digestao e absorcao

digestao e absorcao

DIGESTÃO E ABSORÇÃO NO TRATO GASTROINTESTINAL

Digestão de diversos alimentos por hidrólise

Hidrólise de carboidratos

. Enzimas específicas nos sucos digestivos do trato gastrointestinal catalisam a reintrodução dos íons hidrogênio e hidroxila, obtidos da água, nos polissacarídeos → separam os monossacarídeos

Hidrólise de gorduras

. As enzimas digestivas de gordura reinserem três moléculas de água em uma molécula de triglicerídeos e, assim, separam as moléculas de ácido graxo do glicerol

Hidrólise de proteínas

. As enzimas proteolíticas inserem de novo íons hidrogênio e hidroxila, das moléculas de água, nas moléculas de proteína para dividí-las em aminoácidos constituintes

Digestão de carboidratos

Carboidratos na dieta alimentar

  • Sacarose

  • Lactose

  • Amido

Digestão de carboidratos na boca e no estômago

. glândulas parótidas → saliva → pitalina → hidrólise do amido no dissacarídeo maltose (5%) → bloqueada pelo ácido das secreções gástricas (30 a 40% no estômago)

Digestão de carboidratos no intestino delgado

. por amilase pancreática quase idêntica em termos de função à pitalina, porém mais potente → 15 a 30 min após o quimo entrar no duodeno ocorre a digestão quase completa dos carboidratos

Hidrólise de dissacarídeos e pequenos polímeros de glicose em monossacarídeos por enzimas do epitélio intestinal

. enterócitos presentes na borda em escova das microvilosidades intestinais possuem quatro enzimas (lactase, sacarase, maltase e a-dextrinase) → separam os dissacarídeos em monossacarídeos constituintes

. monossacarídeos hidrossolúveis imediatamente absorvidos pelo sangue portal

Digestão de proteínas

. Cadeias de aminoácidos interligados por ligações peptídicas

No estômago

. pepsina

  • importante enzima péptica

  • mais ativa em pH's baixos (2,0 / 3,0) e inativa em pH cima de 5,0

  • suco gástrico é produzido com um pH = 0,8 → misturado aos conteúdos estomais e às secreções das células glandulares, sobe para 2,0 e 3,0

  • capaz de digerir o colágeno

  • 10 à 20 % de digestão total

Por secreções pancreáticas

. Intestino delgado superior (duodeno e jejuno)

  • tripsina

  • quimiotripsina

    • tripsina + quimiotripsina → clivam em pequenos polipeptídeos

  • carboxipolipeptidase

    • libera aminoácidos inividuais

  • proelastase

    • convertida em elastase → digestão de fibras de elastina (abundantes em carnes)

Digestão de peptídeos por peptidases nos enterócitos que revestem as vilosidades do intestino delgado

. Ocorrem nos enterócitos existentes nas vilosidades do jejuno-íleo

. Nas membranas de cada uma das microvilosidades encontram-se múltiplos peptídeos

. Tipos mais importantes:

  • aminopolipeptidase

  • dipeptidases (diversos)

    • prosseguem na hisrólise dos maiores polipeptídeos remanescentes em …

. São transportados pela membrana microvilar para o interior do enterócito → no interior destes, estão outras peptidases que finalisam a hidrólise → transferência para o sangue

. 99 % dos produtos finais são aminoácidos

Digestão de gorduras

Gorduras na dieta

. Triglicerídeos (glicerol estretificado a três moléculas de ácidos graxos) são as gorduras mais abundantes

Digestão no estômago

. Pequena quantidade é digerida pela lipase lingual, secretada pelas glândulas linguais e deglutida junto com a saliva (< 10%)

Digestão de gorduras no intestino

. emulsificação de gordura por ácidos biliares e lecitina

→ quebra física dos glóbulos de gordura em partículas pequenas para que as enzimas digestivas hidrossolúveis ajam nas superfícies das partículas

. inicia-se pela agitação estomacal

. ocorre em grande parte no duodeno → bile (que não contém nenhuma enzima digestiva)

. Bile = sais biliares + lecitina → emulsificação da gordura

. micelas = partes hidrossolúveis e lipossolúveis → diminuem a tensão superficial água / lipídios → agitação divide a molécula de gordura em partículas menores → sais biliares + lecitina = promoção da fragmentação das gotas de gorduras em pequenos agregados supramoleculares → redução de diâmetro, aumento superficial da fase lipídica → lipases hidrossolúveis atacam os glóbulos de gordura em suas superfícies

Digestão de triglicerídeos pela lipase pancreática

. Lipase pancreática (enormes quantidades no suco pancreático) → ácidos graxos livres e monoglicerídeos

O papel dos sais biliares em acelerar a digestão de gorduras – formação de micelas

. acúmulo de monoglicerídeos e ácidos graxos limitam a digestão

. sais biliares removem os monoglicerídeos e os ácidos graxos das adjacências das partículas de digestão quase tão rapidamente quanto esses produtos da digestão são formados

. grande concentração de sais biliares → formação de micelas (núcleo esterol lipossolúvel + grupo polar hidrossolúvel que o envolve)

. o núcleo esterol envolve os produtos da digestão das gorduras → também funcionam como transporte de lipídios → absorvidos pelo sangeu

Digestão dos ésteres de colesterol e dos fosfolipídeos

. Secreção pancreática libera ainda:

  • Fosfolipase A2

  • hidrolase de éster de colesterol

Princípios básicos da absorção gastrointestinal

Bases anatômicas da absorção

. 1,5 l ingerido + 7 l de secreções = 7 l absorvidos pelo intestino + 1,5 válvula ileoceal para o cólon

Superfície absortiva das vilosidades da mucosa do intestino delgado

. presença de vilosidades, microvilosidades, pregas → aumento da área absortiva em 1000 vezes

Absorção no intestino delgado

. várias centenas de gramas de carboidratos kg de carboidratos

. 100 g de gordura 500 g

. 50 a 100 g de aminoácidos e íons 500 a 700 g

. 7 a 8 l de água 20 l

Absorção de água - isosmótica

. absorvida através de difusão → mucosa intestinal → sangue

* o contrário pode ocorrer → soluções hiperosmóticas descarregadas no intestinos

Absorção de íons

Transporte ativo de sódio

. 20 a 30 g de sódio secretadas nas excreções + 8 g ingeridas

. absorção deve ser de 25 a 35 g

. membranas basolaterais → espaços paracelulares →

Osmose da água → fluxo de líquido para e através dos espaços celulares → sangue circulante na vilosidade

Aldosterona → aumento na absorção de sódio → aumento na absorção de íons cloreto, água e outras substâncias

Absorção de íons cloreto no duodeno e jejuno é rápida e se dá por eletrodifusão

“Absorção ativa dos íons bicarbonetos”

Comentários