Estudo de Caso Final slide

Estudo de Caso Final slide

Estudo de Caso Final:

Câncer de colo de Útero

Orientadora: Lucimara P. Soares

Supervisora: Adriana Miranda

Discente: Alexsandra O. Pedreira

Colegiado de Nutrição

Introdução: Objetivo do Estágio

  • Observar na prática como realizar uma avaliação nutricional, correlacionando os conhecimentos teóricos adquiridos em sala de aula com a vivência no ambiente hospitalar.

  • Estudar e analisar a paciente I.F.A. com diagnóstico clínico de câncer de colo de útero C18.

 IDENTIFICAÇÃO DA PACIENTE

  • Paciente: I.F.A

  • Cor: branca

  • Sexo: feminino

  • Idade: 37 anos

  • Profissão: administradora

  • Escolaridade: 3º grau completo (curso de Administração)

  • Estado civil: solteira

  • Nacionalidade: brasileira

  • Naturalidade: Poções

Introdução: Conceito e Incidência

  • Histórico:células cancerígena em dinossauros.

HPV papiloma vírus humano

  • Existem 13 tipos

  • Portador assintomático homens 50%

  • Causador do câncer de colo de útero

  • HPV 16

  • HPV 18

  • Prevenção

Incidência do HPV Mundial

Incidência de câncer de colo de útero

Fatores de risco

  • Contaminação pelo HPV alto grau

  • Idade precoce da primeira relação sexual

  • Número de parceiros sexuais

  • Idade do primeiro parto

  • Número de partos

  • Estado imunológico

  • Estado nutricional

  • Tabagismo

  • ↓ Vitaminas.

DIAGNÓSTICO

  • Ex. C. Iniciais

  • Citologia

  • Corrimento Vaginal

  • Dor Pélvica

  • Ex. C. Avançados

  • Sangramento Irregular

  • Anemia

  • Dor Pélvica/ lombar

Colo do Útero

Estágio IV

TRATAMENTOS

  • Cirurgia

  • Quimioterapia

  • Radioterapia

HISTÓRIA CLÍNICA

MEDICAMENTO EM USO  

  • AVALIAÇÃO SUBJETIVA GLOBAL

Avaliando observa-se que a paciente pela contagem e mensuração dos escores estaria enquadrada como desnutrida.

  • Comparação das ASG com as da Objetiva

De acordo com os valores observados na avaliação subjetiva global o paciente encontra-se desnutrida. Já, na avaliação objetiva observa-se com clareza, principalmente, através da antropometria um quadro nutricional de desnutrição, o que pode estar relacionado com a doença apresentada - câncer de colo de útero, pois observa-se na paciente uma diminuição da massa muscular

EXAME FÍSICO

  • ANTROPOMETRIA:

  • Peso: 49,4 Kg

  • Estatura: 1,68m

  • IMC: 17,5 = desnutrição leve

  • Fonte: (WAITZBERG, 2009, p.1811)

  • Peso ideal: IMC médio x altura²

  • PI: 20,8 x 1,68²

  • PI: 58,71 Kg Fonte: (NACIF; VIEBIG, 2008, p. 52)

  • Adequação do peso: 84,14% Desnutrição leve → Fonte: (CUPPARI, 2005,p. 90)

  • Peso ajustado: (58,71 - 49,4) x 0,25 + 49,400

  • Peso ajustado: 9,31 x 0,25 + 58,71

  • Peso ajustado: 51,73 Kg → Fonte: (CUPPARI, 2005, p. 90)

RESULTADO DA ANTROPOMETRIA

  • Observa-se pelo cálculo realizado, a necessidade de uma conduta nutricional que vise o ganho ponderal de peso, já que ao utilizar o IMC médio para mulheres, a paciente está com peso abaixo do considerado ideal ou desejado.

EXAMES LABORATÓRIAIS

ANAMNESE ALIMENTAR

  • Faz seis refeições diariamente na unidade hospitalar.

  • Os alimentos oferecidos são frutas e sucos, nos lanches, almoça , e janta.

  • Relata quando faz a radioterapia não consome muito alimentos sólidos.

  • sobre o consumo de doces, gorduras e sal, diz consumi-los reduzidamente tem preferência aos amargos e azedos.

  • Ela tem aversão a pêra, gosta de massas, e carnes bem fritas e assadas.

  • A ingestão hídrica foi mensurada em aproximadamente dois litros.

DIAGNÓSTICO NUTRICIONAL COMPLETO

  • Segundo os dados antropométricos, exames físicos e bioquímicos.

  • A paciente encontra-se com desnutrição leve, encontra-se com quadro anêmico por deficiência de ferro ou por desordem no metabolismo da hemoglobina observada nas alterações por meio de exames bioquímicos.

  • perda da massa muscular devido à patologia e exames bioquímicos.

OBJETIVOS DIETOTERAPICOS

  • Fornecer uma dieta de acordo com sua necessidade dando sua preferência alimentar, para melhor aceitação da dieta.

  • Oferecer uma dieta fracionada (5 a 6 refeições) com o intuito de atingir a necessidade nutricional da paciente, seguindo as características químicas e físicas da patologia.

  • Oferecer uma dieta obstipantes porque reflete na normalização do hábito intestinal e na manutenção do estado nutricional.

  • Proporcionar a paciente uma dieta adequada em vitaminas antioxidante para aumentar a sua imunidade, e combater os radicais livres.

 

EVOLUÇÃO

  • emagrecida, lúcida, com dor em coluna e membros inferiores, com presença de Port cath(Cateter totalmente implantado), visando segurança e qualidade para infusão de medicamentos durante o tratamento varia de acordo com as condições de acesso venoso do paciente e protocolo de quimioterapia.

  • É utilizado para administração de medicamentos e coleta de sangue uma opção segura e eficiente no manuseio da paciente, podendo ser injetado até duas mil aplicações pelo cateter.

  • Dia 14.04.2011- sem melhora do quadro clínico

 

Comentários