Pre-natal de baixo risco

Pre-natal de baixo risco

(Parte 7 de 7)

• Realizar o cadastramento da gestante no SisPreNatal e fornecer o Cartão da Gestante devidamente preenchido (o cartão deve ser verificado e atualizado a cada consulta);

• Realizar a consulta de pré-natal de gestação de baixo risco intercalada com a presença do(a) enfermeiro(a);

• Solicitar exames complementares e orientar o tratamento, caso necessário;

• Prescrever medicamentos padronizados para o programa de pré-natal (sulfato ferroso e ácido fólico);

• Orientar a vacinação das gestantes (contra tétano e hepatite B);

• Atender as intercorrências e encaminhar as gestantes para os serviços de urgência/ emergência obstétrica, quando necessário;

• Orientar as gestantes e a equipe quanto aos fatores de risco e à vulnerabilidade;

• Identificar as gestantes de alto risco e encaminhá-las ao serviço de referência;

• Realizar exame clínico das mamas e coleta para exame citopatológico do colo do útero;

• Desenvolver atividades educativas, individuais e em grupos (grupos ou atividades de sala de espera);

• Orientar as gestantes sobre a periodicidade das consultas e realizar busca ativa das gestantes faltosas;

• Realizar visitas domiciliares durante o período gestacional e puerperal, acompanhar o processo de aleitamento e orientar a mulher e seu companheiro sobre o planejamento familiar.

4.3.2.5 Cirurgião-dentista:

• Orientar as mulheres e suas famílias sobre a importância do pré-natal, da amamentação e da vacinação;

• Verificar o fornecimento do Cartão da Gestante e ver se o documento está devidamente preenchido (o cartão deve ser verificado e atualizado a cada consulta de pré-natal);

• Realizar a consulta odontológica de pré-natal de gestação de baixo risco;

• Solicitar exames complementares e orientar o tratamento, caso necessário;

• Orientar a gestante sobre a realização do teste rápido;

• Orientar a vacinação das gestantes (contra tétano e hepatite B);

• Realizar a avaliação geral da gestante observando o período de gravidez;

• Avaliar a saúde bucal da gestante, a necessidade e a possibilidade de tratamento, observando os cuidados indicados em cada período da gravidez;

2012_0152_M_final.indd 487/8/2012 1:17:15

• Adequar o meio bucal e realizar o controle de placa, cujas práticas constituem boas condutas odontológicas preventivas e podem ser indicadas, garantindo conforto à gestante e a continuidade do tratamento após a gravidez;

• Identificar os fatores de risco que possam impedir o curso normal da gravidez;

• Atender as intercorrências/urgências odontológicas observando os cuidados indicados em cada período da gravidez e encaminhar a gestante para níveis de referência de maior complexidade, caso necessário;

• Favorecer a compreensão e a adaptação às novas vivências da gestante, do companheiro e dos familiares, além de instrumentalizá-los em relação aos cuidados neste período;

• Orientar as gestantes e a sua equipe quanto aos fatores de risco e à vulnerabilidade em relação à saúde bucal;

• Identificar as gestantes de alto risco e encaminhá-las ao serviço de referência;

• Orientar as gestantes sobre a periodicidade das consultas odontológicas e os trimestres de gestação indicados para a realização de tratamento odontológico;

• Realizar busca ativa das gestantes faltosas de sua área de abrangência;

• Realizar visitas domiciliares durante o período gestacional e puerperal;

• Acompanhar o processo de aleitamento materno e os cuidados com o futuro bebê, enfatizando a importância do papel da amamentação na dentição e no desenvolvimento do aparelho fonador, respiratório e digestivo da criança;

• Orientar a mulher e seu companheiro sobre hábitos alimentares saudáveis e de higiene bucal.

4.3.3 Consulta de enfermagem/enfermeira(o) na atenção à gestante

A consulta de enfermagem é uma atividade independente, realizada privativamente pelo enfermeiro, e tem como objetivo propiciar condições para a promoção da saúde da gestante e a melhoria na sua qualidade de vida, mediante uma abordagem contextualizada e participativa. O profissional enfermeiro pode acompanhar inteiramente o pré-natal de baixo risco na rede básica de saúde, de acordo com o Ministério de Saúde e conforme garantido pela Lei do Exercício Profissional, regulamentada pelo Decreto nº 94.406/87.

Durante a consulta de enfermagem, além da competência técnica, o enfermeiro deve demonstrar interesse pela gestante e pelo seu modo de vida, ouvindo suas queixas e considerando suas preocupações e angústias. Para isso, o enfermeiro deve fazer uso de uma escuta qualificada, a fim de proporcionar a criação de vínculo. Assim, ele poderá contribuir para a produção de mudanças concretas e saudáveis nas atitudes da gestante, de sua família e comunidade, exercendo assim papel educativo.

2012_0152_M_final.indd 497/8/2012 1:17:15

(Parte 7 de 7)

Comentários