Patologias Ligadas ao Sistema Nervoso Central

Patologias Ligadas ao Sistema Nervoso Central

(Parte 2 de 3)

• Nervosismo;

• Mudanças súbitas da intensidade luminosa;

• Privação do sono.

Diagnóstico

Através de exames de imagem como a Tomografia Computadorizada pode se identificar lesões no cérebro. Há também o Eletroencefalograma que ajuda no diagnóstico, mas deve ser feito preferencialmente durante a crise.

Complicações

Se o paciente não buscar tratamento adequado para epilepsia, poderá ter as seguintes complicações com o passar do tempo;

• Hipotensão arterial;

• Hipoglicemia;

• Acidose metabólica;

• Falência renal (Mioglobinúria, Hipóxia e Hipotensão)

• Edema Cerebral

Tratamentos

O tratamento para o epilético deve ser medicamentoso, com o objetivo de controlar a atividade anormal dos neurônios, diminuindo as cargas cerebrais anormais. Talvez com o uso de diversas medicações não sejam suficientes para se controlar essa atividade anormal dos neurônios, nesse caso é indicada ao paciente uma cirurgia que consiste na retirada da parte da lesão ou das conexões cerebrais que levam a propagação das descargas anormais. O tratamento pode ser feito com medicamentos tais como;

Hidantal Ácido orgânico fraco pouco solúvel. Interfere no transporte de sódio através da membrana neuronal.

Carbamazepina (Tegretol) Bloqueia os canais de sódio a nível pré e pós sináptico.

Valproato de sódio Interfere na condutância de sódio e aumenta a inibição neuronal.

Fenobarbital (Gardenal) Induz os enzimas do citocromo. Clonazepam Inibição leve das funções do sistema nervoso central permitindo ação anticonvulsivante.

Mal de Alzheimer

É uma doença neurológica degenerativa, irreversível e progressiva que começa de maneira insidiosa que se caracteriza por perdas graduais da função cognitiva, diminuição das atividades mentais em especial da memória e distúrbios no comportamento afetivo.

O Alzheimer é uma forma de demência, um transtorno cerebral complexo causado por uma combinação de diversos fatores.

Áreas do cérebro afetadas pelo Mal de Alzheimer:

A doença de Alzheimer pode ser divida em três estágios: • Leve;

• Moderada;

• Grave.

A lesão neuronal acontece principalmente no córtex cerebral e resulta em tamanho cerebral diminuído. Muitos fatores contribuem para a doença de Alzheimer como ambiental, nutricional e inflamatória, embora o avanço da idade muitas vezes seja o maior risco para a doença.

Estágio Leve

• Esquecimento de eventos recentes; • Comprometimento de novas informações;

• Relação de tempo levemente alterado;

• Orientação espacial prejudicada;

• Necessidade de ser lembrado sobre os cuidados pessoais.

Estágio Moderado

• Esquecimento do nome e identidade de familiares e amigos; • Dificuldade para encontrar palavras certas;

• Incapacidade de lidar com dinheiro;

• Incontinência urinária e fecal;

• Irritabilidade.

Estágio Grave

• Perda da memória de longo prazo; • Dificuldade em terminar uma frase;

• Torna-se dependente do outro;

• Aparência fragilizada.

Sintomas

O sintoma mais comum é a perda de memória. O Mal de Alzheimer afeta as áreas associadas à aprendizagem, coordenação motora e memória. À medida que a doença avança o paciente apresenta novos sintomas como irritabilidade, agressividade, falhas na linguagem, confusão mental e alterações de humor.

Causas

Estudos apontam como fatores de risco a predisposição genética é considerado fator de risco predominante, não necessariamente hereditário, traumatismo craniano, alcoolismo, acidente vascular cerebral, estresse psicológico, depressão, hipotensão e hipertensão arterial.

Diagnóstico

A fazer um exame físico e através de perguntas ao paciente ou familiar pode-se diagnosticar o Alzheimer por causa dos sintomas. Mas também há exames laboratoriais que ajudam no diagnóstico, como análise do sangue, urina ou liquido cefalorraquidiano além de outros tais como Eletroencefalograma, Cisternografia Isotópica e Biópsia Cerebral.

Tratamento

São usados os inibidores de acetil-colinesterase que são medicamentos que inibem a ação da enzima responsável pela degradação da acetilcolina, aumentando de forma indireta a concentração dessa substância a nível sináptico. O tratamento e feito com o objetivo de melhorar a cognição que é o processo de conhecer, tratar os sintomas e as alterações de comportamento e retardar o curso natural da enfermidade.

Parkinson

É um distúrbio neurológico do movimento com progressão lenta, que leva a incapacidade. O Parkinson mais comum é a forma degenerativa.

(Parte 2 de 3)

Comentários