Difusor e moenda cana

Difusor e moenda cana

(Parte 1 de 7)

Extração do Caldo cana.

A moagem é um processo que visa extrair o caldo contido na cana já desfibrada, ao fazê-la passar entre dois rolos submetidos pressão de aproximadamente 250 kg/cm²,e rotação. Um objetivo secundário da moagem, porém importantíssimo, é a produção de um bagaço final em condições de propiciar uma queima rápida nas caldeiras.

Cada conjunto de rolos de moenda, montados numa estrutura denominada "castelo", constitui um terno de moenda. O número de ternos utilizados no processo de moagem varia de quatro a sete e cada um deles é formado por três rolos principais denominados: rolo de entrada, rolo superior e rolo de saída normalmente as moendas contam com um quarto rolo, denominado rolo de pressão, que melhora a eficiência da alimentação. A carga que atua na camada de bagaço é transmitida por um sistema hidráulico que atua no rolo superior.

Colocar outro fluxograma da extração por moenda

Preparo da Cana

Transformar a cana em um material homogêneo, composto por longas fibras, o que facilita a alimentação no primeiro terno e melhora a extração. Têm por objetivo:

Promover o rompimento da estrutura da cana; Romper as células da cana para facilitar a extração do caldo;

Aumentar a densidade da cana;

Melhorar a eficiência da embebição.

Índice de Preparo (Open Cell)

Relação porcentual do pol das células abertas em relação ao pol total da cana.

Que não devem ser superiores 89% Densidade da Cana

É a relação existente entre a massa de cana (Kg) e o volume que esta se ocupa (m3).

A moagem é um processo volumétrico e que, portanto ela será mais eficiente à medida que aumentarmos a densidade da cana na entrada do primeiro terno. Isto é conseguido após a passagem da cana pelo picador e pelo desfibrador, elevando a densidade da cana inteira (175 kg/m3) ou da cana picada (350 kg/m3) para valores em torno de 450 kg/m3 de cana desfibrada.

Cana Inteira

Cana Picada

Cana Desfibrada

Alimentação

Descarga da cana na mesa alimentadora: o descarregamento é feito através de hilos que são guinchos encaixados na caçamba dos caminhões tombando-os lateralmente para que haja a descarga da cana na mesa alimentadora.

Esquema de um hilo mecânico

A mesa alimentadora é um equipamento que tem a função de receber a cana dos caminhões, ou das áreas de estocagem, e fazer uma alimentação uniforme das esteiras de cana.

Niveladores e adensadores:

http://www.coladaweb.com/quimica/quimica-geral/producao-e-fabricacaode-acucar-e-alcool-parte-1

O adensador de cana Techpetersen tem a finalidade de picar a cana inteira na saída da mesa alimentadora, e resolver o problema de embucha mentos em picadores e desfibradores.

O Adensador de Cana é instalado após a cana sair da mesa, e será picada na queda, transformando a cana inteira em cana picada, melhorando com isso a camada de cana na esteira metálica e consequentemente a alimentação de cana na moenda.

Adensador de cana

Para o Adensador é obrigatório a instalação do Nivelador de Cana (muitas usinas já possuem). O Nivelador de Cana é instalado no meio da mesa e sua função é regularizar as camadas de cana inteira, evitando que um pacote grande seja enviado à esteira metálica.

Vantagens do Adensador

Pica a Cana inteira na saída da Mesa Alimentadora.

Produz uma alimentação uniforme para Moenda, melhorando a extração e aumentando a moagem em torno de 10%.

Evita buchas nos Picadores e Desfibradores.

Evita a necessidade do 2o Picador na esteira metálica.

Separa as Palhas da Cana, aumentando a eficiência do sistema de Limpeza a Seco.

Os niveladores são usados para altas moagens (acima de 500 TCH) e tem a finalidade de produzir uma altura constante do colchão de cana na esteira metálica para o picador e o desfibrador. O nivelador consiste em um eixo robusto colocado transversalmente (ao movimento da) à esteira metálica, no qual são montados os suportes que sustentam as lâminas oscilantes ou fixas. Esse conjunto recebe o nome de rotor e gira sobre mancais de rolamento com uma velocidade periférica entre 50 e 60 m/s

Na Usina usa-se um nivelador colocado através do condutor de cana, girando de maneira que a ponta dos braços, passando perto do estrado do condutor, trabalha em sentido oposto a este.

O nivelador tem a finalidade de regularizar a distribuição da cana no condutor e nivelar a camada a uma medida certa e uniforme, evitando enganos nas facas.

Nivelador de cana

Picadores de Cana:

O picador é constituído por um ou dois jogos de facas (dois conjuntos em sequência) que prepara a cana a ser enviada ao desfibrador. É um equipamento rotativo de facas oscilantes, que opera a uma velocidade periférica de 60m/s tendo sentido de rotação correspondente ao da esteira metálica. e tem por finalidade aumentar a densidade da cana, cortando-a em pedaços menores facilitando o trabalho do desfibrador.

Atualmente fez se uma fusão desses dois equipamentos. Agora as usinas mais modernas adotam o nivelador picador que tem muito mais eficiência no preparo da cana para a extração.

Picadores (antigo)

w.simisa.com.br/arquivos/download/Download13.pdf

Desfibrador

Têm como objetivas a preparação e a desintegração da cana, retalhando-a e fazendo-a em fragmentos, facilitando a extração pelas moendas.

O desfibrador é formado por um tambor alimentador que compacta a cana à sua entrada. Em seguida, um rotor constituído por um conjunto de martelos oscilantes que, ao girar em sentido contrário à esteira com velocidade periférica de 60 a 90m/s, força a passagem da cana por uma pequena abertura (1 cm) ao longo de uma placa desfibradora. O objetivo do desfibrador é abrir a célula da cana para aumentar a eficiência da extração do caldo no estágio seguinte, as moendas. Para isso, possui maior número de ferramentas (martelos), gira em maior velocidade e os martelos possuem uma maior área de contato com a cana.

Completa o preparo de cana rompendo a maior quantidade possível de células, desfibrando a cana.

Realiza o desfibramento da cana picada ao esfrega-lá contra uma placa desfibradora.

A placa desfibradora é fixada logo acima do rotor, tem formato curvo e acompanha o diâmetro do giro dos martelos.

O tambor alimentador força a passagem de cana entre os martelos e a placa desfibradora. Posiciona-se antes do rotor em nível pouco acima.

w.simisa.com.br/arquivos/download/Download13.pdf

Desfibrador

(Parte 1 de 7)

Comentários