Microsoft Word - Apostila Desenho-Técnico Móveis 2008

Microsoft Word - Apostila Desenho-Técnico Móveis 2008

(Parte 1 de 6)

SENAI SC Desenho Técnico - 1 -

1. Introdução ao Desenho Técnico

O desenho é umas das primeiras formas de comunicação e expressão do homem. Já na pré-história encontrou-se rochas com representações gráficas.

Os recursos utilizados tem sido os mais afinados, nas diferentes épocas. Cem anos antes de Cristo traçava-se em pergaminhos com auxilio de bastões de chumbo. Por volta do século XVI, após a utilização do chumbo junto ao estanho e à prata, chegou-se ao GRAFITE. No século XVII, na Alemanha, foi desenvolvida a idéia de colar tiras de grafite em madeira, proporcionando maior firmeza para o traçado e fazendo surgir então o LÁPIS. Em 1795 o francês Conté aperfeiçoou o uso do grafite por meio de uma mistura de grafite moído com cerâmica seca e posteriormente submetida a um processo de estiramento por pressão. Dependendo da proporção de grafite e cerâmica eram obtidos diferentes graus de dureza.

Durante séculos o desenho, hoje entendido como técnico, foi um conhecimento e um processo grafo-representativo de acesso restrito, e por isso mesmo sem compromisso com regras e normas de execução. Uma das maiores dificuldades era representar a volumetria das formas em superfícies planas, problema que foi minimizado no século XV quando LEONARDO DA VINCI desenvolveu um estudo relativo à teoria do desenho e representou graficamente inúmeros de seus inventos.

As técnicas de representação basicamente só passaram a ter maior fundamentação e importância a partir do século XVIII, quando então o francês GASPAR MONGE criou a geometria descritiva. Colaboraram ainda para que o desenho fosse aceito como um potencial instrumento de autonomia e de desenvolvimento tecnológico, alguns eventos tais como: a Exposição Universal de Desenho, realizada em 1828 na França e a Exposição Industrial de Londres em 1851.

Hoje o desenho técnico assume uma posição difusa e multidisciplinar e, aliado a importantes recursos, corno os computadores, auxiliam na produção do mundo material, utilizando-se de uma linguagem normalizada e universal. Das idéias preliminares aos estágios finais de representação, sua aplicação se faz presente em projetos mecânicos, elétricos, mobiliários, arquitetônicos, aeroespaciais, navais e em inúmeras outras áreas.

O conhecimento que vamos estudar neste semestre é apenas a base necessária para um aprofundamento específico posterior.

SENAI SC Desenho Técnico - 2 -

Quando vamos executar uma determinada peça na empresa, necessitamos receber todas as informações e dados sobre a mesma.

Estas informações poderiam ser apresentadas de várias formas, tais como: 1) Descrição verbal da peça. 2) Fotografia da peça. 3) Modelo da peça. 4) Desenho técnico da peça.

Se analisarmos cada uma destas formas, veremos que nem todas proporcionam as informações indispensáveis para a execução da peça, vejamos:

1. Uma Descrição Verbal não é o bastante para transmitir as idéias de forma e dimensões de uma peça, mesmo que ela não seja muito complicada. Se experimentarmos descrever, usando somente o recurso da palavra, um objeto, de maneira que outra pessoa o execute, concluiremos que isto é praticamente impossível.

2. A Fotografia transmite relativamente bem à idéia da parte exterior da peça, mas não mostra seus detalhes internos e nem suas dimensões. Logo, a fotografia também não resolve o nosso problema.

3. O Modelo resolve, até certo ponto, alguns problemas. Nem todos, porém. Por exemplo, se tivéssemos que transportar uma peça de grande tamanho, para reproduzi-la pelo modelo. Além disso, a peça pode estar sendo “projetada”, não existindo ainda um modelo da mesma.

SENAI SC Desenho Técnico - 3 -

4. Desenho Técnico pode transmitir, com clareza, precisão e de maneira simples, todas as idéias de forma e dimensões de uma peça. Além disso, há uma série de outras informações necessárias que somente o desenho pode dar, tais como: o material de que é feita a peça, os acabamentos de sua superfície, as tolerâncias de suas medidas etc.

Portanto, o conhecimento de Desenho Técnico é indispensável a todos aqueles que necessitam executar tarefas que sejam de ajustagem, tornearia, marcenaria, eletricidade, etc.

O Desenho Técnico é uma linguagem técnica Universal, pela qual se expressam e registram idéias e dados para construção de móveis, máquinas e estruturas.

Sendo uma linguagem gráfica universal, este possui normas específicas para o seu traçado e interpretação. Estas normas são elaboradas por entidades especializadas que padronizam e normalizam o seu emprego. No Brasil a entidade responsável é a ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas.

2. Folhas de Desenhos (Formatos)

Para execução de Desenhos Técnicos, existem alguns tipos de folhas, conhecidas como Formato. O original de um desenho, deve ser executado em menor formato possível, desde que não prejudique a sua clareza.

A norma Brasileira (NBR 10068) recomenda o uso dos formatos da série A, que tem como máximo o formato A0 (1189 x 841 m) e, como mínimo, o formato A4 (210 x 297 m).

A partir de cortes sucessivos no formato A0, obtêm-se tamanhos menores na série.

SENAI SC Desenho Técnico - 4 -

As margens são limitadas pelo contorno externo da folha e o quadro, sendo que o quadro limita o espaço para o desenho.

No formato A4, também pode-se trabalhar com a margem de 20 e 5, respectivamente.

SENAI SC Desenho Técnico - 5 -

3. Legenda

No canto inferior direito dos formatos, existe uma pequena área para colocação da Legenda, ou seja, coloca-se neste espaço, toda a informação possível referente ao desenho a ser executado. Informações que a legenda pode trazer:

• Nome da peça.

• Número do desenho.

• Número da peça.

• Tipo de Projeção

• Cliente

• Tolerância

• Material

• Quantidade

• Escala.

• Código ou nome do conjunto a que pertence.

• Data da execução do desenho.

• Data de modificação.

• Descrição das modificações feitas

• Nome da empresa

• Nome do desenhista ou responsável

Disposição do desenho nas folhas

Nos exemplos a seguir, representamos à disposição mais conveniente do desenho da peça na folha. Para a representação da peça escolhemos a escala 1:1 e o formato A4 (210x297mm). Em uma folha de desenho com margem, ainda resta uma área livre para desenho de 287mm de altura por 180mm de largura. Na largura colocam-se: largura da elevação = 60mm largura da lateral = 40mm e uma distância entre as vistas de 30mm.

SENAI SC Desenho Técnico - 6 - Tomando esses cuidados, teremos o desenho bem distribuído e centralizado na folha.

SENAI SC Desenho Técnico - 7 -

4. Caligrafia Técnica

(Parte 1 de 6)

Comentários