(Parte 1 de 2)

PREVENTEC BRASIL e ABRAFAM – Associação Brasileira de Apoio às Famílias de Drogadependentes prestam os seguintes serviços às empresas

  • Elaboração de Política para álcool e drogas;

  • Desenvolvimento de Programas de Prevenção e do Uso de Álcool e de Outras Drogas no Ambiente de Trabalho;

  • Implementação de Programas com ou sem testes toxicológicos;

  • Aplicação de programas educativos e de conscientização;

  • Gestão de casos de trabalhadores encaminhados a tratamento para o abuso de álcool ou de outras drogas;

  • Apoio e orientação às famílias de trabalhadores usuários de álcool e de outras drogas;

  • Consultoria em assuntos relativos a álcool e outras drogas.

VALORIZAÇÃO DA VIDA NO TRABALHO E NA FAMÍLIA

Programa de Prevenção e Atenção ao Uso Indevido de Álcool e Outras Drogas

O programa "Valorização da Vida no Trabalho e na Família" foi desenvolvido pelo Instituto de Pesquisa e Desenvolvimento em Prevenção – PREVENTEC BRASIL e ABRAFAM – Associação Brasileira de Apoio às Famílias de Drogadependentes, entidades especializadas em Planejamento e Promoção de Saúde, que estão entre as principais provedoras nacionais de assistência e prevenção ao uso de álcool e outras drogas no ambiente empresarial.

OBJETIVOS

Os seus objetivos visam o aprimoramento e a melhoria do desempenho global das empresas que o adotam. A sua correta utilização contribui com a qualidade de seus produtos e serviços, melhora os níveis de saúde e segurança e diminui os prejuízos decorrentes do uso de álcool e outras drogas, tais como absenteísmo, acidentes, sabotagens, roubos, indenizações, seguros e assistência médica aos empregados e familiares.

EXPERIÊNCIA

ABRAFAM e PREVENTEC BRASIL implementam e gerenciam projetos e programas que criam e mantêm ambientes de trabalho livres de drogas, através das mais avançadas tecnologias em prevenção (Science – Based Prevention) e reabilitação (Treatment Improvement Protocols).

Os seus conceitos sobre prevenção e atenção ao uso de substâncias psicoativas foram construídos, ao longo dos anos, sobre os alicerces da integração de conhecimentos e experiências de uma equipe multiprofissional altamente capacitada, principal responsável pelos resultados que o programa tem alcançado.

ESTRATÉGIA

Entendimento do Problema

A dependência de álcool e outras drogas é uma enfermidade primária que requer pronto tratamento, antes de enfrentar os demais problemas a ela relacionados ou dela decorrentes. A dependência química é uma doença crônica e progressiva. Precisa ser controlada, tal qual a hipertensão, o reumatismo, o diabetes, entre outras.

Hoje, entende-se que a dependência de álcool e outras drogas é um fenômeno complexo e disseminado nos diversos setores da sociedade, em todo o mundo. O ambiente de trabalho é um dos principais locais de uso e, ao mesmo tempo, o melhor lugar para as intervenções de prevenção e tratamento. É onde se tem alcançado os melhores resultados.

Mais de 60% da população são trabalhadores que passam grande parte de suas horas de vigília no trabalho. As empresas mantêm laços importantes com a comunidade e com as famílias de seus empregados. Em geral, influenciam de maneira decisiva a qualidade de suas vidas. É fato consensual que o local de trabalho é a segunda unidade social mais importante. A primeira é a família.

Responsáveis por perdas econômicas e sociais significativas, o uso de álcool e outras drogas é preocupação de importância crescente no mundo empresarial. Diretamente vinculado a acidentes de trabalho, queda de produtividade, absenteísmo e deterioração das relações sociais e familiares, o problema merece atenção especial dos setores de Medicina Social, Assistência Social e Relações Humanas de diversas organizações empresariais.

Nos principais centros urbanos de todo o país, empresários das mais diversas áreas estão procurando maneiras práticas de enfrentar esse desafio. Buscam alternativas para estabelecer programas e ações eficazes com o propósito de prevenir e afastar de suas empresas o perigo do uso de álcool e outras drogas.

O papel dos Empresários e Dirigentes

O usuário regular, o dependente e o familiar codependente não costuma deixar o problema em casa. Carrega-o consigo aonde quer que vá, sobretudo, ao trabalho. Por isso, nos últimos tempos, a preocupação com os problemas decorrentes do uso dessas substâncias passou a integrar o conjunto de responsabilidades dos dirigentes de muitas das principais organizações, em todo o mundo.

Os que insistem em ignorar ou continuam indiferentes ao problema, nunca agem no momento oportuno, quando o caso ainda é solucionável. Apenas contemplam, enquanto recursos humanos preciosos são desperdiçados. Já faz parte da moderna administração, fornecer assistência aos empregados com "Transtornos Decorrentes do Uso de Substâncias Psicoativas" (Classificação Internacional de Doenças-OMS), pois o alcoolismo e as drogas prejudicam o desempenho no trabalho, reduzem a produtividade e aumentam a vulnerabilidade de qualquer organização. Os custos de programas de reabilitação de empregados é significativamente menor do que os de demissão, admissão, treinamento e capacitação de substitutos.

Os empresários e dirigentes detêm poder de indução a tratamento equivalente ao direito que lhes é atribuído para determinar o nível de desempenho profissional de seus empregados. Esse direito de intervir é reconhecido como mais legítimo do que o de amigos, médicos, psicólogos, advogados, padres ou pastores. Apenas a família e o sistema legal têm autoridade similar para induzir o usuário de drogas a aceitar um programa de reabilitação. A arma mais poderosa de convencimento é a manutenção do emprego, a qual está nas mãos dos empresários e dirigentes.

PESQUISAS

Dados que sustentam a importância do Programa

Pesquisa realizada pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP – junto aos seus associados, constatou que cerca de 10% a 15% dos trabalhadores (sem considerar os codependentes) apresentam problemas com o álcool e outras drogas, o que:

  • Provoca 3 vezes mais licenças médicas que outras enfermidades;

  • Aumenta em 5 vezes as chances de acidentes de trabalho;

  • Está relacionado com 15% a 30% de todos os acidentes de trabalho;

  • É responsável por 50% do absenteísmo e licenças médicas;

  • Leva à utilização de 8 vezes mais diárias hospitalares;

  • Leva a família a utilizar 3 vezes mais a assistência médica e social.

Durante o I Congresso Mercosul de Prevenção às Drogas no Trabalho e na Família, realizado em Porto Alegre, foram revelados aspectos importantes sobre o problema do abuso de drogas, observados em uma amostra de 55 empresas do Rio Grande do Sul:

  • Oito em cada dez trabalhadores gostariam de receber orientação a respeito dos meios mais adequados para ajudar a si mesmos e aos seus familiares sobre os problemas decorrentes do uso do álcool, tabaco e outras drogas;

  • Sete em cada dez empregados gostariam que as informações a esse respeito fossem estendidas também aos seus familiares.

IMPLANTAÇÃO DO PROGRAMA: CARACTERÍSTICAS

Abordagem Inicial

Primeiramente são discutidos e avaliados com o empresário ou dirigente e sua equipe executiva todas as questões legais, administrativas, assistenciais, médicas, indenizatórias, de seguridade e possíveis intercorrências advindas da implantação do programa. A seguir, é elaborada a Política da Empresa para Álcool e Drogas – PEAD, de forma a contemplar todas as questões discutidas e avaliadas, previamente. Aprovada pelos dirigentes, a PEAD passa a regulamentar todos os procedimentos da empresa relativos à prevenção e à atenção ao uso indevido de álcool e outras drogas. A PEAD norteia, também, o trabalho de definição do tipo de programa, escopo, abrangência e cronograma de implantação.

MÓDULOS

Implantação

O programa é modular e sua implantação ocorre mediante a realização de atividades internas projetadas para prover educação e conscientização aos empregados, com o objetivo de desenvolver atitudes saudáveis e habilidades práticas necessárias à melhoria da qualidade de vida em geral – principal estratégia de prevenção. Cada sessão de atividades alterna conhecimento conceitual com dinâmicas em grupo, visando a melhor fixação dos conceitos transmitidos.

Os cinco módulos do programa são estruturados para criar um ambiente propício à sensibilização, conscientização, aprendizagem e desenvolvimento pessoal. Cada um deles tem duração específica, de acordo com as características e necessidades levantadas anteriormente.

MÓDULO 1

Definição de Política da Empresa para Álcool e Drogas (PEAD)

Elaborada pela empresa em conjunto com a ABRAFAM e PREVENTEC BRASIL, a PEAD deve estar em consonância com os objetivos e necessidades da organização e perfeitamente adequada às suas normas de Segurança, Saúde e Medicina do Trabalho.

MÓDULO 2

Treinamento e Capacitação de Supervisores e Gerentes

Supervisores e Gerentes recebem treinamento que os capacitam como agentes multiplicadores de atenção e prevenção ao uso indevido de álcool e / ou outras drogas no ambiente de trabalho.

MÓDULO 3

Educação Preventiva dos Funcionários (Programa Familiar opcional)

São ministradas palestras sobre os efeitos nocivos do álcool e outras drogas, visando sensibilizar e obter a adesão voluntária dos empregados.

MÓDULO 4

Análises Toxicológicas

Realizados em amostra biológica, os exames toxicológicos identificam as substâncias mais usadas como maconha, cocaína, anfetaminas, heroína, metanfetaminas, barbitúricos, entre outros medicamentos que alteram o desempenho psicomotor. Esses testes são realizados através de rígido controle de custódia que garantem total fidedignidade aos resultados, em caráter estritamente confidencial.

Exames toxicológicos, realizados com material biológico, podem ser de:

  • Urina: o exame é rápido e indica uso recente ou recorrente de droga.

  • Cabelo: equivale a um relatório de ocorrências que indica o uso pregresso por mais de um mês.

  • Saliva: mais usado para testes de álcool, agora também para outras drogas. Fornece resultados rápidos, mas ainda é pouco conhecido

  • Suor: sua coleta, com adesivos, é complicada.

  • Ar expirado: presta-se para medir a concentração de drogas voláteis eliminadas pelo pulmão com o bafômetro.

  • Sangue: a obtenção de amostras é invasiva, o que dificulta os testes em programas de prevenção.

Podem ser realizados nas seguintes ocasiões:

    • Pré-admissão

Em candidatos a emprego com a finalidade de evitar a admissão de usuários.

    • Sorteio aleatório

Para dissuadir o uso indevido.

    • Motivado

Em casos de condutas ou comportamentos inadequados. Visa identificar usuários e oferecer ajuda.

    • Periódico

Aplicado em situações e com intervalos predeterminados.

    • Pré-atividade de risco

Para certificação de que os empregados destacados à realiza-la estão aptos.

    • Pós-acidente

Para identificar o uso de álcool ou drogas após o envolvimento em acidentes.

    • Pós-reabilitação

Com periodicidade e freqüência definidas pelo profissional de saúde que assiste o caso.

MÓDULO 5

Reabilitação

O custo de tratamento do empregado é significativamente menor do que os de sua demissão e adminissão, treinamento e capacitação de substituto. Conseqüentemente, investir na sua reabilitação é sempre mais acertado. Quando necessário, a ABRAFAM e PREVENTEC BRASIL encaminharão o caso a tratamento a centros especializados, devidamente credenciados, com modelos de tratamento comprovadamente eficazes.

As atividades de cada módulo são orientadas por profissionais especializados e envolvem todo o pessoal da empresa e todos os níveis hierárquicos, inclusive terceirizados.

(Parte 1 de 2)

Comentários