Identificação por Rádio Frequencia

Identificação por Rádio Frequencia

FACULDADE DE TECNOLOGIA OPET

TECNOLOGIA EM GESTÃO DA PRODUÇÃO INDUSTRIAL

RFID (IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA) APLICADO NO CONTEXTO LOGÍSTICO

CURITIBA

2009

LUIZ OTÁVIO MACHADO

RFID (IDENTIFICAÇÃO POR RÁDIO FREQUÊNCIA) APLICADO NO CONTEXTO LOGÍSTICO

Trabalho da disciplina de Logística Industrial, do curso de Tecnologia em Gestão da Produção Industrial da Faculdade de Tecnologia Opet.

Professor: Marçal Colman

CURITIBA

2009

SUMÁRIO

Resumo..............................................................................................................04

Introdução..........................................................................................................05

História da RFID................................................................................................06

Composição e funcionamento da RFID.............................................................06

Tipos de etiquetas..............................................................................................08

Vantagens da tecnologia RFID..........................................................................09

Desvantagens da tecnologia RFID....................................................................10

Avaliação de desempenho na logística e critérios para sua escolha.............. 11

Conclusão.........................................................................................................14

Referências bibliográficas.................................................................................15

Perguntas..........................................................................................................16

RESUMO

A tecnologia de RFID (radio frequency identification – identificação por radiofreqüência) nada mais é do que um termo genérico para as tecnologias que utilizam a freqüência de rádio para captura de dados. Existem diversos métodos de identificação, mas o mais comum é armazenar um número de série que identifique uma pessoa ou um objeto, ou outra informação, em um microchip, também conhecido como etiqueta eletrônica, tag, RF tag ou transponder, que emite sinais de radiofreqüência para leitores que captam estas informações. Ela existe desde a década de 40 e veio para complementar a tecnologia de código de barras. É uma tecnologia de transformação que pode ajudar a reduzir desperdício, limitar roubos, gerar inventários, simplificar a logística e aumentar a produtividade. Uma das maiores vantagens dos sistemas baseados em RFID é o fato de permitir a codificação em ambientes hostis e em produtos onde o uso de código de barras não é eficaz.

Palavras chave:

RFID, logística, resultados

INTRODUÇÃO

O objetivo deste trabalho é apresentar a relação existente entre a utilização da tecnologia RFID (Identificação por rádio freqüência) no desenvolvimento de uma série de atividades no ambiente logístico e o seu impacto no desempenho das empresas.

HISTÓRIA DA RFID

A história do sistema da transmissão por radiofreqüência tem sua bases no sistema de radares utilizados na Segunda Guerra Mundial. Os países envolvidos na grande guerra utilizavam radares inventados em 1935, para avisá-los com antecedência de aviões enquanto eles ainda estavam bem distantes. Porém, os radares não identificavam aliados de inimigos. Foi aí que os alemães descobriram que se seus pilotos fizessem uma determinada manobra (360° ao longo do eixo de simetria) quando estivessem retornando à base iriam modificar o sinal de rádio que seria refletido de volta ao radar. Esse é, essencialmente, considerado o primeiro sistema de RFID. Nas décadas de 50 e 60, cientistas de varias partes do mundo (Estados Unidos, Europa e Japão) divulgaram pesquisas a respeito de como a energia de radiofreqüência poderia ser utilizada para identificar objetos em varias situações. No setor comercial, a sua primeira utilização se deu em sistemas antifurto, que utilizavam ondas de rádio para determinar se um item havia sido roubado ou pago normalmente. Foi neste contexto que surgiram os tags (etiquetas eletrônicas), que fazem parte do sistema de RFID até hoje.

COMPOSIÇÃO E FUNCIONAMENTO DA RFID

A identificação por rádio freqüência é o nome genérico atribuído as tecnologias que utilizam ondas de rádio para identificarem automaticamente, e a distâncias consideráveis, objetos, posições ou pessoas através de respostas eletromagnéticas. Esta permite as empresas gerenciar uma grande quantidade de dados, de facilitar o seu armazenamento e de permitir a sua rápida divulgação.

Os sistemas RFID podem ser agrupados em quatro categorias:

  • Sistemas EAS (Electronic Article Surveillance): Os sistemas EAS são tipicamente sistemas de um bit, usados para identificação de presença ou falta de um item. Usado nos bloqueios das lojas onde cada item é “tagado” e grandes antenas de leitura são colocadas em cada saída das lojas para detectar a saída desautorizada de um item.

  • Sistemas Portáteis de Captura de Dados: Usam terminais portáteis de coleta de dados, onde um sistema RFID está integrado do leitor com a antena. São utilizados em aplicações onde um alto grau de itens “tagados” pode ser exibido. Os terminais capturam os dados dos itens e então são transmitidos a um sistema de processamento central.

  • Sistemas em Rede: Com posicionamento fixo dos transceptores (leitores), conectados por uma rede a um sistema de gerenciamento central. Os transceptores são fixados numa posição e os itens com os tags movem-se por esteiras, ou com pessoas, dependendo da aplicação.

  • Sistemas de Posicionamento: O potencial de aplicação de sistemas RFID é enorme, tanto no setor da indústria, comercio e serviço onde haja dados a serem coletados.

O sistema RFID é constituído por vários elementos, sendo:

  • Leitores;

  • Etiquetas;

  • Antenas;

  • Aplicação de softwares e criação de programas de segurança para leitores.

Os leitores geram sinais que podem ou fornecer energia para a etiqueta, para que esta consiga gerar a informação ou simplesmente enviar um sinal. A etiqueta capta a energia vinda do leitor para se abastecer e poder excecutar os comandos que lhe foram trasmitidos.

A etiqueta inclui uma antena, um transmissor eletrônico, lógica de controle e alguma forma de armazenagem ou memória volátil. É através da antena que a informação é transmitida para a etiqueta e destas é recebida para o sistema de informação.

O leitor recebe o sinal capta os dados e apresenta – os num formato visual perceptível. Os dados destas etiquetas são captados por uma unidade de leitura que os introduz no sitema de informação da empresa.

Quando uma etiqueta se aproxima do campo de leitura de uma antena, torna – se ativa e começa a enviar dados. O leitor capta o bits que lhe são enviados, descodifica – os e envia a informação para o processador principal.

As etiquetas RFID, são transmissores em miniatura que podem armazenar uma quantidade considerável de informações, podendo conter código eletrônico de um produto, o número de referência de um produto, dados de produção, data de expedição, prazo de validade, informações do fornecedor, entre outros.

Devido a sua enorme potencialidade esta tecnologia tem o seu campo de atuação alargado, podendo se encontrada em diversos contextos, como:

  • Iniciativa antiterrorismo

  • Chaves eletrônicas para automóveis ou edifícios

  • Armazéns

  • Centros de distribuição

  • Pontos de venda

  • Aplicações de segurança no transporte

  • Entre outros

TIPOS DE ETIQUETAS

Existem vários tipos de etiquetas RFID, nomeadas de acordo com a sua fontede energia, o seu alcance, o tipode programação e sua capacidade.

Os tipos mais utilizadossão as etiquetas ativas e passivas e são diferenciados por sua fonte de alimentação.

  • Etiquetas ativas: fornecem mais possibilidade e tem maior flexibilidade do que as ativas, isto porque tem sua prórpia fonte de alimentação, e conseguem transmitir o sinal a maiores distâncias que as passivas e normalmente conseguem armazenar um milhão de bits de dados. Com esta capacidade, um único leitor pode comunicar com muitas etiquetas. Estas ainda possuem a capacidade de serem novamente escritas, lidas ou modificadas.

  • Etiquetas passivas: não possuem fonte de alimentação exterior, tem apena uma bateria para acionarem a memória. Ela detém uma fonte de alimentação que é gerada a partir de um aparelho de leitura. Estes tipos de etiquetas são muito pequenas, mais baratas e apresentam um ciclo de vida operacional ilimitado. Esta carcterísticas as tornam ideais para o monitoramento de materiais ao longo das cadeias de abatecimento.

Existindo vátios tipos de etiquetas, cabe as empresas optar por aquelas que mais se adéquam as suas necessidades e recursos disponíveis, aliado aos seus recursos financeiros uma vez que a diferença de custos é significativa.

BANDA DE FREQUÊNCIA

CARACTERÍSTICAS

APLICAÇÕES TÍPICAS

Baixa: 100 a 500 KHz

-Faixa de curta até média leitura;

-Baixo custo

-Baixa velocidade de leitura

- Controle de acesso

- Identificação de animal

- Controle de inventário

Média: 10 a 15 MHz

(também denominada Alta)

- Faixa de curta até média leitura

- Potencialmente de baixo custo

- Média velocidade de leitura

- Controle de acesso

- Smart cards

Alta: 850 a 950 MHz e 2,4 a 5,8 GHz

(também denominada Ultra Alta)

- Faixa larga de leitura

- Alta velocidade de leitura

- Alto custo

- Linha de visão requerida

- Monitoração de veículos em estradas

VANTAGENS DA TECNOLOGIA RFID

Em comparativo com o código de barras as etiquetas tem sido alvo de um processo de desenvolvimento e aperfeiçoamento pelas inúmeras vantagens que as empresas tem tido com a sua utilização.

  • Estas podem ser lidas independentes das condições em que se encontram, como fogo, gelo, tinta, com gordura, em ruído, em temperaturas oscilantes.

  • Grande, rigorosa e simultânea capacidade de leitura em termos logísticos podem significar uma grande fonte de vantagem competitiva.

  • Aumento da eficiência do desenvolvimento de atividades de carga e descarga de veículos de transporte, uma vez que os operadores não necessitam de um leitor óptico para recolher as informações individuais dos produtos que são carregados e descarregados dos veículos.

  • Permite recolher informações de objetos em movimento que tenham em si as eiquetas RFID

  • Na logística de armazenagem ao recolher as informações de cada etiqueta permite uma reposição automática e sem erros nos níveis de estoques.

  • Maior rapidez na localização de produtos e itens dentro do armazém

  • Maior rapidez na recolha dos dados, sem que para isso precise haver contato visual com o produto.

  • No picking contribui para o aumento da eficiência e produtividade. Através de uma série de antenas instaladas em zonas estratégicas, permitem que uma série de produtos sejam primeiramente identificados e depois transferidos para a expedição, levando a um maior rigor na sequencia Pick and Pack enquanto providencia um alista final completa da referência de cada encomenda.

  • No transporte pode ser utilizado para identificar um produto em particular ou monitorar a temperatura a que detrminado item é sujeito durante o transporte, no caso de produtos com temparatura controlada. Pode também identificar a se o produto foi sujeito a variações de umidade e temparatura durante o transporte

  • Obter maior número de informações, identificando vários itens ao mesmo tempo, não exigindo leitura-em-linha, o que representaria, no caso de uma aplicação num supermercado, uma redução de custos operacionais na hora do check-out das compras.

Sabendo que em média, no caso da utilização do código de barras os operadores procedem a leitura óptica, cerca de 25 vezes, é compreensível a maior produtividade ao se utilizar das etiquetas RFID.

DESVANTAGENS DO RFID

Apesar das inúmeras vantagens, a tecnologia RFID também apresenta desvantagens ou pontos menos positivos.

  • O Custo representa a desvantagem com maior intensidade, visto que representa um grande investimento inicial e este somente é recuperado a longo prazo. As etiquetas têm um custo muito alto comparado ao código de barras, sem contar que a área de tecnologia tem um grau de obsolência e de mudança muito rápida.

  • Violação da integridade física: uma etiqueta possui dados específicos do material em que está localizada. Se esta for colocada em outro material, pode causar danos ao seu usuário. Um exemplo: se um ladrão trocar a etiqueta de um produto caro (ex: televisão) com a de um produto barato (ex: pilha), poderá lesar o estabelecimento, logo trará prejuízo a ele.

  • Cópia de etiquetas: sendo detetora do conhecimento de criação de etiquetas, uma pessoa pode copiar dados de uma etiqueta alheia, usando um leitor, e criar uma nova com os mesmos dados. Um exemplo: alguns carros fabricados actualmente possuem um dispositivo com RFID que faz com que não seja necessário o transporte da chave. Facilmente um ladrão pode copiar a etiqueta deste dispositivo e fazer a cópia desta. O roubo seria simples e discreto.

  • Monitoramento da etiqueta: obtenção de dados das etiquetas para uso indevido sem envolver fisicamente a etiqueta. Exemplo: um sequestrador pode rastrear os dados bancários de uma pessoa e, sabendo que esta possui grande quantia de dinheiro, obrigar que ela saque o dinheiro em caixa electrônico.

Complexidade e falta de experiência com a tecnologia são fatores que fazem com que as empresas tenham receio em implantá las em seus processos.

AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO NA LOGÍSTICA E CRITÉRIOS PARA SUA ESCOLHA

O desempenho pode ser considerado comoa avaliação das capacidades das empresas de atingirem detremindas metas e obejtivos, previamente definidos.

Os critérios para escolha das medidas de desempenho se encontram relacionadas as prioridades logísticas, como:

  • Entregas rápidas e de confiança

  • Qualidade do serviço ao cliente

  • Flexibilidade e capacidade de resposta

  • Inovação do serviço

  • Custo

Logo os indicadores de desempenho neste contexto sempre terão inseridas em seus títulos as palavras – custo, serviço/ qualidade, produtividade e o tempo . Citaremos 3 atividades logisticas onde este indicadores serão utilizados sendo:

  • Armazém

  • Picking

  • Transporte

Vimos anteriormente que o RFID contribui para uma resposição automática e sem erros no níveis de estoques, uma maior facilidade de localização deitens ou produtos dentro do armazém, uma maior eficácia na recolha dos dados, logo a sua utlização num ambiente de armazém pode melhorar o desempenho das empresas em termos de tempo e qualidade do serviço e consequentemente o custo associado. Assim sendo propõe se a seguinte relação:

Utilização do RFID no armazém Tempo

Utilização do RFID no armazém Qualidade

Utilização do RFID no armazém Custo

No picking contribui para o aumento da eficiência e produtividade. Através de uma série de antenas instaladas em zonas estratégicas, permitem que uma série de produtos sejam primeiramente identificados e depois transferidos para a expedição, levando a um maior rigor na sequencia Pick and Pack enquanto providencia um alista final completa da referência de cada encomenda, contribuindo na melhora do tempo e qualidade no desempenho desta atividade.

Utilização do RFID no Picking Tempo

Utilização do RFID no Picking Qualidade

No transporte, aumentando a quantidade e qualidade de informação ao longo da cadeia de transporte contribuindo para um aumento na rastreabilidade dos produtos.

Utilização do RFID no transporte Qualidade

Neste contexto e com base nas relações anteriores é possível verificar que em todas as atividades logísticas estão diretamente relacionadas a custo, tempo e qualidade.

CONCLUSÃO

A adoção deste tipo de tecnologia permite uma transmissão de informações mais rápida, com maior qualidade dos fluxos de informação, possibilitando que as empresas tornem se mais ágeis em seus processos logísticos,e simultaneamente ataque os pontos primordias ao sucessodo negócio que são a melhoria da qualidade do serviço prestado, redução de custos, produtividade e o tempo.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

Fontes:

Wikipédia, a enciclopédia livre

http://www.trixtec.com.br

http://www.aim.com.br

http://www.ezavel.com.br

http://www.intermec.com.br

http://www.logit.com.br

Livros:

Ph.D. BIASI Ronaldo Sérgio; Príncipios e Aplicações da Eletrônica; Volume I; 6ª edição; Editora Record.

FILHO Edelvino Razzolini; Transporte e modais com Suporte de TI e SI; Editora Ibpex X; 2ª edição.

PERGUNTAS

  1. Qual o principal motivo que levam as empresas a não adotarem o sistema RFID?

R- O alto custo das etiquetas.

  1. Quais os principais tipos de etiquetas?

R- Ativo e passivo.

  1. Cite uma vantagem da tecnologia RFID

R- Rapidez na recolha de dados.

  1. Com base no texto apresentado, cite uma utilização prática da tecnologia RFID, que você conheça.

R- Sistemas antifurto nas saídas de supermercados.

Comentários