Circulação vertical

Circulação vertical

Disciplina: Desenho Arquitetônico Data:

Professora: Tatiana Moura Turma:

Aluno (a):

CIRCULAÇÃO VERTICAL

Escada

É uma construção com uma série de degraus que tem a função basica de promover a circulação vertical. Sua forma, quantidade de lances, patamares, desenho do guarda-corpo e outros, são funções dos condicionantes de segurança, das implicações técnico-construtivas, o espaço disponível e os objetivos plásticos do arquiteto. O importante é que seu deslocamento seja executado de maneira segura e confortável. Para isso, é fundamental que os elementos da escada sejam dimensionados corretamente e que sigam as recomendações e adequações das legislações vigentes, dos órgãos competentes de cada município (Código de Obras, Código de Posturas e as Normas de Proteção Contra Incêndio).

A decisão por um modelo ou outro da escada fica por conta do arquiteto, desde que esta siga todos os padrões exigidos pelas legislações vigentes. Veja a seguir, o croqui, de alguns exemplos de diferentes tipos de escadas:

D.

D.

Planta Baixa - Escada em U

Planta Baixa - Escada Helicoidal

S.

Planta Baixa - Escada em L c/ patamar

S.

Planta Baixa - Escada de Tiro c/ patamar

Obs.: As escadas além de terem uma imensa variedade em termos de plantas baixas elas ainda podem variar em relação aos materiais escolhidos e em termos de modelos de degraus: inclinados, retos, vazados, fechados, em balanço, etc. Veja a seguir alguns exemplos:

DIFERENTES MODELOS DE ESCADAS

Elementos da escada

- Espelho (e): 16cm – 18cm (altura do degrau)

-

(p)

Piso (p) : 25cm – 30cm (profundidade do degrau)

- Guarda corpo: 90cm – 1.10m

(e)

-

(L)

Corrimão: 5cm – 7cm (no minimo afastado da alvenaria)

- Patamar (area de descanço): deve seguir a largura da escada e é obrigatorio para construções com pé-direito ≥ 2.75m ou acima de 16 espelhos.

Obs.: os valores indicados aqui para a altura do degrau (e) e a sua profundidade (p), são medidas que estão enquadradas dentro de determinados valores limites e a relação entre estes dois elementos estão adequados ao passo médio das pessoas.

Largura minima da escada (L): referente ao espaço de livre circulação, após a inserção do corrimão

- Circulação para 1 pessoa: 60cm – 80cm

- Circulação para 2 pessoas: 1.20m – 1.50m

- Circulação para 3 pessoas: 1.50m – 1.80m

Obs.: O corrimão e o guarda-corpo são optativos em construções residenciais. Porém, em edificios ou espaços publicos devem, obrigatoriamente, aparecer dos dois lados da escada.

Calculo da escada:

- A escada deve ser calculada levando-se em consideração a altura do pé-esquerdo (pé-direito + laje) ou a altura do desnivel que se deseja vencer. É importante lembrar que, parar uma escada ser ergonomicamente confortavel, a altura do espelho é o fator principal.

Por exemplo: para calcular quantos (n) espelhos necessita-se para vencer o vão total, basta dividir o pé-esquerdo pela altura desejavel do espelho.

- pé-direito: 2.60m pé-esquerdo = 2.75m n = 2.75 / 0.16 arredondando-se:

- laje: 0.15m considerar: e = 0.17m n = 16,17 n = 16 espelhos

Obs.: Deve-se arredondar o valor de “n” pois, a quantidade de espelhos tem que ser um numero inteiro. Lembrar que a quantidade de degraus é igual a “n” – 1 pois, o ultimo espelho é referente ao piso do outro pavimento.

Como o valor foi arredondado, é necessario refazer o calculo para identificar a nova altura do espelho. Portanto:

e = 2.75 / 16 então: e = 0,1718m ou 17.18cm

Agora, devemos jogar o valor de “e” obtido dentro da formula de Blondel para definir a profundidade de piso (p).

Formula de Blondel (utilizada pelo corpo de bombeiros): 63 ≤ 2e + p ≥ 64

63 ≤ 2 (17.18) + p ≥ 64 63 - 34.36 ≤ p ≥ 64 - 34.36

63 ≤ 34.36 + p ≥ 64 28.64 ≤ p ≥ 29.64

Para execução correta desta escada, a profundidade do degrau (p) pode variar entre 28.64cm e 29.64cm.

D

S.

2

3

4

5

6

7

8

9

14

12

11

10

13

Patamar

+1.50

1

15

ica
: Tente evitar a altura do espelho muito “quebrada”. É preferivel que a altura do pé-direito fique “quebrada” por isso, as vezes é necessario rever o pé-direito da obra para ajustar a altura dos espelhos da escada.

Outras informações:

- Sempre indicar na planta baixa o sentido de subida ou descida da escada;

- Numerar todos os degraus da escada nas planta baixas (iniciar a numeração pelo sentido de subida – pavimento térreo);

-

Planta Baixa Escada – Pav. Térreo

Caso, haja patamar, indicar uma cota de nivel no mesmo;

- Na planta baixa (pav. térreo), a escada deve aparecer em projeção a partir do degrau que indique a altura acima de 1.50m;

- Na planta baixa do pavimento superior numerar os degraus da escada c/ a mesma nomeação do pavimento térreo.

- Na planta baixa do pavimento superior a escada aparece toda c/ traço continuo e fino

- Nos cortes, a parte da escada que esta sendo cortada deve ter o traço forte e a parte em vista o traço fino;

- Tente sempre proporcionar uma escada com iluminação natural.

- O espaço mínimo que deve haver entre a parede (ou qualquer outro obstáculo) e o inicio e o fim da escada é de 60cm, afim de proporcionar o acesso da pessoa a escada.

- No pavimento superior, não se esqueça de inserir algum tipo de proteção para que a pessoa não caia na escada (parede ou meia parede ou guarda-corpo).

- Normalmente, o patamar tem a profundidade da largura da escada (espaço livre de circulação).

Rampa

P

Observe nesta imagem como a rampa ocupa um espaço bem maior que a escada para vencer o mesmo vão

lano inclinado que tem por objetivo promover o deslocamento vertical. É um tipo de circulação que pode ser utilizado por pessoas e veículos, mas pelo fato de ocupar muito espaço físico muitas vezes opta-se pelo uso de escadas e elevadores, ao invés da rampa.

Considerar os seguintes valores de inclinação para o calculo de uma rampa:

- Pedestres: 8% (usual), 7% (cadeirantes) e 10% situação limite (deve ser evitado)

- Veículos: 10% a 13% (usual), 5% (rampas longas) e até 20% para rampas muito curtas

Obs.: Quanto menor a inclinação de uma rampa mais confortável ela será. A rampa é considera confortável, para o cadeirante, quando o mesmo conseguir subi-la sozinho.

Assim como a escada, existem vários modelos de rampa e estas também deve conter guarda-corpo e patamares. E devem seguir os mesmos padrões de dimensionamento para sua largura, indicar o sentido de subida, cota de nível no patamar, etc.

Calculo da rampa:

Com a inclinação (i) da rampa e a altura (h) a ser vencida por ela, tem-se o seu comprimento (C).

C = h x 100

i

Obs.: O patamar deve ser acrescido ao comprimento da rampa.

Exemplo: Qual é o comprimento de uma rampa para vencer uma altura de 3.00m (pé-direito = 2.85 + laje = .15) e inclinação de 8% ? Considerar largura da rampa 1.50m e patamar também com profundidade de 1.50m.

C = 3.00 x 100 = 37.50m

8

P/ rampa de um lance ou P/ rampa de dois lances

C total = C + patamar ou C total = C/2 + patamar

C total = 37.50 + 1.50 = 39.00m C total = 37.50/2 + 1.50

C total = 18.75 + 1.50 = 20.25m

C total = 20.25m

Patamar

+1.50

D.

i = 8%

Planta Baixa Rampa de Dois Lances – Pav. Superior

1° Pav.

+ 3.00

Nivel

Elevação Rampa de Dois Lances – c/ peitoril de alvenaria

0.00

PARA SABER UM POUCO MAIS SOBRE AS NORMAS DE ACESSIBILIDADE REFERENTES À CIRCULAÇÃO VERTICAL, LEIA A NBR 9050 (págs. 40 até 50)

Comentários