Manejo Fitossanitário do Melão Irrigado

Manejo Fitossanitário do Melão Irrigado

(Parte 1 de 3)

Manejo Fitossanitário do Melão Irrigado Ibimirim, Inajá e Floresta - PE

Rita de Cássia Souza Dias

Embrapa Semiárido Junho 2012

Pág 15

A produção de melão no Brasil é estimada em cerca de 478 mil toneladas de frutos ano-1, em uma área correspondente a 18.870 ha (IBGE, 2010). Todas as regiões brasileiras produzem melão, sendo cerca de 94,3% no Nordeste, 5,1% no Sul, 0,5% no Sudeste, e 0,1% no Norte e Centro-Oeste (AGRIANUAL 2012).

Os estados do Rio Grande do Norte, Ceará e Bahia são os maiores produtores com, respectivamente, 50,6%, 32% e 7,6% da produção nordestina (IBGE, 2010).

Pág 15

A cultura do melão está sujeita ao ataque de mais de trinta doenças, que podem ser causadas por bactérias, fungos, nematóides e vírus. Além destas, o cultivo do melão também está sujeito a doenças de origem fisiológica provocadas por condições desfavoráveis ao desenvolvimento das plantas, como deficiência ou excesso de nutrientes, temperaturas muito altas ou baixas, luminosidade inadequada, falta ou excesso de água.

Pág 15

É importante que a doença seja identificada corretamente, de modo que se possa definir as melhores estratégias para seu controle.

Manejo fitossanitário

Pág 15

Fonte: Blancard et al., 2000

Tombamento de Mudas

É causado por fungos de solo, tais como Rhizoctonia solani, Pythium spp. e Phytophthora capsici. Estes fungos causam podridões de raízes e do colo da planta, podendo causar o tombamento das mesmas A doença é favorecida por temperaturas altas e alta umidade do solo.

Pág 122 Sintomas de Rhizoctonia solani no colo e raízes da planta

Fonte: Blancard et al., 2000 Mas também afeta o fruto de Rhizoctonia solani.

Sintomas causados por Pitiáceas (Pythium spp., Phytophthora spp.). Lesão de escura a negra, úmida, difusa progredindo no colo da planta de melão.

Fonte: Blancard et al., 2000

Foto: R. de C. S. Dias, 2012

secam das bordas para o centro

Oídio É considerada uma das principais doenças de parte aérea das cucurbitáceas. A doença é causada pelo fungo Oidium sp., cuja forma perfeita é o ascomiceto Podosphaera xanthii. Caracteriza-se pela parte aérea da planta apresentar-se coberta por um pó branco. Folhas muito afetadas, a iniciar pelas mais velhas,

Sintomas de oídio em planta de melancia.

Pág 15

Fonte: Blancard et al., 2000

Cancro-da-Haste ou Crestamento-Gomoso

É causada pelo fungo Didymella bryoniae. Embora possa afetar todos os órgãos da planta, o sintoma mais característico é quando o fungo infecta o colo da planta, provocando a sua murcha e morte. O local infectado apresenta uma rachadura ou cancro, por onde escorre uma goma escura, de tonalidade marrom . Quando a planta murcha, pode-se perceber a presença de pequenas pontuações pretas (picnídios) na região do caule próxima ao cancro. As manchas provocadas pelo fungo nos frutos são ovaladas, aquosas passando a escuras, onde são também observados os picnídios.

Sob alta umidade, as folhas também são afetadas, com formação de lesões grandes semelhantes àquelas provocadas por Alternaria cucumerina, que podem provocar desfolha intensa, resultando em drástica redução na produção.

Pág 15

Fonte: Blancard et al., 2000

Sintomas foliares de Didymella bryoniae.

Sintomas no colo da planta causado por de Didymella bryoniae.

Pág 15

Sintomas de Alternaria cucumerina (melancia)

Mancha-de-Alternária Causada pelo fungo Alternaria cucumerina.

Ataca exclusivamente as folhas mais velhas. Provoca manchas pequenas, marrom escuras, às vezes com anéis concêntricos. Quando as lesões coalescem, provocam uma “queima” da folha. Não é comum afetar os frutos.

Ocorre com mais freqüência em temperaturas elevadas (acima de 25 C), sendo favorecida pela presença de orvalho e irrigação por aspersão.

Pág 74

Fonte: Blancard et al., 2000

Sintomas foliares de Pseudoperonospora cubensis.

Fonte: Blancard et al., 2000

Míldio Ocorre em épocas de temperaturas mais amenas e é favorecida por alta umidade provocada por orvalho e irrigação por aspersão. É causada por Pseudoperonospora cubensis, fungo que ataca muitas outras cucurbitáceas.

Plantas afetadas apresentam inicialmente pequenas manchas angulares, amarelas e translúcidas, que tornam-se necróticas e provocam uma “queima” da folhagem

Pág 15

Sintomas de murcha de Fusarium oxysporum f. sp. melonis

Fonte: Blancard et al., 2000

Fusarium oxysporum f. sp. melonis Existe quatro raças do fungo. Este fungo é capaz de se manter no solo e nos restos vegetais por muitos anos. A nutrição mineral das plantas influi em sua sensibilidade a doenças. Alto níveis de adubação Nitrogenada favorece, enquanto que no aporte equilibrado de cálcio e potássio, observa-se menos plantas afetadas.

Ocorre em épocas de temperaturas frias ou mais amenas. As murchas e é favorecida por alta umidade provocada por orvalho e irrigação por aspersão.

Mancha-Bacteriana É uma doença causada pela bactéria Acidovorax avenae subsp. citrulli, transmitida pela semente, que pode causar grandes perdas sob clima quente e úmido.

Embora possa causar sintomas nas folhas, os sintomas mais característicos ocorrem nos frutos, onde provoca mancha encharcada na casca, que evolui para o interior do fruto, apodrecendo-o.

Medidas Gerais de Controle de Doenças Fúngicas e Bacterianas

(Parte 1 de 3)

Comentários