Alexander Fleming e os antibióticos

Alexander Fleming e os antibióticos

Alexander Fleming e os antibióticos

Em 1875 John Tyndall em um experimento com tubos de ensaio com carne, descobriu que bactérias não estavam despeças com uniformidade na atmosfera, porém observou que havia uma espécie de mofo o Penicillium que inibia a proliferação das bactérias, sete anos depois Robert Koch prova que bactérias podem causar doenças, sendo a mesma uma das principais causas de morte por infecção.

Alexandre Fleming em 1928 pode observar em um experimento com estafilococos a presença do mesmo esporo de Penicillium Notatum, redescobrindo a capacidade bactericida do mofo, denominado o mofo de Penicilina, Fleming realizou vários experimentos para detectar se o poder bactericida da penicilina era valido a todas as espécies de bactérias, concluindo-se que a variedade de estafilococos não se proliferava diante do peniccillium. A partir daí irrigou com soluções de penicilina um olho humano infectado, em um seio maxilar inflamado, obtendo sucesso; vencendo a infecção, Fleming não via possibilidades na Penicilina em ser uma droga quimioterápica, apenas como um germicida externo de feridas infeccionadas, no entanto desistiu do trabalho com penicilina para estudar características da lisozima, deixado apenas seu artigo de 1929 descrevendo suas propriedades sobre o conhecimento da penicilina. Alguns anos depois dois pesquisadores Chain e Florey juntamente com sua equipe e cientistas aprofundaram-se ao estudo de Fleming e através experimentos, e fizeram a descoberta da substancia antibacteriana mais poderosa até então conhecida a qual pudesse ser injetada com segurança em seres humanos, podendo chegar a todas as partes do corpo permitindo o combate a infecção onde quer que estejam sem efeitos colaterais danosos, impulsionando assim a produção da Penicilina em muitas companhias farmacêuticas.

Fleming, Florey, Chain receberam muitas homenagem títulos e prêmios pelo empenho e contribuição á medicina, a Penicilina mudou completamente o tratamento das infecções que antes era apenas superada pelo sistema imunológico, logo apareceram inúmeros antibióticos poderosos, importante para o tratamento de muitas doenças, porém que em situações de uso incorreto faz com que as bactérias criem resistência ao antibiótico, inclusive a Penicilina, tornando-se o processo infeccioso persistente ou até mesmo ineficaz, deixando clara a importância do uso correto de antibióticos apenas em infecções bacteriana e sobre prescrição medica.

Luzinha... amore, está muito bom, excelente, mas, tem que por algo sobre o autor do livro, oque ele fez quem ele é bem resumido.Se puder também aumentar um pouco a critica ficará ótima.

Comentários