Livro-Epidemiologia Básica2ed

Livro-Epidemiologia Básica2ed

(Parte 1 de 7)

Epidemiologia Básica 2a edição

Epidemiologia

Básica 2a edição

R. Bonita

R. Beaglehole T. Kjellström

Título em inglês: Basic Epidemiology Título em português: Epidemiologia Básica Autores: R. Bonita, R. Beaglehole, T. Kjellström Tradução e Revisão científica: Dr. Juraci A. Cesar Revisão de português: Elvira Castanon Diagramação: Rodrigo S. dos Santos Capa: Gilberto R. Salomão

Publicado pela Organização Mundial da Saúde em 2006, sob o título BASIC EPIDEMIOLOGY, 2 edition.

Copyright © World Health Organization, 2006

O Diretor Geral da Organização Mundial da Saúde garante os direitos autorais da tradução para uma edição em português à Livraria Santos Editora Comércio e Importação Ltda., a qual é exclusivamente responsável pela edição em português.

© Livraria Santos Editora Com. Imp. Ltda.

Todos os direitos reservados. Este livro, ou qualquer uma de suas partes, não pode ser reproduzido, armazenado em meios recuperáveis, ou transmitido em qualquer forma ou meio eletrônico, mecânico ou fotocopiado, sem a permissão prévia e escrita do editor.

B699e 2.ed. Bonita, R.

Epidemiologia básica / R. Bonita, R. Beaglehole, T. Kjellström; [tradução e revisão científica Juraci A. Cesar]. - 2.ed. - São Paulo, Santos. 2010 213p. : il. Tradução de: Basic epidemiology, 2nd. ed. Contém questões e respectivas respostas Inclui bibliografia e índice ISBN 978-85-7288-839-4 1. Epidemiologia. 2. Saúde pública. I. Beaglehole, R. I. Kjellström, Tord. II. Título. 10-0471. CDD: 614.4 CDU: 616-036.2

Prefácio à segunda edição em língua inglesa

Epidemiologia Básica foi originalmente escrito com o objetivo de fortalecer a educação, treinamento e pesquisa no campo da saúde pública. Desde que este livro foi publicado, em 1993, mais de 50 mil cópias foram impressas e traduzidas para mais de 25 línguas. Uma lista dessas línguas, bem como do endereço de contato dos editores, pode ser obtido junto a WHO Press, World Health Organization, 1211 – Geneva 27, Suíça.

Epidemiologia Básica inicia com a definição de epidemiologia, introduz a história da epidemiologia moderna e fornece exemplos de usos e aplicações da epidemiologia. Medidas de exposição e doenças são tratadas no Capítulo 2 e um resumo dos diferentes tipos de delineamento de estudos, bem como de suas vantagens e limitações, é fornecido no Capítulo 3. Uma introdução ao método estatístico fornece as bases para o entendimento de conceitos básicos e as ferramentas disponíveis para a análise de dados e avaliação do impacto das intervenções. Uma tarefa fundamental dos epidemiologistas é entender o processo de julgamento de causalidade, e isto é feito no Capítulo 5. As aplicações da epidemiologia nas diversas áreas de Saúde Pública são abordadas nos seguintes capítulos: doenças crônicas não transmissíveis (Capítulo 6), doenças transmissíveis (Capítulo 7), epidemiologia clínica (Capítulo 8), ambiente e epidemiologia ocupacional (Capítulo 9); política e planejamento é tratado no Capítulo 10. O Capítulo 1, o último, apresenta os passos para que os novos epidemiologistas possam aperfeiçoar sua educação na área e fornece informações a respeito de inúmeros cursos em epidemiologia e saúde pública.

Assim como na primeira edição, Epidemiologia Básica usa exemplos de diferentes países para ilustrar diversos conceitos em epidemiologia. Pretende-se, com isso, encorajar estudantes e professores a encontrar exemplos locais relevantes. Cada capítulo inicia com algumas mensagens-chave e termina com uma série de questões curtas (acompanhadas de respostas ao final do livro) para estimular a discussão e avaliar progressos no aprendizado.

Os autores são imensamente gratos pela contribuição à primeira edição dos professores John Last e Anthony McMichael. Martha Anker escreveu o Capítulo 4 na primeira edição. Nesta edição, a segunda, este capítulo foi escrito pelo professor O. Dale Williams. A versão na qual o material deste curso é baseado está disponível em http://statcourse.dopm.uab.edu. Correções às equações apresentadas no Capítulo 4 foram incluídas na segunda versão impressa desta edição.

Os autores também gostariam de agradecer às seguintes pessoas pelas suas contribuições: Michael Baker, Diarmid Campbell-Lendrum, Carlos Corvalen, Bob Cummings, Tevfik Dorak, Olivier Dupperex, Fiona Gore, Alec Irwin, Rodney Jackson, Mary

Kay Kindhauser, Doris Ma Fat, Colin Mathers, Hoomen Momen, Neal Pearce, Rudolpho v

Epidemiologia Básicavi

Saracci, Abha Saxena, Kate Strong, Kwok-Cho Tang, José Tapia e Hanna Tolonen. Laragh Golloghy foi responsável pela edição, enquanto Sofhie Guetanah-Aguettants e Christophe Grangier responderam pelo design gráfico deste livro.

O desenvolvimento original deste livro foi apoiado pelo Programa Internacional sobre Segurança Química, programa das Nações Unidas para o ambiente, pela Organização Internacional para o Trabalho (OIT), pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pela Agência Sueca de Desenvolvimento Internacional (SIDA) e pela Agência Sueca de Cooperação para Pesquisa em Países em Desenvolvimento (SAREC).

Prefácio à segunda edição em língua portuguesa

Em 1996, quando a primeira edição foi traduzida para o Português, escrevemos neste mesmo espaço que a epidemiologia era uma das ciências que mais crescia no Brasil. Isto ocorria tanto nas escolas médicas quanto nos serviços de saúde. Não deu outra. A epidemiologia capilarizou-se. Adentrou, com força, em inúmeros cursos de graduação e cresceu vertiginosamente nos serviços de saúde.

É neste cenário que chega a segunda edição do livro Epidemiologia Básica.

O seu objetivo continua sendo o mesmo: ensinar princípios básicos de epidemiologia ao seu usuário, a fim de capacitá-lo a descrever eventos relacionados ao processo saúde-doença e a responder questões específicas sobre causalidade, história natural, prognóstico, prevenção e tratamento, com o objetivo de prevenir a ocorrência de doenças. Para tanto, aprofundou-se em alguns temas como meio ambiente e avaliação de serviços e aperfeiçoou os Capítulos 6 e 7, que passaram a incluir, também, as doenças crônicas não transmissíveis e a vigilância epidemiológica, respectivamente. A linguagem permanece a mesma, clara e concisa, e os exemplos simples, práticos e provenientes dos mais diferentes países e continentes. Isto reflete a dimensão internacional deste livro, o que muito raramente se encontra neste tipo de publicação.

Embora haja ainda um longo caminho a percorrer, visto que o objetivo da epidemiologia é melhorar o estado de saúde das populações, tem se observado que esta ciência vem ajudando cada vez mais a formar profissionais mais completos, capazes de ver o coletivo em detrimento ao individual e de pôr a evidência científica acima da experiência pessoal. Esta nova tradução pretende oferecer a todos os países de língua portuguesa, sobretudo ao Brasil, a oportunidade de evoluir nesta caminhada, de fazer a epidemiologia acontecer, de fato, através da implementação de programas com alta resolutividade, com baixo custo e com melhores indicadores de saúde e bem -estar das populações.

Juraci A. Cesar

Bernardo L. Horta Maria Aurora D. Chrestani vii

Introdução

O objetivo principal da epidemiologia é melhorar a saúde das populações. Este livro- -texto fornece uma introdução aos princípios básicos e métodos epidemiológicos. Ele foi concebido para uma audiência variada e para ser usado no treinamento de profissionais na área da saúde e do meio ambiente. Os propósitos deste livro são: • explicar os princípios de causalidade das doenças com maior ênfase nos fatores modificáveis do ambiente, incluindo comportamentos por ele determinados; • encorajar a aplicação da epidemiologia na prevenção das doenças e na promoção da saúde; • preparar profissionais da área da saúde para atender de forma integral a crescente demanda de serviços de saúde da população e assegurar que os recursos destinados à saúde sejam usados da melhor maneira possível; • encorajar a boa prática clínica através da introdução dos conceitos de epidemiologia clínica;

Ao final deste livro, o usuário deverá ser capaz de demonstrar conhecimento sobre: • a origem e aplicação da epidemiologia;

• abordagem epidemiológica para definir e medir a ocorrência do processo saúde- -doença nas populações; • vantagens e limitações dos delineamentos epidemiológicos;

• a contribuição da epidemiologia na prevenção das doenças, na promoção da saúde e no desenvolvimento de políticas de saúde; • a contribuição da epidemiologia para a boa prática clínica;

• no papel da epidemiologia na avaliação da efetividade e da eficiência dos cuidados em saúde;

Espera-se, ao final, que o estudante tenha adquirido uma variedade de habilidades, incluindo a capacidade de: • descrever as causas comuns de incapacidade, doença e morte na sua comunidade; • delinear estudo apropriado para responder questões especificas a respeito da causalidade das doenças, historia natural, prognóstico, prevenção, e avaliação de tratamento e outras intervenções, visando prevenir e controlar a ocorrência de doenças.

Sumário

Prefácio à segunda edição em língua inglesa v Prefácio à segunda edição em língua portuguesa vii Introdução ix

Capítulo 1 O que é Epidemiologia? 1

Mensagens-chave 1 Contexto histórico 1

Início da epidemiologia 1 Avanços recentes da epidemiologia 1

Causalidade das doenças 4 História natural das doenças 4 Estado de saúde das populações 5 Avaliação de intervenções 5

Conquistas da epidemiologia 6

Varíola 6 Envenenamento por metilmercúrio 7 Febre reumática e doença cardíaca reumática 7 Distúrbios por deficiência de iodo 8 Tabagismo, asbesto e câncer de pulmão 9 Fratura de quadril 9 HIV/AIDS 10 Síndrome da Angústia Respiratória Aguda (SARA) 10

População em risco 17 Incidência e prevalência 18 Letalidade 2 Inter-relações entre as diferentes medidas 2

Utilização da informação disponível para medir saúde e doença 23

Mortalidade 23 Limitações dos atestados de óbitos 23 Limitações do sistema de registros vitais 24 Estimativas comparáveis 24 Taxas de mortalidade 25

Coeficiente de mortalidade Infantil 26xi

Epidemiologia Básicaxii

Taxa de mortalidade para menores de 5 anos 26 Taxa de mortalidade materna 27 Taxa de mortalidade entre adultos 28 Expectativa de vida 28 Taxas padronizadas 29

Incapacidade 31 Determinantes e indicadores de saúde, e fatores de risco 32 Outras medidas utilizadas em saúde 32

Comparando a ocorrência de doenças 34

Medidas absolutas 34 Comparações relativas 35

Questões para estudo 36 Referências 36

Capítulo 3 Tipos de estudo 39

Mensagens-chave 39 Observações e experimentos 39

Estudos observacionais 39 Estudos experimentais 39

Epidemiologia observacional 40

Epidemiologia experimental 49

Erros potenciais em estudos epidemiológicos 51

Erro aleatório 52 Tamanho da amostra 52 Erro sistemático 53 Viés de seleção 53 Viés de mensuração (ou de classificação) 54

Fator de confusão 5

Controle dos fatores de confusão 56 Validade 57 Questões éticas 58

Questões para estudo 60 Referências 60

Capítulo 4 Estatística básica: conceitos e ferramentas 63

Mensagens-chave 63 Resumindo os dados 63

Sumário xiii

Mapas de taxas 65 Gráficos de barras 65 Gráfico de linhas 6 Distribuição de frequências e histograma 6 Distribuição normal 67

Resumindo os números 67

Média, mediana e moda 67 Variância, desvio padrão e erro padrão 68

Conceitos básicos de inferência estatística 69

Usando amostras para conhecer populações 69 Intervalo de confiança 70 Teste de hipóteses, valor de p e poder estatístico 71 O valor de p 71 Poder estatístico 71

Métodos básicos 73

Teste t 73 Teste do qui-quadrado 74 Correlação 75 Regressão 75 Regressão linear 76 Regressão logística 78 Análise de sobrevivência e modelo dos riscos proporcionais de Cox 79

Curva de sobrevivência de Kaplan-Meier 79 Tamanho da amostra 80

Metanálise 81 Questões para estudo 82 Referências 82

Capítulo 5 Causalidade em epidemiologia 83

Mensagens-chave 83 O conceito de causa 83

Causa suficiente ou necessária 83 Causa suficiente e necessária 84 Cadeia causal 85 Causas únicas e múltiplas 86 Fatores na causalidade 87 Interação 8 Uma hierarquia de causas 8

Avaliando a causalidade 89 Relação temporal 89 Plausibilidade 91 Consistência 91 Força da associação 93 Relação dose-resposta 93 Reversibilidade 95 Delineamento do estudo 95 Julgando a evidência 96

Epidemiologia Básicaxiv

Capítulo 6 Epidemiologia e prevenção: doenças crônicas não transmissíveis 9

Mensagens-chave 9 A extensão da prevenção 9

Tendências recentes nas taxas de mortalidade 9 Potencial preventivo 101 Modelo de causalidade 102

Níveis de prevenção 103 Prevenção primordial 103 Prevenção primária 105

Capítulo 7 Doenças transmissíveis: epidemiologia, vigilância e resposta 117

Cadeia de infecção 123

O agente infeccioso 123 O processo de transmissão 124 O hospedeiro 125 Ambiente 125

Investigação e controle de epidemias 126

Sumário xv

Valor de um teste 136

Capítulo 9 Epidemiologia ambiental e ocupacional 145

Impacto da exposição a fatores ambientais 146 Avaliação de medidas preventivas 147

Epidemiologia Básicaxvi

Anexo – Resposta para as questões de estudo 189 Índice 207

Capítulo 1 O que é Epidemiologia?

Mensagens-chave

● A epidemiologia é uma ciência fundamental para a saúde pública. ● A epidemiologia tem dado grande contribuição à melhoria da saúde das populações.

● A epidemiologia é essencial no processo de identificação e mapeamento de doenças emer-gentes.

● Na maioria das vezes, ocorrem grandes atrasos entre as descobertas epidemiológicas e a sua aplicação na população.

Contexto histórico

Início da epidemiologia

A epidemiologia originou-se das observações de Hipócrates feitas há mais de 2000 anos de que fatores ambientais influenciam a ocorrência de doenças. Entretanto, foi somente no século XIX que a distribuição das doenças em grupos humanos específicos passou a ser medida em larga escala. Isso determinou não somente o início formal da epidemiologia como também as suas mais espetaculares descobertas.1 Os achados de John Snow (Quadro 1.1), de que o risco de contrair cólera em Londres estava relacionado ao consumo de água proveniente de uma determinada companhia, proporcionaram uma das mais espetaculares conquistas da epidemiologia: o mapa apresentado na figura 4.1, página 65, mostra a distribuição dos casos de cólera no centro de Londres em 1954. Os estudos epidemiológicos de Snow foram apenas um dos aspectos de uma série abrangente de investigações que incluiu o exame de processos físicos, químicos, biológicos, sociológicos e políticos.2

A abordagem epidemiológica que compara os coeficientes (ou taxas) de doenças em subgrupos populacionais tornou-se uma prática comum no final do século XIX e início do século X. A sua aplicação foi inicialmente feita visando o controle de doenças transmissíveis (ver Capítulo 7) e, posteriormente, no estudo das relações entre condições ou agentes ambientais e doenças específicas. Na segunda metade do século X, esses métodos foram aplicados para doenças crônicas não transmissíveis tais como doença cardíaca e câncer, sobretudo nos países industrializados.

Avanços recentes da epidemiologia

A epidemiologia atual é uma disciplina relativamente nova e usa métodos quantitativos para estudar a ocorrência de doenças nas populações humanas e para definir estratégias de prevenção e controle.

(Parte 1 de 7)

Comentários