(Parte 7 de 7)

Natureza, o templo da vida. Mercantilizam a terra, a água, as sementes, a vida humana para o lucro de poucos. O Templo da Natureza é para ser contemplado e utilizado em favor da vida e do bem estar de todas as pessoas que habitam a terra e não uma mercadoria vendida para o lucro de meia dúzia

Benditas Mulheres Camponesas que iniciaram a expulsão dos modernos vendilhões do Templo da Vida.

O Latifúndio dos Eucaliptos

Informações básicas sobre as monoculturas de árvores e as indústrias de papel

XV - Propostas Para Viabilizar Plantio Comercial de Árvores

Diante deste conjunto de informações e destas reflexões muitos concluem que não restam muitas alternativas:

Mudar drasticamente o padrão de consumo das sociedades em que vivemos;

Continuar devastando as florestas nativas; Optar pelo mal menor e continuar com as monoculturas do deserto verde.

Como todos sabemos que não se muda rapidamente um padrão de cultura, ainda mais quando todos os meios de comunicação de massa, fiéis aos interesses do capital, estimulam a insensatez do consumismo.

Então parecem só restar as duas outras alternativas.

Não é o pensamento nem a posição da Via Campesina.

Pensamos e defendemos que precisamos mudar nossa cultura consumista, inclusive em relação ao papel. Usar menos papel e, quando usar, optar pelo papel reciclado e evitar o uso do papel branco.

Achamos que é possível produzir madeira em escala para celulose e papel, combinada com outros usos.

Estabelecemos algumas linhas gerais para debatermos as condições e os meios para realizar tal produção:

Proibição completa do plantio de pinus em escala comercial;

Proibição do uso das tecnologias de branqueamento de papel através de cloro elementar ou dióxido de cloro;

Zoneamento Agro Ecológico e agroflorestal previamente definido e debatido democraticamente com os setores organizados da população;

Estudo Prévio de Impacto Ambiental por região afetada levando em consideração principalmente a disponibilidade de água a partir de sérios e exaustivos estudos hidrológicos e impactos de largo prazo na biodiversidade regional;

Definição de quais áreas podem ser plantadas com eucaliptos, quais variedades, em que extensão e em que sistema agroflorestal;

O Latifúndio dos Eucaliptos

Informações básicas sobre as monoculturas de árvores e as indústrias de papel

Planejar sistemas agroflorestais diversificados e amplamente distribuídos no espaço geográfico do estado;

Indústrias de celulose e papel de médio porte, descentralizadas, com tecnologias flexíveis para utilizar vários tipos de matérias primas vegetais;

Pesquisas e aplicações tecnológicas para melhorar geneticamente árvores nativas para a indústria de celulose, bem como o caule de mamona, cuja produção do grão tende a aumentar com o desenvolvimento do biodiesel, constituindo uma escala significativa de produção;

Plantio diversificado de árvores nas propriedades camponesas, envolvendo espécies nativas, acácia, eucalipto, frutíferas junto com a produção de alimentos em sistemas integrados de agroflorestas;

Pesquisa pública e assistência técnica voltada para um novo modelo de produção agroflorestal;

Estímulo à organização cooperativa dos camponeses para participar de projetos integrados de produção de árvores em sistemas ecologicamente sustentáveis;

Linhas de crédito para os pequenos agricultores e assentados produzir árvores em sistemas diversificados para plantas industriais descentralizadas e utilizadoras de várias fontes de matérias primas;

Execução de reforma agrária nas regiões de latifúndio e produção diversificada de alimentos (vegetal e animal), energia e árvores. Os latifúndios de monoculturas de árvores das grandes empresas papeleiras devem ser imediatamente destinadas para Reforma Agrária.

O Latifúndio dos Eucaliptos

Informações básicas sobre as monoculturas de árvores e as indústrias de papel

Projeto Gráfico, Fotolitos e Impressão:

GRÁFICA E EDITORA LTDA. (51) 3019.1877 - 3029.6626 pontocomgrafica@terra.com.br

(Parte 7 de 7)

Comentários