Anatomia Emocional

Este trabalho tem como finalidade analisar a postura física e emocional da senhorita IRC (Tulipa). Com a análise poder-se-á detectar através da forma anatômica sua relação com seu estado emocional. A emoção pode interferir na postura anatômica? E a anatomia “diz” o que do emocional da entrevistada?

A análise é construída por meio de uma entrevista e algumas observações. Três dias a senhorita Tulipa foi observada sem que a mesma ficasse ciente de tal observação. As observações têm como finalidade descobrir se as respostas da entrevista coincidem com sua postura perante o seu grupo (social).

As informações oriundas da entrevista foram as seguintes: Tulipa estuda na Faculdade AGES no curso de Pedagogia no primeiro período, tem 18 (dezoito) anos, católica, não possui filhos. Não fuma, não etilista, tem namorado e trabalha por conta própria. Seus aspectos referidos por ela são: não possui nenhum trauma no momento e nunca passou por um. Em relação à doença ela tem pedra no rim e segundo ele “não crescer”. Utiliza de medicamentos para tratar de pedra no rim. Viaja em seis e seis meses. Esta entrevista aconteceu no dia 09 de maio de 2010 (Domingo a partir do meio dia, após o almoço). Perguntei o que gosta de fazer e ela respondeu que gosta de comer, assistir, passear com o namorado e amigas, viajar, ir à festas, ouvir musica. Perguntei se ela se considera feliz e ela respondeu: “Eu não me considero feliz, eu sou”. Tulipa disse na entrevista que gosta de fazer amigos e conhecer várias pessoas. Neste dia ela estava muito cansada e afirmou que não havia dormido direito.

Percebe-se que ela está de cabeça baixa, com sono, com a voz baixa e arrastada, e um pouco estressada, o olhar está “caído”. O corpo de tulipa está “dizendo algo” e influi no lado emocional. O corpo cansado faz com que seu psicológico esteja alterado. Pois no dia-a-dia Tulipa é uma pessoa mais alegre. Poderemos constatar isto nas observações.

O corpo é emoção, há uma relação de interdependência do corpo com a emoção. Como diz Keleman em “Anatomia Emocional”: “Anatomia emocional mostra a relação entre a forma e as formas genética e social que inibem ou facilitam a conformação de uma vida.” (KELEMAN; 1992; p. 13). Pode-se ver que a forma genética (ser baixa), no caso de Tulipa, inibe a conformação da vida. Apesar de ela dizer que não tem trauma, no seu discurso percebe-se o contrario, pode-se detectar que há um trauma devido à sua altura e isso faz com que ela se sinta inferior e para demonstrar o oposto ela se enrijece. A forma rígida colocada no livro “Anatomia Emocional” é endurecida para demonstrar orgulho e desafio. Desafiar o outro, pois vê-lo como superior (devido à altura) e para não sentir-se rejeitada ela é a primeira a rejeitar. “O rígido, como um tubo vertical, se alonga. A bolsa inferior se comprime e as superiores se enchem. A estrutura do rígido é como um tubo semi-usado de pasta de dente, apertado de baixo para cima. “(KELEMAN; 1992; p. 120)

A primeira observação após a entrevista foi no dia 10 de maio de 2010 no ponto de ônibus. Ela neste momento está relaxada, pensativa e ouvindo música. No ônibus, está sentada em um banco, encostada em uma poltrona e continua pensativa. Com o namorado (no intervalo) ela está sorridente e conversa com ele. O corpo de Tulipa demonstra sua satisfação de estar acompanhada do namorado; fica com uma postura mais ereta com o pescoço mais alongado e seus olhos dilatam e o coração acelera quando está com ele. É perceptível a felicidade externa e através dela pode-se ver a felicidade interna, ou seja, a satisfação de estar ali naquele momento.

O ser humano que é micro em relação ao planeta que é macro está em constante transformação e em constante interação. Tudo o que acontece no planeta terá influencia no homem. Deste modo o homem que é macro em relação às partes do corpo microscópicas também interfere e é interferido através das interações e transformações.

O que acontece dentro e no corpo acarretará em mudança, transformação. Tulipa possui pedras no rim, este fato acarretará em uma mudança de sentimento e seu modo de vida será diferente, pois a rotina será alterada com o uso de medicamentos e seu corpo também sofre mudança. O corpo é 100% emoção.

Dia 24 de maio de 2010 na Faculdade AGES, tulipa está com duas amigas conversando e dando risada, sua postura é ereta e olha para os lados. O gesto de olhar para os lados que envolvem os músculos, ossos, respiração, ou seja, todo o corpo está informando que ela está com um estado emocional diferente do normal, ela está ansiosa. Será que está à espera de alguém? Sim, com certeza, isto é constatado depois que o namorado chega. Agora sim, ela está mais calma e conversa normalmente sem estresse com o namorado e as amigas.

No dia 28 de maio de 2010 ela está na faculdade com os amigos e amigas e com o namorado. Estão sentados, sorridentes, conversando. Estão todos em uma mesa onde conversam e lancham, no centro de convivência.

Da mesma forma que o corpo interfere na emoção, a emoção também interfere na postura. Ao ver a pessoa amada, Tulipa ergue-se para demonstrar atenção. E seu coração acelera, fazendo com que ela fique rígida para não demonstrar sua ansiedade.

O ser humano possui cada um uma forma anatômica diferente, ele é complexo e individual. Existem diversas formas emocionais e o homem tem várias e pode mudar dependendo da situação, da cultura,da sociedade, da genética, e daí por diante. Por isso não existe uma forma perfeita, hora ela estará de um jeito, hora de outro. “Cada um de nós responde de um modo único às agressões e desafios que temos de enfrentar em diferentes períodos de nossa vida. Nossa estrutura somática é uma colagem, com uma linha de continuidade que dá a cada um de nós nossa marca de diferenciação e individualidade.” (KELEMAN: 1992; p. 164).

Portanto a anatomia não só diz o que somos como também é o que somos. A anatomia passa a informação emocional de nossa vida, e também é a informação.

Tulipa é uma pessoa como qualquer outra, tem sua vida em sociedade, mas ela é individual, tem o seu jeito particular. Suas emoções são influenciadas pelo seu corpo formado por células, órgãos, sistema. E dependendo do momento ela terá atitudes diferentes e seu corpo acompanhará a emoção.

AGES

FACULDADE DE CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS

BACHARELADO EM ENFERMAGEM

PAULO ROGÉRIO RIBEIRO DE CARVALHO

ANATOMIA EMOCIONAL

Análise Descritiva apresentada no curso de Enfermagem da Faculdade AGES como um dos pré-requisitos para a obtenção da nota parcial da disciplina Anatomia no 1° período, sob a orientação do professor Tiago.

Paripiranga

Junho de 2010

Comentários