Histerectomia

Histerectomia

Acadêmicas de Enfermagem:

  • Kátia Silva;

  • Márcia Andrade;

  • Maria Castro;

  • Yuria Mendes.

  • Orientadora: Renata Santos

ANATOMIA

FISIOLOGIA

Histerectomia

Indicações

  • Recomenda-se a histerectomia nos seguintes casos:

  • Infecções graves e de curso prolongado (doença pélvica inflamatória crônica);

  • Inflamação grave do revestimento do útero (endometriose);

Indicações

Contra - Indicações

  • Distúrbios de coagulação;

  • Contra-indicação de anestesia geral;

  • Hérnias medianas e diafragmáticas de grande volume;

  • Distensão abdominal causada por distensão de alças, miomas e massas anexiais superiores a 18 cm.

Tipos de Histerectomia

  • Histerectomia abdominal - é feita através de uma incisão no abdome, por onde se retira o útero. Realizada sob anestesia geral ou regional.

Tipos de Histerectomia

  • Histerectomia vaginal - é feita através de uma operação através da vagina, por onde se retira o útero. Realizada sob anestesia geral ou regional.

Tipos de Histerectomia

  • Vídeo-laparoscopia (HVLA) - é a histerectomia onde a cirurgia é realizada por pequenos orifícios de 5 a 10 mm no abdome e a retirada do útero é feita pela vagina.

Tipos de Histerectomia

  • Histerectomia Supracervical Laparóscopica (HSL) - é uma opção cirúrgica recente que utiliza apenas laparoscopia para remover o útero, deixando o colo do útero intacto.

Posições Cirúrgicas

Efeitos Colaterais

  • Lesões ao intestino, bexiga, ureteres;

  • Sangramento vaginal;

  • Infecção, dor pélvica crônica e diminuição da resposta sexual.

Efeitos Colaterais

Efeitos Colaterais

Efeitos Colaterais

  • Outros sintomas:

  • Fadiga;

  • Ganho de Peso;

  • Artralgia;

  • Alterações urinárias;

  • Depressão;

Cuidados de Enfermagem no Pré - Operatório

  • O profissional de enfermagem deve preparar a paciente para a realização de exames físicos e laboratoriais;

  • Esclarecer dúvidas relacionadas a cirurgia;

  • Ensinar técnicas para que seu pós- operatório seja mais tranquilo.

Cuidados de Enfermagem no Pré - Operatório

Imediato

  • Ficar atento aos sinais vitais e dar apoio psicológico;

  • Verificar roupa cirúrgica (de acordo com a instituição);

  • Anti-sepsia da pele, tricotomia, jejum e preparo intestinal.

Cuidados de Enfermagem no Intra - Operatório

Cuidados de Enfermagem no Pós - Operatório

  • Transportar o paciente para a SRPA mantê-lo em decúbito dorsal;

  • Verificar os sinais vitais conforme rotina;

  • Observação constante;

  • Atenção a hemorragias;

  • Observar nível de consciência;

  • Aquecer o cliente, de acordo com suas necessidades;

  • Realizar e registrar balanço hídrico.

Cuidados de Enfermagem no Pós - Operatório

Cuidados de Enfermagem no Pós - Operatório

Mediato

  • Controlar e anotar parâmetros vitais de acordo com evolução clínica do paciente e/ou prescrição médica;

  • Controle da hidratação venosa;

  • Mudança de decúbito;

  • Prestar higiene;

  • Trocar o curativo de 12 em 12h ou quando necessário.

Cuidados de Enfermagem no Pós - Operatório

Tardio

  • Ficar atento ao aparecimento de alterações como:

    • Dor;
    • Alteração da temperatura;
    • Náuseas e vômitos;
    • Sede;
    • Soluços;
    • Choque;
    • Hemorragias;
    • Alterações urinárias.

Cuidados de Enfermagem no Pós - Operatório

Tardio

  • Aconselha o paciente a retornar ao hospital em caso de:

    • Febre persistente;
    • Vômitos incessantes;
    • Dor forte no abdome que não passe com a medicação prescrita pelo médico;
    • Secreção fétida na ferida da operação ou vermelhidão, calor ou sangramentos;
    • Grandes sangramentos (maiores do que os da menstruação).

SAE

SAE

SAE

SAE

SAE

SAE

SAE

SAE

Referências

SMELTZER, S.C.; BARE,B.G.Tratado de enfermagem médico-cirúgica – Brunner & Suddarth.11°.ed.Rio de Janeiro: Guanabara Koogan,2009.

Comentários