revista3

revista3

(Parte 1 de 8)

Tchê Química Volume 02 - Número 03 - 2005ISSN 1806-0374

Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 2005 1

Volume 02 – Número 03 – 2005ISSN 1806 – 0374

Tchê Química

Órgão de divulgação científica e informativa. Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Periódico Tchê Química: órgão de divulgação científica e informativa [recurso eletrônico] / Grupo Tchê Química – Vol. 1, n. 1 (Jan. 2004)- . – Porto Alegre: Grupo Tchê Química, 2005 - Semestral. Sistema requerido: Adobe Acrobat Reader. Modo de acesso: World Wide Web: <http://w.tchequimica.com>

<http://w.tchequimica.tk> Descrição baseada em: Vol. 2, n. 3 (jan. 2005). ISSN 1806-0374 ISSN 1806-9827 (CD-ROM) 1. Química. I. Grupo Tchê Química.

Bibliotecário Responsável

Ednei de Freitas Silveira CRB 10/1262

Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 2005 2

Volume 01 – Número 03 – 2005ISSN 1806 – 0374

Tchê Química

Órgão de divulgação científica e informativa.

Comissão Editorial Eduardo Goldani Luis Alcides Brandini De Boni Ednei de Freitas Silveira – Bibliotecário

Periódico Tchê Química ISSN 1806-0374 ISSN 1806-9827 (CD-ROM) Divulgação on-line em w.tchequimica.com

Missão Publicar artigos de pesquisa científica que versem sobre a Química e ciências afins. A responsabilidade sobre os artigos é de exclusividade dos autores. Solicitam-se alterações, quando necessário.

Correspondências e assinaturas w.tchequimica.com

Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 2005 3

Mensagem ao leitor

Goldani

Mesmo nos dias mais inspirados de nossas vidas sempre é difícil expressar um estado de espírito ou algum sentimento apenas por palavras. De qualquer forma, gostaria, através desta mensagem, de retribuir tudo aquilo que os nossos colaboradores e leitores nos proporcionaram durante esta curta trajetória do Periódico Tchê Química.

Iniciando timidamente com a sua primeira edição em janeiro de 2004, onde se alcançou, além das nossas próprias expectativas, mais de 600 exemplares e seguindo essa grandiosa tiragem na sua segunda edição, este meio de divulgação científica e informativa nos remete muita alegria e orgulho pelo trabalho que esta sendo feito. O fato da saída de mais de 1000 exemplares do nosso Periódico nas suas primeiras duas edições não apenas nos traz satisfação e credibilidade, mas também aumenta cada vez mais a nossa responsabilidade por um trabalho ainda mais profissional. Tentamos, a cada dia que passa, tornar esse veículo científico e informativo o mais prazeroso e diversificado possível para que possa atender às mais diversas áreas da ciência. Como recompensa desse trabalho, nada mais nos trouxe tanta alegria do que a conquista do Prêmio Nobel de Física de 2004 pelo físico americano Franck A. Wilczek, professor Dr. do departamento de Física do MIT (Massachusetts Institute of Technology), que foi nosso colaborador logo na primeira edição do Periódico com o artigo intitulado “The Origin of Mass”, que, devido a sua excelência e qualidade, foi traduzido e saiu novamente, agora em português, na segunda edição. Isso nos leva a crer que estamos no caminho certo, ou seja, logo nas primeiras edições já temos a honra de contar com um ganhador de Prêmio Nobel, o reconhecimento máximo de um trabalho que pode ser atribuído a um pesquisador. Frente a isso, continuaremos buscando cada vez mais a excelência desse trabalho, sempre objetivando alcançar o maior número de leitores e a maior abrangência possível das áreas científicas.

Sendo assim, se um ganhador de Nobel confia no nosso trabalho, porque você poderia não confiar? Deixe a sua desconfiança de lado e venha também fazer parte do Periódico Tchê Química. Envie seu artigo, seu comentário, sua produção textual. Quem sabe no dia de amanhã você também poderá ser agraciado com algum prêmio de reconhecimento nacional ou internacional pelo seu trabalho.

Atenciosamente, Eduardo Goldani

De Boni,

É com muita alegria que, mais uma vez, tenho a satisfação de estar envolvido na edição do Periódico Tchê Química. Neste ano que esta começando o Grupo Tchê Química, tentando melhorar a qualidade dos seus serviços, inaugura o seu novo redirecionador, ou seja, agora somos w.tchequimica.com. Mas, afinal, o que muda para o usuário final? Na prática não muda nada, mas de maneira indireta nossos serviços se tornam mais estáveis e eficientes.

Também sinto-me orgulhoso pelo fato de o

Grupo estar tendo uma aceitação cada vez maior do público. O nosso site no Yahoo* já é uma das maiores comunidades de química do Brasil e, frente a isto convido você a se unir ao nosso site!

Outro fato que me alegra muito é o sucesso do nosso aplicativo do BioDiesel que, apesar de ainda ser uma distribuição de testes (beta), nos trouxe muitos contatos novos e muita gente interessada em colaborar com a pesquisa e com a difusão do conhecimento baseada nesta tecnologia que nós tornamos disponível a todos em Português do Brasil. Inclusive, eu e o Eduardo lamentamos não poder atender a todos os pedidos de assistência e suporte da forma como nossos usuários gostariam, porém não temos condições técnicas de realizar isto de imediato.

Um forte abraço e aproveite a leitura da nossa revista,

Luis A. B. De Boni *<http://br.groups.yahoo.com/group/tchequimica/>

Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 2005 4

Índice

Artigo / Article Biodiesel – aspectos gerais Renata Cristina Boccardo Especialista em Motores e Combustíveis pela PUC-PR Página 7

Entrevista / Interview Benoit B. Mandelbrot Página 13

Artigo / Article O Modelo atômico de Theodoro Augusto Ramos Lavinel G. Ionescu & Luis A. Brandini De Boni Departamento de Química Pura, Faculdade de Química da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul Porto Alegre - RS

Página 30

Artigo / Article Como estudar a diferença entre a Cor Luz e a Cor pigmento em sala de aula Licia Zimmermann Página 17

Artigo / Article PECHINI SYNTHESIS AND CHARACTERIZATION

OF Eu3+ DOPED ZnCo2O4 SPINELS Patrícia Mendonça Pimentel

Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Laboratório de Química Inorgânica e Materiais – UFRN E-mail: patricia@materiais.ufrn.br Página 24

Resenha de livro / Book Review A descoberta do gás vital Emiliano Chemello*, echemell@ucs.br Universidade de Caxias do Sul, Centro de Ciências Exata e Tecnológica, Departamento de Física e Química – NAEQ. * Acadêmico

Artigo / Article

TINTAS INVISÍVEIS Concetta S. Ferraro, Josiane Garcia Mônego e Ligia Coelho Rubbo Laboratório Especial de Química - MCT E-mail: leqmct@pucrs.br Página – 56

Agenda – Página 6 Coluna Goldani – Página 61

Artigo / Article Estudo Espectroquímico do Íon Permanganato

MnO4- em Solução Aquosa e Metanólica Página – 67

INSTRUÇÕES PARA PUBLICAÇÃO / INSTRUCTIONS FOR PUBLICATIONS - Página 76

Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 20055

Artigo / Article É com grande alegria que contamos novamente com a participação dos nossos irmãos da Universidade de Coimbra. Nesta edição temos a presença do Professor Formosinho e do Professor Luis Arnaut, que nos trazem o artigo “VELOCIDADES DE REACÇÃO E ESTRUTURA MOLECULAR”

Página 40 Formosinho Arnaut

XLV Congresso Brasileiro de Química Data: 19 a 23 de setembro de 2005 Local: Belém/PA Realização: Associação Brasileira de Química Informações: http://www.abq.org.br/cbq/index.htm

E-mail: abqnacional@abq.org.br Telefone: (0XX21) 2224-4480 e Fax: (0XX21) 2224-6881

2º Simpósio Brasileiro de Educação Química Data: 06 a 08 de julho de 2005

Local: Rio de Janeiro/RJ Realização: Associação Brasileira de Química Informações: http://www.abq.org.br/simpeq/index.htm

XV Simpósio Nacional de Bioprocessos Data: 02 a 05 de Agosto de 2005 Local: Recife/PE Realização: Secretaria do SINAFERM 2005 com apoio da Universidade Federal de Pernambuco, do Centro de Ciências Biológicas e do Centro de Tecnologia e Biociências. Informações: w.ufpe.br/sinaferm2005 E-mail: sinaferm2005@ufpe.br

2º Conferência Anual - Otimize os Processos de Licenciamento Ambiental em Projetos de Energia Data: 31 de janeiro à 1º de fevereiro de 2005 Local: Grand Hotel Mercure - São Paulo/SP Realização: IBC Informações: http://www.ibcbrasil.com.br/licenciamento

E-mail: licenciamento@ibcbrasil.com.br Telefone: (0XX11) 3017-6888

8ª Conferência Anual “Casos Práticos e Alternativas para Reaproveitamento de Resíduos Industriais” Data: 08 a 09 de março de 2005 Local: Pestana São Paulo Hotel - São Paulo/SP Realização: IBC Informações: http://www.ibcbrasil.com.br/residuos2005

E-mail: ambiental@ibcbrasil.com.br Telefone: (0XX11) 3017-6888

5º SIPAL - 5º Internacional Symposium On The Production Of Alccohol And Yeasts Data: 06 a 10 de março de 2005 Local: Auditório Cláudio Santoro - Hotel Serra da Estrela - Campos de Jordão/SP Realização: Faenquil - Faculdade de Engenharia Química de Lorena Informações: http://www.faenquil.br/sipal

E-mail: sipal@faenquil.br Telefone: (0XX12) 3159-5005 I Fórum Mineiro Sobre Química e Sociedade

Data: 16 a 18 de junho de 2005 Local: Belo Horizonte/MG Realização: CRO-MG Informações: http://www.crqmg.or.br

E-mail: crq@cramg.org.br Telefone: (0XX38) 32231519

7º World Congress of chemical Engineering Data: 10 a 14 de julho de 2005 Local: SECC - GLASGOW – SCOTLAND Informações: http://www.chemengcongress2005.com

E-mail: info@chemengcongress2005.com Telefone: +4(0) 141 331 0123

8ª COTEQ - Conferência Sobre Tecnologia de Equipamentos Data: 07 a 10 de junho de 2005 Local: Bahia Othon – Salvador/BA Realização: ABENDE Informações: http://www.abende.org.br

1st International Conference on Diffision In Solids And Liquids Data: 06 a 08 de julho de 2005 Local: Aveiro – Portugal Realização: Universidade de Aveiro Informações: http://event.ua.pt/dsl2005 E-mail: DSL-2005@mec.ua.pt

10th International Seminar on Elastomers Data: 05 a 08 de abril de 2005 Local: Rio de Janeiro/RJ Informações: http://www2.uerj.br/~ise2005/

X International Macromolecular Colloquium Data: 10 a 13 de abril de 2005 Local: Gramado/RS Informações: w.iq.ufrgs.br/colloquium

9o. Prêmio Jovem Talento para Ciências da Vida Promoção: Sociedade Brasileira de Bioquímica e Biologia

Informações:w.sbbq.org.br

Molecular - SBBq / GE Healthcare/Amersham Biosciences Inscrição: até 04 de fevereiro de 2005 Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 2005 6

* Especialista em Motores e Combustíveis pela PUC-PR

Diante da necessidade da utilização de fontes alternativas de

combustíveis, devido à crescente escassez do petróleo, o biodiesel vem a contribuir com suas excelentes qualidades tendo em vista ser um produto biodegradável, renovável e que obedece ao ciclo de carbono. O biodiesel têm propriedades físico-químicas muito semelhantes ao óleo diesel e, por isso, não necessitando de um novo motor para o seu funcionamento. O biodiesel, quando adicionado ao óleo diesel, melhora a sua lubricidade, dispensando aditivos mais poluentes. Por conter oxigênio em sua cadeia química, tem melhor queima com conseqüente diminuição de monóxido de carbono e de hidrocarbonetos.

O biodiesel é feito a partir da mistura de óleos vegetais com um álcool (metanol ou etanol). A intenção do governo federal é misturar 5% do combustível renovável ao diesel mineral até 2010. Isso significará incorporar 2 bilhões de litros de biodiesel na frota nacional. Para chegar a essa meta, serão necessários mais de 400 milhões de litros de álcool por ano.

1859, havia sido descoberto o petróleo na Pensilvânia e era utilizado principalmente para a produção de querosene;

1892, Rudolf Diesel recebeu uma patente por um motor de ignição por compressão que só usava pó de carvão, mas não funcionava adequadamente;

1895, Diesel aproveitando a disponibilidade de diversos sub-produtos do petróleo, iniciou os experimentos com outros combustíveis e, após algumas modificações no projeto original, construiu o 1º protótipo bem sucedido;

1900, Diesel utilizou óleo de amendoim do Brasil para uma demonstração na Exposição de Paris;

Nas décadas de 1930 a 1940 os óleos vegetais foram utilizados como combustíveis de tempos em tempos, mas apenas em situações de emergência;

1975, foi adotado no Brasil o Programa

Nacional do Álcool, o PROÁLCOOL, para substituir a gasolina;

No início da década de 80, com o aumento do preço do petróleo e com esgotamento das reservas , além da crescente conscientização ambiental, os estudos sobre o uso de óleos vegetais se intensificaram. Um dos primeiros testes

Periódico Tchê Química, Porto Alegre: Grupo Tchê Química v. 2, n.1, Jan. 20057

Renata C. Boccardo* registrados na literatura foi realizado no Brasil, pela CATERPILLAR, que utilizou uma mistura contendo 10% de óleo vegetal;

Em 1982, foi realizado o 1º Congresso

Internacional sobre Óleos Vegetais Combustíveis, nos Estados Unidos;

1997, foi realizada em Quioto (Japão) a

Terceira Sessão da Conferência das Partes, foi proposto por decisão consensual um Protocolo segundo o qual os países industrializados reduziriam as emissões de CO2.

2002, dias 24 a 26 de outubro, foi realizado em Curitiba o Seminário Internacional de Biodiesel

2003, dias 14 a 16 de abril, foi realizado em Ribeirão Preto o 1º Congresso Internacional de Biodiesel “Um salto para o futuro dos combustíveis fósseis aos Bio-combustíveis”.

2004, foi realizado no dia 06 de dezembro a cerimônia do Lançamento Oficial do “Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel”, que contou com a presença do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No dia 16 de dezembro de 2004, o fim da obrigatoriedade foi aprovado pelo Senado. Com esta alteração, a Medida Provisória retornará à Câmara dos Deputados para nova votação.

Com a entrada em vigor do protocolo, a partir do início de 2005, países industrializados passam a ficar obrigados a reduzir, até 2012, as emissões de gases para ficar 5% abaixo do nível registrado em 1990.

O consumo de petróleo no Brasil é comandado pela demanda de óleo diesel. Para atender a esta demanda, as refinarias do País processam petróleo nacional e petróleo importado maximizando a produção de óleo diesel. Por isso, o volume produzido nas refinarias resulta ser correspondente a aproximadamente 35% do volume de petróleo processado. Apesar disto, uma parte significativa da demanda de óleo diesel ainda precisa ser suprida com a importação deste derivado. Analisando os dados da Agência Nacional de Petróleo (2000), relativos ao consumo de óleo diesel no País, podem-se identificar as parcelas de óleo diesel proveniente de petróleo nacional, de petróleo importado e a parcela de óleo diesel importado como tal (já processado). Embora a quota parte correspondente ao óleo diesel oriundo do petróleo nacional tenha aumentado durante a última década, ainda 40% do óleo diesel consumido no País em 1999 foi suprido a partir de importações. Rotstein (1996) chama a atenção para o fato que no processo de produção de óleo diesel surge a gasolina como subproduto, sendo que a produção obrigatória de gasolina corresponde à metade do óleo diesel produzido. Obviamente, existe um conflito entre a produção obrigatória de gasolina e a sua almejada substituição pelo álcool combustível. Assim, parece ser evidente que qualquer programa de utilização de combustíveis alternativos deve estar voltado, principalmente, à substituição do óleo diesel.

(Parte 1 de 8)

Comentários