Empreendedorismo processo empreendedor - uma proposta pratica voltada ao empreendedor de negocios

Empreendedorismo processo empreendedor - uma proposta pratica voltada ao...

(Parte 3 de 7)

Empreendedores pessoas que corriam riscos, porque investiam o seu próprio dinheiro. Porem o primeiro a diferenciar o Empreendedor do Capitalista foi Richard Cantillon.

Um dos conceitos que surgiram ao longo dos anos e que define bem o

Empreendedorismo é o de Hirsch e Peters (1992) apud Carloni e Michel (2006, p. 5) onde afirmam o seguinte:

Empreendedorismo é o processo de criar algo diferente e com valor, dedicando tempo e o esforço necessários, assumindo os riscos financeiros, psicológicos e sociais correspondentes e recebendo as consequentes recompensas da satisfação econômica e pessoal.

Outro conceito é o de Menezes (2007) apud Pasquini et al (2009, p. 5) que afirma

“Empreendedorismo é aprendizado pessoal, que impulsionado pela motivação, criatividade e iniciativa, busca a descoberta vocacional, a percepção de oportunidades e a construção de um projeto de vida ideal”. Ainda existem outras definições, realizadas por diversos autores não citadas neste trabalho, mais de grande importância para os estudos do Empreendedorismo.

O termo Empreendedorismo ainda é empregado para mencionar os estudos relativos ao Empreendedor, seu perfil, suas origens, seu sistema de atividades, seu universo de atuação.

O termo Empreendedor tem origem da expressão francesa Entreprendre

(DOLABELA 2006, p. 20) que significa começar um negócio próprio. Este termo é empregado no cenário econômico para designar o fundador, o qual construiu através de seus esforços uma empresa, ou entidade que ainda não existia. Ou ainda empregado para designar o profissional inovador que transforma, com sua maneira de agir, qualquer área do conhecimento humano.

Semelhante ao termo anterior. Existem inúmeras definições realizadas pelos mais variados autores e estudiosos. A definição mais aceita pelos estudiosos é a de Fillion (1999)

O Empreendedor é uma pessoa criativa, marcada pela capacidade de estabelecer e atingir objetivos, e que mantém alto nível de consciência do ambiente em que vive usando-a para detectar oportunidades de negócios. Um Empreendedor que continua a aprender a respeito de possíveis oportunidades de negócios e a tomar decisões moderadamente arriscadas que objetivam a inovação, continuará a desempenhar um papel Empreendedor [...]. Um Empreendedor é uma pessoa que imagina, desenvolve e realiza visões.

5 Importante escritor e economista do século XVII 6 Mestrando em Educação pela UFMT.

Também tem Timmons apud Pasquini et al (2009, p. 5) que comenta “o

Empreendedor é alguém capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidade, buscando e gerenciando recursos para transformar a oportunidade em negócio de sucesso”. E por fim,

Dolabela7 , Fernando que afirma:

O Empreendedor é um insatisfeito que transforma seu inconformismo em descoberta e propostas positivas para si mesmo e para os outros. É alguém que prefere seguir caminhos não percorridos, que define a partir do indefinido, acredita que seus atos podem gerar consequências. Em suma, alguém que acredita que pode alterar o mundo. (DOLABELA, 2006, p. 26)

Resumindo: o Empreendedor é um indivíduo que detém uma característica inovadora e utiliza o seu espírito inovador para encontrar uso para coisas até então inúteis, transformando-as em recursos, atribuindo-lhes utilidade e que se dedica às atividades da organização, Administração, execução; especialmente na geração de riquezas, na transformação de conhecimentos e bens em novos produtos, ou serviços, desenvolvendo um novo método, utilizando seu próprio conhecimento.

Quando se trata do Empreendedor dois termos muito citados é Empreender e

Empreendimento.

O termo Empreender este termo designa a ação de propor-se a tentar ou por em execução um projeto. Ainda tem o termo Empreendimento é o ato de empreender, é uma realização daquilo que se levou a cabo, devendo ressaltar que nem todos os negócios recémabertos podem ser considerados Empreendimentos e nem todos os Empreendimentos são novos negócios. Conforme Drucker (1996, p. 28) “algumas características específicas devem estar presentes ao novo negócio para que esse seja considerado um Empreendimento como, por exemplo, oferecer serviços diferenciados dentre de um ramo já existente”. Ou seja, é necessário mais que a criação de um estabelecimento, marca ou produto, há que se criar algo novo, mesmo que dentro de estruturas antigas.

Outro termo abordado quando se trata de Empreendedorismo é a Inovação. Segundo.

Drucker (1986) apud Sohn8 (2004, p. 86) “inovação é o instrumento específico do espírito Empreendedor. É o ato que contempla os recursos com a nova capacidade de criar riqueza. Não existe algo chamado de recurso até que o homem encontre um uso para alguma coisa na

7 Professor de Empreendedorismo na Universidade Federal de Minas Gerais 8 Professora da Universidade do Vale do Itajaí – UNIVALI natureza e assim o dote de valor econômico (...)”. Pereira (1992) apud da Silva (1999, p. 15) afirmou que inovar é “encontrar continuamente novas e melhores combinações para os fatores de produção”.

A principal ferramenta do Empreendedor é a Criatividade onde segundo Matias ( 2007, p. 01) “é a capacidade de analisar a realidade de forma diferente da maioria das pessoas; é a capacidade de apresentar, construir algo diferente daquilo que são as normas estabelecidas”.

Existem várias definições diferentes para criatividade. Para Ghiselin (1952) apud

Moulin (2010), “é o processo de mudança, de desenvolvimento, de evolução na organização da vida subjetiva”. Para Stein(1974) apud Moulin (2010) “criatividade é o processo que resulta em um produto novo, que é aceito como útil, e/ou satisfatório por um número significativo de pessoas em algum ponto no tempo”.

2.1.2 Características Empreendedoras

Hornaday (1982) e Timmons (1994) detectaram algumas características onde algumas destas são naturais devendo ser despertadas e outras devem ser aprendidas, dentre as características identificadas pode-se citar as seguintes.

A. Possui a capacidade de antecipar-se aos fatos e criar novas oportunidades de negócios, ou desenvolver novos produtos e serviços, ou ainda propor soluções inovadoras.

B. Busca autonomia em relação a normas e procedimentos. C. Mantém sua autoconfiança, otimismo e seu ponto de vista mesmo diante da oposição ou de resultados desanimadores e expressando confiança na sua própria capacidade de complementar tarefa difícil ou de enfrentar desafios e ainda tem a necessidade de realização.

D. Faz sacrifícios pessoais e se esforça para completar uma tarefa. E ainda colabora com os subordinados, ou até mesmo assume o lugar deles para terminar um trabalho.

E. O Empreendedor sempre capricha para manter os clientes satisfeitos e coloca a boa vontade em longo prazo acima de lucro em curto prazo.

F. Acredita no que faz e é comprometido e, além disso, é perseverante e tenaz. Ou seja, enfrenta os obstáculos decididamente buscando ininterruptamente o sucesso, mantendo, ou mudando as estratégias de acordo com as situações e ainda é capaz de se dedicar intensamente às atividades e sabe concentrar seus esforços para alcançar resultados.

G. Sabe fixar metas e objetivos e atingi-las, realizando planejamentos e monitoramento sistemático. Ele planeja, divide tarefas de grande porte em subtarefas com prazos definidos, revisar firmemente seus planos considerando resultados obtidos e mudanças circunstanciais, mantêm registros financeiros e os utiliza para tomar decisões. Onde Planejar é decidir, antecipadamente, o que fazer, de que maneira, quando e quem deve fazer de forma branda e baseada em conhecimentos, estimativas e finalidades e requer seriedade e profissionalismo. Com o planejamento selecionam-se as alternativas, determinam-se as metas e as maneiras de alcançá-las. E ainda revela as possibilidades de desenvolvimento no futuro, se delineia o caminho para o Empreendedor alcançar suas metas. É só planejando que o Empreendedor consegue organizar o seu negócio, identificar e extrair o melhor proveito das oportunidades com que se depara constantemente. Entretanto, para isso é preciso: avaliar suas aptidões pessoais, presumir as atividades a serem realizadas para atingir as metas, considerar os procedimentos burocráticos, empregar o capital com moderação, conhecer todo o processo da atividade desenvolvida, ter em mente algumas alternativas (no caso de algo inesperado ocorrer). E ainda, participar de eventos relacionados ao ramo envolvido, conhecer o nicho em que estará envolvido, elaborar cronograma de atividades, envolvem toda a equipe na “cultura de venda” e determinar o nível de responsabilidade das pessoas encarregadas de realizar as atividades. Já o monitoramento é a capacidade de acompanhar todo o processo percorrido para alcançar a meta, utilizando instrumentos e procedimentos que imponham sua trajetória e possam confirmar se o rumo está correto, ou se necessita de correções.

H. Busca continuamente informação. É importante a capacidade do Empreendedor de se empenhar pessoalmente no levantamento de informações relacionadas à sua empresa, seus clientes, seus parceiros e seus concorrentes. A incessante busca de novas informações o ajuda a manter a competitividade necessária no Mercado onde atua. Assim, ele consegue estabelecer metas, planejar e desenvolver melhor o seu negócio. A ampliação do conhecimento sobre seu setor, sobre novas tecnologias, sobre o futuro do Mercado dará ao Empreendedor fundamento sólido para a tomada de decisões acerca do desenvolvimento do seu negócio. É preciso identificar, que informações são importantes, onde e de que forma as obter. A quantidade e a qualidade da informação que o Empresário dispõe permanentemente sobre o mundo dos negócios são fatores determinantes para ter sucesso frente aos concorrentes. Se bem, utilizada, informação é poder. I. Luta contra os padrões impostos.

Se você não gosta de um sistema, precisa mudá-lo. Mas lutar contra ele não leva a nada. É preciso ser muito inteligente e pensar criativamente sobre como contorná-lo. Uma das melhores coisas a fazer é encontrar outras pessoas que pensam como você. (RODDICK apud ROSENBURG, 2007. p.67)

J. Considera o fracasso como um resultado como outro qualquer, aprendendo com resultados negativos e com os próprios erros.

K. É capaz de identificar oportunidades, tendo forte intuição. Porém antes de tirar proveito da intuição é preciso o autoconhecimento. Para Wever “o autoconhecimento facilita o entendimento de tudo a sua volta, inclusive o outro”.

L. Cria situações para obter feedback sobre seu comportamento e utiliza as informações para se aperfeiçoar.

M. Sabe buscar, utilizar e controlar recursos, sendo orientado para resultados de longo prazo.

N. É um visionário, ou seja, é um sonhador realista. O. Cria um relacionamento próprio de relações com empregados, extraindo deles o que eles têm de melhor.

P. Cria rede de relações networking utilizando-o como suporte para alcançar seus objetivos.

Q. Desenvolve a criatividade e aprende a definir sonhos. R. Exprime seus pensamentos através da ação. S. Tem Capacidade de persuasão e a crença de que pode mudar o mundo. T. Tem ousadia. Assume riscos, mais faz de tudo para minimizá-los. U. Vontade e habilidade para criar, sendo inovador e criativo. V. Mantém alto nível de consciência do ambiente em que vive a empregando para identificar novas oportunidades.

W. Decido que fará sempre mais e melhor, busca satisfazer ou superar as expectativas de prazos e padrões de qualidade.

X. Capacidade de encontrar novas utilidades para velhas ideias; Y. Talento para melhorar a eficiência de um sistema, processo ou produto, o tornado mais econômico, acessível e tecnicamente superior.

25 2.1.3 Tipos de Empreendedores

Muitos acreditam que os Empreendedores são somente aqueles indivíduos que constitui uma empresa. Porém estas pessoas estão enganadas. Não pode se considerar Empreendedor apenas aquele indivíduo que tem um negócio próprio. Um atleta, um artista, políticos, um funcionário dentro da sua área, e ainda aqueles que atuam em prol da sociedade pode empreender e conseguir realizar mais do que a maioria das pessoas. Existindo, portanto, outros tipos de Empreendedores fora aquele que constitui um negócio, e Bolton (1985) destaca três tipos de Empreendedores, sendo eles: 1) Empreendedor de Negócios; 2) Intraempreendedor; 3) Empreendedor Comunitário. Recente no Brasil se criou o conceito de Empreendedor Individual.

2.2.1 Empreendedor de Negócios

Este tipo é também conhecido como Empreendedor Empresarial. É o individuo capaz de identificar, agarrar e aproveitar oportunidade no mercado, planejando, buscando e gerenciando recursos para transformar a oportunidade em negócio de sucesso qualquer que seja ela. Ou que adquire uma já existente introduzindo inovações, assumindo riscos, seja na forma de administrar, de vender, produzir, distribuir ou propaganda de seus produtos, ou serviços, agregando a estes novos valores.

Estes Empreendedores detêm a maioria das características citadas anteriormente, sendo também um dos primeiros tipos de Empreendedores a surgir vê a ser conceituado.

(Parte 3 de 7)

Comentários