Planejamento manutenção

Planejamento manutenção

(Parte 1 de 7)

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Ponta Grossa

Modelo de Planejamento de Manutenção Arnaldo Jasinski

Ponta Grossa – PR 2005

Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Ponta Grossa

Modelo de Planejamento de Manutenção

Arnaldo Jasinski Oscar Regis Junior

Ponta Grossa – PR 2005

Trabalho de Conclusão de Curso apresentado à Universidade Tecnológica Federal do Paraná – Campus Ponta Grossa; como requisito para conclusão do curso Superior de Tecnologia em Processos de Fabricação Mecânica.

i DEDICATÓRIA

Dedico este trabalho a todos os profissionais da área de manutenção que buscam sempre o aperfeiçoamento dentro de sua atividade. Espero estar contribuindo para esta busca constante do conhecimento, afinal, tudo pode ser tirado de você menos aquilo que se aprendeu. Arnaldo Jasinski.

i AGRADECIMENTOS

Talvez esteja sendo injusto com aqueles que me acompanharam na caminhada destes anos de cadeira no CEFET, mas tenho uma dívida muito grande com minha Esposa Márcia e minha Filha Alexia, que neste período me apoiaram e viveram com minha ausência quase que total de suas vidas, agradeço a elas por me proporcionarem, através de seu apoio e compreensão, obter este resultado tão sonhado da formação superior.

Obrigado Márcia e Alexia.

iv EPÍGRAFE

A maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassa por não planejar. (John L. Beckley).

1. INTRODUÇÃO1
2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA16
3. MATERIAIS E MÉTODOS54
4. RESULTADOS E DISCUSÕES113
5. GLOSSÁRI O116
6. REFERÊNCIAS117

SUMÁRIO 7. BIBLIOGRAFIA ............................................................................................................119

1. INTRODUÇÃO1
1.1. Tema de Pesquisa1
1.1.1. Delimitação do Tema1
1.2. Problem a1
1.3. Hipótese12
1.4. Objetivo12
1.5. Justificativa12
1.6. Método de Pesquisa14
1.7. Estrutura do Trabalho14
2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA16
2.1. PCM – Planejamento e Controle de Manutenção16
2.2. EDM – Engenharia de Manutenção19
2.3. A Estrutura da Manutenção21
2.4. Custos na Manutenção2
2.5. Índices de Manutenção27
2.6. TPM – Total Productive Maintenance30
2.7. Benchmarking e Benchmark35
2.8. Terceirização (Outsourcing)38
2.9. WCM – World Class Maintenance41
2.10. RCM – MCC - MBC48
3. MATERIAIS E MÉTODOS54
3.1. Modelo de Planejamento de Manutenção54
3.2. Software de ERP ou Gerenciamento de Manutenção?59
3.3. A Equipe de Planejamento63
3.4. Metodologia de Trabalho65
3.4.1. O Que?6
3.4.2. Por Que?68
3.4.3. Onde?68
3.4.4. Com o?69
3.4.5. Quanto Custa?72
3.4.6. Quando?73
3.4.7. Que m?75
3.5. Áreas de Apoio ao Planejamento7
3.5.1. Engenharia de Manutenção82
3.5.2. Cadastro85
3.5.3. Oficinas92
3.5.4. Inspeção95
3.5.5. Docum entação97
3.5.6. Suprimentos / Inventário / Almoxarifado102
3.5.7. Com pras109
3.5.8. Logística1
4. RESULTADOS E DISCUSSÕES113
4.1. Metodologia de Trabalho113
4.2. Áreas de Apoio ao Planejamento114
5. GLOSSÁRI O116
6. REFERÊNCIAS117

ÍNDICE 7. BIBLIOGRAFIA ............................................................................................................119 vii

Figura 1 – Evolução x Prática de Manutenção19
Figura 2 – As Quatro Gerações do TPM31
Figura 3 – As Doze Etapas para Implantação do TPM34
Figura 4 – Deterioração permitida em equipamentos e instalações51
Figura 5 – Mantenabilidade dos Equipamentos e Instalações52
Figura 6 – Organograma Gerência de Manutenção56
Figura 7 –Organograma Divisão do Planejamento56
Figura 8 – Planta Baixa Simplificada de Fábrica de Papel57
Figura 9 – Lista de notas do SAP67
Figura 10 – Nota de Manutenção do SAP69
Figura 1 – Ordem no SAP com Operações de Apoio70
Figura 12 – Planejamento no MSProject75
Figura 13 – O Quebra Cabeças que Compõe o Planejamento7
Figura 14 – Organograma da Área de Planejamento de Manutenção (Opção 1)78
Figura 15 – Organograma da Área de Planejamento de Manutenção (opção 2)79
Figura 16 – Organograma da Companhia81
Figura 17 – Organograma 1 para Área de Cadastro86
Figura 18 – Organograma 2 para Área de Cadastro86
Figura 19 – Árvore de Listas Técnicas e Locais de Instalação87
Figura 20 – Local de Instalação de Bomba (Ex. 114B0002)8
Figura 21 – Desenho Esquemático de Transportador (112M0002)89
Figura 2 – Lista Técnica de Transportador de Correia (112M0002)90
Figura 23 – Organograma de Oficinas93
Figura 24 – Estrutura de Locais de Instalação de uma Fábrica100
Figura 25 – Estrutura de Subáreas de uma Fábrica101
Figura 26 – Fluxograma de Gestão de Estoques105

LISTA DE FIGURAS Figura 27 – Fluxograma de Necessidade de Material do Almoxarifado................................107 viii

Tabela 1 – Custos da Manutenção pelo Faturamento2
Tabela 2 – Custo Comparativo por Tipo de Manutenção25
Tabela 3 – Indicadores Internacionais28
Tabela 4 – Fornecedores de Software ERP nas 500 Maiores Empresas Brasileiras60
Gráfico 1 – Evolução dos Custos de Manutenção / Faturamento no Brasil23
Gráfico 2 – Custos de Manutenção e Perdas de Produção25

LISTA DE GRÁFICOS Gráfico 3 – Gráfico de Quebras da Máquina X........................................................................83 ix RESUMO

A Manutenção Planejada ou PCM (Planejamento e Controle de Manutenção) já existe na Europa e EUA há muitos anos, porém, no Brasil somente na década de 90 começaram os trabalhos mais intensos nesta linha de gestão da manutenção. O trabalho busca através de uma revisão bibliográfica das várias filosofias e tendências mundiais; como TPM, PCM, WCM, RCM, Custos, Benchmark, Terceirização e Índices de Manutenção; demonstrar as várias vantagens que uma Manutenção Planejada pode trazer para a empresa que pretende utilizá-la, bem como, para as que já utilizam, enfatizar que esta filosofia de trabalho em manutenção traz resultados. O principal objetivo em delinear um modelo de planejamento de manutenção é ilustrar aos profissionais desta área que para se obter um planejamento eficiente é necessário a existência de uma estrutura da manutenção adequada e que o trabalho seja executado de forma criteriosa e baseada em sólidas práticas embasadas em uma metodologia. Um motivo que impulsionou o trabalho foi que vários profissionais mostraram-se interessados no assunto métodos de execução de um Planejamento de Manutenção. A seqüência utilizada aqui é; primeiro através de uma revisão bibliográfica; mostrar que as teorias já existem ha muito tempo, porém, não são utilizadas nas empresas para gerenciar a manutenção, segundo, dar as diretrizes necessárias para se conseguir adequar a estrutura da área de manutenção de forma a atender a todos os processos necessários para a execução de uma manutenção planejada; bem como uma análise sobre os softwares existentes de ERP e Gerenciamento de Manutenção que podem ser utilizados na manutenção demonstrando quais as funções que este deve cumprir; e finalmente apresentar uma Metodologia de Trabalho, baseada na filosofia Japonesa 5W2H, para a execução do planejamento de manutenção e propor as áreas necessárias ao apoio; como Engenharia de Manutenção, Cadastro, Documentação, Oficinas, Inspeção, Suprimentos, Compras e logística; para a execução da manutenção planejada.

Palavras chave: Modelo de Planejamento de Manutenção, Metodologia, Áreas de Apoio.

10 ABSTRACT

The Planned Maintenance or PCM (Planned and Control Maintenance) has existed in

Europe and EUA for many years, but, in Brazil just in the 90s began intense work in this way of Maintenance Manegament. The work searchs for a bibliography review of several philosophies and world trends; like TPM, PCM, WCM, RCM, Costs, Benchmark, Outsourcing and Maintenance Indicators show the several advantages that Planned Maintenance can offer to the company that intends to use it, as well as, to the companies that use it already to emphasize that this work philosophy brings results. The main objective in delineating a Planning Maintenance Model is to illustrate to the professionals of these areas that to get an efficient Planning is necessary the existence of an appropriate maintenance structure and that the work will be executed by the criterions forms and with strong practices of the maintenance sustained in a methodology. A reason of this work to be done was because several profissionals manifested interested by the subject methods of execution of Planning Maintenance. The sequency used here is; first by a bibliography review; to show that the theories have already existed for a long time, but, haven’t been used in the companies for management maintenance, second, give the orientation to adequate the maintenance structure to attempt the necessary process to execute the planned maintenance, as well as an analisy about existent ERP softwares and Maintenance Management that can be used in maintenance showing which are the functions that must be accomplished by this; and finally introduce some Work Methodology, based on the Japanese philosophy 5W2H, to execute the planned maintenance and propose the necessary support areas; like Maintenance Engineering, Catalogue, Documentation, Workshops, Inspection, Inventory, Purchase area and Logistcs area; to execute the planned maintenance.

Key Words: Planning Maintenance Model, Methodology, Support Areas.

O tema abordado neste trabalho está na área de Gestão de Manutenção enfatizando, porém, a área de Planejamento de Manutenção.

O assunto “Gestão da Manutenção” é muito amplo passando pela gestão de custos, gestão de ativos, gestão de sobressalentes, gestão de recursos humanos e materiais e muitos outros, porém, aqui se busca apenas dar uma visão geral de como deve ser uma área de planejamento de manutenção no que se refere à metodologia de trabalho e as áreas de apoio que devem dar suporte ao planejamento no cumprimento de suas atividades.

1.2. Problema

Muitas empresas buscam atuar de forma planejada na manutenção, mas não encontram uma literatura clara e direta de como deve atuar para conseguir obter uma manutenção planejada e nem qual deve ser a estrutura necessária ao bom andamento das atividades planejadas. Logo, através deste trabalho se busca dar o conhecimento necessário a essas empresas no que se refere à estrutura necessária, assim como a metodologia que deve ser usada para o planejamento das atividades da manutenção.

Como hipótese para a obtenção de uma organização da área de manutenção para se conseguir obter a estrutura aqui sugerida supõe-se que a empresa já possui um corpo técnico na manutenção e que já decidiu em atuar de forma planejada na manutenção, sendo apenas necessária a reestruturação desta equipe para atender à nova forma de atuar na execução da manutenção.

O principal objetivo aqui é propor uma metodologia de trabalho para a área de PCM e as áreas de apoio necessárias que podem ser usadas nas indústrias para obter o melhor aproveitamento da equipe de manutenção atendendo de forma otimizada todas as necessidades de intervenção que a manutenção necessite, desde uma simples substituição de equipamento até um estudo de melhoria em máquinas (manutenção proativa) objetivando um aumento de confiabilidade e disponibilidade das instalações.

1.5. Justificativa

A manutenção no Brasil tem uma história que começa com o início da industrialização, ocorrida no fim da década de 1929 e início de 1930, após a revolução, de onde surgiram empresas estatais como a CSN e a Petrobrás. Enquanto no Brasil acontecia apenas o início da era industrial, desde 1914 com a produção em série implantada por Ford, já havia uma certa organização da manutenção; para atender a uma necessidade de cumprimento de programas de produção.

Enquanto na Europa desde 1950 a chamada Engenharia de Manutenção (EDM) atua nas indústrias, controlando e analisando falhas nos equipamentos, e desde 1960 existe o conceito de Planejamento e Controle da Manutenção (PCM); no Brasil, a partir da década de 90, com a abertura do mercado foi que efetivamente começaram as preocupações com este assunto; embora desde de 1984 já existia no Brasil a Associação Brasileira de Manutenção criada por profissionais incentivados pelo Instituto Brasileiro de Petróleo (IBP); mesmo assim devido à forte concorrência oferecida pelas indústrias estrangeiras e à necessidade de se baixarem os custos de produção e oferecer produtos com a mesma qualidade que dos concorrentes estrangeiros.

Em primeira instância a maneira encontrada pelos fabricantes nacionais para baixar os custos foi a demissão do seu efetivo. Após o primeiro impacto percebeu-se a necessidade do uso de máquinas e processos com maior tecnologia para se poder ter uma concorrência justa, daí, surge a necessidade de mão de obra com mais especialização e da racionalização desta mão de obra, ou seja, usar da melhor forma possível a mão de obra com planos de produção e manutenção.

Porém, para conseguir uma grande produção e com qualidade, era necessário manter as máquinas o maior número de horas possível funcionando, pois, assim se conseguia os mesmos parâmetros de processo e conseqüentemente uma maior produção. Mas como conseguir esta proeza no Brasil, já que os históricos mostravam-se totalmente adversos? A busca da filosofia japonesa e da experiência européia fez-se necessária, e os brasileiros viram a necessidade de se implantar um sistema de controle para a manutenção, programando datas de paradas, controlando os custos, disponibilidades de máquinas, otimização de mão de obra e de equipamentos; dando à produção o maior número de horas de máquinas funcionando ao menor custo possível de manutenção com a melhor qualidade possível.

São pelos motivos expostos acima que é necessário que as empresas tenham uma manutenção planejada evitando desperdícios por conta de altos tempos de parada de máquinas, falta de peças reservas para manutenção, alta taxa de retrabalhos, tempo efetivo de homem hora trabalhando baixos e falta de históricos de manutenção para tomada de decisão.

Mas como deve ser a organização da área de manutenção é que é a grande dúvida no momento de iniciar um trabalho de manutenção planejada, e, é com este intuito que este trabalho propõe um modelo de organização de uma área de PCM (Planejamento e Controle de Manutenção) dando as bases para uma empresa que queira implantar uma área de planejamento e demonstrando através de uma revisão bibliográfica que a manutenção planejada dá resultados.

O método usado para a obtenção do resultado final do trabalho foi através de um apanhado das várias literaturas sobre gestão de manutenção e de vários anos de experiência em planejamento de manutenção numa indústria papeleira sugerir o que pode ser chamado de um modelo ideal de organização e metodologia de trabalho para obter resultados à nível de manutenção classe mundial.

Na Introdução do trabalho (Item 1), podem ser encontradas todas as idéias e objetivos que originaram o trabalho, bem como as justificativas que apóiam a idéia de que uma área de planejamento de manutenção é necessária em uma empresa que busca níveis de excelência em manufatura e logo em manutenção também.

Na Revisão Bibliográfica (Item 2), consta toda a revisão bibliográfica julgada necessária à empresa que pretende trabalhar de forma a obter excelência em manutenção e estar sempre buscando ser uma referência mundial no que faz e para isto são repassados vários conceitos e filosofias como EDM (Engenharia de Manutenção) TPM (Total Productive Maintenance), Benchmarcking, WCM (World Class Maintenance), RCM (Reliability Centred Maintenance), Índices de Manutenção, Custos de Manutenção e PCM (planejamento e Controle de Manutenção).

Em Materiais e Métodos (Item 3), se busca desenvolver o tema Planejamento de

Manutenção enfatizando na delimitação “Metodologia de Trabalho”e “Áreas de Apoio” ao planejamento; propondo um forma de trabalho para a área de planejamento atuar no desenvolvimento de suas funções; bem como; que áreas são necessárias para que o Planejamento tenha total apoio no que tange a melhorias necessárias em instalações e equipamentos, cadastro de sobressalentes, reparos em equipamentos, documentação, logística e inspeção. Aborda-se também o assunto “Software de manutenção ou ERP” que se fazem necessários para que a manutenção atue a contento, bem como, a equipe de planejamento necessária para garantir a funcionalidade desta área.

Em Resultados e Discussões (Item 4) são demonstrados os resultados que serão obtidos em trabalhar com uma manutenção planejada, assim como, em se usar a metodologia proposta neste trabalho. Busca-se demonstrar a importância das áreas de apoio na execução do planejamento de manutenção e os resultados que podem ser obtidos com o uso de uma metodologia e de um suporte adequado quando da execução da manutenção.

16 2. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

Enquanto nos países do velho continente houve uma evolução gradativa da manutenção; à medida que se vivenciavam os momentos da história; no Brasil houve (década de 90) uma tentativa desesperada de se implantar nas empresas todos os programas de qualidade e aumento de produção em poucos anos, isto, causou em muitos a sensação de que tudo estava errado nos atuais processos.

A evolução da manutenção na Europa aconteceu da seguinte forma:

Até 1914 - manutenção era uma atividade secundária e executada pelo efetivo da operação;

De 1914 a 1930 – equipe destinada exclusivamente para reparos mínimos (corretiva) para cumprir programas de produção em série introduzida por Ford;

De 1930 a 1950 – além dos reparos eram feitas prevenções de avarias, agora a equipe de manutenção tinha tanto valor quanto a de produção. As manutenções ocorriam em função de um determinado tempo, o que ficou conhecida como manutenção preventiva periódica ou preventiva sistemática.

(Parte 1 de 7)

Comentários