Educação Transito completo

Educação Transito completo

(Parte 6 de 10)

Capacitação em Educação para o Trânsito – Módulo 2

SENASP/MJ - Última atualização em 14/09/2009 Página 3

Certamente, você conhece alguém que se encaixa no grupo de pessoas consideradas irritadas, que perdem a calma com facilidade ou que, dificilmente, mudam de opinião. Essas são as características psicológicas internas do indivíduo.

“Para o entendimento dos fatores próprios e individuais, ou seja, os fatores internos inerentes ao comportamento humano, deve-se considerar que o ser humano é um animal social; entretanto, cada sujeito possui aspectos que os tornam únicos. Existem diferenças sociais, culturais e particulares que influenciam nos padrões de comportamento, na formação da personalidade, nas aspirações, valores, aptidões, e motivações de cada um. Cada pessoa é considerada um fenômeno multidimensional.”

(Chiavenato, 1998)

Fatores externos

Já os fatores externos são as influências que o meio físico e social exerce sobre o indivíduo. Veja esta situação: Num estádio de futebol, influenciado pela torcida, pelo ambiente, pelo resultado do jogo e por diversos outros fatores externos, o indivíduo poderá comportar-se de maneira muito diferente do que se comporta normalmente. As pressões e acontecimentos do dia-a-dia, ou estímulos, podem alterar o padrão de comportamento. Constantemente, você recebe estímulos e pressões do meio físico e do social onde vive.

Grupos sociais

As características psicológicas ou pessoais formam o padrão ou predisposição que define o comportamento do indivíduo ou do grupo em determinada situação. E esse padrão será influenciado pelos estímulos externos. Com esses conceitos já é possível entender um pouco mais as reações individuais e os diferentes tipos de comportamento.

Os indivíduos formam os grupos sociais e esses a sociedade. É importante salientar que você, como indivíduo, tem pouco contato com toda a sociedade, mas tem contato direto e participa de vários grupos sociais. Cada ser humano é livre para escolher os grupos sociais aos quais deseja pertencer, ou seja, pode escolher o seu

Capacitação em Educação para o Trânsito – Módulo 2

SENASP/MJ - Última atualização em 14/09/2009 Página 4 grupo de amigos, grupo religioso, com quem se deseja constituir família, o grupo político, o grupo de trabalho, etc. E um dos fatores que possibilita a escolher ou ser escolhido pelos grupos é a afinidade de comportamentos.

Se você pertence a determinado grupo estará, automaticamente, aceitando os seus padrões de comportamento.

“O fato é que o ser humano se diferencia dos outros animais, por ser capaz de interferir conscientemente no mundo. Além disso, ao mesmo tempo em que preserva e deseja manter-se isolado e em sua individualidade, sente-se impelido para o grupo, formando a sociedade humana. A sociabilidade ou a capacidade de viver, sobreviver e existir em coletividade parece ser uma das melhores caracterizações do homem. Diferentemente do que ocorre com outras espécies, o homem não se associa por instinto, mas por vontade. O homem não é dependente, mas senhor da sociedade; não está nela devido aos instintos, mas porque assim o quer.” (Carneiro, 2009)

A sociedade e o trânsito

Analisando o trânsito como fenômeno social e resultante da necessidade que o ser humano tem de movimentação e deslocamento, fica evidente a vulnerabilidade e diversidade de estímulos a que o ser humano é exposto diariamente em função de sua complexidade. Veja quais são estes estímulos.

Estímulos a que o ser humano é exposto diariamente em função de sua complexidade. ● É cada vez maior o espaço ocupado por estradas, ruas, avenidas, estacionamentos, viadutos, etc. Dessa forma, o carro está “tomando” o espaço do homem e da natureza; ● O trânsito, ao contrário dos grupos sociais, é um local que reúne pessoas de todos os níveis sociais e culturais e com os mais diversos tipos de personalidade, objetivos e padrões de comportamento; ● Essa diversidade e o amplo espaço proporcionado pelo trânsito, permite que o indivíduo comporte-se inadequadamente protegido pelo anonimato;

Capacitação em Educação para o Trânsito – Módulo 2

SENASP/MJ - Última atualização em 14/09/2009 Página 5

● A crescente violência é resultado da descarga diária das pressões, frustrações e problemas pessoais; ● O trânsito lidera as estatísticas mundiais de mortes violentas, tanto no Brasil como no restante do mundo; e ● Por estar diariamente no trânsito, o ser humano tende a banalizar os seus efeitos e, muitas vezes, não percebe como ele afeta o seu comportamento e como as suas ações podem alterá-lo.

O automóvel

O automóvel é considerado um dos maiores sucessos como produto de marketing. Os veículos automotores estão hoje presentes em todas as partes do mundo, sendo utilizados indistintamente por todos os tipos de pessoas, nas mais variadas situações, assumindo diferentes significados:

Meio de transporte Decorrente da necessidade humana de “ir e vir”, esta invenção proporcionou um inevitável progresso ao homem, “reduzindo as distâncias”, poupando tempo e multiplicando as oportunidades.

Símbolo de posição social Para muitas pessoas, o automóvel ainda é um objeto de desejo. Possuir um passou a significar liberdade, contentamento, status e outras subjetividades.

Símbolo de poder A máquina passou a ser uma verdadeira extensão do homem. Alguns indivíduos usam o tamanho e a potência dos seus veículos para demonstrar superioridade ou atender às suas vaidades.

Autoafirmação Existe hoje uma verdadeira “cultura sobre rodas”: o veículo deixou de ser uma ferramenta de trabalho e passou a representar um artigo de luxo.

Capacitação em Educação para o Trânsito – Módulo 2

SENASP/MJ - Última atualização em 14/09/2009 Página 6

O automóvel passou a ser utilizado como indicador socioeconômico, mostrando o nível ao qual o seu proprietário pertence ou gostaria de pertencer. Para a maioria dos adolescentes, o veículo preenche a necessidade de autoafirmação e de projetar uma boa imagem sobre seus amigos e outros jovens, porém, muitos adultos imaturos ainda carregam essa necessidade, em alguns casos por toda a vida. O trânsito, no qual “cada um quer aparecer mais do que o outro”, acabou virando um palco de vaidades, base sólida para gerar e alimentar conflitos.

Comportamento no trânsito

O indivíduo com bom grau de maturidade e de equilíbrio é aquele que sabe identificar as suas tendências e atitudes inadequadas, controlando-as para que não interfiram negativamente no seu comportamento no trânsito.

Pode-se afirmar sem sombra de dúvidas: o trânsito é um indicador muito preciso das características de cada indivíduo.

Inicialmente, convém esclarecer que as estatísticas mostram que a maioria dos motoristas (mais de 2/3) raramente comete infrações ou envolve-se em acidentes de trânsito. Todos os problemas de trânsito são causados por uma minoria de motoristas cujo comportamento, sob o ponto de vista psicológico, está quase sempre relacionado à dificuldade de lidar com as pressões da vida. Motoristas com essa característica sempre procuram alguma justificativa para os seus comportamentos inadequados, como se eles tivessem mais motivos para errar do que os outros. Só que, se outra pessoa comete os mesmos erros que os seus, eles imediatamente a criticam e a reprimem. Essa dificuldade em lidar com as pressões externas do cotidiano, aliada a outros fatores, como a personalidade e a própria educação do indivíduo, pode levá-lo a apresentar alguns tipos de comportamento.

Ansiedade

A ansiedade é a sensação de estar sempre fora do horário ou fora do lugar. Quando a pessoa está num lugar, tem a sensação que deveria estar em outro. Esses fatores causam atitudes imprevisíveis no trânsito, pois a mente continuamente ansiosa não

Capacitação em Educação para o Trânsito – Módulo 2

SENASP/MJ - Última atualização em 14/09/2009 Página 7 consegue concentrar-se, erra frequentemente o caminho e perde mais tempo, o que realimenta a ansiedade. A má administração do tempo também está presente no perfil dessas pessoas e o indivíduo não pensa que a pressa e a correria vão economizar apenas alguns minutos, isso se não causar um acidente pelo caminho.

Raiva

A raiva é uma explosão momentânea que ocorre, geralmente, nas pessoas que têm facilidade de perder o controle. No trânsito, essa explosão pode levar a comportamentos extremamente perigosos, causados pelo desatino instantâneo, pela reação exagerada, impensada e descontrolada. O trânsito é o cenário propício para desencadear atitudes desequilibradas. É muito difícil para o indivíduo com raiva ter reações sensatas. De maneira geral, a raiva é uma reação inadequada a situações frustrantes, tem efeito cumulativo. Indivíduos que manifestam a raiva com frequência devem aprender a administrar melhor suas frustrações.

Egoísmo

O egoísmo coloca sua vítima no centro das atenções. O egoísta não cede nem compartilha, e isso sempre é problema no trânsito, que é um espaço compartilhado por excelência. Ele não facilita a vida das outras pessoas e não é capaz de uma cortesia ou de uma gentileza. Sente-se no direito de parar em fila dupla, bloquear os cruzamentos, estacionar em entradas de imóveis, entre uma centena de outros absurdos, simplesmente porque não imagina que possa estar incomodando.

Competição

O espírito competitivo parece ter tomado conta da sociedade moderna. Está bem claro para todos, homens ou mulheres, jovens ou adultos, que a competitividade tem tudo a ver com o sucesso, pois essa mensagem é passada em todos os lugares. Muitos acidentes ocorrem dessa forma, pois no trânsito, o indivíduo com espírito competitivo encontra facilmente um concorrente. É preciso fazer uma séria reflexão, pois o trânsito é um ambiente altamente inadequado para competições.

Capacitação em Educação para o Trânsito – Módulo 2

SENASP/MJ - Última atualização em 14/09/2009 Página 8

Agressividade

Algumas pessoas são de índole agressiva. Essas pessoas normalmente tendem a subestimar os riscos e as consequências das suas atitudes, o que as torna imprudentes. Além disso, perdem o controle com facilidade, estando sujeitas a explosões repentinas. Quando aliada à competitividade, gera o desejo de dominar completamente o oponente, ocasionando muitas vezes resultados trágicos. Quando isso ocorre no trânsito, as pessoas podem envolver-se em acidentes de grande proporção.

Hostilidade

O indivíduo hostil tem como característica predominante a intolerância automática. É aquele que mostra extrema irritação com acontecimentos banais, lança toda sorte de grosserias e explora os erros alheios a seu favor. É fácil prever o que acontece quando um indivíduo hostil encontra pessoas semelhantes. Nessas ocasiões é que acontecem discussões, agressões, brigas e outras cenas até mais graves.

Urgência

(Parte 6 de 10)

Comentários