LIÇÃO 3 – RENOVAÇÃO DA MENTE (RM 12.1-2)

UM ALVO – AGRADAR A DEUS

 

[1]          REVISÃO

a.      Apresentar-se: andar na presença de Deus; postura ativa de oferecer-se a Deus.

b.      Sacrifício: os sacrifícios no AT eram chamados de aceitáveis; a lei ensinava como oferecer sacrifícios aceitáveis e quais sacrifícios eram inaceitáveis (Lv 22.17).

c.      “Vivo, santo e agradável”: qualifica o tipo de sacrifício que agrada a Deus — o culto de coração e não de ritos: “Fazer justiça e juízo é mais aceitável ao SENHOR do que sacrifício” (Pv 21.3; Sl 69.30,31).

 

[2]          CONCEITOS – AGRADAR E AGRADECER

a.      Grado: do latim gratu, significa vontade; p.ex: “de bom grado’, ‘de mau grado’.

b.      Agradar: fazer a vontade de alguém; na linguagem do Antigo Testamento é o mesmo que “achar graça aos olhos de alguém”; compare Ex 33.12 e 13:

               i.Senhor: “Conheço-te por teu nome, também achaste graça aos meus olhos

Moisés: “se tenho achado graça aos teus olhos, rogo-te que me faças saber o teu caminho, e conhecer-te-ei, para que ache graça aos teus olhos” (versão Fiel).

             ii.Senhor: “Eu o conheço pelo nome e de você tenho me agradado...”

Moisés: “Se me vês com agrado, revela-me os teus propósitos, para que eu... continue sendo aceito por ti” (versão NVI).

           iii.Anjo: “Maria, não temas, porque achaste graça diante de Deus” (Lc 1.30)

c.      Aprazer: ter prazer, ser aprazível;  

d.      Comprazer: fazer o gosto, fazer a vontade de alguém; ser agradável.

               i.: “Este é o meu Filho amado, em quem tenho todo o meu prazer” (Mt 3.17; 12.18; 17.5; Mc 1.11; Lc 3.22; 2Pe 1.17).

e.      Agradecer: mostrar-se grato; demonstrar gratidão; retribuir a graça recebida.

f.        Conclusão: agradar é dar graça a alguém; agradecer é retribuir a graça recebida.

 

[3]          AGRADAR A DEUS — O ALVO DO NOVO HOMEM

a.      O que agrada a Deus: o que agrada a Deus é Cristo 

               i.Testemunho de Deus Pai: “Este é o meu Filho amado, em que tenho todo o meu prazer” (Mt 3.17; 12.18; 17.5; Mc 1.11; Lc 3.22; 2Pe 1.17).

             ii.Jesus: “A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou” (Jo 4.34);  “não busco a minha vontade, mas a vontade do Pai que me enviou” (Jo 5.30). “eu desci do céu, não para fazer a minha vontade, mas a vontade daquele que me enviou” (Jo 6.38-40); “eu sempre faço o que lhe agrada” (Jo 8.29).

           iii.Profecia: “agrada-me fazer a tua vontade, ó Deus meu” (Sl 40.8; Hb 10).

b.      Agradar a Deus: o cristão deve aprender agradar a Deus e não a si mesmo;

               i.“Nenhum soldado em serviço se envolve em negócios desta vida, porque o seu objetivo é satisfazer àquele que o arregimentou” (2 Tm 2.4).

             ii.“por esta razão não vos torneis insensatos, mas procurai compreender qual a vontade do Senhor” (Ef 5.17); “fazendo de coração a vontade de Deus” (Ef 6.6).

c.      Pergunta: se todo o prazer do Pai está no Filho, como eu posso agradar a Deus? Se o Todo-Poderoso tem todo o seu prazer na Trindade, que parte resta a mim?

               i.Resposta: o cristão agrada a Deus na medida que Cristo é formado nele; o homem só é pleno na comunhão com Cristo.

 

 

[4]          AGRADAR A DEUS – NÃO AGRADAR A SI MESMO

a.      Não agradar a si mesmo: não devemos agradar a nós mesmos nem aos outros.

               i.“devemos suportar as debilidades dos fracos, e não agradar-nos a nós mesmos. “... nós vos rogamos e exortamos... quanto à maneira por que deveis viver e agradar a Deus... continueis progredindo cada vez mais” (1Ts 4.1).

b.      Não agradar a homens: não buscar o louvor e a aprovação dos homens em relação a Deus.

               i.“Porventura procuro eu agora o favor dos homens, ou o de Deus? ou procuro agradar a homens?” (Gl 1.10; ver Ef 6.6; Cl 3.22);

             ii.“... assim falamos, não para que agrademos a homens, e, sim, a Deus que prova os nossos corações” (1Ts 2.4).

 

[5]          AGRADAR A DEUS — AGRADANDO O PRÓXIMO

a.      Agradar a Deus: o foco de agradar a Deus nos liberta de ser aprisionados em outras relações e obrigações de agradar; agradar a Deus pode implicar em resistir a alguém e em ser duro contra outro; mas também pode significar servir humildemente uma ou outra pessoa; se eu me dedico a servir os outros como foco, posso me magoar e aprisionar em uma obrigação de fazer.

b.      Quando agradar a homens: assim como Cristo não agradou a si mesmo, antes fez a vontade do Pai, nós também devemos expressar nosso propósito de agradar a Deus, agradando ao próximo “no que for bom para edificação”

               i.“assim como também eu procuro em tudo ser agradável a todos, não buscando o meu próprio interesse, mas o de muitos, para que sejam salvos” (1Co 10.33).

             ii.“Portanto cada um de nós agrade ao próximo no que é bom para edificação. Porque também Cristo não se agradou a si mesmo” (Rm 15.1-3).

           iii.“Aquele que deste modo serve a Cristo, é agradável a Deus e aprovado [aceito] pelos homens” (Rm 14.18).

 

[6]          AGRADAR A DEUS  — OBEDIÊNCIA

a.      Obedecer a Deus: se a raiz do pecado é a rebelião e a autonomia, certamente a obediência e a interdependência têm papel fundamental na vida cristã.

               i.“o meu justo viverá pela fé, e: se retroceder, nele não se compraz a minha alma” (Hb 10.38);

             ii.“agrada-te do Senhor e ele satisfará aos desejos do teu coração” (Sl 37.4);

           iii.“... nos esforçamos... para lhe [a Deus] ser agradáveis” (2Co 5.9);

            iv.“provando sempre o que é agradável ao Senhor” (Ef 5.10);

              v.“para viverdes de modo digno do Senhor, para o seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus” (Cl 1.10).

            vi.“... retenhamos a graça, pela qual sirvamos a Deus de modo agradável, com reverencia e santo temor” (Hb 12.28); ver Sl 19.14.

b.      Obedecer aos pais: “Filhos, obedecei a vossos pais no Senhor, pois isto é justo” (Ef 6.1); “obedecei... pois fazê-lo é grato diante de Deus” (Cl 3.20; 1Tm 5.4).

c.      Obedecer aos chefes: “servos, obedecei a vossos senhores” (Ef 6.5; Cl 3.22); “obedientes ao seu senhor, dando-lhe motivo de satisfação” (Tt 2.9).

d.      Obedecer aos pastores: “obedecei aos vossos guias, e sede submissos para com eles” (Hb 13.7,17)

 

[7]          AGRADAR A DEUS  — SERVIÇO RACIONAL

a.      Culto racional: “que é o vosso culto racional” — o sentido simples do texto é que “apresentar-se a Deus como sacrifício vivo, santo e agradável” —  apresentação  contínua de si mesmo a Deus

b.      Conclusão: Paulo evoca o serviço religioso do templo e acrescenta uma qualificação — racional, ou apropriada; ele se refere ao papel da mente renovada, transformada na vida cristã em contraste com ritos e sacrifícios de animais. 

 

[8]          TEXTOS PARA ESTUDO PARTICULAR

a.      O que agrada a Deuspraticar o bem e a cooperação (Hb 13.16); ser grato (Sl 69.31; 135.3; 147.1; 1Ts 5.18); interceder por todos os homens e por todas as autoridades (1Tm 2.1-3);suportar perseguição mesmo fazendo o bem (1Pe 3.17; 4.19); ser santo (1Ts 4.3; 1Pe 4.2); servir com alegria, reverência e temor (Hb 12.28); ser sincero (1Cr 2917); integridade (Pv 11.20); honestidade (Pv 11.1); temer ao Senhor (Sl 147.11; Is 11.3; At 10.35; 1Pe 2.19-20); testemunho (1Pe 2.15); conhecer a Deus (Jr 9.24; Cl 1.10); fidelidade (Pv 12.22); meditar na lei do Senhor (Sl 1.2; 112.1; 119.24,35,143, 174).

b.      O que não agrada a Deusincredulidade: “sem fé e impossível agradar a Deus” (Hb 11.6); pecado: “os que estão na carne não podem agradar a Deus” (Rm 8.8)

 

[9]          PARA REFLETIR

a.      Nós fomos feitos por Deus e para Deus (Cl 1:16b; Rm 11:36)

b.      Analise a relação: agradar a si mesmo X agradar aos outros X agradar a Deus.

Comentários