Como Fazer Um Fichamento

Como Fazer Um Fichamento

(Parte 1 de 2)

METODOLOGIA DO TRABALHO ACADÊMICO Prof.WaldemarNeto

[I] TÉCNICAS DE FICHAMENTO 1. Dicas sobre a Técnica de Fichamento

Quanto mais se estuda, mais se percebe que o ato de estudar é extremamente lento, exige interesse, esforço. disciplina. Não adiante ler ou levantar dados superficialmente, porque o objetivo básico da aprendizagem, que é a assimilação da matéria, não se efetua.

Deste modo, lembramos que o fichamento é uma forma de investigação que se caracteriza pelo ato de fichar (registrar) todo o material necessário à compreensão de um texto ou tema. Para isso, é preciso usar fichas que facilitam a documentação e preparam a execução do trabalho.

Destacamos dois tipos de fichas:

1. Bibliográfica (assunto e autor). 2. Conteúdo (resumo e cópia-citação).

Todavia, no próprio exercício da leitura percebemos a necessidade de fazer comentários sobre a argumentação do autor, assim como também surgem na nossa mente várias idéias e relações novas.

Alguns autores de técnica de ensino acrescentam mais dois tipos de fichas de conteúdo: [A] - comentário; [B] - ideação. Mas não vemos necessidade de ampliar o número de fichas, mas simplesmente assinalar a necessidade de elaborar esses tipos de anotações que devem aparecer na feitura do trabalho. Assim, num único tipo de ficha (fichamento), pode-se incluir as diversas modalidades de apurações de investigação.

Em primeiro lugar, deve-se apresentar objetivamente as idéias do autor (resumo e citação), em seguida deve-se discutir de modo pessoal as idéias fichadas (comentário e ideação).

Em outras palavras, um fichamento completo deve apresentar os seguintes dados:

1) Indicação bibliográfica — mostrando a fonte da leitura. 2) Resumo — sintetizando o conteúdo da obra. Trabalho que se baseia no esquema (na introdução pode fazer uma pequena apresentação histórica ou ilustrativa). 3) Citações — apresentando as transcrições significativas da obra. 4) Comentários — expressando a compreensão crítica do texto, baseando-se ou não em outros autores e outras obras. 5) Ideação — colocando em destaque as novas idéias que surgiram durante a leitura reflexiva.

1.2. Modelo de Fichamento

1ª Parte: apresentação objetiva das idéias do autor 1)- resumo (baseado no esquema) 2)- pequenas citações (entre aspas e página)

2ª Parte (elaboração pessoal sobre a leitura) 1)- Comentários (parecer e crítica) 2)- Ideação (novas perspectivas)

2.1. Modelo de Fichamento (a respeito de “Obstáculo epistemológico”, de Gaston Bachelard) In:

Recensão

Citação

BACHELARD, Gaston. A noção de obstáculo epistemológico. In: A formação do espírito científico [La formation de l’espirit scientifique]. 3ª ed. Paris: L.J.F, 1957.

1 - Noções sobre Bachelard

Nasceu em 1884, em Champagne, e faleceu em Paris, em 1962. Foi professor de ciências na sua cidade natal, mais tarde professor de história e filosofia das ciências na Sorbonne. Preocupado com a pedagogia das ciências, ele analisou nesta obra a noção de obstáculo epistemológico à luz das psicanálise do conhecimento objetivo.

2 - Influência da psicanálise freudiana sobre Gaston Bachelard

inconsciente, que surgem no próprio ato de conhecer. “é no
espécie de necessidade funcional, retardos e perturbações”

Nesse texto ele não apresenta os objetos externos como os empecilhos verdadeiros ao conhecimento científico, mas analisa principalmente aqueles obstáculos internos de carácter interior do próprio ato de conhecer que aparecem, por uma

COMO SE FAZ UMA RESENHA? 1. DEFINIÇÃO

Inicialmente é preciso definir o termo “resenha”. Fazer uma resenha é o mesmo que fazer uma recensão (que significa apreciação breve de um livro ou de um escrito), ou seja, trata-se de resumir de maneira clara e sucinta um livro, artigo ou qualquer tipo de texto científico.

Embora o texto a ser resenhado tenha um/a autor/a, o/o recenseador/a deve ser o/a autor/a do seu trabalho; quer dizer, é preciso manter a identidade de quem escreveu o trabalho que você está analisando, mas é preciso transparecer a sua presença, como voz crítica sobre o texto.

Resenhar significa resumir, sintetizar, destacar os pontos principais de uma obra científica.

2. PROCEDIMENTOS

1o Passo - Leitura total da obra a ser resenhada;

2o Passo - leitura pormenorizada, fazendo os destaques da partes mais significativas, que servirão de fio condutor para elaboração do texto da resenha;

3o Passo - elaboração de um esquema com as principais etapas a serem desenvolvidas pela resenha;

4o Passo - construção do texto propriamente dito; 5o Passo - revisão do texto, correção e aprimoramento.

3. NECESSIDADES

Toda resenha deve ser o mais bem identificada possível, daí as seguintes necessidades:

3.1. cabeçalho contendo o nome da instituição de ensino, título da resenha com identificação do texto resenhado, autor/a da resenha, objetivo do trabalho, local e data.

3.2. Texto dissertativo contendo: introdução, corpo principal do texto e conclusão com apreciação crítica.

3.3. Bibliografia.

4. DICAS IMPORTANTES

•A recensão deve cumprir um objetivo claro: comunicar ao leitor os aspectos essenciais da obra em questão e situá-lo no assunto da melhor maneira possível. Lembremo-nos de que, no método Descartes, a 1ª regra é a evidência, i.e., o dado inicial, que tem de ser claro, ordenado e distinto, ou seja, o critério cartesiano da verdade é a clareza e a distinção. Em concreto, Descartes parte de uma dúvida universal (metódica), para, entretanto, superá-la criticamente na conquista da verdade.

•A forma da resenha, isto é, o texto deve ser claro, inteligível e dinâmico. O/A leitor/a deve ter prazer nesta leitura e deve sentir-se convidado/a à leitura do texto resenhado. Para isso, é imprescindível o uso das normas padrão da língua portuguesa.

•Caso haja necessidade de citação do próprio texto resenhado, isso deve ser feito entre aspas e/ou em destaque. Sempre deve haver referência bibliográfica.

•Por vezes, é interessante fazer uma pesquisa mais abrangentes sobre o/a autor/a do texto resenhado, sobre o assunto em questão e sobre a situação atual da pesquisa científica sobre o tema. Esses esclarecimentos, quando convenientes, devem abrir a resenha e preparar o comentário sobre o texto em pauta.

5. APRESENTAÇÃO GRÁFICA

•margens: superior e inferior: 2,5cm; margem direita: 2cm e margem esquerda: 3cm;

•caracteres (fontes): “Times New Roman”, tamanho 12;

•títulos e subtítulos: no mesmo tamanho, em negrito e/ou sublinhado;

•espaçamento: no texto: 2 (duplo); na bibliografia: simples.

• Bibliografia

Observa-se o seguinte critério de citação, de acordo com os padrões de Normas Técnicas da ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas):

SOBRENOME, Nome do autor. Título da obra. Subtítulo. Edição. Cidade (local da publicação; quando houver duas cidades, separa-se com barra: /): Editora (quando houver mais de uma editora, separa-se por barra: /), ano da publicação e páginas citadas.

Ex: BEAINI, Thais Curi. Heidegger: arte como cultivo do inaparente. SP: EDUSP/Nova Stella, 1986.

(Parte 1 de 2)

Comentários