A Técnica de Edificar

A Técnica de Edificar

(Parte 1 de 8)

Walid Yazigi 10a Edição • Revisada e Atualizada

Walid Yazigi é engenheiro civil, graduado pela Escola Politécnica da Universidade do São Paulo em 195. Desde 1960 está na direção da Construtora Yazigi e suas coligadas, responsáveis pela construção de cerca de cinco mil moradias — conjuntos habitacionais de interesse social e edifícios de apartamentos (de alto padrão e para população de renda média) —, prédios de escritórios e industriais, hospitais, clubes, shopping centers, entre outras edificações, totalizando aproximadamente uma centena de obras,

Foi presidente do Conselho do Sindicato da Indústria da Construção Civil do listado de São Paulo - SindusCon-SP, membro dos comitês da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) para revisão das normas NB 30/78 e NB 595/78, do Colegiado Técnico da Secretaria da Habitação e Desenvolvimento Urbano (SEHAB) da Prefeitura Municipal de São Paulo e do Setor Imobiliário da Federação do Comércio do Estado de São Paulo; participou de uma série decursos técnicos e de administração voltados para construção predial, informática e gestão de empresas. Seus conhecimentos técnicos e sua experiência profissional estão condensados nesta obra.

Walid Yazigi

10* Edição Revista e Atualizada

SindusCon{§ÍSP

Sindicato clà indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo

A TÉCNICA DE EDIFICAR C Copyright 1997, Todos os direitos de reprodução reservados pela Editora Pini Ltda.

Estios Internacionais do Catalogarão na Publicação (CIP) (Câmara Brasileira do Livro, SP, Brasil)

Yazigi, Walid

A técnica de edificar / Walid Yazigi. - 10. ed. rev. e atual. - São Paulo : Pini : SindusCon, 2009.

Bibliografia ES RN 978-85-7266-219-2

1. Construções 2. Edifícios I. Título. 09-08863 CDD-690

Índices para catálogo sistemático:

1. Construção de edifícios: Tecnologia 690 2. Edifícios: Construção: Tecnologia 690 3. Qualidade : Controle: Construção civil: Tecnologia 690

Revisão Técnica: Josué F. Lima e Mônica Costa (6ª edição) Edição e projeto gráfico: Setor de Comunicação do SindusCon-SP Foto da Capa: Keystone Coordenação gráfica: Ricardo Alves

Editoração eletrônica: Adriene Amadeu e João Marcelo Ribeiro Soares (10ª edição) Coordenação de Livros: Josiani Souza (10ª edição) Produção editorial: Renata Costa

SindusCon SP

Rua Dona Veridiana, 5, 01238-010, São Paulo, SP Telefone: (1) 3224-0566 - Fax (1) 3224-8266

Rua Anhaia, 964, 01130-900, São Paulo, SP

Telefone (011) 2173-2328- Fax (011) 2173-2327 w.piniweb.com - manuais@pini.com.br

10ª Edição Setembro/2009

Esta publicação tem como principal objetivo auxiliar o construtor a alcançar, em suas obras, a qualidade total, exigência que vem crescendo em função da competitividade do mercado imobiliário, do controle de desperdícios - antes mascarados pela inflação - do recente e severo Código de Defesa do Consumidor e das normas técnicas NBR ISO 9001.

O trabalho resultou de informações constantes no Manual de normas recomendadas para o canteiro e especificação para as obras - organizado pelo engenheiro Walid Yazigi, superintendente da Construtora Yazigi, de São Paulo (com certificação da NBR ISO 9001 :2000) -, acrescidas de transcrições de trechos de publicações a respeito de temas específicos sobre a técnica de edificar, em especial as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas - ABNT.

Lm razão de o material ter sido coletado ao longo de cinco décadas de minha atividade profissional na área de construção predial, sem o propósito de publicação futura, não houve a preocupação de anotar nome de autores e fontes de consulta.

Os direitos autorais são doados parcialmente à ABNT, pois considero a obra também como resultado de contribuição de engenheiros, arquitetos e outros técnicos especialistas citados no corpo do livro. Meu trabalho foi o de reunir em um único tomo, para facilitar o uso como livro de consulta todo esse conhecimento, que pode ser observado pela bibliografia.

Na elaboração da coletânea, procurou-se uma forma condensada de redação e, por razões econômicas, sem a inclusão de ilustrações. E, apesar de várias normas da ABNT estarem aqui parcialmente reproduzidas, sugiro ao profissional de edificação a consulta contínua o o acompanhamento permanente de atualização das Normas Técnicas Brasileiras.

No texto foram utilizadas algumas unidades de medida não adotadas pelo Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (INMETRO), por serem elas ainda largamente usadas na prática de edificação, como por exemplo metro de coluna de água (mca) e unidades inglesas e americanas, como polegada (").

A cada nova edição são festas revisões e atualização de técnicas. Por se tratar de complementação de conteúdo, este processo pode, ocasionalmente, resultarem redundâncias ou divergências quanto a procedimentos publicados nas edições anteriores.

Como o presente trabalho tem certamente falhas (omissões e mesmo até erros), o autor pede aos leitores que queiram colaborar com o seu aperfeiçoamento que enviem suas críticas e sugestões para o e-mail sac@construtorayazigi.com.br.

O autor

São notórios os avanços da tecnologia da construção civil, associados a um processo de constante desenvolvimento do saber cientifico aplicado. O perfil de cada obra, porém, naquilo que interessa à porção do mercado a que se destina, estará definido pelo conteúdo de engenharia que se possa encontrar no projeto e, depois, em todos os passos de sisa realização. Estará aí o teor de qualidade do empreendimento, seja este modesto ou grandioso, que corresponderá ao modo competente de usar-se a tecnologia, num quadro de relações entre custos e benefícios administradas também com apurado senso de responsabilidade profissional.

A Técnica de Edificar, de Walid Yazigi, tem essa virtude de trazer para o dia-a-dia do trabalho na construção uma enorme série de exemplos de como se confere conteúdo de engenharia a uma obra, para que se garanta sua qualidade - a característica diferenciadora que, afinai de contas, e o primeiro objetivo de um projeto sério, aquele que, além de especificações técnicas em si mesmas, constitui expressão de desempenhos profissionais respeitáveis.

No entanto, é ainda mais: tem-se aqui um completo guia para a atividade construtiva em seu sentido amplo, que começa no levantamento topográfico da área onde se levantará a edificação e segue, passo a passo, até o momento da sua entrega ao usuário final. Nào há paralelo a fazer com nenhum outro roteiro do gênero. Destaque-se ainda que os ensinamentos encontrados neste livro têm a valorizá-los o fato de que Walid Yazigi é uma personalidade em nosso meio. como empreendedor e construtor.

O SindusCon-SP tem a grande satisfação de eo-ediiar este trabalho, com a certeza de estar contribuindo para que os cuidados com a qualidade da construção civil se disseminem pelas pranchetas de projetistas e canteiros de obras, ainda mais amplamente do que se viu até agora. É assim que a engenharia brasileira se fortalecerá como profissão e como instrumento do desenvolvimento tecnológico e econômico do País.

Sergio Porto presidente do SindusCon-SP (1996/2000)

1.1 Leva Ma mento Topográfico do Terreno39
1.2.1.2.2 Realização do Ensaio41

1 SERVIÇOS INICIAIS 1.2 Estudo Geotécnico 40 1.2.1 Sondagem de Simples Reconhecimento do Solo 40 1.2.1.1 Generalidades 40 1.2.1.2 Execução de Sondagem a Percussão (SPT) 40 1.2.1.2.1 Aparelhagem 40

Amostragem. ,„„., „„,...,„„..,„„.„„„ ..„„,..,,„„„„„,,..,.,.„„...„...,42
Relatório de Campo4

Processo tfe Perfuração .»41 Ensaios de Penetração Dinâmica 43 Observação do Nível de Água Freático 43 1.2.1.2.3 Resultados .«.4 Relatório (para o cliente) 4 1.2.2 Rochas e Solos - Terminologia, .,„„,.46

1.2.2.1 Rochas 46 1.2.2.2 Solos 46

1.2.2.2.5 Solos com Matéria Orgânica47

1.2.2.2.1 Pedregulhos 46 1.2.2.2.2 Areias 46 1.2.2.2.3 Silte 47 1.2.2.2.4 Argila 47

1.2.2.2.7 A Iteração de Rocha 48 1.2.2.2.8 Solo Concrecionado 48 1.2.2.2.9 Solos Superficiais 48

1.4 Demolição ,48

1.2.2.2.10 Aterros 48 1.3 Vistoria da Área da Obrn 48 1.4.1 Engenharia de Demolição ,.,.„ 48

1.5 Limpezu do Terreno49

1.4.2 Segurança na Demolição 49 1.4.3 Responsabilidade Civil 49 1.4.4 Cuidados na Obra 49

2.1 liistiiliiçOcs do Canleiro d;i Obra 53 2.1.1 Área de Vivência „,„„„., „„.„„„.. 53

2.1.2 Instalação Sanitária53

2.1.2.1 Generalidades 53 2.1.2.2 Lavatório. 53 2.1.2.3 Vaso Sanitário 54 2.1.2.4 Mictório 54

2.1.2.5 Chuveiro 54 2.1.3 Vestiário 54

2.1.5 Locai para Refeições 5 2.1.6 Cozinha (quando houver preparo de refeições) 56 2.1.7 Lavanderia 56 2.1.8 Área de Lazer 56 2.2 Almoxarifado da Obra 57 2.2.1 Responsabilidade do Almoxarife 57 2.2.2 Divisão do Almoxarifado 57 2.2.3 Localização do Almoxarifado 57 2.3 Regras dc Segurança Patrimonial 57

3 SERVIÇOS CERAIS

3,1 Serviços de Controle. 61 3,1.1 Controle da Qualidade na Construção Civil 61 3.1.1.1 Introdução 61 3.1.1.2 Sistemas de Gestílo da Qualidade 62 3.1.1.2.1 Abordagem Sistêmica da Qualidade 62 3.1.1.2.2 Normas ISO 9000 63 3.1.1.2.3 NBR ISO 9001: 2008 - Sistemas de Gestão da Qualidade - Requisitos 64 3.1.1.2.4 Si AC - Sistema de Avaliação da Conformidade de Empresas de Serviços e Obras da Construção Civil 75 3.1.1.3 Etapas do Processo de Produção 86 3.1.1.4 I rtterven ien tes no Processo . - . 87

3.1.1.5 Mecanismos de Controle da Qualidade87
3.1.1.6.5 Constância de Propósitos, 90
3.1.1.9 Tipos de EITO que Afeiam a Qualidade92
3.1.1.15.1 Falhas na Empresa Construtora98

3.1.1.6 Princípios da Qualidade Total 89 3.1.1.6.1 Generalidades 89 3.1.1.6.2 Total Satisfação dos Clientes 89 3.1.1.6.3 Gerência Participativa „.,., ..89 3.1.1.6.4 Desenvolvimento dos Recursos Humanos 90 3.1.1.6.6 Aperfeiçoamento Contínuo 3.1.1.6.7 Gerência de Processos 91 3.1.6.8 Delegação 91 3.1.1.6.9 Disseminação de Informações ,.,. 9] 3.1.1.6.10 Garantia da Qualidade 9! 3.1.1.6.1 Nüo-Aceitação de Erras 91 3.1.1.7 Posicionamento em Relação ã Qualidade ,.,.,. »92 3.1.1.8 Exigências do Usuário 92 3.1.1.10 Fatores Introdutores da Qualidade .»»93 3.1.1.1 Detalhamento dos Elementos do Sistema da Qualidade 93 3.1.1.12 Checklist de Requisitos da Quai idade 94 3.1.1.13 Situação no Setor Habitacional dc Interesse Social 95 3.1.1.13.1 Planejamento 96 3.1.1.13.2 Projeto 96 3.1.1.13.3 Materiais e Componentes 96 3.1.1.13.4 Execução 97 3.1.1.13.5 Uso - Operação e Manutenção „., .97 3.1.1.14 Perspectivas 97 3.1.1.15 Desperdíc i o 98 3.1.1.15.2 Falhas no Processodo Produção 98 3.1.1.15.3 Falhas Após a Entrega da Obra,.. 98 3.1.1.15.4 Generalidades 9

(Parte 1 de 8)

Comentários