Industria da Construção Civil (1)

Industria da Construção Civil (1)

DISCIPLINA DE CONSTRUÇÃO CIVIL I AULA 02: 24/08/09

Visão Geral

A Industria da Construção Civil é o setor que abrange desde o segmento de Materiais de Construção, passando pela construção propriamente dita de Edificações e Construções Pesadas, e terminando pelos diversos serviços de Imobiliária, Serviços Técnicos de Construção e Atividades de Manutenção de Imóveis.

As atividades definidas dentro deste setor geram expressivo efeito multiplicador na economia. Cerca de 70% de todos os investimentos feitos no País passam pela cadeia da construção civil. A atividade definida como construbusiness participa na formação do Produto Interno Bruto (PIB) do País com cifras significativas da ordem de 13,5%, dos quais 8% são da construção propriamente dita.

O setor é gerador de empregos, com capacidade de absorção de expressivos contingentes de mão-de-obra, especialmente de profissionais menos qualificados e socialmente mais dependentes, com grande sensibilidade às características regionais e sociais. Sua população ocupada participa na PEA (População Econômica Ativa) nacional com mais de 6%, empregando diretamente cerca de 4,0 milhões de trabalhadores e é o setor que gera emprego a custo mais baixo.

Desempenho , resultados, investimento e o consumo da construção

Conforme resultados da pesquisa Anual da Industria da Construção – PAIC, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, para o ano de 2007, temos:

Desempenho e resultados

110 mil empresas operando no setor empregando mais de 1,8 milhão de pessoas;

Gastos totais com o pessoal ocupado de R$ 30,6 bilhões, dos quais R$ 20,7 bilhões foram em salários, retiradas e outras remunerações , significando uma média mensal de 2,3 salários mínimos;

As empresas de construção realizaram obras e serviços no valor de R$ 128,0 bilhões e obtiveram receita operacional líquida de R$ 122,7 bilhões. Deste montante, R$ 51,3 bilhões foram construções para o setor público, o equivalente a 40,1% do total das construções executadas;

A expansão do setor da construção está em linha com o crescimento do Produto

Interno Bruto - PIB brasileiro (5,7%), com o desempenho da atividade da construção no PIB (5,0%);

A atividade empresarial da construção foi influenciada positivamente por um conjunto de fatores diretamente relacionados à dinâmica do setor, tais como:

Crescimento da renda familiar e do emprego, aumento do crédito ao consumidor; Maior oferta de crédito imobiliário;

Manutenção da redução do Imposto sobre Produtos Industrializados - IPI de diversos insumos da construção;

Conjuntura econômica favorável - Política de redução da taxa básica de juros

(SELIC), iniciada em setembro de 2005. Durante este período a taxa básica de juros apresentou redução de 8,50 pontos percentuais, ao passar de 19,75%, em setembro de 2005, para 1,25%, em setembro de 2007, estabilizando-se a partir daí. O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA, utilizado como referência para o regime de metas de inflação, cresceu 4,46% em 2007, contra 3,14% do ano imediatamente anterior, ficando dentro da meta de 4,50%. A estabilidade dos preços e a redução da taxa de juros contribuíram para um ambiente econômico mais estável, fundamental para a atividade empresarial da construção e para a compra de imóveis pelas famílias, cujos investimentos são feitos considerando prazos de maturação mais longos.

O investimentos na Industria da Construção

Em 2007, os investimentos brutos realizados em ativos imobilizados pelas empresas do setor totalizaram cerca de R$ 5,1 bilhões, tendo o seguinte rateio de participação:

A aquisição de máquinas e equipamentos foi o principal investimento e representou 4,2% do total investido.

Gastos com meios de transporte, que corresponderam a 23,1% do valor investido

Compras de terrenos e edificações (21,3%);

Outras aquisições (móveis, microcomputadores e ferramentas), que representaram 1,4% do total.

O Consumo de materiais na Industria da Construção

Segundo os resultados da PAIC, os dados dos principais materiais de construção consumidos são:

Cimento, com participação de 27,4; Asfalto, com participação de 20,6;

Concreto Usinado, com participação de 20,5;

Vergalhões, com participação de 20,4;

Tijolos, com participação de 1,1;

Emprego e salário da construção

Na análise por Grandes Regiões e Unidades da Federação, temos a seguinte distribuição em % de pessoal ocupado e de salário:

Grandes Regiões

Participação no total das empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas (%)

Pessoal Ocupado em 2007 salários, retiradas e outras remunerações

Na análise específica para a região Sul do Brasil, temos a seguinte distribuição em % de pessoal ocupado e de salário por estado:

Grandes Regiões

Participação no total das empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas (%)

Pessoal Ocupado em 2007 salários, retiradas e outras remunerações

Salário Médio da Construção

Na análise por Grandes Regiões e Unidades da Federação, temos os seguintes salários médios:

Grandes Regiões Salário Médio nas empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas (R$)

Na análise específica para a região SUL , temos os seguintes salários médios:

Região SUL Salário Médio nas empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas (R$)

Santa Catarina 834,21

Rio Grande do Sul 922,45

Obras e Serviços da Construção

Os produtos da indústria da construção, retratados pela PAIC desde 2002, são os diversos tipos de obras e/ou serviços executados pelas empresas de construção no ano de referência da pesquisa. Esses produtos mostram, por exemplo, o valor construído de edifi cações residenciais; edifi cações comerciais; plantas industriais; rodovias; pontes e túneis; aeroportos; redes de distribuição de água; barragens e represas para geração de energia elétrica; instalações elétricas e de telecomunicações, dentre outros. Nesta análise, os 54 produtos foram agregados em quatro grandes grupos, sendo:

Obras residenciais; (casas, edifícios residenciais)

Obras de edificações industriais, comerciais e outras edificações não residenciais; (Shoppings, edifícios comerciais, mercados, lojas, industrias)

Obras de infraestrutura; ( Rodovias, pontes, comunicações, energia)

Outras obras. (Instalações hidro, sanitárias, gás, montagem de escoramentos, andaimes, estruturas metálicas)

Conforme resultados da pesquisa Anual da Industria da Construção – PAIC, elaborada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE, para o ano de 2007, temos:

Grupos

Valores de obras e/ou serviços da construção das empresas com 5 ou mais pessoas ocupadas

Obras Industriais , comerciais e não residenciais 28 889 846 25,36%

Subsetores da Industria da Construção

Materiais de Construção

Esse subsetor se caracteriza pela segmentação e pela estrutura de consumo e contempla os segmentos de cimento, madeira, aço, produtos de cimento, vidro plano, metais e louças sanitárias, cal, PVC, condutores elétricos, cerâmica, alumínio, pedras ornamentais e tintas e vernizes. O Setor de Material de Construção possui cerca de 100 mil lojas em todo o país garantindo a entrega dos produtos, respeitando as características regionais e culturais, inclusive no meio rural.

Edificações

Este subsetor se caracteriza por produto heterogêneo, demanda correlacionada com renda, é intensivo em mão-de-obra, possui diversidade tecnológica e abrange obras habitacionais, comerciais, industriais, obras do tipo social (escolas, creches ehospitais) e obras destinadas a atividades culturais, esportivas e de lazer. Cerca de 58% das empresas do subsetor concentram-se na faixa das microempresas (entre 0 e 9 empregados), seguindo-se o grupo de pequenas empresas com 3% (entre 10 e 9 empregados). Há um grande envolvimento de diversos atores, entre eles os agentes financeiros e promotores, órgãos públicos, projetistas, fabricantes de material de construção, construtores e incorporadores e outros órgãos de apoio. Possui déficit elevado de habitações e emprega grande variedade de materiais. Grande parte da atividade do subsetor utiliza intensiva mão-de-obra de baixa qualificação profissional, com pouca mecanização e utilização de processos convencionais e técnicas simples.

Construção Pesada / Infra-estrutura

Este subsetor tem como característica a dependência do nível de investimentos pelo Estado e abrange vias de transporte, obras hidráulicas de saneamento, de irrigação/drenagem, obras de arte (pontes, viadutos, túneis, etc.), obras de geração e transmissão de energia elétrica, obras de sistemas de comunicações e obras de infraestrutura de forma geral.

Linhas de Ação para o Desenvolvimento da Construção Civil

Para alcançar os objetivos e metas de desenvolvimento da indústria de construção, a estratégia deve se estruturar em base às seguintes linhas de ação:

1. Programa de qualidade e produtividade na indústria da construção (incluído no

Programa Brasileiro de Qualidade e Produtividade-PBQP), envolvendo todas as etapas da cadeia produtiva, como forma de aumentar a competitividade do setor, incluindo o reequipamento e modernização técnica e gerencial das empresas. 2. Programa de capacitação de recursos humanos, voltado para a alfabetização de operários, criação de escolas de construção e ensino profissionalizante (incluindo nos currículos escolares), como forma de elevar a qualidade da mão de obra na indústria da construção. 3. Programa nacional de combate a perdas e desperdício na construção, como forma de elevação da produtividade e redução de custos das edificações. 4. Programa nacional voltado para a prevenção de acidentes na construção civil, como forma de redução drástica dos custos humanos e sociais de mortes e mutilados do setor. 5. Promoção das exportações de produtos e processos como forma de aproveitamento das vantagens competitivas da indústria brasileira e construção e aumento das oportunidades de mercado. (especialmente produtos com maior valor agregado). 6. Aprimoramento de “Design” de material de construção.

Comentários