(Parte 6 de 7)

Lower than Higherthan

Within interval

MENORES que: (especificar)

remove as ligações com valores remove as ligações com valores MAIORES que: (especificar) remove as ligações com valores dentro do intervalo: (especificar)

Vetores servem para descrever propriedades numéricas dos vértices.

A extensão padrão para arquivos de vetor é “.vec”

No exemplo do World_trade.pajtemos o vetor: GDP_1995.vec

Esse vetor contém os dados do PIB per capita dos países.

(do ingles: GDPgross domestic product )

Info>> Vector

Na primeira janela pode-se escolher exibir uma lista com os Xmaiores ou menores valores da seguinte forma:

+Xinforma os X vértices com os MAIORES valores -Xinforma os X vértices com os MENORES valores

Dará uma lista com os 10 vértices com os maiores valores

ANALISANDOINFORMAÇÕES – INFO >> VECTOR Na segunda janela você definirá intervalos para exibir uma distribuição de frequência.

Ou ainda definir uma quantidade de classes na distribuição, seguidas de #.

Por exemplo, definir a distribuição em 5 classes:

Carregue um arquivo de partição.

Partition >> Make Vector Ou pressione: Ctrl+ V

O Pajekvai gerar um novo Vetor “frompartition” com base na partição.

NOTA: A conversão só fará sentido se as classes na partição expressarem um valor quantitativo.

VetorPartição

Por Truncamento

A transformação vetor em partição é mais complicada porque é necessário converter números reais (vetor) em inteiros (partição).

Truncamento é a forma mais simples, pois apenas elimina as casas decimais do número real.

Vector >> Make Partition >> by Truncating (Abs)

VetorPartição

Por Truncamento

Outra forma de converter um vetor em partição é definir uma classe de partição para cada intervalo de valores num vetor.

Por exemplo: dividir em classes de 10.0 Vector >> Make Partition >> by Intervals >> First Threshold and Step

Neste caso, ele criará uma primeira classe de partição com o valor mínimo até 10000, e depois criará as demais classes 20000 em 20000.

Vector>> MakePartition>> byIntervals>> SelectedThresholds

Por exemplo:

No menu ‘Partitions’ selecione duas partições diferentes com o mesmo n°de vértices.

Partitions>> Info>> Cramers V, Rajski

Classes dos países: centrais, periféricos, semi-periféricos, etc... OBS.: em ‘999998’ estão os países indefinidos quanto a classificação

Continentes de cada país

Desse relatório pode-se concluir que na América do Sul (coluna 6) não tem países centrais (linha 1), mas tem há 3 países na classe 2, 4 países na classe 3 e 8 países sem definição (classe 999998)

Grau:é o n°de linhas no vértice

Densidade:é a proporção entre o atual número de ligações numa rede e o máximo possível.

GRAU 3

Análise da rede Informações de Grau

Net >> Partitions>> Degree>> Input >> Output

O grau é uma propriedade discreta do vértice, através do comando abaixo o programa gera uma partição com as informações de grau.

Análise da rede Informações de Grau

Agora, usando o comando: Info>> Partition

Através do relatório ao lado, da partição gerada dos inputs, pode-se concluir por exemplo que a Austrália, Alemanha e África do Sul são os países com o maior número de países importadores (18 inputs)

ArcsEdges
Net >> Transform >> ArcsEdges >> All

Análise da rede Transforma todas as “arcs” em “edges”

Desta forma, através dos procedimentos utilizados nos 2 slides anteriores é possível analisar quantas interações tem um vértice, independente se é input ou output.(importação ou exportação como no caso do exemplo)

ArcsEdges

Análise da rede

1 –Soma os valores das linhas em uma nova.

2 –Conta o n°de linhas que serão unidas.

3 –Preserva o menor valor das linhas a serem unidas.

4 –Preserva o maior valor.

Como as partições trabalham com valores discretos e inteiros para obter o grau médio é preciso converter a partição de graus em vetor.

(Parte 6 de 7)

Comentários