relatório embriologia

relatório embriologia

3

Beatriz do Nascimento Oliveira

Helder Marcelo Nunes dos Santos

Nadiely da Cunha Ribeiro

Thaís Moreira da S. Conceição.

Período Fetal

Feira de Santana

2011

RESUMO DO PERÍODO FETAL DA 9ª A 38ª SEMANA

O período fetal, que começa da nona semana após a fertilização e termina com o nascimento, caracteriza-se pelo rápido crescimento corporal e diferenciação dos tecidos e órgãos. Uma mudança obvia é a diminuição relativa da velocidade de crescimento da cabeça, em comparação com o resto do corpo. No início da nona semana, a cabeça constitui metade do CCN (comprimento cabeça-nádega) do feto. Subsequentemente há uma rápida aceleração do crescimento do comprimento do corpo, e no final de 12 semanas o CCN (comprimento cabeça-nádega) já é mais que o dobro. Apesar de o crescimento da cabeça diminuir consideravelmente no final da décima segunda semana, ela ainda é desproporcionalmente grande em comparação com o restante do corpo. Com nove semanas, a face é larga, os olhos são muito separados, as orelhas têm implantação baixa e as pálpebras estão fundidas.

Da décima terceira semana á décima sexta, o crescimento é muito rápido durante esse período. Com 16 semanas, a cabeça é relativamente pequena, em comparação com a de um feto de 12 semanas, e os membros inferiores ficaram mais compridos, os movimentos dos membros, que começam a ocorrer no fim do período embrionário, tornam-se coordenados, na décima quarta semana, mais ainda são muitos discretos para serem percebidos pela mãe. Estes movimentos são visíveis ao ultrassom.

Na vigésima semana aparece o lanugo e o cabelo, e a pele é recoberta pela vernix caseosa. As pálpebras permanecem fechadas na maior parte do período fetal, mas começam a se abrir por volta da vigésima sexta semana. Até então, o feto é usualmente incapaz de sobreviver fora do útero principalmente por causa da imaturidade do seu sistema respiratório.

Até cerca da trigésima semana, o feto tem aparência avermelhada e enrugada por causa de sua pele fina e da relativa ausência de gordura subcutânea. Em geral, a gordura se forma rapidamente ao longo das últimas seis a oito semanas, dando ao feto um aspecto liso e rechonchudo. Esse período final (de acabamento) é dedicado principalmente á formação dos tecidos e á preparação dos sistemas envolvidos na transição do meio intrauterino para o extrauterino, particularmente o sistema respiratório e cardiovascular. Fetos prematuros nascidos entre a vigésima sexta e há trigésima sexta semana em geral sobrevivem, mas fetos a termo têm maiores chances de sobrevivência.

Na trigésima oitava semana o organismo do feto já está preparado para o nascimento. Ao longo das últimas semanas, o desenvolvimento dos ossos é acelerado, a pele torna-se mais espessa e a lanugem tem tendência para desaparecer. A cabeça está muito mais proporcional, pois mede 1/4 do comprimento total do corpo, as orelhas estão separadas do crânio, o nariz bem formado e os olhos adoptam uma cor azul acinzentada. Os genitais externos adquirem as características definitivas o sexo, já que nos rapazes os testículos descem do abdómen e situam-se no interior do escroto, enquanto que nas raparigas a vulva ganha forma, encontrando-se praticamente revestida pelos grandes lábios. Os reflexos estão muito apurados, sobretudo os de sucção, algo que será indispensável para mamar corretamente. No fim do último mês, o feto mede, em média, cerca de 50 cm e pesa entre 3 a 3,5 kg. Por fim, a sua cabeça encaixa-se na pélvis materna, de modo a preparar-se para o nascimento.

CARACTERISTICAS DO FETO 003:

Sexo: Feminino, Medida craniocaudal: 11 cm, Medida craniana: 14 cm, Medida podálica: 2,5 cm, Peso: 0,096g.

Provavelmente o feto analisado encontra-se na 16ª semana de gestação. O mesmo cabe na palma da mão. Suas feições estão bem definidas, porém a pele esta enrugada e o corpo magro. Neste período a genitália externa já pode ser reconhecida, sendo assim os ovários se diferenciam contendo folículos primordiais com ovogônias. O sistema respiratório esta se desenvolvendo, assim como a sua coluna vertebral, as orelhas estão pouco definidas e mais baixas que o normal, pés e mãos formadas e as unhas já começaram a aparecer na ponta dos dedos. O pescoço bem definido, e a cabeça diminuiu em comparação as semanas anteriores permanecendo ereta, com o padrão dos cabelos do couro cabeludo também determinado. Os ossos são visíveis através de raios-X. Já os olhos, embora estejam fechados, podemos observar que as pálpebras estão mais expressas.

CARACTERISTICAS DO FETO 006:

Sexo: Masculino, Medida craniocaudal: 16 cm, Medida craniana: 17 cm, Medida podálica: 3,2 cm, Peso: 0,257g.

Provavelmente o feto analisado, encontra se na 20ª semana de gestação, é nesta semana que ocorre a etapa de amadurecimento e funcionamento dos órgãos. Sexo definido, orelhas definidas, que provavelmente já consegue detectar alguns ruídos, pés e mãos bem formadas e unhas bem expressas. Os olhos embora ainda estejam fechados, podemos observar que as pálpebras estão expressas e provavelmente nesta idade o feto já responde bem aos estímulos luminosos. A lanugem começa a ser substituída por cabelo verdadeiro, enquanto que as sobrancelhas, cílios e o cabelo vão crescendo. Pouco a pouco ele vai tomando formas mais hormônicas, com a tendência de seu corpo se alongar. Inicia-se a formação vernix caseosa, (camada de gordura que cobrirá a pele para protegê-lo durante a vida intrauterina num meio aquático).

O feto apresenta uma malformação denominada gastrosquise; decorrente de um defeito na formação da parede abdominal. Esse defeito é caracterizado pela presença de uma abertura na região abdominal, tornando possível a extrusão de vísceras abdominais, como estômago e intestinos. Não há envolvimento do cordão umbilical. Geralmente essa anomalia aparece do lado direito e é mais comum em indivíduos do sexo masculino, iguamente ao feto 006.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

O objetivo desse trabalho foi realizar um estudo abrangente sobre o desenvolvimento fetal. Segundo algumas analises, constatamos que os fetos 003 e 006 são respectivamente da 16ª semana e 20ª semana de gestação.

O primeiro passo foi identificar as medidas: craniana, craniocaudal, podálica; o peso e o sexo, dos fetos que analisamos em aula prática. Em seguida, pesquisamos sobre o periodo que vai da 9ª semana a 38ª semana de gestação, tendo, portanto, uma base para destinguir-mos, atráves de deduções, em que semana cada feto estudado encontrava-se.

Apartir do resumo que realizamos, pudemos perceber que várias medidas e características externas são úteis para fazer uma estimativa da idade do feto. Até o final do primeiro trimestre, a avaliação do comprimento cabeça-nádega é o método de escolha para estimar a idade fetal, pois durante este período há muito pouca variabilidade no tamanho do feto. O peso do feto também é, com frequência, um critério útil para a estimativa da idade, mas pode haver diferença entre a idade e o peso de um feto, particularmente quando a mãe teve distúrbios metabólicos durante a gravidez. Nesse caso, frequentemente o peso fetal excede os valores considerados normais para o comprimento Cabeça-nádega.

Assim concluímos que para analisar em quais semanas encontram-se os fetos, tivemos que fazer diversas medidas e pesquisas relacionando as fases e características de cada período fetal. Facilitando dessa forma o entendimento em qual semana gestacional o feto pertencia.

3

Comentários