resumo um toque de classicos

resumo um toque de classicos

IDEALISMO HEGELIANO Georg Wilhelm Friedrich Hegel (1770-1831): tudo que é real é racional, e tudo o que é racional é real”. A realidade histórica desenvolve-se enquanto manifestação da razão, num processo incessante de autosuperação desencadeado pelo conflito e pela contradição que lhe são inerentes. Tal é o movimento dialético, esse caminho que produz a si mesmo. O finito deve ser apreendido a partir do seu oposto, o infinito, o universal, e é essa relação entre o particular e a totalidade que Hegel denomian unidade dialética. Aplicada aos fenômenos historicamente produzidos, a ótica dialética cuida de apontar as contradições constitutivas da vida social que resultam na negação e superação de uma determinada ordem. CONSCIENCIA ALIENADA, separada da realidade, a consciencia de si como natureza dividada: perda de autocontrole por parte dos seres humananos, subjugados pela sua própria criação: a riqueza da vida material e seus refinamentos. Ser livre significa recuperar a autoconsciencia, e a história dos povos é o processo através do qual a Razão alcança progressivamente esse destino.

LUDWIG FEUERBACH (1804-1872) Alienação fundamental tem suas raízes no fenômeno religioso, que cinde a natureza humana, fazendo com que os homens se submentam a forças divinas, as quais, embora criadas por eles próprios, são percebidads como autônomas e superiores. Mundo religioso projeção fantástica da mente humana, por isso mesmo alienada.

“O trabalhador é tanto mais pobre quanto mais riqueza produza desvalorização

KARL MARX do mundo humano cresce na razão direta da valorização do mundo das coisas. O trabalho não apenas produr mercadorias, produz também a si mesmo e ao operário como mercadoria...” Herdeiro de um ideário iluminista, Marx acreditava que a razão era não só um instrumento de apreensão da realidade, mas também de contrução de uma sociedade mais justa, capaz de possibilitar a realização de todo o potencial de perfectibilidade existente. Teoria marxista articula a dialética e o materialismo sob uma perspectiva histórica, negando, assim, tanto o idealismo hegeliano quanto o materialismo dos neohegelianos. Marx e Engels questionam o materialismo feurbachiano que se limitava a captar o mundo como objeto de contemplação e não como resultado da ação humana. Por isso, não fora capaz de vê-lo como passível de transformação por atividade revolucionária ou crítico-prática. Enquanto para Hegel a história da humanidade nada mais é do que a história do desenvolvimento do Espírito, Marx e Engels colocam como ponto de partida. Posteriormente esse método de abordagem foi chamado de MATERIALISMO HISTÓRICO: as relaçãoes materiais que os homens estabelecem e o modo como produzem seus meios de vida formama a base de todas as suas relações. As formas econômicas sob as quais os homens produzem, consomem e trocam são transitórias e históricas.

Relações de produção by Wikipédia

Relações de Produção é um conceito elaborado por Karl Marx e que recebeu muitas definições e utilizações posteriores. Resumidamente, as relações de produção são as formas como os seres humanos desenvolvem suas relações de trabalho e distribuição no processo de produção e reprodução da vida material.

Segundo a teoria marxista, nas sociedades de classes as relações de propriedade são expressões jurídicas das relações de produção. Assim, nas sociedades de classes, as relações de produção são relações entre classes sociais, proprietários e não-proprietários. As relações de produção, conjuntamente com asforças produtivas são os componentes básicos do modo de produção, a base material da sociedade.

Comentários