41

C ENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO-UNICEUMA

COORDENADORIA DE GRADUAÇÃO DA ÁREA DA CIÊNCIA DA SAÚDE

COORDENADORIA DE ENFERMAGEM

LAIANA DOS SANTOS DE ARAÚJO

RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO CURRICULAR I EM SAÚDE COLETIVA:

ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

São Luís

2010

LAIANA DOS SANTOS DE ARAÚJO

RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO CURRICULAR l EM SAÚDE COLETIVA:

ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Relatório apresentado ao curso de graduação em enfermagem do Centro Universitário do Maranhão, para demonstrar as atividades de estágio l, desenvolvidos na Unidade de Saúde da Família Santa Clara, na área de saúde coletiva.

Preceptora: Denise Carneiro Machado Cortez

São Luís

2010

LAIANA DOS SANTOS DE ARAÚJO

RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO CURRICULAR L EM SAÚDE COLETIVA:

ÁREA DE CIÊNCIAS DA SAÚDE

Relatório apresentado ao curso de graduação em enfermagem do Centro Universitário do Maranhão, para demonstrar as atividades de estágio l, desenvolvidos na Unidade de Saúde da Família Santa Clara, na área de saúde coletiva.

Preceptora: Denise Carneiro Machado Cortez

Aprovada em ____/____/____

Nota ____________________

________________________________________

Denise Carneiro Machado Cortez

Supervisora Técnica e Docente

A Deus, fonte da vida.

A minha Mãe razão de todo o meu esforço de chegar até o fim.

Á Nélio, meu namorado quem tanto amo pelo apoio.

A GRADECIMENTOS

Agradeço em primeiro lugar a Deus que iluminou esta caminhada.

A minha mãe Clarice Teixeira, minha irmã Larissa Araújo e ao meu namorado Nélio Augusto pelo amor, apoio e compreensão e por representarem meu esteio, meu passado e meu futuro e por terem contribuído no processo de minha formação.

Aos meus queridos amigos Leandro, Dalvane, Yanne, Levi e Antonio, pelos momentos de descontração e apoio, sem os quais meus resultados não seriam os mesmos.

A minha Tia Josenildes dos Santos Durans, pela dedicação e, sobretudo, por ter me incentivado a estudar, compreender e pensar, fato que muito me acrescentou.

Os bons autores não têm espírito além do necessário,

não o buscam jamais, pensam com bom senso e exprimem-se com clareza”.

Voltaire

L ISTA DE SIGLAS

ACS Agente Comunitário de Saúde

MS Ministério da Saúde

DUM Data da Ultima Menstruação

AU Altura Uterina

IG Idade Gestacional

PSF Programa Saúde da Família

PA Pressão Arterial

ESF Estratégia Saúde da Família

HAS Hipertensão Arterial Sistêmica

DST Doença Sexualmente Transmissível

USF Unidade de Saúde da Família

SAME Serviço assistência médico estatístico

DPP Data provável do parto

PAISM Programa de Atenção Integral a Saúde da Mulher

HIPERDIA Hipertensão e Diabetes

AIDPI Assistência Integral as Doenças Prevalentes na Infância

SIS Sistema de Informação em Saúde

SUS Sistema Único de Saúde

SUMÁRIO

  1. IDENTIFICAÇÃO

a)Estagiária

Laiana dos Santos de Araújo

Curso de Enfermagem

7° período-Turma 270701-Ano 2010

CPD: 658959

Iniciou o curso no ano de 2007, via vestibular no UNICEUMA.

Início do estágio em 26 de julho e término 26 de novembro de 2010, sendo realizado no turno matutino, das 07h30min ás 12h30min, as quartas e sextas-feiras, no turno vespertino das 13h00min as 18h00min as terças e quintas-feiras, em um regime de 20 horas semanais, perfazendo uma carga horária total de 400 horas em 20 semanas letivas.

b)Campo de Estágio

Unidade de Saúde da Família, Rua Lucy Sarney s/n Santa Clara.

Telefone de contato (98)3257-2026

Ramo de atividade: Saúde Coletiva

Supervisora técnica: Denise Carneiro Machado Cortez

Área do estágio: Assistência de Enfermagem em Saúde Coletiva

  1. INTRODUÇÃO

A saúde da família é uma estratégia que o Ministério da Saúde criou para melhorar a assistência prestada à população do sistema único de saúde a partir da atenção básica e está voltada para o programa de assistência à mulher, programa de hipertensão e diabetes, programa de hanseníase, tuberculose, saúde da criança e do adolescente e o mais recente dos programas está voltada a saúde do homem.

A estratégia prioriza as ações de prevenção, promoção e recuperação da saúde das pessoas, de forma integral e contínua. O atendimento é prestado na unidade básica de saúde ou no domicílio, pelos profissionais (médicos, odontólogos, enfermeiros, auxiliares de enfermagem e agentes comunitários de saúde) que compõem as equipes de Saúde da Família. Assim, esses profissionais e a população acompanhada criam vínculos de corresponsabilidade, o que facilita a identificação e o atendimento aos problemas de saúde da comunidade.

O Estágio Curricular Supervisionado é uma disciplina que dá suporte ao estagiário, no processo de ensino-aprendizagem, para que o mesmo desenvolva a capacidade de construir e reconstruir conhecimentos científicos, a partir da teoria, onde serão desenvolvidas as habilidades de observar, criticar, planejar e executar atividades pedagógicas capazes de contribuir para a transformação da realidade em ação.

Este relatório contém as atividades desenvolvidas ao longo do estágio curricular I realizado na Unidade de Saúde da Família Santa Clara na área de Saúde Coletiva, sendo de extrema importância por abranger a saúde básica, necessária para a qualidade de vida da população.

  1. FUNDAMENTAÇAO TEÓRICA

O Sistema Único de Saúde homologado pela Constituição de 1988 e pelas Leis Orgânicas da Saúde introduziu elementos com potencial conducente a avanços no campo da saúde. Dentre estes, a mudança da lógica curativa sobre a preventiva, expressa também no princípio de atendimento integral com prioridade para as atividades preventivas, sem prejuízo das assistenciais.

A Estratégia Saúde da Família origina-se a partir dos movimentos reformistas das décadas de 1970 a 1980, que visa substituir o modelo tradicional de saúde com a valorização, prevenção e promoção da saúde incluindo a participação da população. Dessa forma o objetivo geral desse programa, consiste em contribuir para a reorientação do modelo de assistência a partir da atenção básica (BRASIL, 2000).

Percebendo a expansão do Programa Saúde da Família que se consolidou como estratégia prioritária para a reorganização da Atenção Básica no Brasil, o governo emitiu a Portaria n° 648, de 28 de março de 2006, onde ficava estabelecido que o Programa Saúde da Família é a estratégia prioritária para organizar a Atenção Básica que tem como um dos seus fundamentos possibilitar o acesso universal e contínuo a serviços de saúde de qualidade, reafirmando os princípios básicos do SUS (FIGUEREDO, 2005).

Está reformação imprime uma nova dinâmica de atenção na unidade básica de saúde, com definição de responsabilidade entre esta e a população. Passa assim a ser priorizado ações de saúde que envolvem criança, mulher, controle da hipertensão arterial, diabetes mellitus, tuberculose, eliminação da hanseníase e ações de saúde bucal (PAULINO;BEDIN;PAULINO, 2009).

Dentre as ações referentes à saúde da criança destacam-se: vigilância nutricional, que engloba acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, promoção do aleitamento materno; combate as carências nutricionais e a implantação e alimentação regular do SISVAN. Além dessas ações, também se inclui o programa de imunização, cujos resultados trouxeram consideráveis reduções da mortalidade infantil, juntamente com a AIDPI (BRASIL, 2009).

A Estratégia Saúde da Família com relação à mulher atua através do PAISM com inclusão de todas as dimensões da saúde desta no seu ciclo vital, indo da adolescência a pós-menopausa, com as seguintes ações: assistência no Planejamento Familiar, pré-natal e puerpério; prevenção de câncer do colo do útero e de mama; climatério, assim como assistência nas doenças sexualmente transmissíveis e AIDS (BRASIL, 2009).

No tocante à hipertensão arterial sistêmica e ao diabetes mellitus existe o programa HIPERDIA que além de cadastrar, permite o acompanhamento, possibilita o reconhecimento dos medicamentos prescritos, pode definir o perfil epidemiológico dessa população e o consequente desencadeamento de estratégias de saúde publica que possa levar a modificação do quadro atual, com a melhoria da qualidade de vida dessas pessoas e a redução do custo social (OHARA;SAITO,2008).

Brasil (2002) define a tuberculose como prioridade entre as políticas governamentais de saúde, estabelecendo diretrizes para as ações e fixando metas para o alcance de seus objetivos. As ações para o controle da tuberculose no Brasil têm como meta diagnosticar pelo menos 90% dos casos esperados e curar pelo menos 85% dos casos diagnosticados. A expansão das ações de controle para 100% dos municípios complementa o conjunto de metas a serem alcançadas.

Este programa quanto à eliminação da Hanseníase conta com a parceria da Equipe Saúde da Família que envolve ações preventivas, promocionais, e curativas. Ele, com a Equipe Saúde da família em conjunto com o ACS a nível domiciliar, promovem o diagnóstico, o tratamento ate possibilitar a cura, haja vista, que se trata de uma doença de difícil diagnóstico, tratamento e cura desde que não seja diagnosticada e tratada tardiamente, isto implica em consequências graves tanto no portador quanto aos familiares (BRASIL, 2008).

A ESF executa também ações que visam à manutenção e a prevenção da saúde bucal. E para isto envolve-se com atividades específicas, tais como: cadastramento de usuários; prevenção e tratamento dos problemas odontológicos na população de zero a quatorze anos e gestantes, e atendimento a urgências, cujos os procedimentos adotados são bochechos com flúor, levantamento epidemiológico, escovação supervisionada para evidenciar placas, alimentação do sistema de informação e consultas não agendadas (BRASIL, 2008).

Além das ações empreendidas pela estratégia saúde da Família, cabe aos profissionais de saúde atuante na Atenção Básica adotar estratégicas educacionais com o fim de atingir o público alvo, que seja na própria unidade de saúde como em outros espaços, com a finalidade de adotar uma postura, um compromisso com a qualidade no atendimento, visando à saúde da população da área abrangente (KAWAMOTO; SANTOS; MATOS, 2004).

  1. CARACTERIZAÇÃO DO CAMPO DE ESTÁGIO

  1. Histórico

O Posto de Saúde da Família Santa Clara foi inaugurado no dia 21 de abril de 2001 e teve como primeiro diretor geral, o senhor Sebastião Ribeiro Paiva, formado em técnico em educação física, na Escola Técnica Estadual do Maranhão, onde atualmente funciona o Instituto Federal do Maranhão, situado no Monte Castelo. Na época de sua criação o prefeito de São Luís era o Dr. Jackson Lagos e a governadora do Maranhão, Roseana Sarney.

Esta direção permaneceu por 09 anos e no dia 22 de outubro de 2010 o cargo foi passado à senhora Maria do Nascimento da Silva Cordeiro, nascida no dia 10 de janeiro de 1963 em Lima Campos – MA e que atualmente reside em São Luís – MA e é graduada em Enfermagem pelo Centro Universitário do Maranhão – UNICEUMA.

As primeiras instalações do posto foram em um simples espaço, cedido pela comunidade, onde iniciou o trabalho de mapeamento, logo após foi transferido para o prédio da associação comunitária.

A Unidade Saúde da Família Santa Clara é composta por 02 equipes de PSF, a 051 e a 052 e outros funcionários, totalizando 36 profissionais.

A rotina da Unidade é determinada de acordo com a demanda espontânea e o agendamento feito pelos ACS, já as visitas domiciliares acontecem quinzenalmente às terças-feiras.

  1. Área de Atuação e Caracterização do Campo de Estágio

A Unidade de Saúde da Família Santa Clara atua na área de saúde coletiva, priorizando a atenção básica à saúde. Na unidade são prestados os serviços de consultas, visitas domiciliares, imunização, além de oferecer os medicamentos dos programas de saúde pública.

A USF Santa Clara está localizada na cidade de São Luís, em um prédio específico e arquitetado de forma pavilhonar, com as seguintes dependências: 01 SAME; 01 Diretoria, com banheiro; 01 Secretaria; 02 Consultórios de Enfermagem; 02 Consultórios Médicos; 01 Copa/Cozinha; 01 Almoxarifado; 01 Sala de Preventivo; 01 Farmácia; 01 Banheiro para Funcionários Masculino e Feminino; 01 Sala de Imunização; 01 Sala de curativo, 01 Consultório alternativo e Recepção.

  1. Estrutura do Campo

  1. Fluxograma

  1. Organograma

  2. Números de Funcionários

A USF Santa Clara está composta por 36 funcionários assim distribuídos: 01 Diretor Geral; 05 Técnicos de Enfermagem; 02 Enfermeiros; 02 Médicos; 03 Auxiliares de Serviços Gerais; 06 Auxiliares Administrativos; 15 ACSs; 02 Vigilantes.

  1. Importância do Campo para à Comunidade

A Unidade de Saúde da Família Santa Clara presta a comunidade assistência a quem necessita, trazendo as melhores soluções para os problemas de saúde e orientando práticas mais saudáveis para melhoria da qualidade de vida das famílias.

Os serviços oferecidos na unidade são gratuitos e de fundamental importância, pois ajudam a comunidade prevenir a propagação de doenças entre os indivíduos, mantendo assim os usuários informados, refletindo diretamente na vida da população.

  1. Descrições dos Setores onde foi Realizado o Estágio

SAME – É nesse setor o primeiro contato do paciente com a unidade, local onde são feitas as marcações e agendamento de consultas e o armazenamento dos prontuários dos pacientes por família, por ACS e por Microárea.

Consultório de Enfermagem - Sala destinada para as consultas de enfermagem e atendimentos a pacientes idosos, mulheres, crianças e homens em cada fase de suas vidas.

Recepção - Setor destinado para o maior conforto dos pacientes enquanto espera a sua vez para a consulta, utilizada também para realização de palestras.

Sala de Imunização - Na sala de vacina são recebidos pacientes de demanda espontânea, como adultos, idosos, crianças e grávidas. Na mesma são acondicionadas as vacinas e todos os materiais utilizados para a realização dos serviços prestados nesse setor.

Sala de Preventivo - Nessa sala é realizada a coleta do material citopatológico, o exame das mamas e as consultas que antecedem o procedimento e a entrega do resultado.

Sala de Curativo – Setor onde são realizados procedimentos como curativos de diversos segmentos, retirada de pontos com auxílio de luvas, soro fisiológico, esparadrapo, etc.

Farmácia – destinada para armazenamento dos medicamentos e distribuição aos pacientes mediante receita.

  1. ESTÁGIO

O estágio iniciou-se no dia 26 de julho de 2010 na Unidade de Saúde da Família Santa Clara, com o termino em 26 de novembro de 2010, concluindo uma carga horária de 400 horas, sendo, 380 de estágio e 20 de supervisão docente.

Descreverei a seguir as etapas realizadas no campo de estágio, para que haja uma melhor compreensão e acompanhamento das funções e atividades desempenhadas.

  1. Conhecimento e Adaptação ao Campo de Estágio

Ao chegar à Unidade de Saúde da Família Santa Clara, o grupo foi recebido pela supervisora técnica e docente Denise Carneiro Machado Cortez, para a apresentação das instalações e rotina de cada um dos setores da unidade, para melhor desempenho das atividades. Apresentou-se também aos profissionais de saúde que se dispusera a esclarecer qualquer dúvida. A adaptação se deu gradativamente na medida do desenvolvimento dos trabalhos já que os funcionários se prontificaram a colaborar fazendo com que o estágio decorresse da melhor maneira possível.

  1. Atividades Desenvolvidas no Campo de Estágio

Consulta de Enfermagem a Saúde da Criança e do adolescente, nas rotinas das consultas onde se acompanha o crescimento e desenvolvimento, realização de anamnese e exame físico, verificação da situação vacinal da criança através do cartão da criança (ANEXO A) e dadas orientações nutricionais e de higiene. Se necessário solicitado exames de rotina e prescritos medicamentos da farmácia básica.

Consulta de Enfermagem a Saúde da Mulher, no diagnóstico de gravidez, acompanhamento do pré-natal orientando quanto ao aleitamento materno exclusivo. Realização de exame preventivo, orientando e tratamento das doenças sexualmente transmissíveis, forneceram-se também esclarecimentos sobre todos os tipos de métodos anticoncepcionais, sua eficácia, aceitabilidade, disponibilidade, facilidade de uso. Acompanhando ainda as mulheres em fase de climatério.

Pré-Natal, no decorrer da primeira consulta, anamnese onde consta queixa principal, antecedentes pessoais e hábitos de vida, realizado também o cadastramento da gestante no SIS - PRÉ-NATAL seguido do preenchimento do cartão da gestante (ANEXO E) onde constam dados como DUM, DPP, AU,PA, IG, peso, estatura, e imunização. É realizado o exame físico onde se observam mucosas, edema, AU e mamilos, solicita exames de rotina e orienta a gestante a iniciar o sulfato ferroso e ácido fólico.

Exame Preventivo, onde se realizava uma anamnese da paciente e o preenchimento do formulário de requisição para Citopatológico (ANEXO F) preenchimento da lâmina com os dados da paciente, fornecimento informações sobre o que será feito e prossegue com a coleta do material. A paciente é levada até a maca ginecológica para o exame das mamas e a coleta. Ao final da consulta orientação a paciente quanto à higiene íntima. Por fim a lâmina é encaminhada até a secretaria do posto para posteriormente ser encaminhada ao laboratório para análise.

Consulta de Enfermagem a Saúde do Adulto e Idoso, antes de chegar para dar início à consulta de enfermagem o paciente passa pelo setor de triagem para uma avaliação física (peso, PA, estatura) para comparar a consulta anterior com a atual, na ficha geral (ANEXO G) do paciente, para assim verificar se estava havendo resultados na melhoria da qualidade de vida dessa pessoa. Hipertensos e diabéticos são cadastrados no programa HIPERDIA (ANEXO C) e acompanhados com a ficha de acompanhamento do hipertenso e/ou diabético (ANEXO D). São solicitados os exames de rotina, quando necessário, prescrição dos medicamentos, já estabelecidos anteriormente pelo médico, conforme o diagnóstico de cada paciente orientando sobre a medicação, alimentação e hábitos saudáveis.

Visitas Domiciliares, durante as visitas domiciliares (ANEXO I) a equipe teve a oportunidade de conhecer a vida dos usuários, de ver as condições de vida desses pacientes, e das relações familiares existentes entre os membros das famílias. É a oportunidade que os usuários têm de receber orientações sobre higiene, cuidado com os alimentos, com a água e aproveitar para tirar suas dúvidas a respeito da patologia em questão. A visita é um instrumento fundamental, pois a mesma permite que a equipe conheça os recursos que a família dispõe além de contribuir para a melhoria do vínculo entre os profissionais da equipe e o paciente.

Farmácia, onde os medicamentos são distribuídos aos pacientes mediante apresentação da receita, essa receita é entregue ao paciente em duas vias, onde uma fica na unidade e a outra com o paciente. A Farmácia Básica distribui medicamentos preconizados pelo ministério da saúde, dentre eles analgésicos, antitérmicos, anti-helmínticos, antibióticos, hipotensores, hipoglicemiantes, anti-inflamatórios, corticosteroides, diuréticos, contraceptivos entre outros.

Imunização, quanto adulto, tem seu cartão (ANEXO B) preenchido com o lote, data da aplicação e assinatura do profissional que realizou o procedimento, realização do aprazamento das doses posteriores e orientações quanto possíveis reações da vacina.

Curativos, utilização da técnica de limpeza para a ferida, respeitando o tecido de granulação, o que preserva o potencial de recuperação, minimiza o risco de trauma e/ou infecção. A melhor técnica de limpeza do leito da ferida é a irrigação com jatos de soro fisiológico a 0,9% morno. Não havendo disponibilidade de equipamento adequado para aquecimento e controle da temperatura do frasco do soro fisiológico, utiliza- se em temperatura ambiente.

Sala de Triagem local onde se realizava aferição de pressão arterial, peso, estatura, e glicemia capilar em pacientes diabéticos.

Participação também de ações sociais realizadas pela Fundação Renato Abreu que é uma organização sem fins econômicos, atua na área de assistência social, com atuação também na área da saúde, onde a participação se deu na consulta de enfermagem (ANEXO H) com abrangência em todo o Estado do Maranhão. Esta desenvolve seus principais projetos no interior, principalmente nas regiões de acesso mais difícil, os povoados. Em parceria com a Igreja tem objetivo de realizar trabalhos sociais com famílias que se encontram em situação de risco e vulnerabilidade social trabalhando com ética, respeito, transparência, solidariedade, fraternidade e cultura da paz.

  1. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Sabe-se que o Programa Saúde da Família representa uma transformação do modelo de atenção à saúde do município, pois cria novas oportunidades de acesso aos serviços para as comunidades mais vulneráveis, isto é, mais expostas aos riscos de adoecer, estreitando vínculos e permitindo um melhor conhecimento da realidade em que vivem as pessoas e suas necessidades, traduz, na prática, o conceito de responsabilidade sanitária, criando espaços de construção de cidadania, articula-se à rede de saúde, de forma hierarquizada e regionalizada, garantindo o acesso aos serviços de maior complexidade.

Neste relatório foi descrito o período de observação e aplicação dos conhecimentos adquiridos em sala de aula. Pôde-se perceber que teoria e prática são as bases para o bom desempenho profissional e que se isoladas perderiam o sentido, pois uma complementa a outra, na tentativa de suprir as adversidades que eventualmente possam surgir.

O estágio foi de fundamental importância, porque contribuiu para mapear o futuro prático na área de atuação do enfermeiro, além de ampliar o conhecimento construído, na certeza de que os esforços foram utilizados para que se pudessem ter bons resultados no campo. Conclui-se que o estágio foi um desafio, contribuindo assim, para o crescimento do intelectual, reconhecendo-se que ainda é preciso alcançar novos conhecimentos para somar com as experiências no processo de ensino-aprendizagem.

REFERÊNCIAS

BRASIL. Ministério da Saúde. SAÚDE BUCAL. 1ª ed. 1ª reimpressão. Normas e Manuais Técnicos, Cadernos de Atenção Básica - n.º 17. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008.

_________. Ministério da Saúde. Programa saúde da família. 1ºed. Cadernos de Atenção Básica, n.3. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2000.

_________. Ministério da Saúde. Política nacional de atenção integral à saúde da mulher: princípios e diretrizes. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2009.

_________. Ministério da Saúde. Saúde da criança: nutrição infantil aleitamento materno e alimentação complementar. Cadernos de Atenção Básica, n. 23. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2009.

_________. Ministério da Saúde. Hanseníase e direitos humanos: direitos e deveres dos usuários do SUS. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2008.

_________. Ministério da Saúde. Manual técnico para o controle da tuberculose: cadernos de atenção básica. 6. Ed. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2002.

FIGUEREDO, Nébia Maria Almeida de. Ensinando a cuidar em Saúde Pública. 2005.

KAWAMOTO, Emilia Emi. Enfermagem comunitária. São Paulo: EPU, 2004.

OHARA, E. C. C.; SAITO, R. X. Z. Saúde da família: considerações teóricas e aplicabilidade. 1. ed. São Paulo: Martinari, 2008.

PAULINO, Ivan; BEDIN, Lívia Perasol; PAULINO, Lívia Valle. Estratégia de

Saúde na Família. São Paulo: Ícone, 2009.

APÊNDICE

APENDICE A: Plano Individual de Estagio do 7º Período

CENTRO UNIVERSITÁRIO DO MARANHÃO

COORDENADORIA DE GRADUAÇÃO DA ÁREA DA CIÊNCIA DA SAÚDE

COORDENADORIA DE ENFERMAGEM

LAIANA DOS SANTOS DE ARAÚJO

PLANO INDIVIDUAL DE ESTAGIO DO 7º PERÍODO

São Luís

2010

LAIANA DOS SANTOS DE ARAÚJO

PLANO INDIVIDUAL DE ESTAGIO DO 7º PERÍODO

Plano individual de estágio apresentado ao curso de Enfermagem do Centro Universitário do Maranhão- UNICEUMA.

Orientadora: Profª. Esp. Denise Carneiro Machado Cortez

São Luís

2010

PLANO INDIVIDUAL DE ESTÁGIO 7º

  1. DADOS GERAIS

  1. Identificação do Estagiário

  1. Nome completo: Laiana dos Santos de Araújo.

  1. Curso: Enfermagem

1.1.3 Período: 7º

1.1.4 Código de matricula: EN07082M7C1

1.1.5 CPD: 658959

1.1.6 Endereço postal: Rua 12 d, nº40, unidade 101, Cidade Operária.

1.1.7 Telefone: 3247-0033/88599170

1.1.8 E-mail: laianinha_16@hotmail.com

  1. Identificação do Campo de Estágio

1.2.1 Nome completo: Unidade de Saúde da Família Santa Clara

1.2.2 Endereço postal: Rua Lucy Sarney s/n Santa Clara

1.2.3 Telefones, geral e do setor do estagiário: 3257-2026.

1.2.4 Ramo de atividade: Saúde Coletiva

1.2.5 Nome dos dirigentes locais: Sebastião Ribeiro Paiva

1.2.6 Nome completo do Supervisor Técnico, cargo que ocupa e telefone: Denise Carneiro Machado Cortez – Enfermeira - 88535704.

  1. Período de duração e carga horária do estágio

O período de duração do estágio curricular será de 26 de julho a 26 de novembro de 2010, sendo realizado no turno matutino, das 07h30min ás 12h30min, as quartas e sextas-feiras, no turno vespertino das 13h00min as 18h00min as terças e quintas-feiras, em um regime de 20 horas semanais, perfazendo uma carga horária total de 400 horas em 20 semanas letivas.

  1. Identificação do supervisor docente

1.4.1 Nome completo: Denise Carneiro Machado Cortez

1.4.2 Área e curso da saúde: Curso de Enfermagem

1.4.3 Endereço: Uniceuma - Rua Anapurus,01-loteamento Bela Vista Renascença ll - São Luís - MA - CEP-65075-120 – fone: 3214-4277 E - mail: enfdenisecortez@hotmail.com

2. DADOS ESPECÍFICOS

2.1 Área de atuação

O estagio curricular supervisionado será realizado na área de saúde coletiva.

2.2 Justificativa

A estratégia Saúde da Família apresenta um conceito de atenção à saúde focada na família e na comunidade, com práticas que chamam a atenção para a criação de novas relações entre os profissionais de saúde envolvidos, os indivíduos, suas famílias e suas comunidades. Com isso, criam-se condições que levam à construção de um novo modelo de atenção à saúde mais justa, igualitária, democrática, participativa e solidária (BRASIL, 2009).

Definem-se como áreas estratégicas para atuação em todo o território nacional da Atenção Básica o controle da hipertensão arterial, o controle do diabetes mellitus, a eliminação da hanseníase, o controle da tuberculose, A erradicação da desnutrição infantil, a saúde da criança, a saúde da mulher, a saúde do idoso, a saúde bucal e a promoção da saúde (BRASIL, 2009).

A Diabetes e a Hipertensão são os principais fatores de risco populacional para as doenças cardiovasculares, fator que constitui agravos de saúde publica onde cerca de 60 a 80 % dos casos podem tratados na rede básica. A possibilidade de associação das duas doenças é da ordem de 50% o que requer, na maioria dos casos, o manejo das duas patologias num mesmo paciente (PAULINO,2009).

O conceito de atenção humanizada é amplo e envolve um conjunto de conhecimentos, práticas e atitudes que visam à promoção do parto e do nascimento saudáveis e a prevenção da morbi-mortalidade materna e perinatal. Inicia-se no pré-natal e procura garantir que a equipe de saúde realize procedimentos comprovadamente benéficos para a mulher e o bebê, que evite as intervenções desnecessárias e que preserve sua privacidade e autonomia (BRASIL,2002).

O planejamento familiar, a realização de uma adequada assistência pré-natal, ao parto e ao puerpério, as medidas de promoção, proteção e recuperação da saúde nos primeiros anos de vida são condições cruciais para que o crescimento infantil se processe de forma adequada. (BRASIL, 2002)

Os profissionais da assistência primária tem um papel de promover o envelhecimento bem sucedido, não apenas na saúde física e funcional, mas também na percepção e na saúde mental. Muitos fatores de risco são modificáveis, o que abre um espaço para a prevenção e a intervenção. A melhor prescrição para os idosos é compartilhar o conhecimento cada vez maior que sustenta uma grande promessa para a otimização da função (GALLO; et al, 2001).

Os conteúdos educacionais devem contribuir com as possibilidades individuais de atingir níveis avançados de consciência e os programas voltados para os idosos estejam preocupados em fornecer subsídios para que eles conquistem novos espaços sociais, reivindicando e discutindo formas de melhorar a qualidade de suas vidas. Além disso, devem auxilia-los a se adaptar as mudanças rápidas do mundo, encontrando alternativas para reorganizar e reorientar suas atividades (NERI, 2003).

Tendo como estagio curricular a disciplina de saúde coletiva, que será realizada na Unidade de Saúde da Família Santa Clara onde conheceremos suas estruturas, rotinas, normas, regimentos, funcionamento e desenvolveremos no decorrer as atividades já programadas.

O curso pretende formar o profissional competente, sensível às necessidades sociais e apto para o exercício especializado junto a comunidade, objetivo esse componente de sua proposta pedagógica embasada em valores éticos, e constituem parte do conhecimento a ser explorado durante todo estagio curricular do mesmo.

2.3 Objetivos

Aplicar os conhecimentos adquiridos durante as aulas teórico- praticas, adequando-os ás oportunidades oferecidas pelos campos de estágios;

Desenvolver as atividades pertinentes ás áreas de atuação;

Desenvolver as avaliações das atividades no campo de estágios.

2.4 Metodologia

A metodologia utilizada para desenvolver o estágio e para a elaboração do relatório será: pesquisa de campo; pesquisa bibliográfica; atendimento a clientes; consultas de enfermagem; visitas domiciliares; atividades administrativas; assistências de enfermagem; supervisão de estágio; relatório e preenchimento de documentações.

2.5 Recursos

2.5.1 Recursos Materiais:

Esfigmomanometro, fita métrica, estetoscópio, medidor de glicose, termômetro, luvas, caneta, caderno, Balança, Cartazes, etc

2.5.2 Recursos Humanos:

Enfermeiros, médicos, agentes comunitários de saúde, estagiários.

2.6 Cronograma de execução

ATIVIDADES

SEMANAS

JUL

AGO

SET

OUT

NOV

Adaptação

X

Planejamento de atividades

x

X

Visita e reconhecimento dos campos

X

Atividades em campo

X

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

X

Supervisão

X

x

x

x

x

x

x

x

x

x

x

X

x

x

x

Elaboração de relatório

x

x

x

x

x

x

x

X

Preenchimento e entrega de documentação

X

x

Entrega dos relatórios

x

x

x

x

REFERÊNCIAS

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Série Cadernos de Atenção Básica; n. 11.Série A. Normas e Manuais Técnicos Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

_____. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. color. Série B. Textos Básicos de Saúde. Avaliação para melhoria da qualidade da estratégia saúde da família ; n. 4. 3. ed. Brasília : Ministério da Saúde, 2009.

GALLO, Joseph J.; WHITEHEAD, Jan Busby; et al.Assistência ao Idoso. Aspectos Clínicos do Envelhecimento. 5 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan AS, 2001.

NERI, Anita Liberalesso; FREIRE, Sueli Aparecida. E por falar em boa velhice. 2 ed. São Paulo: Papirus, 2003.

PAULINO, Ivan; BEDIN, Lívia Perasol; PAULINO, Lívia Valle. Estratégia de Saúde na Família. São Paulo: Ícone, 2009.

  1. APROVAÇÃO DO PLANO

4.1 ASSINATURA DO ESTAGIÁRIO

________________________________

Laiana dos Santos de Araújo

4.2 APROVAÇÃO

SIM

INICIAR NA DATA PREVISTA

NÃO

REVISÃO – ITEM ____ TOTAL

REAPRESENTAR ATE O DIA ____/____/____

INICIO DO ESTÁGIO – DIA ____/____/____

TÉRMINO DO ESTÁGIO PREVISTO PARA ____/____/____

4.3 Data ____/____/____

4.4 ASSINATURA DO SUPERVISOR TECNICO-DOCENTE

______________________________________________

DENISE CARNEIRO MACHADO CORTEZ

ANEXOS

ANEXO A: Caderneta de saúde da criança.

ANEXO B : Caderneta de vacinação do adulto.

ANEXO C: Ficha de cadastramento do Hipertenso e/ou Diabetico no HIPERDIA.

ANEXO D:Ficha de acompanhamento do Hipertenso e/ou Diabético.

ANEXO E: Cartão da gestante.

ANEXO F: Requisição para exame Citopatológico.

ANEXO G: Prontuário do paciente

ANEXO H: Participação nas Ações Sociais da Fundação Renato Abreu

Figura 1: Aferição de PA na Ação Social da Vila Tiradentes.

Figura 2: Consulta de enfermagem, na supervisão da professora em Ação Social de Bacurituba.

ANEXO I: Continuação, participação nas Ações Sociais da Fundação Renato Abreu.

Figura 3: Consulta de Enfermagem, na supervisão da professora na Ação Social da Cidade Operaria.

ANEXO J: Visita domiciliar

UTurnArrow

Figura 4: Visita domiciliar no bairro Santa Clara.

Comentários