Microbiologia da doença periodontal

Microbiologia da doença periodontal

Microbiologia das doenças periodontal

Por definição a doença periodontal é aquela que afeta o periodonto. Periodonto são todos os tecidos ou o conjunto de tecidos que envolvem e sustentam o dente.

A maior parte das doenças periodontais tem origem bacteriana sendo na sua maioria causadas por bactérias Gram-negativas, mas podem ser causadas também por Gram-positivas, pelo uso abusivo de alguns medicamentos ou até mesmo por outros microrganismos que não são classificados pelo método de Gram.

Os danos ao periodonto causados por estes microrganismos podem ser classificados em diretos e indiretos. Os danos diretos são os provocados pelos microrganismos aos tecidos e os danos indiretos são os causados pela resposta do sistema imune especifico e inespecífico do hospedeiro aos tecidos (resposta inflamatória).

As doenças periodontais afetam o homem muito antes da doença cárie, sendo diagnosticada em ossadas de homens das cavernas e em múmias egípcias. Isso ocorre porque as bactérias causadoras de doenças periodontais não necessitam do consumo da sacarose, como a doenças cárie. Por isso mesmo antes do consumo da sacarose ser comum, a doença periodontal já existia. Com isso podemos diferenciar as características da doença cárie e da doença periodontal.

A doença cárie é causada predominantemente por bactérias Gram-positivas, anaeróbias facultativas, sacarolíticas (seu metabolismo depende da sacarose para produzir energia) e acidogênicas (produtoras de ácido, principalmente o ácido lático), já a doença periodontal é causada predominantemente por bactérias gram-negativas, anaeróbias estritas, proteolíticas (seu metabolismo depende de proteínas, neste caso retirada das fibras periodontais, para produzir energia) e com diferentes fatores de virulência.

Os principais agentes etiológicos da doença periodontal são a Aggregatibacter actinomycetemcomitans, Porphyrononas gingivalis,Tannerella forsythia, e a Treponema denticola, sendo as três últimas às formadoras do chamado complexo vermelho, que é o grupo das bactérias que tem forte associação a doenças periodontal. A Aggregatibacter actonnomycetemcomitans não está incluída em nenhum complexo, mas faz parte das bactérias causadoras da doença periodontal, principalmente na periodontite agressiva. Vejamos agora os fatores de virulência de cada uma dessas bactérias:

  • Aggregatibacter actinomycetemcomitans:adesinas, invasinas, resistência a antibióticos, leucotoxinas, inibidores quimiotáticos, Lipopolissacarídeos (estimulam a reabsorção óssea), citotoxinas colagenase, inibidores de reparos dos tecidos (inibidores de proliferação dos fibroblastos e de formação óssea).

  • Porphyromonas gingivalis: Lipopolissacarídeos, proteinases (proporcionam adesão aos tecidos do hospedeiro, contribuindo na expressão dos fatores de virulência), coagregação heterotípica (Ex: A. naeslundii, S. mitis, S. gordonii) e invasão em células epiteliais orais (provocando desregulação da sinalização celular).

  • Tannerella forsythia: Lipopolissacarídeos, diversas peptidases e podem induzir apoptose nas células do hospedeiro.

  • Treponema denticola:É a única bactéria flagelada neste grupo e isso lhe confere a capacidade de mobilidade, também produz Lipopolissacarídeos, possui diversas peptidases e são capazes de induzir as células do hospedeiro a fazerem apoptose.

Os vírus também podem ter influencia na doença periodontal. O herpes vírus, principalmente do tipo 4 e 5, podem participar da patogênese da doença periodontal, resultante da infecção e replicação viral causando desregulação do sistema imune. Estão associados a diversos tipos de doenças periodontais, como abscessos periodontais, periodontite agressiva e gengivite ulcerativa necrosante.

Outro vírus que pode estar associado à doença periodontal pela desregulação do sistema imune é o HIV. Ele pode estar associado a diversas doenças periodontais, como o eritema linear gengival, a gengivite ulcerativa necrosante, a periodontite ulcerativa necrosante, a periodontite crônica e a periodontite agressiva.

Microbiologia das perimplantites

As perimplantites são doenças que afetam os implantes. Elas são caracterizadas por perda óssea progressiva, associada à lesão dos tecidos moles perimplantares.

As perimplantites evoluem três vezes mais rápido que as gengivites, isso por que o epitélio funcional é a única barreira contra injúrias mais profundas, já que não há cemento ou fibras de inserção (periodonto). A ausência do periodonto, com suas células de defesa e sua grande vascularização deixa a mucosa oral muito desprotegida, sendo alvo fácil das bactérias que causam a mucosite perimplantar (semelhante à gengivite) que antecede a perimplantite.

Os perimplantes proporcionam um local de acúmulo de biofilme tão bom quanto os dentes naturais, sendo que pela ausência do periodonto, nos perimplantes se faz muito mais importante a remoção constante e cuidadosa destes biofilmes.

Geralmente a perda óssea somente é notada pelo paciente quando é tarde demais para o tratamento e o implante já possui mobilidade. A inflamação mais severa devido a não existência do ligamento periodontal, que é muito vascularizado, ajuda a agravar ainda mais o caso, acelerando a evolução da doença.

Universidades Estácio de Sá

Trabalho de Campo II – Relatório do seminárioDisciplina: Microbiologia e imunologiaProfessores: S.W. e J.C. Turma: 4001Alunos: A.D, F.F, T,B e R.Z.

Comentários