ESTADO DA ARTE: INTELIGENCIA ARTIFICIAL

ESTADO DA ARTE: INTELIGENCIA ARTIFICIAL

Universidade Nove de Julho – UNINOVE Vida Artificial:Estado da Arte - 2011

VIDA ARTIFICIAL: ESTADO DA ARTE

E.S.Capelari, M.R.R. Almeida e V.S. Pereira.

Bacharelado em Ciências da Computação

Departamento de Informática

Universidade Nove de Julho – São Paulo – SP-Brasil.

E-mail: erikacapelari@gmail.com

Resumo

Este trabalho apresenta o estado da arte sobre vida artificial abordando a subárea Inteligência artificial, que é a habilidade de realizar de forma eficiente uma determinada tarefa, relacionado à Inteligencia artificial temos as subareas: robotica e computação quantica. Por fim, traz uma discussão feita pelos autores do presente artigo acerca de aspectos positivos e negativos.

Palavras-Chave: Vida Artificial, Inteligência Artificial.

Abstract

This paperpresents thestateof the artArtificial LifeArtificial intelligenceaddressingthesubsuperfície, whichistheability toefficientlyperformacertaintaskrelated tothesubsuperfície weArtificial intelligence: roboticsandquantumcomputing.Finally, it brings adiscussionmade​​bythe authorsofthisarticleaboutpositive and negative aspects.OuvirLer foneticamente

 

Dicionário

Keywords Artificial Life, Artificial Intelligence

1. Introdução

Christopher Lagton no final dos anos 80 iniciou o termo vida artificial que significa estudo feito pelo homem que mostram características de sistemas naturais vivos que tem por objetivo estudar a vida natural tentando reproduzi-la. Tem por finalidade construir modelos parecidos com a vida onde eles deixam de ser modelos e se transforma em exemplos de vida.

Com essa tentativa de reproduzir a vida podemos entender melhor os princípios da evolução humana e da tecnologia através das subáreas tais como a robótica, computação quântica e inteligência artificial.[1]

Inteligência é a habilidade de realizar de forma eficiente uma determinada tarefa, a robótica: é um ramo da informática que engloba computadores, robôs, computação que fincionam atraves de sistemas compostos por partes mecanicas automáticas, e a computação quântica é um novo paradgma de computação que pode ter profundas consequências não só para a tecnologia, mas tambem para a teoria da informação.

A robótica que preserva o ser humano de fazer tarefas perigosas, desvantagens alta produtividade dando mais trabalho os funcionários. A computação quântica tem a vantagem de resolver contas facilmente em pouco tempo em quanto na computação clássica levaria muito trabalho para se resolver, desvantagem é que essa tecnologia esta longe do nosso alcance. Inteligência artificial tem as suas desvantagens como guerras desleais, escravidão e a extinção da humanidade, e vantagens são muito utilizadas na medicina evitando erros médicos.

A inteligência artificial (IA) é um ramo da ciência da computação que tem por objetivo criar dispositivos que mostram algumas capacidades da vida humana como, por exemplo, perceber, raciocinar, ou seja, ter capacidade de ser inteligente.

Esse trabalho tem como objetivo discriminar vida artificial focando as subáreas inteligência artificial e robotica, mostrando suas vantagens e desvantagens, e como esta a situação no mercado de trabalho nos dias de hoje.

2. Estado da Arte

Este capitulo apresenta pesquisas sobre o tema vida artificial e inclui os estudos sobre inteligencia artificial e robotica.

2.1. Inteligência artificial

2.1.1 Inteligência artificial aplicada à Zootecnia

Esta pesquisa foi realizada por Costa (2009) na Universidade de São Paulo - Faculdade de Zootecnica e Engenharia de Alimentos e teve como objetivo principal desenvolver métodos e modelos que simulam em um sistema computacional a forma como os organismos vivos resolvem problemas [2]

Os pesquisadores mostraram que o sistema simbólico consiste de um conjunto de símbolos que formam estruturas e um conjunto de regras e processos.

Quando o conjunto de regras e processos é aplicado no conjunto de símbolos o sistema produz novas estruturas. Os símbolos têm significados semânticos e podem representar conceitos ou objetos, estes conceitos usa-se a lógica proposicional e a lógica de predicados o que permite a solução de problema usando um sistema baseado em regras. Assim um sistema simbólico é capaz de resolver problemas que envolvem dados e as regras sobre estes dados.

No entanto, algumas limitações surgiram durante o estudo, pois,no atual estágio de desenvolvimento das RNAs, existe um grande número de aplicações, ma em todas estas aplicações existe um fator preponderante e que em momento algum pode ficar de fora do sistema inteligente. Eles pretendem ainda fazer com que o poder da IA seja usado para melhorar a nossa produção de alimentos de origem animal e, é ele que deve buscar a interdisciplinaridade atuando juntamente em áreas como a instrumentação eletrônica e a computação para cada vez mais melhorar a forma como resolvemos problemas complexos na área de zootecnia.

2.1.2 Inteligência artificial aplicada à medicina: problemas e perspectivas

Esta pesquisa foi realizada por GallardoI e col. na Escuela de Ingeniería de Sistemas, Facultad de Minas ,e teve como objetivo as perspectivas do uso de sistemas com comportamento inteligente no ambiente médico cubano, um objetivo fundamental do setor da saúde, devido à prioridade dada à investigação fundamental e aplicada na ciência médica como um a função dos programas que visam melhorar saúde do nosso povo. [3]

Os pesquisadores mostraram que existem alguns problemas cujo solução depende a implementação dos dispositivos pertinentes simulando o intelecto do médico, na sua plena dimensão. A aplicaçãoda inteligência artificial na medicina, além de exigir a delimitação adequada dos seus objetivos e tarefas, levanta sérias dificuldades  científicas, tecnológicas, filosóficas e éticas.

No entanto, algumas limitações surgiram durante o estudo, pois apesar das perspectivas promissoras da IA no campo da medicina diferentes problemas pendentes de solução queirá depender do comportamento de sistemas inteligentes de acordo com os atributos naturais da inteligência.Eles pretendem ainda fazer interligação do homem e o computador já que representam sistemas cujos componentes se interagem e criar inteiramente novos recursos.

2.2. Robotica

2.2.1 Visão e inteligência computacionais aplicadas a navegação autônoma de robôs

Esta pesquisa foi realizada por Araújo(2006) na EP-USP/2Ipen-USP/3 Uninove e teve como objetivo explorar o desenvolvimento de um sistema de navegação autônoma de robôs, utilizando o kit Lego Mindstorms, baseado em mecanismos de visão computacional os pesquisadores mostraram algunsc onceitos teóricos, além dos pro- cedimentos empregados no sistema de visão.

As etapas do processo compreendem tanto a aquisição quanto a análise das imagens que permitem não só reconhecer o robô, mas também os demais objetos .

No entanto, algumas limitações surgiram durante o estudo, pois os robôs móveis, mesmo com toda a tecnologia, ainda apresentam muitas limitações quanto à sua capacidade de navegação (CAZANGI; FIGUEIREDO, 2000). A navegação autônoma requer, entre outras coisas, aprender estratégias de navegação, adaptar-se a novas situações e construirconhecimento a partir de informações obtidas do seu ambiente (SUN et al., 2002).Eles pretendem ainda avaliar outras formas de reconhecimento dos objetos, com o intuito de diminuir a necessidade do controle sobre as condições do ambiente. Além disso, tenta-se implementar um algoritmo de roteamento híbrido paramelhorar a qualidade das rotas, usando os algoritmos de busca tradicionais e os genéticos.

2.2.2 Robótica como ferramenta de ensino de ciência e engenharia

Esta pesquisa foi realizada por González e col.(2009) na Universidad Nacional da Colombia e teve como objetivo ilustrar algumas das conquistas mais representativas nesta área e do kit educativo, incluindo TEAC2H-RI (Tecnologia, Engenharia e Ciências da Educação Através do Homem-Robot Interaction). Os pesquisadores mostraram características de modularidade, baixo custo e cooperativas.[4]

No entanto, algumas limitações surgiram durante o estudo, pois ao contrário do que se pensava a princípio não só os kits têm a chance de ser implementado em alunos do ensino médio, mas também alunos de graduaçãoe pós-graduação, mesmo com a finalidade de aumentar o seu interesse na pesquisa em robótica. Isso permitiria o fortalecimento de grupos de pesquisa nestas áreas. Eles pretendem ainda usar a articulação Estado-Faculdade-Universidade-Indústria para a própria evoluçãopara um novo modelo de educação, em que o professor terá um maior empenho e esforço, mas por sua vez,obterá melhores resultados para os alunos.

3.Discussão

A inteligência artificial aplicada á zootecnia, mostra como simula um sistema computacional e a forma como os organismo vivos resolvem problemas.E almejam melhorar a produção de alimentos de origem animal e a computação para resolver problemas na área da zootecnia.

Na inteligencia artificial aplicada a medicina,foi pesquisado sobre sistemas para melhorar o setor da saúde, isso inteligar o homem e o computador criando novos recursos.

No artigo de navegação autonomas de robôs foi desenvolvido um sistema de navegação autonoma de robôs baseada em mecanismo de visão computacional.A navegação autonoma requer entre outras coisas aprender estrategias de navegação e adaptar-se a novas situações e construir conhecimentos.

Na robotica como ferramenta de ensino, foi discutido sobre as caracteristicas de modularidade, baixo custo e coperativos.Na evolução para um novo modelo de eduacação em que o professor terá o maior empenho e esforço mas obtera melhores resultados para o aluno.

4.Conclusão

Nesse trabalho foi apresentado, questões sobre inteligência artificial e robotica, foram apresentado pesquisas sobre IA aplicada a zootecnia, na e medicina, na robôtica, navegação autônoma de robôs e robotica na educação.

Onde foram citados os avanços e os problemas, as pesperctivas futuras e a funcionalidade de cada uma e os benefícios para o futuro.

Referência

[1]LANGTON, Chistopher G. (1989) Artificial life. United States of America: Santa Fe Institute Studies in the Sciences of Complexity, Volume VI, Addison-Wesley Publishing Company.

[2]Costa. Universidade de São Paulo - Faculdade de Zootecnica e Engenharia de Alimentos. +55 19 35654177, Revista Brasileira de Zootecnia, © 2009 Sociedade Brasileira de Zootecnia.

[3] GallardoI¹; Ávila²

¹Licenciada en Educación. Departamento de Bioestadística. Facultad de Ciencias Médicas

²”Mariana Grajales Coello". Holguín. Cuba.

IILicenciado en Física. Centro de Investigaciones y Servicios Ambientales y Tecnológicos

(CISAT). Holguín. Cuba.

file://C:\SciELO\serial\aci\v17n5\body\aci05508.htm 02/06/2008

[4] Juan J. González E., Ing.; Jovani A. Jiménez B., PhD.

Grupo de investigación: Inteligencia Artificial en Educación

Escuela de Ingeniería de Sistemas, Facultad de Minas

Universidad Nacional de Colombia

Medellín –Colômbia, © ADIE, Asociación para el Desarrollo de la Informática Educativa,

IE Comunicaciones Numero 10, Julio - Diciembre 2009, pp 31-36

Revista Iberoamericana de Informática

[5] Araújo,S.A,; EP-USP/Ipewn-USP/Uninove, H.Y. Meio-tom inverso usando redes neurais artificiais. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE TELECOMUNICAÇÕES,22.,2005. Campinas.proceedings...Campinas: SBrT. V. 1. p. 226-231, 2005.

Curso Ciência da Computação 3/3 Trabalho Disciplina Teoria da Computação

Comentários