Implicações da teoria de Piaget para educação

Implicações da teoria de Piaget para educação

Universidade Federal de Alagoas-UFAL

Faculdade de Letras-FALE

Disciplina: Desenvolvimento e aprendizagem

Resumo cap.VIII

AS IMPLICAÇÕES DA TEORIA DE PIAGET PARA A EDUCAÇÃO

A teoria de Piaget não deve ser considerada como algo petrificado. Todas as teorias psicológicas são orgânicas e vivas e, portanto, dinâmicas.

Assim sendo, embora muito já seja conhecido (construído), muito ainda permanece desconhecido e para ser construído.

Piaget não direcionou sua pesquisa para a educação e o ensino, mas teoria sobre como as crianças adquirem o conhecimento e como se desenvolvem intelectualmente proporciona, sem duvida, muita informação relevante para a educação.

A teoria de Piaget não pode ser reduzida a um conjunto de procedimentos operacionais.ela é uma perspectiva sobre a qual se deve refletir a fim de que se possa ser usada como instrumento auxiliar dos professores na compreensão dos alunos e na compreensão do porquê eles aprendem ou não, na escola.

OBJETIVOS DA EDUCAÇÃO

Kohlberg e Mayer (1987) afirmam que o desenvolvimento, conforme construído no contexto da teoria de Piaget deveria ser a meta ou o principal objetivo da educação (WADSWORTH, pg.148).

A crença de que o desenvolvimento é o melhor objetivo global ou meta para a educação pode parecer radical e alguns leitores, mas para aqueles que assimilam suficientemente a teoria de Piaget, tal interpretação não soa como radical, mas como lógica e necessária.

ESTAGIO X CONTINUUM

O desenvolvimento é encarado como um processo continuo. Os estágios são úteis para conceituar o desenvolvimento e para refletir sobre as características de raciocínio das crianças em vários pontos ao longo do continuum desenvolvimento. Os estágios são importantes para a compreensão das características do pensamento da criança ao longo do continuum do desenvolvimento. Mas não é sobre eles que deve repousar a ação pedagógica. Promover o desenvolvimento da criança deve ser a questão central da escola.

DESENVOLVIMENTO E APREDIZAGEM

Desenvolvimento e aprendizagem apresentam semelhanças e diferenças. Piaget distinguiu dois usos ou significados da palavra aprendizagem. O primeiro refere-se à aprendizagem no sentido amplo e á sinônimo de desenvolvimento. Ele é adequado para falar em desenvolvimento de ou aprendizagem do conhecimento físico do conhecimento lógico-matemático e do conhecimento social. O segundo emprego do termo aprendizagem é mais restrito. Ele se refere a aquisição de informação especifica do ambiente, aprendizagem essa que é assimilada aos esquemas existentes.  O desenvolvimento deve ser a grande meta da educação. E o pressuposto é de que uma educação que promova o alcance da autonomia intelectual quer cognitiva quer afetiva, é muito mais significativa do que aquela que não visa tais resultados. 

COMO O CONHECIMENTO É ADQUIRIDO

A mais importante e mais revolucionária implicação da teoria de Piaget diz respeito ao fato de que as crianças constroem o conhecimento a partir de suas ações sobre o meio ambiente.  Memorizar não é aprender. Toda aprendizagem envolve compreensão e assimilação. O conhecimento lógico-matemático resulta da ação mental da criança sobre os objetos. Portanto, ele não pode ser ensinado por repetição ou verbalização

MOTIVAÇÃO

As crianças se motivam e reestruturar seus conhecimentos quando elas encontram e se interessam por experiências que conflitam com suas predições: Piaget chamou isto de desequilibração e, ao resultado chamou de desequilíbrio. Alguns tem chamado esse processo de conflito cognitivo.   A motivação aciona a atividade intelectual. Contudo, os motivos não advêm de arranjos ambientais; eles resultam de processos de desequilibração.

CONFLITO COGNITIVO

Exploração crítica é o método que consiste em questionar os alunos, podendo ser empregado pelos professores ( e pelos pais) para ajudá-los a entrar em conflito cognitivo produtivo eu em desequilíbrio.

Segundo Piaget, o desenvolvimento cognitivo dá-se quando temos um conflito cognitivo. O conflito cognitivo causa instabilidade, motivação, conflito, duvida, desejo de saber. Este conflito cognitivo dá-se quando percebemos que temos algo contraditório é interno e pessoal.

Assim a cognição é um processo ativo e interativo permanente de avanços e recuos entre a pessoa e o meio. É ativo e não passivo, a pessoa afeta o meio e o meio afeta a pessoa simultaneamente, como que um mecanismo regulador.   A exploração crítica do raciocínio da criança contribui para estabelecer conflitos cognitivos.

Interações sociais

Dada a importância das interações sociais, o desenvolvimento de esquemas conceituais pode ser facilitado pelas atividades em grupo. Os interesses espontâneos da criança indicam as áreas onde se concentram conflitos cognitivos. E esses interesses precisam ser legitimados na organização do tempo escolar, através de atividades que resultem da iniciativa das próprias crianças. O modelo autoritário de relação entre adultos e crianças deve ser suplantado pela cooperação e pela autonomia. Para tanto, é necessário um ambiente aberto ao exercício do respeito mútuo, ponto central do desenvolvimento moral.

MÉTODOS PARA AVALIAR O DESENVOLVIMENTO CONCEITUAL

Os métodos e recursos de ensino devem ser compatíveis com as etapas de desenvolvimento conceitual em que as crianças se encontram. Na maioria dos casos, as observações regulares das crianças sob a ótica piagetiana irão permitir que se avalie, continuamente, de modo informal o desenvolvimento delas.

PROMOVER JULGAMENTO MORAL

Piaget recomendou que as escolas promovam respeito mútuo ativo entre as crianças.Wright diz: “o ponto central do desenvolvimento moral...pode ser definido como a experiência prolongada e continua de relações de respeito mutuo”.(1982,p.216).

MÉTODOS E MATERIAIS DE ENSINO: COMO ENSINAR

A teoria de Piaget sugeriu que os métodos e materiais de ensino devem ser condizentes com os níveis de desenvolvimento conceitual dos alunos. Para Piaget (o sujeito deve ser ativo, deve transformar as coisas e deve descobrir a estrutura de suas próprias ações sobre os objetos. “o principal objetivo da educação é criar homens capazes de fazer coisas novas, não simplesmente de repetir o que outras gerações fizeram, homens criativos, inventivos, descobridores”. Por tal questão ele se preocupou com a investigação do desenvolvimento qualitativo das estruturas mentais, entendendo-o como um processo contínuo que se inicia com o nascimento. É importante ressaltar que o conhecimento, para Piaget, não procede nem da experiência com os objetos nem de uma programação inata pré-formada nos indivíduos, mas de uma interação entre ambos. O conhecimento é compreendido como a reestruturação simbólica do real, ou seja, a sua interiorização ou conceituação. “Conhecer é, pois, assimilar o real às estruturas de transformações, e são as estruturas elaboradas pela inteligência enquanto prolongamento direto da ação” (PIAGET, 1964, p.4;5).

Resumo das Implicações educacionais da teoria de Piaget

As crianças para apreenderem precisam de se ocupar com atividades apropriadas às capacidades cognitivas, não fixadas à nascença, mas desenvolvidas em cada um dos estádios.

Inteligência = Ação. A ação produz desenvolvimento cognitivo. É necessária uma Escola Ativa.

O desenvolvimento cognitivo depende da ação para Piaget. A ação produz desenvolvimento, daí se necessário ser uma escola ativa.

Não se deve acelerar o desenvolvimento. Já que o progresso é o resultado de dois fatores (o ensino critico, o estádio de desenvolvimento cognitivo)

Assimilação, assimilar ideia e experiências do meio circundante. Um ajustar das experiências ao nosso estádio de desenvolvimento cognitivo.

Acomodação é o alterar do nosso presente estádio de processamento cognitivo de modo a incorporar novas experiências

Equilibração, é o ato de balanceamento entre antigas e as novas percepções e experiências, é um processo dinâmico que procura reduzir a dissonância.

Fases de aprendizagem

Consciência de uma discrepância moderada na compreensão do significado de um acontecimento ou ideia.

Sentimento de perplexidade, curiosidade, embaraço ou ativação afetiva.

Acumulação de mais informações novas que não se ajustam à antiga compreensão

Existência de um período de reflexão descontraída procuram ajustar-se aos novos elementos de informação no antigo esquema.

Um novo equilíbrio é alcançado; a nova informação evolui da acomodação para a assimilação.

Passado o tempo suficiente a nova informação torna-se antiga e pode ser generalizada a situações semelhantes.

O professor não ensina, ajuda o aluno a aprender.

Comentários