Plano de Aula : Linguagem , Arte e Educação

Plano de Aula : Linguagem , Arte e Educação

UNIVERSIDADE UNIGRANRIO

DANIELLE OLIVEIRA

GLEICE R. GERVÁSIO

MONIQUE M. RODRIGUES

SUELLEN DE SOUZA

TAMIRIS F. DA SILVA

PLANO DE AULA

RIO DE JANEIRO

2010

DANIELLE OLIVEIRA

GLEICE R. GERVÁSIO

MONIQUE M. RODRIGUES

SUELLEN DE SOUZA

TAMIRIS F. DA SILVA

Trabalho para a disciplina de Linguagem, Arte e Educação, ministrada pela Docente Valéria Monção apresentado a Universidade Unigranrio, do curso de Graduação em Pedagogia, do 2º período de 2010.

RIO DE JANEIRO

2010

Plano de Aula

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO:

Instituição: Cantinho do Saber

Disciplina: Integradas, com ênfase em Artes

Ano: Jardim I (4 - 5 anos - Rede Privada)

Turno: Tarde Turma: 001 Duração da aula: 50 minutos

Professoras Organizadoras: Danielle Oliveira; Gleice Reis; Monique Martins; Suellen de Souza; Tamiris Ferreira.

Tema da aula: Valores.

CONTEÚDO

  • Adjetivos;

  • Direitos e deveres da criança;

OBJETIVO GERAL

  • Propiciar, promover, estimular e desenvolver os valores;

OBJETIVOS ESPECÍFICOS

  • Promover a integração do grupo de forma lúdica

  • Estimular a fantasia contextualizando com a realidade

  • Desenvolver virtudes

  • Contribuir para a construção do conhecimento

  • Reafirmar múltiplas competências e habilidades nos educandos

CONTEÚDOS CONCEITUAIS E ATITUDINAIS ASSOCIADOS:

  • Conceituais: Valores específicos e adjetivos;

  • Atitudinais: Interesse pelo conhecimento e pela apropriação dos conteúdos.

METODOLOGIA

1º Momento:

  • Para iniciar, a turma ficará em círculo para que todos possam interagir. Iniciaremos com questionamentos para verificar o conhecimento já existente.

2º Momento:

  • Apresentação da música “Palavras Mágicas - Eliana“;

  • Dança;

3º Momento:

  • Fazer uma rodinha de conversa e questionar:

“O que vocês acharam da música?”;

“Vocês já conheciam essas palavrinhas mágicas?”.

Sempre estando atentas as falas das crianças, observando como elas se colocam. É importante anotar as falas para sempre que necessário intervir no dia a dia da sala de aula.

4º Momento

Propor uma história infantil, para reflexão dos valores apresentados.

  • Leitura e apresentação da história “O Patinho Feio”.

5º Momento:

  • Fazer questionamentos às crianças sobre cada palavra descritivas no texto e na música, que se referem a adjetivos, direitos e deveres, como:

  • Quem sou eu? Onde moro? Com quem moro?

  • Como devo tratar meus amigos? Minha professora? Meus pais?

  • Quantos amigos eu tenho? Quantos pretendo fazer?

  • O patinho era rejeitado porque era feio ou porque era diferente?

6º Momento:

  • Logo após o término dos questionamentos sobre a história e a música, será proposto uma atividade: PRANCHA DE COMUNICAÇÂO _ na qual a criança deverá se dirigir ao cartaz produzido e fazer a correspondência entre os valores ilustrados, através de colagem (com velcro);

7º Momento:

  • Finalização – dinâmica: “correio da amizade”, na qual cada criança de forma livre e lúdica confeccionará para seu amigo uma mensagem.

INTEGRAÇÕES COM OUTRAS AÇÕES EDUCATIVAS

Apontaremos, de maneira interdisciplinar:

  • Estudos sociais: quem sou eu? Onde moro? Com quem moro?

  • Português: Adjetivos;

  • Matemática: Quantos amigos eu tenho? Quantos pretendem fazer?

RECURSOS

  • CD Musical

  • Cola

  • Contact

  • Durex

  • Lápis de cor

  • Livro Didático

  • Palito de picolé

  • Papel crepom

  • Papel oficio

  • Slide

  • Tesoura sem ponta

  • Velcro

AVALIAÇÃO

  • Observar os índices de envolvimento dos alunos nas atividades;

  • Verificar o desempenho visual e auditivo em relação às atividades propostas;

  • Analisar a identificação;

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  • Referências e documentos eletrônicos. Disponível em:

<http://www.miniweb.com.br/cantinho/infantil/38/estorias_miniweb/patinho_feio.html>. Acesso em 10 de outubro de 2010.

  • Referências e documentos eletrônicos. Disponível em:

<http://www.scribd.com/doc/6689619/Projeto-Os-Valores>. Acesso em 10 de outubro de 2010.

  • Referências e documentos eletrônicos. Disponível em:

<http://www.educador.brasilescola.com/orientacoes/o-professor-educacao-valores.htm>. Acesso em 10 de outubro de 2010.

  • Referências e documentos eletrônicos. Disponível em:

<http://www.direitonet.com.br/artigos/exibir/1819/A-Lei-9394-96-e-a-educacao-em-valores>. Acesso em 11 de outubro de 2010.

  • Referências e documentos eletrônicos. Disponível em:

<http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/formacao-valores-413152.shtml>. Acesso em 11 de outubro de 2010

  • NOVA ESCOLA. O professor do futuro é você. Rio de Janeiro: Editora Abril, nº 25, Out. 2010.

  • PINTO RODRIGUES; Gerusa e Francês. DIA A DIA DO PROFESSOR - Datas comemorativas, projetos e murais,Ed. Fapi Indústria Gráfica LTDA – Belo Horizonte – 2000.

ANEXO

INTRODUÇÃO

A educação é o processo pelo qual o indivíduo desenvolve a condição humana, com todos os seus poderes funcionando com harmonia e completa, em relação à natureza e à sociedade.

Toda e qualquer produção humana tem por trás de si a contribuição, ou seja, por trás de qualquer produção material ou espiritual, existe a história sempre presente enquanto base constitutiva e enquanto projeto, nos mostrando o quanto os fatores históricos, culturais e sociais têm um grande peso. Então por que trabalhar (fazer pensar) uma história, uma música infantil?

Toda criança está sujeita a sentimentos de angústia, solidão e medos. Na maioria das vezes, não consegue expressar estes sentimentos em palavras, então é pela via das histórias e das brincadeiras, da música que conseguem elaborá-los. A criança dará significados distintos para o mesmo conto, dependendo de suas inquietações, de seus desejos, de suas angústias naquele momento.

As histórias da literatura infantil são ímpares, compreensíveis para a criança como nenhuma outra forma de arte o é. Nossa proposta, com as atividades apresentadas tem como objetivo de incutir na mente das crianças, valores, como: obediência, amizade, respeito aos mais velhos, aos animais e às diferenças, além de humildade, amor fraternal, generosidade, compaixão e lealdade. Desta forma, selecionamos a história “O Patinho Feio” e a música “Palavrinhas Mágicas” (Eliana), para desenvolvermos nossa aula.

Portanto, a primeira iniciativa para lidar com uma criança é valorizar o que ela já sabe, baseando-se nisso para novos aprendizados.

O QUE SÃO VALORES?

Segundo uma das definições mais aceitas na Educação, proposta pelo biólogo suíço Jean Piaget (1896-1980), valores são investimentos afetivos. Isso quer dizer que, apesar de se apoiarem em conceitos, estão ligados a emoções, tanto positivas quanto negativas. Educar para os valores é transmitir aos filhos ou alunos idéias em que realmente acreditamos – por exemplo, que vale a pena ouvir enquanto outra pessoa estiver falando. Ou que ficar muito tempo no chuveiro pode levar à falta de água para todos. Ou ainda que cada um é responsável por seus atos.

LDB

O artigo 27, I, LDB - faz referência à educação em valores ao determinar que:

Os conteúdos curriculares da educação básica observarão, ainda, as seguintes diretrizes: “a difusão de valores fundamentais ao interesse social, aos direitos e deveres dos cidadãos, de respeito ao bem comum e a ordem democrática”.

A educação em valores deve ser trabalhada na educação infantil, ensino fundamental e no ensino médio, etapas, conforme a nova estruturação da Educação Básica, prevista na LDB.

No artigo 29, a LDB determina que:

A educação infantil, sendo a primeira etapa da educação básica, tem como finalidade o desenvolvimento integral da criança até seis anos de idade, em seus aspectos físico, psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade.

É interessante assinalar que a educação em valores se fundamenta no respeito mútuo do desafio do professorado, do aluno e da família. Requer, pois, que as instituições de ensino utilizem o diálogo interativo.

No artigo 32,I, II, III, IV a LDB determina que:

No que se refere ao Ensino Fundamental, a LDB aponta a educação em valores como principal objetivo desta etapa da educação básica, a formação do cidadão, mediante aquisição de conhecimentos através do desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como estratégias básicas o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo e de três competências relacionadas explicitamente com a educação em valores: a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade; O desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores; O fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social.

MÚSICA

Palavrinhas Mágicas

Eliana

Composição: Dany junior

Algumas palavrinhas são mágicasE ajudam a gente a viver melhorPor favor, muito obrigadoCom licença, tudo bem?Pode passarEu te amo, brinca comigo?Como vai meu amigo?Aquele abraço!Bom dia, boa tarde, boa noiteA benção mãe, a benção paiBom dia, boa tarde, boa noiteViver assim é bom demais

Essas palavrinhas mágicasPalavras mágicas são assimTêm um poder maiorQue abracadabra e sinsalabimAssim, assim

Se alguém quiser o nosso bemMuito obrigado, muito obrigadoSe alguém quiser pedir pra alguémDiz por favor, diz por favor, diz por favorEntão é bom acreditarA vida é bem melhor se a gente temO quê?

HISTÓRIA: “O PATINHO FEIO”

Em uma granja uma pata teve quatro patinhos muito lindos. Porém, quando nasceu o último, a patinha exclamou espantada:

- Que pato tão grande e tão feio!

No dia seguinte, de manhãzinha, dona Pata levou a ninhada para perto do riacho.

Mas os patos maiores estavam achando aquele patinho marrom, muito feio. Não parece pato não! - Dizia uma galinha carijó. O galo então, estava muito admirado do tal patinho.

- Tomem cuidado com o gatão. Não se afastem muito de mim, dizia a Mãe Pata.

Chegaram à lagoa e logo dona pata e os pequenos entraram na água.

Mamãe estava orgulhosa. Mas o patinho feio era desajeitado, como ele só. Não conseguia nadar.

Afundava a todo o momento.

Teve que sair da água. E foi só gozação dos demais. Dona pata ainda ensinou-os a procurar minhocas e a dividi-las com os irmãos.

Os irmãos tinham vergonha dele e gritavam-lhe:

- Vá embora porque é por tua causa que todos estão olhando para nós! Não sei porque o gatão, não leva você para sempre?

O pobre patinho ficava sempre isolado dos demais. Os patos mais velhos judiavam do pobrezinho dando-lhe bicadas.

Todos os seus irmãos eram amarelinhos e pequeninos, e ele era feio, , grande e desengonçado. De tão rejeitado por ser diferente, resolveu fugir.

Afastou-se tanto que deu por si na outra margem.

De repente, ouviram-se uns tiros. O Patinho Feio observou como um bando de gansos se lançava em vôo. O cão dos caçadores perseguia-os furioso.

Conseguiu escapar do cão, mas não tinha para onde ir. Porém, não deixava de caminhar.

Foi andando... foi andando... Sem destino, com o coração cheio de dor e lágrimas nos olhos.

Chegou a um riacho onde estavam patos selvagens. Cumprimentou-os como aprendera com sua Mãe. Mas eles logo foram dizendo:

_Não queremos intrusos aqui. Vá andando e não se faça de engraçado, pato feio.

Pobre patinho, só queria um lugar no mundo para descansar, comer algumas minhocas e nada mais.

Finalmente, o inverno chegou. Os animais do bosque olhavam para ele cheios de pena.

Aonde irá o Patinho Feio com este frio? - Não parava de nevar. Escondeu-se debaixo de uns troncos e foi ali que uma velhinha com um cãozinho o encontrou.

- Pobrezinho! Tão feio e tão magrinho!

E levou-o para casa.

Lá em casa, trataram muito bem dele. Todos, menos um gatinho cheio de ciúmes, que pensava:

"Desde que este patucho está aqui, ninguém me liga".

Com o tempo a velha cansou-se dele, porque não servia para nada: não punha ovos e, além disso, comia muito, porque estava a ficar muito grande.

O gato então aproveitou a ocasião.

-Vá embora! Não serves para nada!

E o patinho foi embora. Chegou a um lago em que passeavam quatro belos cisnes que olhavam para ele.

O Patinho Feio pensou que o iriam enxotar. Muito assustado, ia esconder a cabeça entre as asas quando, ao ver-se refletido na água, viu, nada mais nada menos, do que um belo cisne que não era outro senão ele próprio, tão grande e tão belo, como os que vinham ao seu encontro.

Os companheiros o acolheram e acariciavam-no com o bico. O seu coraçãozinho não cabia mais dentro do peito.

Nunca imaginara tanta felicidade.

Os cisnes começaram a voar e o Patinho Feio foi atrás deles.

Quando passou por cima da sua antiga granja, os patinhos, seus irmãos, olharam para eles e exclamaram:

- Que cisnes tão lindos!

Assim termina a nossa história. O patinho feio sofreu muito até que um belo dia cresceu e descobriu a verdade sobre si próprio: ele não era um pato feio e diferente dos outros, era na verdade um lindo cisne. Desde então, todos passaram a admirá-lo e a se curvar diante de sua beleza.

Comentários