boaspráticas morango

boaspráticas morango

(Parte 5 de 6)

- Limitar a altura máxima de carregamento, para garantir uma boa repartição de ar sobre todo o compartimento do veículo, prevendo um espaço livre de 10 a 20 cm abaixo do tecto;

- Assegurar a limpeza, externa e interna, do veículo e garantir a ausência de qualquer cheiro e/ou humidade no interior da caixa.

É frequente o carregamento deste tipo de produtos em veículos de trans-

porte secundário sem pré refrigeração, obrigando-se o sistema de frio do veículo a fazer o arrefecimento.

Esta prática deve ser evitada porque como o sistema de frio está dimensionado apenas para manter a temperatura, o arrefecimento é lento.

Manipulação no Ponto de Venda No ponto de venda é também necessário que sejam tomadas algumas precauções de modo a não comprometer todo o processo anterior: - Minimizar a manipulação;

- Evitar variações bruscas de temperatura;

- Apresentar os produtos preferencialmente nas caixas de origem;

- Conservar por um período máximo de dois dias a temperaturas entre 5-100C e em atmosfera ligeiramente ventilada; - Abastecer o ponto de venda à medida das necessidades.

Exposição no Ponto de Venda O sucesso da venda dos produtos passa também pela forma como estes são apresentados ao consumidor, deve-se assim: - Rotular de forma visível e precisa;

- Expor em quantidade suficiente;

- Iluminar e arranjar bem o produto;

- Cuidar diariamente da apresentação e limpeza do espaço destinado à venda dos produtos; - Colocar na banca/expositor apenas embalagens limpas;

- Manter as etiquetas sempre limpas;

- Não colocar os produtos em contacto com o pavimento.

Como Comprar Morango de Qualidade Quando a cadeia de distribuição é efectuada sob condições rigorosas de manuseamento e com uma boa gestão de temperaturas o morango deve apresentar-se firme, com coloração vermelha uniforme, sem golpes, sem humidade exterior, limpo (sem terra) e com o pedúnculo e cálice frescos e de cor verde.

Como Conservar Correctamente o Morango Embora o tempo de conservação dependa do estado de maturação, o morango mantém as suas propriedades organolépticas praticamente inalteradas durante 2 dias, quando na parte inferior do frigorífico. Os morangos não devem ser submetidos a temperaturas muito baixas, já que o seu perfume e aroma ficam comprometidos.

Quando guardados à temperatura ambiente as propriedades organolépticas são significativamente reduzidas ao fim de 1 dia.

O pedúnculo e o cálice só devem ser retirados antes de se lavarem para serem consumidos.

BARIGAND, P. 1988 - Quelques aspects de la culture de la fraise en

Belgique. P.H.M. - Revue Horticole, 287: 20-24.

BRANZANTI, E.C. 1989 - La fresa. Ediciones Multi-Prensa, Madrid. HENNION, B. 1992 - Technique de production de fraise toute l’annee en

France: la fraise remontante. Le Fruit Belge, 437: 49-52.

MAROTO, J.V. 1989 - Horticultura herbácea especial, 3ª ed. Ediciones

Mundi-Prensa, Madrid. 566 p.

MADRP, 1987 - Normas de Qualidade – Produtos Hortofrutícolas Frescos.

Lisboa.

MADRP, [s.d.] - Qualidade e Apresentação de Frutas e Legumes – Guia

Prático para o Pequeno Retalhista. [MADRP]. Lisboa

MADRP, 1999 - Secretaria de Estado da Modernização Agrícola da

Qualidade Alimentar – Normalização das Frutas e Legumes. Garantia da Qualidade – Guia Prático para o Consumidor. [MADRP]. Lisboa.

NAMESNY, A. 1999 - Post-recoleccion de hortalizas. I. Hortalizas de fruto. Compendios de Horticultura 1. Ediciones de Horticultura, S.L. Reus. 301pp.

TAUSSIG, C. 1997 - Fraise de printemps sous grand tunnel: quelle conduite culturale en Provence? P.M.H.-Revue Horticole, 380: 3-37.

ANEXO I Normas Oficiais de Qualidade para o Morango (Regulamento CE nº 899/87, de 30 de Março)

1.Definição do Produto

A presente norma visa os morangos das variedades (cultivares) do género Fragaria L.destinados a serem entregues ao consumidor no seu estado fresco, à excepção dos morangos destinados à transformação industrial.

2.Disposições Relativas à Qualidade

A norma tem como objectivo definir as qualidades que devem apresentar os morangos após acondicionamento e embalagem.

2.1. Características mínimas Em todas as categorias, tendo em conta as disposições especiais previstas para cada categoria e as tolerâncias admitidas, os morangos devem ser: - inteiros, sem golpes,

- munidos do seu cálice e de um curto pedúnculo verde, não seco (à excepção dos morangos silvestres), - sãos; são excluídos os produtos atingidos de podridão ou alterações que os tornem impróprios para o consumo, - praticamente isentos de ataques de parasitas e doenças,

- limpos, praticamente isentos de matéria estranha visível,

- frescos, mas não lavados,

- isentos de humidade exterior anormal,

- isentos de odor e/ou sabor estranhos.

Os morangos devem ter sido cuidadosamente colhidos.

Os produtos devem apresentar um desenvolvimento e um estado que lhes permitam: - suportar o transporte e a manutenção,

- chegar em condições satisfatórias ao local de destino.

2.2. Classificação Os morangos são objecto de uma classificação em três categorias a seguir definidas:

a) Categoria “Extra” Os morangos classificados nesta categoria devem ser de qualidade superior. Devem apresentar a coloração e a forma típicas da variedade e devem ser particularmente uniformes e regulares do ponto de vista do grau de maturação, coloração e tamanho.

Devem ter um aspecto brilhante, tendo em conta as características da variedade.Devem estar livres de terra.

(Parte 5 de 6)

Comentários