. Pois assim como as proteínas, o amido se solubiliza na água devido a presença de ligações de hidrogênio, o sulfato de amônio, sendo um sal muito solúvel, aumenta a força iônica desidratando o amido fazendo que este se precipite. No teste de solução salina o filtrado (descarte) tinha pouco amido (verificado com o lugol) e a maior parte ficou no filtro como desejado, ou seja, a precipitação foi boa para poder retirar o amido

5.2.2 Precipitação com álcool etílico

O etanol é um solvente orgânico, e possui grande solubilidade na água, assim, quando adicionado à solução de amido ele se solubiliza rompendo as interações amido-água (ligações de hidrogênio), fazendo com que este se precipite. Após filtrar-se a amostra, adiciona-se lugol tanto ao precipitado quanto a solução filtrada. Observa-se nesse ponto, a coloração do tubo fica amarelo-laranjado devido ao iodo do lugol, pressupondo-se assim, que não há presença de amido nela, o que não ocorreu no filtrado anterior. O precipitado, como esperado, adquiri cor azul-preta, por ser formado essencialmente de amido.

6 Questões

1-) Qual é o princípio da reação de Molish e o que acontece quando é aplicada a um polisacarídeo?

O teste de Molish é considerado uma reação global para glicídios, podendo estar isolados ou associados, entretanto sem muita especificidade, pois há outras substâncias no procedimento. O reagente de Molish é composto por uma solução alcoólica de α–naftol a 5%. Sendo assim, ao adicionar-se a glicídios o ácido sulfúrico concentrado (forte ação desidratante), as ligações glicosídicas presentes em moléculas de polissacarídeos são facilmente rompidas resultando em monossacarídeos. Quando os monossacarídeos são desidratados originam: furfural e hidroximetilfurfural. Que reconhecem, respectivamente, pentoses e hexoses.

2-) Porque predomina a coloração azul na reação amido + Iodo, se o amido é uma mistura de dois polissacarídeos diferentes?

O aprisionamento do iodo dá-se no interior da hélice formada pela amilose.

Como a amilopectina não apresenta estrutura helicoidal, devido à presença das ramificações, a interação com o iodo será menor, e a coloração menos intensa. A coloração da amilopectina é vermelha e não azul. Porém nem todos os polissacarídeos, apesar de serem moléculas grandes, dão complexo colorido com o iodo. Isso porque é necessário que a molécula apresente uma conformação que propicie o "encaixe" do iodo. A celulose é um exemplo de polissacarídeo que não dá reação colorida com o iodo.

3-) Porque ocorre a precipitação do amido quando, em solução aquosa, é tratado com etanol ou sulfato de amônio?

Assim como as proteínas, o amido se solubiliza na água devido a presença de ligações de hidrogênio, o sulfato de amônio, sendo um sal muito solúvel, aumenta a força iônica desidratando o amido sendo que este precipita.

O etanol é um solvente orgânico, possui grande solubilidade na água, assim, quando adicionado à solução de amido ele rompe as interações amido-água fazendo com que este se precipite.

7 Referências

1. o glicogênio, a celulose e o amido [VOET, 2006] 2. “Teste do Iodo” (acessado em 16/06/2011) http://www.fcfar.unesp.br/alimentos/bioquimica/praticas_ch/teste_amido.htm

POLISSACARIDEOS-Extracao-e-caracteizacao-do-amido-da-batata-e-doglicogenio-hepatico> (acessado em 16/06/2011) 4. LEHNINGER, ALBERT LESTER. Princípios de bioquímica. 4ª edição. São

Comentários