Manual Prático de Gestao Imobiliaria

Manual Prático de Gestao Imobiliaria

(Parte 1 de 2)

ADRIANO BIANCONI – TGI – 2008 PROJETO:

1- ATUAÇÃO DO GESTOR IMOBILIÁRIO, SUAS RESPONSABILIDADES E SUA ÉTICA PROFISSIONAL. Textos e livros: Problemáticas da ética. E dimensão holística da ética. . Legislação prática: CRECI, CONFECI.

Seja um líder de verdade: John Haggai

2 - ANGARIAÇÃO OU CAPTAÇÃO DE IMÓVEIS NO MERCADO. Textos e livros: A arte de angariar. Manual do CRECI, CONFECI.

“Os métodos de administração de Jesus”. Bob Briner.

O uso da internet “alkasoft” e Prefeitura Municipal. Na angariação. Apostila de Avaliação de imóveis.

3 - VENDA DE IMOVEIS: Métodos usados.

Cooperativismo imobiliário

Livro: Marketing do século- XXI. Philip kotler

4 - DOCUMENTAÇÃO IMOBILIÁRIA:

Certidões. Após efetuada á venda. Apostilas de Treinamento de Tabelionato de Notas

Órgãos específicos IBAMA e IAP

Uso do plano Diretor da cidade. Estatuto das cidades

5 - CONCLUSÃO: Apoio e Pós-venda

Fidelidade de clientes Considerações finais

1- ATUAÇÃO DO GESTOR IMOBILIÁRIO, SUAS RESPONSABILIDADES, E SUA ÉTICA PROFISSIONAL.

Praticamente o gestor imobiliário surgiu como mediador de negócios,pois o homem passou de nômade para um território fixo, teve o surgimentos das cidades, povos, as construções de casas ,os tempos foram passando, e logo depois da idade média com o fim do feudalismo surgimento do capitalismo, da propriedade privada, juntamente os cartórios de registro e tabelionatos, teve-se á necessidade de organizar essa sociedade. Nasce o mediador de negócios, depois o corretor de imóveis que recebe pelo serviço de aproximação das partes interessadas em comprar e vender e hoje na vida moderna o gestor imobiliário um prestador de serviços capacitado para gerir negócios imobiliários com responsabilidades e regulamentada pela lei 6.530/78 no Brasil. O gestor imobiliário é mais que um vendedor de imóveis ou um consultor de boas compras, é um profissional eficaz que tem a responsabilidade naquilo que está gerindo. Este manual não é simples, nem superficial, mas busca respostas para executivos e empresários da área. Explora os recursos das ciências naturais e sociais mostrando que é uma profissão muito complexa onde o gestor tem, de organizar, ter visão, encontrar soluções para problemas, compreender as culturas, costumes, ter o conhecimento de mercado e organização de tempo. Saber se relacionar em todas as situações com ética sempre onde se exige competência e ousadia, ajudando a sociedade com seu conhecimento de causa. Este manual vai desde á legislação que rege nossa profissão até os documentos necessários para o fechamento de uma venda e seu trabalho de pós – venda, mostrando nossa responsabilidade na arte de gerir imóveis e organizar espaços urbanos com planejamento. O mercado imobiliário exige cuidados como o problema do lixo, o uso da água das chuvas, e posição solar para que se tenha um imóvel que respeite o meio ambiente e todas as normas do plano diretor de cada cidade, fazendo com que esses imóveis sejam mais agradáveis sustentáveis e com ótimas condições de moradia. As construções estão mudando, e os consumidores também, o novo gestor imobiliário deve seguir novas tendências e exigências desse mercado. Evoluindo e inovando o mercado com a felicidade de colher bons frutos. O gestor imobiliário pode exercer carreira em imobiliárias, como profissional liberal, em órgãos de prefeituras na parte urbanística, em empresas de fins sociais para regularizações fundiárias e conflitos de terra. À Ética (1) na profissão: difícil definir ética, mas tradicionalmente é entendida como um estudo ou uma reflexão filosófica científica eventualmente até teológica, sobre ações e costumes humanos. Mas também chamamos de ética á própria vida, quando conforme os costumes considerados corretos e ações tomadas por seres humanos. Exemplo: Os costumes mudam e o que ontem era considerado errado, hoje pode ser aceito pela sociedade, e isso acontece até mesmo dentro de um país, assim como os indígenas que andam nu nas tribos o que é normal ,já na cidade de São Paulo não seria aceito certo ,ou até que todos andassem assim e depois de um tempo seria normal andar nu em plena capital paulista. Não seria nada mais do que um comportamento adequado aos costumes vigentes, e enquanto vigentes, isto é, enquanto estes costumes tivessem á força para coagir moralmente.

O que aqui quer dizer, socialmente. Quer dizer que, quem se comporta de maneira discrepante, divergindo dos costumes aceitos, e respeitados, estaria no erro pelo menos enquanto a maioria da sociedade não adotasse o comportamento ou costume diferente. Quer dizer esta ação seria errada, apenas enquanto ela não fosse o tipo de um novo comportamento vigente. Na profissão do gestor imobiliário não é diferente temos de agir de forma a sociedade e nossos companheiros de profissão exercem, fazendo um trabalho sério e eficaz. Seguindo os princípios normativos da sociedade e boa convivência social. (Segundo Kant, (2) “A grandeza do ser humano não reside na técnica, em subjugar a natureza, e sim na ética, na capacidade de se autodeterminar á partir de sua liberdade. Há em nós um senso inato do dever e não deixamos de fazer algo por ser pecado, e sim por ser injusto. E nossa ética individual deve se complementar pela ética social, já que não somos um rebanho de indivíduos, mas uma sociedade que exige boa convivência normas e leis e, sobretudo cooperação de uns com os outros.”). Segundo a resolução do COFECI – Conselho Federal dos Corretores de Imóveis nº. 326/92 Aprova o Código de Ética Profissional dos corretores de Imóveis “Ad referendum” no uso das atribuições que são conferidas pelo artigo 10, item VIII do decreto nº. 81.871, de 27 de junho de 1978. O gestor imobiliário rege conforme a legislação do CRECI: conselho regional de corretores de imóveis, pela regulamentação da lei n° 6.530/78, que regulamenta a profissão de corretor de imóveis, disciplina o funcionamento e seus órgãos de fiscalização e dá outras providências. Friso aqui o Art. 3º da lei nº. 6530 de 12 de maio de 1978. Que diz: “compete ao corretor de imóveis exercerem a intermediação na compra , venda , permuta e locação de imóveis podendo, ainda, opinar quanto á comercialização imobiliária”. Então o gestor imobiliário tem seu órgão regulador que diz ainda quanto á competência para opinar sobre a comercialização imobiliária, ou seja, avaliar imóveis como parecer técnico de avaliação mercadológica, segundo o código de defesa do consumidor brasileiro, Art. 39, VIII da lei nº. 8.078/90 que impede o fornecimento de serviços em desacordo com as normas expedidas pelos órgãos oficiais competentes ou, na sua inexistência , com as diretrizes das normas técnicas da Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Considerando a normalização, pela ABNT, dos procedimentos gerais na avaliação de bens através da norma NBR 14653-1, e das avaliações de imóveis urbanos e rurais através das normas NBR 14653-2 e NBR 14653-3 respectivamente. Considerando que as grades curriculares dos cursos de avaliação de imóveis e superiores em gestão imobiliária incluem disciplinas em que são ministrados os conhecimentos necessários á elaboração de Parecer Técnico de Avaliação Mercadológica. Cria-se o CNAI, Cadastro Nacional de Avaliadores de Imóveis. Que é opcional, mas de grande valia para o corretor de imóveis em atuação. Antes de atuar use a Legislação Prática do corretor de imóveis, para o uso diário das atribuições do corretor. O símbolo do corretor de imóveis é o Colibri, pelo seu incansável trabalho que faz. O Gestor Imobiliário deve exercer de forma consciente com competência de um líder mostrando um desempenho excelente tendo princípios de visão, estabelecendo metas colocando princípios éticos e de comunicação, investimento no que estiver fazendo, observar oportunidades ter o poder de persistência e também o poder da conscientização, para chegar a sua excelência.

O mercado está em constante mudança como já disse e devemos estar sempre atualizados por que a informação é nossa grande ferramenta. Mas a ação ainda é a melhor maneira de se sair bem em qualquer negócio. Uma vez Henry Ford disse: “Recuso-me a reconhecer quaisquer impossibilidades”. Não deixemos que o Gestor Imobiliário se preocupe com o resultado final de seu trabalho, qualquer que seja ele feito. Se ele se mantiver ocupado resolvendo todas as questões que lhe cercam no negócio, pode deixar o resultado final entregue a si mesmo. E com toda certeza ao final verá que obteve sucesso.

(1) Ética: Do grego “Ethos” modo de ser. (2) Immanuel Kant: Filósofo alemão 1724-1804. Relativismo, Pós-modernismo.

2- ANGARIAÇÃO, OU CAPTAÇÃO DE IMÓVEIS NO MERCADO.

corretor que está exercendo função em imobiliária de compra e venda

Angariação ou captação de imóveis no ramo imobiliário é uma das principais, se não a principal função de um gestor imobiliário nesse ramo. Ao sair para procurar imóveis que estão á venda ou buscá-lo na internet o que hoje é comum e conseguir angariar imóveis em programas como o alkasoft (3) , que é instalado em alguns cartórios de registros que facilitam a vida do corretor de imóveis, com esse programa o corretor consegue pelo número da matrícula do imóvel, ou pelo nome do proprietário saber se ele possui um imóvel na cidade procurada, agora se o cartório da sua cidade não possui esse programa, outra maneira de saber quem são os proprietários é a prefeitura de sua cidade. Procure o urbanismo de sua cidade e pelas plantas que a cidade possui, Usando a planta , número de quadra e lote você saberá pelo pagamento de Imposto predial territorial urbano-IPTU (4), quem é o proprietário do imóvel. Daí é ir à lista telefônica e correr atrás de seu contato. Digo aqui corretor, porque, a angariação e venda de imóveis, vai diretamente para o A angariação é que dá o início ao relacionamento entre proprietário do imóvel, corretor, e imobiliária. Não só faz com que o corretor conheça o imóvel, mas também seu proprietário observando as necessidades deste cliente na venda. A angariação é importante porque o bom negócio depende principalmente do bom preço de captação deste. Lembre-se ninguém vende alguma coisa se ela mesma não o compra. No mundo dos negócios imobiliários não é diferente, bons produtos adquiridos pelo preço de mercado e em boas condições de pagamento, são garantia de bons negócios e boas vendas. E saiba sempre que não é simplesmente uma venda, mas um relacionamento em longo prazo que você faz com seu cliente, porque somos também realizadores de sonhos e estes nunca se esquecem de você, pelas boas ou más experiências adquiridas. Um bom angariador tem de ter persistência, iniciativa, autoconfiança, e muita dedicação ao trabalho, deve passar ao proprietário confiança e autoridade no que está dizendo á respeito de seu imóvel, porque é o angariador que vai estipular o preço do imóvel, e dizer o porquê, deste valor ao proprietário, usando as ferramentas de avaliação que lhe cabem. O gestor imobiliário deve sempre estar em contato com os proprietários de imóveis os informando como anda o mercado e seus preços, sem incomodá-los, resolvendo as necessidades do cliente com inteligência. Deve guardar os contatos de todos os clientes que já vendeu,ou comprou um imóvel com você, pois estes também um dia podem querer vender novamente estes imóveis e serão angariados. Um dos procedimentos básicos de angariação é: - Ter informações sobre a oferta de produtos similares naquela região onde está angariando. - A faixa de preço do metro quadrado na região.

- O valor do CUB (5). Indexador imobiliário que está nos jornais todos os dias.

- Características de demandas que estão nessa região.

- A velocidade das vendas e locação nesta área. - Como é a região deste imóvel, se existe boa infraestrutura. Saiba que você deve ser o maior conhecedor daquele produto, o cliente quer um especialista para atendê-lo. Tenha sempre em mãos material necessário para a coleta de todos os dados possíveis do imóvel que você está angariando. Hoje é indispensável máquina fotográfica, papel e caneta para descrever o imóvel. O proprietário sempre sabe quanto mais ou menos está valendo seu imóvel, o que o angariador deve passar é seu conhecimento imobiliário, portanto é necessário passar todas as informações necessárias ao cliente para que ele tenha segurança de estar recebendo um atendimento personalizado e consciente. Quando você deseja vender o imóvel de alguém, a primeira pergunta que o cliente faz é: “Quanto você acha que vale meu imóvel?“ Então, o angariador deverá fazer uma avaliação deste imóvel, e vale lembrar que avaliação implica em todos os quesitos vistos no capítulo anterior. È um parecer de mercado, mesmo quando é apenas uma angariação para o cliente saber se está vendendo seu imóvel com o preço compatível de mercado, ou quer deixar para a venda, se não para questões judiciais, o gestor deve estar preparado para dar estas informações, ou consulta. O gestor deve estar a par das considerações do valor deste imóvel, como padrão construtivo, posição solar, área útil construída, os recursos tecnológicos deste imóvel se forem construções novas e tudo aquilo que já foi explicado para se chegar á um valor que possa ser vendido. Para ser um bom avaliador além de bons cursos oferecidos no mercado para formar angariadores como avaliador de imóveis necessita muita pesquisa de mercado. O angariador deve levar em conta todas as observações e fazê-lo da melhor maneira para que não atrapalhe o mercado, tanto depreciando quanto inflacionando. A captação é feita em base de pesquisas tanto de preço como padrões construtivos. Pesquisa de imóveis que estão em alta e com grande demanda, estar atento “em que?” o mercado está procurando, desejando e correr atrás destes imóveis. Deve identificar as tendências e saber tudo sobre o que está acontecendo no mercado de imóveis. Quanto à especulação imobiliária geralmente é feita por pessoas que não entendem de mercado imobiliário, e isso é cruel para os profissionais sérios que sabem o real valor dos imóveis no mercado. Quem angaria por um preço alto e fora do valor de mercado somente para agradar o cliente verá a dificuldade que é na hora de vendê-lo e podendo não vendê-lo ficando mal visto por seu cliente. Então faça o trabalho correto, que imóveis bem angariados serão bem vendidos. Tenha um plano de angariação, prepare-se antes de sair para angariar, saiba valores, esteja preparado, estabeleça metas, faça uma programação de onde vai angariar, estude o imóvel antes de falar com o proprietário, tenha boas informações e verá que quando o encontra-lo a angariação será mais fácil. Saiba o angariador é o fomentador da vida do vendedor, então aquele que tiver mais imóveis á venda disponíveis em sua carteira de clientes terá também sucesso profissional, pois terão pessoas vendendo seus imóveis, o começo de qualquer coisa é complicado, mas depois que o gestor tiver imóveis bons e com bons preços terá também um time de vendedores trabalhando para ele. Então: Angariação= informação de mercado + contatos com proprietários. Gera: Captação de imóveis para venda nas imobiliárias.

Pense que o mundo do mercado em qualquer que seja ele, sempre terá alguém querendo comprar e sempre alguém querendo vender, basta ter o preço ou valor correto de mercado. A angariação é o processo mais difícil para o corretor de imóveis, porém quem se arrisca nesse mercado e sabe avaliar corretamente imóveis, terá sucesso certamente na profissão. (3) Alkasoft-software jurídico de uso dos cartórios de registros de imóveis. (4) IPTU-Imposto Predial Territorial Urbano. (5) CUB-Indicador de custos do setor da construção civil, órgão governamental que indica o valor do m² da construção civil, diariamente.

3 - VENDA DE IMÓVEIS SEUS MÉTODOS E NOVAS IDÉIAS.

mercado competitivo de forma diferente?

A venda de imóveis não é muito diferente de outros produtos, tudo se baseia na oferta e demanda destes. Mas se temos vários produtos com qualidades e preços semelhantes, como vender? Quais os métodos usados hoje nas imobiliárias? Como fazer a mesma coisa num Vamos entender o mercado, e então, responder estas perguntas, certo? A venda é feita de bens tangíveis e intangíveis, no imóvel um bom exemplo disso é: -Uma casa ou um apartamento pronto em que à pessoa entra no imóvel, pode considerar um bem tangível. - Uma casa ou um apartamento na planta, é considerado intangível. E como se vende?

Se vende um bem tangível como intangível, e um bem intangível como tangível. Parece engraçado, mas venda é isso, além do cliente ver aquilo que está comprando ele quer algo mais, uma futura valorização, que o faça desejar aquele imóvel. E as pessoas compram mais por emoção que pela razão, isto é explicado de maneira simples por Philip Kotler (6), sobre os quatro PS do marketing que é Produto, Preço, Promoção, Praça. Hoje as vendas são feitas pessoalmente junto com o cliente, por telefone, ou pela internet. O que surgiu de novo no mercado imobiliário é a nova praça indispensável que é a internet. Hoje mais do que nunca para fazer uma pesquisa de avaliação, e principalmente para vender tem de estar na internet, depois de feita a captação do imóvel, o corretor faz as fotos do imóvel, põe a placa de venda constando o número do CRECI (7) do responsável, e põe as fotos no seu site, e espera sua venda. Mas é importante conhecer seus clientes e o que eles pensam e querem saber as tendências de mercado e estarem atentas às tendências de estilo de vida, que, Faith Popcorn (8) explica: E que aplicado aqui nos imóveis na hora de vender, vemos umas tendências interessantes: “Retorno ás origens: Aquele impulso das pessoas de mudar de vida para um ritmo mais lento, porém gratificante. A saída dos centros urbanos para áreas de campo como hoje temos os eco vilas ou condomínios fechados com cara de fazenda com escolas seguras e ar limpo”. “Manter-se vivo: que diz respeito àquelas pessoas que tem por objetivo uma vida mais longa e saudável e descobriram que como estão vivendo este estilo de vida pode matálos, e resolve mudar”. Estas são duas coisas interessantes que vemos no dia a dia das vendas de imóveis, além é claro do essencial a moradia ou casa própria é o maior sonho das pessoas. Mas para o corretor realmente fazer uma venda, sabendo que o cliente compra pelas emoções, mas que ele também tem consciência daquilo que está comprando o vendedor deve conhecer bem o imóvel que está vendendo , conhecendo o que no mercado leva o nome de: Declaração Geral de Benefícios. DGB. O Que é isso?

Não vejo quem use tanto isso que as indústrias farmacêuticas que aplicam DGB ininterruptamente, talvez por isso as pessoas tenham esquecido um pouco os genéricos, pois falam tanto dos benefícios de um remédio que esquece sua fórmula. Exemplo: Características – um imóvel novo recém-lançado tem piscinas e uma série de coisas que se esquece de ver o apartamento. Benefícios – O que essas características podem trazer para o cliente? – Ele não terá problemas tão cedo com partes elétricas ou hidráulicas. Vantagens – Destacar mencionando as vantagens dos benefícios para o cliente e também com relação aos concorrentes. Como os materiais usados são mais modernos e melhores. Desvantagens – Deve –se saber também as desvantagens para treinar argumentações no intuito de contornar objeções levantadas por clientes e concorrentes. Objeções possíveis como: “Nossa é muito caro!”. Argumentação do vendedor: É a resposta para vencer e contornar com inteligência as objeções dos clientes. Eu diria que é um preço justo para tantos benefícios e vantagens que este imóvel pode proporcionar a você. A “DGB” (9) é uma ferramenta para identificar quais os benefícios que atendem ás necessidades dos clientes e os sinais de compra. Afinal deve conhecer o produto que está vendendo antes de oferecê-lo á alguém. A maioria das imobiliárias hoje com exceção das grandes franquias ainda não usa essas ferramentas não porque são caras, mas porque exigem certa organização administrativa e disciplina. Hoje se vende imóvel da mesma forma como se vendia á trinta anos atrás, mas com a ajuda da internet. Com pesquisas vemos que muito pouco se evoluiu nos relacionamentos entre imobiliárias e corretores de imóveis profissionais liberais e clientes compradores ou vendedores. Quando explico novas ideias, ou tendência refere-me a um novo mercado para á Gestão Imobiliária, o sistema cooperativista que ainda é desconhecido no meio, ouve-se muito em parcerias entre imobiliárias, mas estas sempre estão em frequente atrito e este meio está cada vez mais fracassado, com o surgimento da internet e sites de vendas de imóveis, basta apenas um ponto comercial para todos os corretores de imóveis de uma cidade pois o fluxo de vendas vem dos sites da internet. Todos podem ser independentes e participar de uma cooperativa de imóveis onde todos pode vender um imóvel captado por um corretor. È uma tendência que vai surgindo após a abertura de tantas pequenas imobiliárias e depois de um tempo com altos custos de manutenção os seus fechamentos. Basta um site, um ponto, e vários corretores associados como uma bolsa de valores, mas imobiliários tornando um mercado único. Então vemos que um Gestor Imobiliário trabalhando nas vendas de imóveis deve saber: Como as pessoas compram? Porque compram? Saber tudo sobre o imóvel que está vendendo. Conhecer o imóvel. Saber as tendências tanto de vida como de mercado imobiliário. Saber como as imobiliárias de sua cidade estão trabalhando. Saber como usar de formas corretas e a internet para melhorar suas vendas. Aprender a trabalhar no sistema cooperativista. Estudar sobre marketing imobiliário.

Estudar novos serviços que agradarão seus clientes. Estudar as crises de mercado porque é nas crises que se fecham mais negócios, basta entende-las. Um bom exemplo disso é a crise energética brasileira de 2008 e a crise imobiliária norte americano em 2008 -2009 nelas surgiram empresas que estão lucrando com esses problemas. São as fábricas de geradores micro eólicas para casas economizarem energia elétrica e empreendimentos imobiliários mais baratos e sustentáveis, com captações de águas das chuvas para aproveitamento das mesmas com menos gasto tanto de água como energia elétrica mostrando que nas crises também existem oportunidades. O mercado de compra e venda de bens e serviços são o mesmo desde os tempos antigos, vemos surgir novidades e as informações nos levam á frente, mas o bom vendedor precisa ser capaz de ouvir mais, para saber mais sobre: Seu cliente. Seu negócio e seus problemas. Ter conhecimento do produto ou serviço que vende. Preocupado com todos os detalhes. Saiba que estamos falando de venda de imóveis um mercado muito grande e que gira muito dinheiro, só no Brasil é quase vinte por cento do PIB-Poduto Interno Bruto, isso que estamos falando é de bilhões de reais, então vale a pena organizar-se para atender o cliente da melhor forma possível, afinal a melhor motivação de uma boa venda com a satisfação do cliente é também a comissão vinda com seu trabalho.

(6) Philip Kotler – Chicago 27 de maio de 1931. Marketing –MIT –USA. (7) CRECI – Conselho Regional dos Corretores de Imóveis. (8) Faith Popcorn – Nova York 1 fevereiro 1947. Marketing – Universidade de Nova York. Tendências de mercado. (9) DGB – Declaração Geral de Benefícios.

4 - DOCUMENTAÇÃO IMOBILIÁRIA.

Quais são?

Depois de efetuada a venda do imóvel, ambos os as partes assinado o compromisso de compra e venda e também efetuado o sinal de negócio e princípio de pagamento o gestor imobiliário, deve correr atrás dos documentos necessários para fazer a escritura e também o registro do imóvel para o novo proprietário. O gestor pode deixar para um despachante, já que à custas das certidões sempre são por conta do comprador,ou ele mesmo fazer este trabalho. E onde estão estes documentos? Na verdade existem muitas certidões e documentos, depende muito do cartório de registro ou geralmente dos bancos que estão financiando o imóvel e estes pedem diferentes certidões. Veremos quais são elas, o que é uma Escritura Pública, o que é Registro de Escritura? O QUE É ESCRITURA PÚBLICA? É o instrumento público de contrato ou de declaração celebrado entre uma ou mais pessoas e lavrado por um tabelião ou pessoa e ele equiparada. Faz-se Escritura pública para dar validade ao ato jurídico, que é exigido por lei, e para proporcionar maior segurança ás pessoas que a formalizam, pois o tabelião tem responsabilidade legal e formal para sua lavratura. Na Escritura Pública do imóvel constará o antigo proprietário, o novo proprietário, a descrição do imóvel como numero de matrícula e sua localização com as metragens e também com o preço que foi negociado. É um documento público, portanto todos têm acesso podendo tirar uma certidão atualizada constando inclusive ônus no tabelião, cartório onde a mesma foi lavrada. Existem vários tipos de escrituras á exemplo: Escritura Pública de Cessão de Direitos de Compromisso de Compra e Venda. É a Escritura em que o compromissário comprador, cedente, cede e transfere ao novo comprador, Cessionário, todos os direitos, vantagens, e obrigações do compromisso de compra e venda firmado pelo proprietário do imóvel, Assim o cessionário toma o lugar do cedente para posteriormente receber a escritura de compra e venda diretamente do proprietário. Para se fazer uma Escritura Pública são exigida algumas certidões no cartório cível onde será lavrada essa escritura.Da parte de quem está vendendo o imóvel exigem várias certidões, já que ,quem está comprando apenas deverá declarar onde conseguiu o dinheiro para adquiri-lo para a receita federal. São exemplos de tipos de Certidões: Tipos de Certidões: 1° - Arrestos, Penhoras e Seqüestros: Confirma ações judiciais entre as partes exeqüentes e executadas.

Onde se tira essa certidão? 2° Distribuidor. No FÒRUM. 2° - Cível: Mostra todas as ações admitidas pelo código de processo Civil, processadas nas diversas varas cível e comercial.

Onde se tira essa certidão? 2° Distribuidor. No FÒRUM.

3° - Criminal: Mostra todas as ações admitidas pelo código de processo penal, processadas nas diversas varas criminais.

Onde se tira essa certidão? 2° Distribuidor. No FÒRUM. 4° - Execução Fiscal: Mostra se há processos em curso as três instâncias fiscais – Federação, Estados e Municípios.

Onde se tira essa Certidão? 1° Distribuidor. No FÒRUM.

5° - Falências e Concordatas: Declara se existem processos contra a pessoa jurídica em questão.

Onde se tira essa Certidão? 1° Distribuidor. No FÒRUM. 6° - Insolvências: Declara se existem processos contra a pessoa física em questão.

Onde se tira essa Certidão? 2° Distribuidor. No FÒRUM. 7° - Interdição, Tutela e Curatela: Declara ações civis sobre a pessoa interessada.

Onde se tira essa Certidão? 2° Distribuidor. No FÓRUM. 8° - Justiça do Trabalho: Declara se há processos reclamatórios contra a pessoa física ou empresa em questão.

Onde se tira essa Certidão? NA JUSTIÇA DO TRABALHO. 9° - Negativa da União: Declara se há processos em execução tributária contra pessoas físicas e jurídicas.

Onde se tira essa Certidão? Pela Internet. Site da Receita Federal. 10° - Protestos: Declara se há títulos protestados em nome da pessoa física ou jurídica naquela comarca.

Onde se tira essa certidão? 3° Distribuidor. No FÓRUM. 11° - Receita Estadual: Declara se há processos de execução tributária contra pessoas físicas e jurídicas.

Onde se tira essa Certidão? Pela Internet, no site da Receita Estadual. 12° - Justiça Federal: Declara se há processos cíveis ou penais da competência do foro federal.

Onde se tira essa Certidão? Pela Internet no site da JUSTIÇA FEDERAL. 13° - Receita Federal Tributos: Declara se há processos de execução tributária contra pessoas físicas e jurídicas.

Onde se tira essa Certidão? Pela Internet no site da RECEITA FEDERAL. 14° - IAP: Declara da possibilidade ou impossibilidade legal para atos negociais.

Onde se tira essa Certidão? Pela Internet no site do IAP-Instituto Ambiental do Paraná. Isso no caso de imóvel no Paraná já que é um órgão estadual. 15° - Prefeitura Ônus, IPTU: Declara se há ônus relativos à inscrição de débito tributário do imóvel responsabilizando o proprietário. Onde se tira essa Certidão?

Na prefeitura onde está o imóvel, na área de habitação e ocupação de solo. 16° - ÔNUS: É a Certidão que mostra se há (positiva) ou não (negativa) ônus reais ou ações reipersecutórias sobre o imóvel.

Onde se tira essa Certidão? Esta certidão se tira junto com uma matrícula atualizada do imóvel vendido basta pedir uma MATRÍCULA ATUALIZADA COM ÔNUS. No Cartório de Registro de

(Parte 1 de 2)

Comentários