tcc introdução

tcc introdução

(Parte 1 de 6)

Órgão Ofi cial da Sociedade Brasileira de Reumatologia

JANUARY/FEBRUARY 2012 • VOLUME 52 • NUMBER 1

JANEIRO/FEVEREIRO 2012 • VOLUME 52 • NÚMERO 1

ISSN: 0482-5004

Níveis séricos de 25-hidroxivitamina D3 e sua

associação com parâmetros clínicos e laboratoriais

em pacientes com lúpus eritematoso sistêmico

INTRODUCAO

O lupus eritematoso sistemico (LES) constitui uma das doencas

autoimunes reumatologicas mais frequentes na populacao. Tem

como uma das principais caracteristicas a presenca de multiplos

autoanticorpos.A doença evolui com períodos de exacerbações do processo inflamatório,intercalados por períodos de relativa melhora ou mesmo inatividade, comprometendo principalmente pele, articulações, serosas, glomérulos e sistema nervoso central. O LES acomete principalmente

mulheres em idade fertil, na proporcao 8–12:1. Apresenta altos

indices de morbidade, e ate mesmo o desfecho fatal de alguns

pacientes e uma possivel consequencia.

Pacientes com LES apresentam multiplos fatores de risco

para defi ciencia de vitamina D. A fotossensibilidade caracteristica

da doenca determina menor exposicao do individuo

ao sol e recomendacao quanto ao uso de protetor solar que

bloqueie a radiacao UVB, diminuindo a producao cutanea de

vitamina D. O uso cronico de corticosteroides, farmaco de

uso frequente no tratamento de pacientes com LES, altera seu

metabolismo. Alem disso, o comprometimento renal grave, que

pode ocorrer em pacientes com nefrite lupica, pode alterar a

etapa de hidroxilacao da vitamina D.8

Ascite por peritonite lúpica: uma forma rara

de início do lúpus eritematoso sistêmico

(LUPUS ERITEMATOSO SISTEMICO)

revista BR jan/fev vol.52

INTRODUCAO

O lupus eritematoso sistemico (LES) e uma doenca autoimune

multissistemica cronica, cuja caracteristica mais

marcante, dos pontos de vista clinico e patologico, e o desenvolvimento

de reacoes infl amatorias em varios tecidos

e orgaos.1,2

A doenca evolui com periodos de exacerbacao do processo

infl amatorio, intercalados por periodos de relativa melhora

ou mesmo inatividade, comprometendo principalmente pele,

articulacoes, serosas, glomerulos e sistema nervoso central. Os estudos epidemiologicos

da incidencia e da prevalencia do LES mostram resultados

variaveis em diferentes regioes do mundo, e dentro do mesmo

pais as taxas de incidencia tambem mostram acentuadas

diferencas.3 Tais estudos sao conduzidos, em sua maioria, em

paises da Europa ou nos Estados Unidos,2 o que difi culta o

entendimento da epidemiologia da doenca no Brasil. Estudos

dessa natureza sao escassos no Brasil,4 que apresenta uma

populacao com grande miscigenacao racial e cultural; alem

de regioes com diferentes condicoes climaticas, o que pode

infl uenciar diferentemente o aparecimento da doenca e de

suas complicacoes. O objetivo deste trabalho foi pesquisar a

incidencia de LES na cidade de Cascavel - Parana no periodo

de agosto de 2007 a julho de 2008, bem como descrever as

caracteristicas clinicas e laboratoriais desses pacientes. Acomete principalmente mulheres jovens, na

proporcao de nove a dez mulheres para um homem, com prevalencia

variando entre 14 e 50/100.000 habitantes de acordo

com as caracteristicas demografi cas de cada regiao

Análise neuropsicológica de distúrbios cognitivos

em pacientes com fi bromialgia, artrite reumatoide

e lúpus eritematoso sistêmico

Revista brasileira de reumatologia

Marco/abril 2012 vol 52

INTRODUCAO

O lupus eritematoso sistemico (LES) e uma doenca autoimune

multissistemica cronica, cuja caracteristica mais

marcante, dos pontos de vista clinico e patologico, e o desenvolvimento

de reacoes infl amatorias em varios tecidos

e orgaos.1,2

A doenca evolui com periodos de exacerbacao do processo

infl amatorio, intercalados por periodos de relativa melhora

ou mesmo inatividade, comprometendo principalmente pele,

(Parte 1 de 6)

Comentários