CENTRAL DE MATERIAIS ESTERILIZADOS

CENTRAL DE MATERIAIS ESTERILIZADOS

Estudo Central de Materiais Esterilizados

Thiago Salomão Bessa

Acadêmico 3º ano Faculdade de Enfermagem Universidade de Cuiabá UNIC

O fluxo do setor da CME deve ser unidirecional, tendo a seguinte estrutura: Área para recepção, desinfecção e separação de materiais, que e o local destinado a receber, desinfetar e separar os materiais provenientes dos diferentes setores do hospital; Área para lavagem de materiais onde são lavados os materiais pode ser lavados de forma manual ou física, manualmente ou por meio de máquinas lavadoras especiais; área de preparo de materiais e roupas, esta área se destina a preparar e empacotar os diferentes tipos de materiais e roupas para serem esterilizados; área para esterilização, área destinada a esterilização dos materiais e roupas, através do método físico: calor úmido, calor seco (auto-clave); Sala para armazenagem e distribuição de materiais e roupas esterilizadas, área que se destina a armazenar os materiais e roupas esterilizadas para distribuí-los para os setores do hospital, para isso, podem ser usados armários, prateleiras, e mais modernamente, cestos de aço inoxidável, do tipo "gaiola"; também devera possuir sala administrativa destinada ao controle administrativo da Central de Material; sanitários com vestiários para funcionários e deposito de material de limpeza.

Como já dizíamos, a limpeza pode ser feita manualmente e para alguns materiais a limpeza e por meio mecânico, utiliza-se sabão neutro e água, em alguns materiais específicos se utiliza o detergente enzimático, produtos oxidantes (ferrugem), e produto lubrificante.

É utilizado o hipoclorito 0,02% para desinfecção de baixo nível; hipoclorito 1% desinfecção médio nível e o glutaraldeído é um dialdeído saturado, cujo mecanismo de ação se dá pela reticulação das proteínas celulares, alterando suas funções essenciais. para desinfecção de alto nível, que esta sendo substituído pelo acido peracético.

Os tipos de esterilização são: química (produto químico) e a física (alto clave). Os envoltórios utilizados são: papel crepado que tem o prazo de validade 7 dias, kraft 1 ano, papel grau cirúrgico 1 ano, Campo de algodão 2 meses, Caixas de aço inoxidável.

Os indicadores utilizados para validar o processo de esterilização são: Este biológico, realizados uma vez por semana, na primeira carga, na autoclave usa-se o “bacillus stearothermophylus” Reagentes químicos: são substâncias que sofrem alteração na cor, Usa- se a fita zebrada ou fita de autoclave, fita especial, que serve para identificação visual que o material passou pelo calor. E os indicadores químicos: tiras impregnadas com tinta termo-química que muda de coloração quando exposto a temperatura, usadas em todos os pacotes, evidenciam a passagem do material pelo processo; teste de BOWIE & DICK - testa a eficácia do sistema de vácuo da autoclave realizado na 1ª esterilização da amanhã;

Indicadores biológicos: Primeira geração: tiras de papel com esporos microbianos, incubados em laboratório de microbiologia com leitura em torno de 2 a7 dias; Segunda geração: auto-contidos com leitura em 24 a 48 horas; terceira geração: auto-contidos com leitura em 1 a 3 horas.

Os equipamentos de proteção individual utilizados na CME são: mascaras, propes, luvas, gorros, botas, óculos. Os riscos são: riscos físicos: calor, iluminação, ruídos; Riscos químicos: produtos químicos; Riscos ergonômicos: riscos ocasionados por falta de segurança no local de trabalho, falta de estrutura adequada;

Estudo Central de Materiais Esterilizados

Thiago Salomão Bessa

Acadêmico 3º ano Faculdade de Enfermagem Universidade de Cuiabá UNIC

Riscos biológicos: contato com microorganismos, secreções, materiais perfuro cortante contaminado; Riscos ocupacionais: cadeiras inapropriadas, mesa de preparo com altura desproporcional.

Os cuidados Processo de limpeza: O material devera ser lavados e bem secos, pois se restar sujidade o processo de esterilização não vai ser eficaz; no preparo, devera sem bem embalados na forma técnica, observando sempre se a sujidade, pêlos, cabelos entre outras, e importante o uso de EPI. Esterilização, o material deve ser colocado de forma que não fiquei encostado nas laterais da autoclave, e tenha espaço entre um do outro facilitando a circulação e penetração do vapor de modo homogêneo. Armazenamento e importante aguarda em torno de 20 minutos após a abertura da autoclave, manusear os pacotes com cuidados, armazená-los de forma correta, organizado, na distribuição certifica a validade e registrar em controle próprio a saída do material.

ARTIGO CRÍTICO: entra em contato com vasos sanguíneos ou tecidos livres de microorganismos / esterilização Ex: instrumental cirúrgico. ARTIGO SEMI CRÍTICO: entra em contato com mucosa ou pele não íntegra. Desinfecção ou esterilização Ex: inaladores ARTIGO NÃO CRÍTICO: entra em contato com pele íntegra. Limpeza ou desinfecção Ex: termômetro, Comadre.

Competência do enfermeiro da Central de Materiais Esterilizados : supervisionar e controlar as atividades desenvolvidas em cada uma das áreas da Central de Material Esterilizado, para assegurar o bom funcionamento da Unidade, o que reverterá em segurança na assistência ao paciente; prover a Unidade de recursos humanos e materiais, levando em conta a quantidade e a qualidade, de modo a atender à demanda de atividades realizadas; planejar e executar programas de treinamento e educação continuada; realizar reuniões periódicas com a equipe de enfermagem para passar informes gerais e específicos da Unidade, estimulando maior interação entre os seus componentes; emitir parecer técnico na compra de equipamentos e outros materiais; estabelecer um sistema de controle dos equipamentos e materiais de que dispõe a Unidade; fazer levantamento mensal dos materiais solicitados pelos diferentes setores do hospital, a fim de planejar o suprimento da Unidade para atendê-los; manter-se atualizado em relação aos novos tipos de materiais e equipamentos disponíveis no mercado; manter relacionamento efetivo com a Diretoria de Enfermagem e outros serviços,como: lavanderia, almoxarifado, setor de compras, engenharia e demais Unidades da Instituição; elaborar o regimento interno e o manual operacional da Unidade, mantendo-os sempre atualizados; fazer parte da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CClH), Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (CIPA) e outras afins ao funcionamento da Unidade; efetuar regularmente testes bacteriológicos nos aparelhos de esterilização, avaliar e divulgar os resultados obtidos; prevenir a incidência de riscos ocupacionais, notificar à CIPA a ocorrência de acidentes (se houver) e avaliar a dinâmica de funcionamento da Unidade para intensificar as medidas de prevenção; fazer a estatística mensal da produção e o relatório anual das atividades desenvolvidas na Unidade, encaminhando-os a Diretoria de Enfermagem.

Comentários