apostila FGF-Metodologia da Pesquisa

apostila FGF-Metodologia da Pesquisa

(Parte 4 de 14)

sido o próprio Abraham Lincoln. Disse ele: ‘Pode-se enganar todas as pessoas algum tempoMas não

Ex.: “Já não me lembro quem disse esta frase, mas foi, com certeza, alguém muito conhecido. Talvez tenha se pode enganar todas as pessoas todo o tempo’ (ideia principal).”

Algumas vezes, a alusão tem caráter mais popular. Nesse caso, a ideia analógica pode ser introduzida por uma anedota ou piada.

Metodologia da Pesquisa e da Produção Científica 14

Iniciando os EstudosUnidade I

• Narração

Ex.: Numa dessas noites tive um sonho que acabou em pesadelo (ideia principal). Sonhei com o meu tio Juan.

Não cheguei a conhecê-lo, mas imaginava-o com feições de índio, forte, de bigode ralo e cabelo comprido. Íamos para o Sul, entre grandes pedreiras e mato bravo, mas essas pedreiras e esse mato eram também a Rua Thames. No sonho o sol estava alto. Tio Juan ia vestido de preto. Parou perto de uma espécie de palanque, num desfiladeiro. Tinha a mão debaixo do paletó, à altura do coração, não como quem está para puxar uma arma, mas como quem a está escondendo. Com uma voz muito triste me disse: Mudei muito. Foi tirando a mão e eu vi que era uma garra de abutre. Acordei gritando no escuro.

(Jorge Luís Borges. História universal da infâmia e outras histórias. Tradução de Hermildo Borba Filho. São Paulo: Círculo do Livro.)

• Descrição

Ex.: A sala estava uma desordem (ideia principal). As cadeiras haviam sido viradas de pernas para cima. Dois tapetes pequenos estavam sobre o sofá, que fora arrastado para perto da porta. Por fim, copos, pratos e talheres usados rodeavam duas revistas abertas no chão.

• Misto

Combinam-se diferentes tipos de desenvolvimento.

Ex.: Os incentivos classificam-se em essenciais e acidentais (ideia principal). Os essenciais obrigam o indivíduo a uma atividade para salvar a sua sobrevivência. Os acidentais recomendam uma atividade porque se ligam à sensação de agradável. O encontro com uma onça na floresta: a visão da fera à pequena distância e avançando contra nós é um incentivo essencial. Alguma atividade é necessária para salvarmos a vida. A visão de um cartaz de Coca-Cola é um incentivo acidental: essa bebida é perfeitamente dispensável, embora seja agradável ao paladar de muitos indivíduos.

(Adaptado)

Utilizou-se, no exemplo, desenvolvimento por enumeração e exemplificação.

Conclusão Arremata o parágrafo, dá fecho lógico ao desenvolvimento. Às vezes os parágrafos conclusivos dispensam o arremate lógico, a conclusão, como o que se segue.

Mas o tempo é o melhor remédio para curar desavenças (ideia principal). Com o passar das madrugadas, eles foram se entrosando, se entendendo e tornaram-se amigos. Chegavam, inclusive, a dividir responsabilidades, um tirando serviço para o outro, quando a clientela aumentava (desenvolvimento).

(Luiz Puntel. Não aguento mais esse regime. São Paulo: Ática)

O parágrafo, a seguir, denomima-se parágrafo padrão pela estrutura apresentada. Confira.

O esforço das autoridades para manter a diversidade cultural entre os índios pode evitar o desaparecimento de muita coisa interessante (ideia principal). Um quarto de todas as drogas prescritas pela medicina ocidental vem das plantas das florestas e três quartos foram colhidas a partir de informações de povos indígenas. Na área da educação, a língua tucana, apesar do pequeno número de palavras, é comparada por linguistas com a linguagem grega por sua riqueza estrutural – possui, por exemplo, doze formas diferentes de conjugar o verbo no passado (desenvolvimento). Permanece a questão de como ficará o índio num mundo globalizado, mas pelo menos já se sabe o que é preciso fazer (conclusão).

Os parágrafos requerem certos cuidados, como a clareza, a extensão, a unidade e a coerência, entre outros.

Pós-Graduação a Distância 15

Iniciando os EstudosUnidade I

De acordo com o estilo atual, o texto expositivo privilegia a ordem direta, a clareza, evitando, assim, parágrafos longos com excessivos entrelaçamentos de incidentes e orações subordinadas que possam causar dificuldades à análise e ao entendimento dos leigos. É claro que algumas ideias exigem parágrafos maiores, mas deve haver um equilíbrio entre as ideias que se quer expressar e o desenvolvimento do período.

Por outro lado, não se afigura apropriado ao texto expositivo-argumentativo o “estilo picadinho”, encontrado em narrativas na moderna literatura como, por exemplo:

“Entrou. Puxou uma cadeira. Sentou-se. Veio o garçom. Pediu café. Serviu-se. Bebeu. Puxou um níquel. Pagou. Saiu.”

Assim como a fala não consiste meramente de uma afirmação após outra, os parágrafos significam mais do que uma simples sucessão de sentenças, ou seja, unidade e coerência.

A unidade consiste em dizer uma coisa de cada vez, omitindo-se o que não é essencial ou não se relaciona com a ideia predominante no parágrafo.

A coerência diz respeito à relação de causa e/ou consequência entre a ideia predominante e as secundárias. Devese, portanto, planejar o desenvolvimento das ideias, pondo-as em uma ordem adequada ao propósito da comunicação e interligando-as por meio de conectivos, expressões e partículas de transição (conjunções, pronomes, advérbios, preposições...), porque as transições constituem os principais fatores da coerência.

O liame entre orações e períodos muitas vezes se faz implicitamente, sem a interferência dos conectivos: uma pausa adequada pode ser suficiente para interligar e inter-relacionar ideias.

Ex.: Estou muito preocupado. Há vários dias não recebo notícias dela. O seguinte trecho peca pela falta de unidade e coerência:

Dizer que viajar é um prazer triste, uma aventura penosa, parece um absurdo. Imediatamente nos ocorrem as dificuldades de transporte durante a Idade Média, quando viajar devia ser realmente uma aventura arriscada e penosa.

Melhor seria:

Dizer que viajar é um prazer triste, uma aventura penosa, parece absurdo, pois imediatamente ocorrem as inúmeras e tentadoras facilidades de transportes, o conforto das acomodações, enfim, todas as oportunidades e atrações que fazem da itinerância tudo, menos um prazer triste.

Cada ideia principal deve corresponder a um parágrafo. Considerando este princípio, são dois os tipos de erro de paragrafação.

• Mais de uma ideia principal no mesmo parágrafo, pois elas ficam concorrendo entre si pela ligação com as ideias secundárias, o que dificulta o entendimento do parágrafo.

• Mesma ideia principal em mais de um parágrafo, uma vez que é incorreto mudar de parágrafo enquanto não se termina o desenvolvimento de uma ideia.

Assim, faz-se necessário atenção ao expor a ideia principal e o seu desenvolvimento.

Este texto abordou a estrutura do parágrafo, elemento básico para qualquer tipo de escrita.

Metodologia da Pesquisa e da Produção Científica 16

Iniciando os EstudosUnidade I

Aspectos Sintáticos, Morfológicos e Semânticos Característicos da Linguagem Acadêmica

Sabe-se que toda língua se compõe de quatro diferentes estratos (cada um dos níveis em que se organizam seus elementos): o fônico, o mórfico, o sintático e a semântico.

O fônico refere-se aos sons (fonemas) e às suas várias possibilidades de combinação para a formação dos vocábulos, e a parte da Gramática que o normatiza denomina-se Fonética.

O mórfico refere-se aos vocábulos (palavras, signos linguísticos), suas estruturas, regras de formação, flexão, conjugação etc., e a parte da Gramática que o normatiza corresponde à Morfologia.

O sintático refere-se às várias formas de se combinar as palavras, de acordo com as estruturas definidas pela língua, para se formar as frases, e a parte da Gramática que o normatiza se denomina Sintaxe.

O semântico refere-se à significação resultante da combinação dos três estratos anteriores, o que possibilita a comunicação entre os vários falantes de uma determinada comunidade linguística, e a parte da Gramática que o analisa corresponde à Semântica.

A linguagem acadêmica exige um emprego escorreito das normas gramaticais e, neste texto, tratar-se-á de alguns aspectos sintáticos, morfológicos e semânticos característicos dessa modalidade de linguagem.

Os principais requisitos da linguagem acadêmica correspondem à correção, à sobriedade e à propriedade. A correção resulta do domínio da norma culta e da adequada estruturação sintática.

Aspectos sintáticos Observe alguns aspectos sintáticos exigidos na produção de textos acadêmicos.

(Parte 4 de 14)

Comentários