Pequeno curso de redação - Professor Sebastião da Cruz_Rio de Janeiro

Pequeno curso de redação - Professor Sebastião da Cruz_Rio de Janeiro

(Parte 1 de 6)

SEBASTIÃO DA CRUZ

Pequeno

Curso de Redação

Adequado para Concursos

Públicos

Este curso contém a relação de duzentos e trinta temas

É permitida a cópia parcial ou total deste material, desde que feita a

devida referência bibliográfica

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 2

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – PROF. SEBASTIÃO DA CRUZ – PÁG.2

BEM-VINDO AO PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO DO Prof. SCRUZ.

APRESENTAÇÕES FÁCEIS E DESCOMPLICADAS.

PERCA O MEDO DE ESCREVER.

NOÇÕES DE GRAFOLOGIA.

CONFIA NO TEU TALENTO E SERÁS UM ESCRITOR.

Eu digo sempre aos meus alunos que escrever é vender uma idéia. Assim, da mesma forma que um vendedor convence o seu cliente a ficar com um determinado produto, também, quem escreve tem de convencer o leitor sobre as adequações de sua exposição literária.

Minha experiência das salas-de-aula convenceu-me a acreditar que todos podem escrever bem, inclusive você. Inicialmente, o aluno diz que não sabe como começar a dissertação. Mas quem sabe ? Os mais destacados escritores e jornalistas, também, têm seus momentos de indecisão, antes de começar a pôr no papel suas idéias.

Para escrever-se bem bastam algumas regrinhas e muita exercitação.

1˚ - Ler muito;

2˚ - Adquirir o hábito de escrever;

3˚ - Possuir espírito crítico;

4˚ - Medir bem as palavras;

5˚ - Usar palavras compreensíveis;

6˚ - Preferir as frases curtas;

7˚ - Utilizar-se bem dos parágrafos;

8˚ - Não subestimar os leitores;

9˚ - Jamais desviar-se do tema;e

10˚ - Pontuar e acentuar com precisão.

Seja:

Claro e objetivo;

Conciso e correto;

Original e simples; e

Perspicaz.

Mostre:

Raciocínio;

Agudeza mental;

Inteligência; e

Conhecimentos.

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – PROF. SEBASTIÃO DA CRUZ – PÁGINA 3

A redação terá um início, um meio e um fim.

Em nosso curso, tomaremos como base uma dissertação de 30 ( trinta ) linhas.

A Introdução:

Ao primeiro parágrafo da redação, denominaremos: INTRODUÇÃO.

A introdução deve conter um resumo, em poucas pinceladas, daquilo que abordaremos no restante do texto, e ocupará, aproximadamente, quinze porcento do total de linhas de toda a dissertação. Portanto, nossa dissertação poderá conter até 5 (cinco ) linhas na introdução.

Exemplo:

A Escola

Desde os primórdios da humanidade, o homem vem adquirindo conhecimentos. Nesse contexto, a escola exerce o sublime papel de congregadora da cultura da espécie humana.

Podemos iniciar a construção da Introdução da redação de várias maneiras, respeitando-se o estilo de cada um.

1˚ - Com uma citação:

Não perguntes o que teu país poderá fazer por ti, mas o que tu poderás fazer por teu país“, (John F. Kennedy);

2˚ - Com um pensamento:

O trabalho afasta de nós três grandes males: o tédio, o vício e a necessidade”, (Voltaire);

3˚ - Com um locução adverbial:

Nas grandes cidades, as criaturas que mal ganham para comer vão morar nas favelas”; e

4˚ - Com o sujeito da oração:

O patriotismo é a defesa do solo onde nascemos”.

A melhor maneira de fazer-se uma boa Introdução consiste em extrair as três palavras, mais importantes, relacionadas ao tema e desenvolvê-las em um jogo de palavras. Por exemplo: sobre o tema:

A Escola

Conhecimento, cultura e educação são três palavras mágicas que formam as bases elementares para a edificação sólida de uma grande nação.

O Desenvolvimento

A segunda parte da estruturação diz respeito ao Desenvolvimento, ou argumentação.

Esta parte deve ocupar setenta porcento das linhas, ou seja, aproximadamente, vinte e uma linhas em uma redação de trinta linhas.

O desenvolvimento deve conter entre dois e quatro parágrafos.

Utilize-se dos parágrafos para diversificar as idéias, sem, porém, desviar-se do tema. Lembre-se das palavras-chave relacionadas ao tema. No caso de “A Escola”, obrigatoriamente, teremos de desenvolver frases sobre conhecimento, cultura e educação. Poderíamos incluir outros termos, tal: templo do ensino; esperança de uma nação; viveiro eterno de novas gerações; prolongamento do lar, etc.

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 4

Como exemplo, delineio, a seguir, um desenvolvimento em três parágrafos.

Dentre as instituições de uma nação, existe aquela que representa o futuro de seu povo e preserva suas culturas e tradições – é a sagrada escola, celeiro vivo de sabedoria eterna.

A escola funciona como segundo lar para as crianças e adolescentes. Este templo de ensino modela o futuro cidadão da pátria, podendo conduzi-la à grandeza ou decadência. Lá, a sociedade conserva e incute na mente dos jovens, cernes de moralismo e civismo, transformando seus filhos em homens honrados, cumpridores de seus deveres, respeitadores de seus semelhantes e amantes da querida terra em que nasceram.

A cultura e educação de um povo, consubstanciadas pelo progresso e solidificação social, são provas latentes de que a escola é e continua sendo o maior patrimônio de uma nação. Ela representa o viveiro eterno de novas gerações, cada vez mais desenvolvidas e responsáveis, capazes e modelares.

A Conclusão

A conclusão deve ocupar somente um parágrafo e ocupar quinze porcentodo total de linhas da dissertação. Assim, escreveremos, aproximadamente, entre quatro e seis linhas para concluirmos nossa redação de trinta linhas.

Na conclusão, devemos tecer, em poucas palavras, um resumo do que foi colocado no desenvolvimento e traçar metas e soluções, se for o caso, para a concretização dos objetivos.

Podemos iniciar a conclusão com frases, como:

Tendo em vista os fatos abordados acima,...

Pelo acima exposto,...

Dessa forma, conclui-se que...

Assim, espera-se que...

Em resumo,...

De acordo com o exposto...

Em suma,...

Então, vejamos um exemplo de conclusão:

Em suma, a escola é o jardim onde são plantadas as sementes do saber. Neste templo de sapiência repousam as esperanças de uma humanidade mais justa, digna e fraternal.

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 5

NÃO SE ESQUEÇA:

EM SUA ESTRUTURAÇÃO, UMA REDAÇÃO TEM DE TER UMA INTRODUÇÃO, UM DESENVOLVIMENTO E UMA CONCLUSÃO.

ADQUIRA O HÁBITO DA LEITURA.

NOSSA INDEPENDÊNCIA ESTÁ NOS LIVROS.

OS CONHECIMENTOS ADQUIRIDOS SÃO A ÚNICA COISA QUE NÃO PODEM TIRAR DE NÓS.

Sobre a Avaliação de uma Redação

A avaliação de uma redação segue um critério rigoroso, relacionado à linguagem culta. Além da parte específica de gramática, muitas vezes, recorre-se à grafologia para verificar-se o perfil psicológico e pendores vocacionais do concursado à função que pleiteia.

A maioria das Universidades, entidades de ensino e órgãos de seleção de candidatos utilizam uma tabela semelhante a esta para avaliar as suas redações.

ITEM AVALIADO

VALOR

PONTUAÇÃ0 OBTIDA PELO CANDIDATO

1. Estruturação

5

2. Pontuação

10

3. Acentuação

10

4. Ortografia

15

5. Morfologia e sintaxe

10

6. Concordância e regência

10

7. Vocabulário e semântica

10

8. Conteúdo e adequação ao tema

30

TOTAL.........................................

100

Note que todo candidato inicia sua redação com 100 pontos e, no decorrer de sua dissertação, dirá ao avaliador quantos pontos assume perder.

Desconto de pontos:

1. Estruturação – A redação que não obedecer às normas de formulação de Introdução, desenvolvimento e conclusão terá diminuída, entre 1 e 10 pontos, dependendo do grau de erros na colocação dos parágrafos.

2. Pontuação – Cada ponto, vírgula, ponto e vírgula, travessão, etc., colocado fora do lugar correto, perderá 2 pontos. Por exemplo: caso o candidato cometa cinco ou mais erros nesse item, ser-lhe-á atribuído o valor ZERO em pontuação.

3. Acentuação – Segue o mesmo critério da pontuação, cada palavra acentuada incorretamente incorrerá na perda de 2 pontos.

4. Ortografia – Aqui, também, ocorre o mesmo, cada palavra que contenha erros ortográficos incorrerá na perda de 2 pontos. Caso, o candidato cometa erro ortográfico, considerado gravíssimo, como grafar a palavra “sabão”, como “çabão” , imediatamente, ser-lhe-á atribuído o valor ZERO, no item Ortografia.

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 6

Os itens 5, 6 e 7, respectivamente, morfologia/sintaxe; concordância/regência; e vocabulário/semântica obedecem o mesmo critério de correção dos itens anteriores.

O item 8 (conteúdo e adequação ao tema) sobressai-se como o de maior peso, durante a avaliação.

O conteúdo de uma redação consiste em abordar com conhecimento de causa o tema proposto. Além de conhecer o assunto, o candidato deve mostrar inteligência, raciocínio e agudeza mental. A adequação ao tema exige que o candidato aborde idéias relacionadas ao título da redação.

Eu costumo recomendar aos meus alunos a leitura de bons livros, jornais e revistas, por que creio que o hábito de ler opera milagres.

Recebi alunos que, na primeira redação que realizaram em salas-de-aula, obtiveram nota 20. Após oito meses de estudo e lendo os livros recomendados, usando-se os mesmos critérios de avaliação de antes, suas notas subiram para 80.

Pode-se encontrar bons editoriais, em linguagem culta, nas edições da Folha de São Paulo; Jornal do Brasil e O Globo. A revista mensal Seleções do Reader’s Digest traz muitas histórias e contos, em bom português e o Almanaque da Abril dá-nos cultura geral e deixa-nos atualizados sobre o Brasil e o mundo. Aos alunos que solicitam-me o nome de uma boa gramática da língua portuguesa, recomendo a “Gramática Metódica da Língua Portuguesa” de Napoleão Mendes de Almeida, que tem sido meu livro de cabeceira por mais de trinta anos.

LEIA, LEIA, LEIA MUITO.

ESCREVA, ESCREVA E ESCREVA.

O quê evitar na redação;

Qualidades de uma boa redação; e

Noções de grafologia.

EVITE EM UMA REDAÇÃO:

Frases descoordenadas; frases longas e cansativas; repetição de palavras ou termos; vocabulário vulgar; vírgula entre sujeito e predicado; espaço muito grande entre uma palavra e outra; pingo nos “ii” em forma de bolinhas; queda da letra para a esquerda; escrita diminuta; letras em forma de ângulos; esquecer de pingar o “i”; pingo no “i” muito alto; pingo no “i” à esquerda; letras “b” e “d” com aberturas inferiores à esquerda; letra “c” com traços enrolados sobre si; falta de corte no “t”; corte no “t” à esquerda; palavras descendo morro; última letra da palavra com prolongamento exagerado para baixo; linha ou traços que cortem a palavra; palavra com letras separadas entre si; escrita masculina com palavra que possua um laço inferior exagerado nas letras : “g” e “j”; escrita feminina com palavra que possua um laço inferior em forma de 8 na letra “f”; emprego de verbos auxiliares; caligrafia que só você entende; rasuras, borrões, marcas e sinais; letra de forma; linhas em branco; grandes espaços entre as palavras; e cor da tinta da caneta diferente de preta ou azul.

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 7

QUALIDADES DE UMA BOA REDAÇÃO:

Desenvolvimento com estilo; caligrafia (escrita bela); texto com margem direita; padronização no alinhamento dos parágrafos; encadeamento de palavras; jogo de palavras; uso de sinônimos; linguagem culta; frases curtas e inteligentes; citação de algum detalhe; veracidade nas afirmações; preencher o mínimo exigido de linhas e ligar as letras de uma mesma palavra.

TENHA ATENÇÃO A ESTES ITENS:

ESCREVA O TEMA NA LINHA UM, CASO NÃO HAJA ESPAÇO RESERVADO PARA TAL;

NÃO DEIXE LINHAS EM BRANCO NO CORPO DA REDAÇÃO;

NÃO INVENTE TÍTULOS, ESCREVA SOMENTE O TEMA DADO;

NÃO ALTERE O TEMA;

ESCREVA UMA OU DUAS LINHAS ALÉM DO MÍNIMO EXIGIDO;

A COR DA TINTA DA CANETA TEM DE SER AZUL OU PRETA; E

NÃO RASURE, FAÇA SINAIS OU ASSINE O CORPO DA REDAÇÃO

BOA SORTE

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 8

PONTUAÇÃO

Empregue a pontuação com correção, pois uma simples vírgula, fora do lugar adequado, pode mudar profundamente o sentido da frase.

A pontuação deve obedecer as paradas respiratórias e, também, a entonação que queiramos dar a cada frase. Uma parada breve na respiração significa a colocação de uma vírgula, enquanto uma respiração longa pedirá a colocação de um ponto na frase. Uma impressão de questionamento exigirá um ponto de interrogação, enquanto uma frase enfática pedirá um ponto de exclamação. E, assim por diante, utilizaremos o ponto e vírgula; dois pontos; reticências; travessão; parênteses; e aspas. Agora, estudaremos, atentamente, o emprego de cada um desses sinais.

VÍRGULA - Sinal destinado a indicar pequena pausa na leitura. A vírgula deve ser empregada nos seguintes casos:

  1. Na separação de orações coordenadas em substituição à própria conjunção. Exemplo: O fuzileiro naval nada, corre, voa e marcha.

  2. Na separação de palavras coordenadas de uma oração.

Exemplo: O nado, a corrida, o vôo, o tiro e a marcha perfazem as atividades diárias do fuzileiro naval.

  1. Para separar os vocativos. Exemplo: Soldado, venha cá.

  2. Para separar apostos. Exemplo: Sargento Borges, o herói dos fuzileiros, lutou em Riachuelo.

  3. Para separar orações que venham intercaladas entre si. Exemplo: Avança, gritou ele, avança em direção ao inimigo.

  4. Na separação de orações adjetivas explicativas. Exemplo: O naval, que é um predestinado, é o guardião deste país.

  5. Na separação de orações gerundiais e participiais. Exemplo: Iniciando a cerimônia, a banda começou a tocar sob a regência do suboficial. Terminado o exercício, alguns homens permaneceram no local.

  6. Na indicação de elipse de verbo. Exemplo: O comandante lidera os militares; o político, o cidadão.

  7. Na separação de conjunções e certas expressões. Exemplo: Não cumpriu, porém, as minhas ordens. Faltou ao trabalho, todavia, não mentiu. Determinei punições, a meu julgamento, devidamente aplicáveis ao caso. Ele executou a tarefa, por assim dizer, bastante fácil.

  8. Após nomes de lugares, seguidos de datas. Exemplo: Niterói, 24 de outubro de 2000.

  9. Na separação de elementos paralelos em frases proverbiais. Exemplo: Quem muito fala, pouco acerta.

  10. Para separar palavras da mesma classe gramatical. Exemplo: (Pronomes): Eu, tu, ela e o menino Thiago iremos gozar as férias em Santa Catarina. (Numerais): Um, dez, cinqüenta ou cem soldados, todos cabem na mesma barraca. (Substantivos): Possuímos navios, aviões, caminhões e submarinos.

  11. Na separação de orações subordinadas adverbiais. Exemplo: Embora muito abatido, o marinheiro não ausentou-se.

PEQUENO CURSO DE REDAÇÃO – Prof. SEBASTIÃO DA CRUZ - Página 9

PONTO E VÍRGULA - Este sinal indica uma pausa maior que a vírgula e menor que o ponto. Porém, é um sinal que encontra-se em fase de desuso. Serve para:

a) Separar orações coordenadas assindéticas de pausa longa. Exemplo: A porta abria-se no topo do corredor do centro; a câmara de Dom Pedro ficava-lhe à esquerda.(Dicionário de Dificuldades, Artur de Almeida Torres, página 125).

b) Separar orações coordenadas que tenham termos separados por vírgula. Exemplo: Tranqüilos, dizem sempre menos do que escondem; irados, cortam o coração com rigores. .(Dicionário de Dificuldades, Artur de Almeida Torres, página 125).

c) Separar orações coordenadas breves, quando exprimem pensamentos antagônicos. Exemplo: Mauro é trabalhador; Cleber é preguiçoso.

d) Enumerar os considerandos de uma Comunicação Interna, Portaria, Decreto, Lei, etc. Exemplo: De acordo com o artigo 12, e considerando que: a) o réu evadiu-se do local; b) o foragido apresentou-se à justiça; c) o preso é de bom comportamento; e d) o juiz absolveu-o, decidiu-se por sua soltura.

DOIS PONTOS – Emprega-se nos seguintes casos:

a) Antes de citações. Exemplo: O almirante disse: Manda quem pode e obedece quem tem juízo. Perguntei-lhe sobre seu pai; ele respondeu-me: Ele morreu na guerra.

(Parte 1 de 6)

Comentários