aula1 - Uso da Informação em Segurança Pública

aula1 - Uso da Informação em Segurança Pública

(Parte 2 de 2)

Curso Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública SENASP

17 FECHAMENTO DA AULA

Fechamos aqui o conteúdo da aula 1. A seguir, realize as atividades de auto avaliação desta aula, para que você possa sedimentar seus conhecimentos aqui construídos.

Nesta aula você estudou sobre o saber racional, o positivismo e as ciências humanas. Pôde conhecer a consolidação do uso da estatística como instrumento para gestão pública e também como se estrutura a gestão pública fundamentada no saber científico.

Dica

Lembre-se: Qualquer dúvida retome o conteúdo e tire suas dúvidas com seu tutor. Não vá em frente se algo não foi compreendido!

Faça aqui suas anotações...

AULA 01 - O Saber Científico como Ferramenta de Gestão Pública

Curso Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública SENASP

18 ATIVIDADES DE CONCLUSÃO DA AULA

~Atividade

Realize a atividade, a seguir, no ambiente virtual!

1 Após seu estudo, como você explica a Gestão Pública Fundamentada no Saber Científico?

2 Reflita sobre a afirmativa de Lima, a seguir, e socialize com os demais alunos sua análise.

[...] mais do que isentos, os números e as formas como eles estão organizados respondem às dinâmicas das disputas de poder em torno das regras sobre como e quem governa: eles são instrumentos de construção de discursos de verdade, que almejam a objetividade e a legitimidade enquanto pressupostos; são resultado de múltiplos processos sociais de contagem, medição e interpretação de fatos e, portanto, dependem da circulação do poder para se reproduzirem”. (LIMA, 2005, p. 27)

3. Relacione cada termo ao seu significado correto:

1. Conhecimento adquirido pelos sentidos, pela experiência sensível.

Qualquer conhecimento produzido por outros tipos de experiência. ( ) Experimentação

2. Atitude intelectual que visa considerar a realidade do objeto controlando ao máximo os preconceitos do pesquisador. O sujeito conhecedor não deve influenciar esse objeto de modo algum; deve intervir o menos possível e dotar-se de procedimentos que eliminem ou reduzam, ao mínimo, os efeitos não controlados dessas intervenções.

( ) Leis e previsão

3. Este modelo de saber supõe que se pode estabelecer, no domínio do ser humano, as leis que determinam o domínio físico. Essas leis, estima-se, estão inscritas na natureza; portanto, os seres humanos estão, inevitavelmente, submetidos..

( ) Validade

4. Somente o teste dos fatos, a experimentação, pode demonstrar a precisão da hipótese. ( ) Empirismo

5. A experimentação é rigorosamente controlada, graças às mensurações precisas dos fenômenos, para afastar os elementos que poderiam perturbá-la e seus resultados. A ciência positiva é, portanto, quantificativa.

( ) Objetividade

6. Conhecimento adquirido pelos sentidos, pela experiência sensível.

Qualquer conhecimento produzido por outros tipos de experiência. ( ) Experimentação

AULA 01 - O Saber Científico como Ferramenta de Gestão Pública

Curso Uso das Informações na Gestão das Ações de Segurança Pública SENASP

19 REFERÊNCIAS DA AULA

LAVILLE, Christian & DIONNE, Jean. A Construção do Saber. Manual de metodologia da pesquisa em ciências humanas. Porto Alegre: ARTMED, Belo Horizonte: UFMG, 1999.

LIMA, Renato Sérgio de. Contando Crimes e Criminosos em São Paulo: uma sociologia das estatísticas produzidas e utilizadas entre 1871 e 2000. 2005. Disponível em: w.crisp.ufmg.br/tese_RenatoSergioLima.pdf.

POPPER, Karl, La Logica de la Investigación Científica, Trad. de V. Sanchez de Zavala, Madrid, Tecnos, 1973.

RAND CORPORATION. (1998) Diverting Children from a Life of Crime: measuring costs and benefits.

Faça aqui suas anotações...

(Parte 2 de 2)

Comentários