(Parte 4 de 9)

G0 X100. Z100.G0 X100. Z100.G0 X100. Z100.G0 X100. Z100.G0 X100. Z100.

Nessa linha de comando a ferramenta caminhou pra fazer a usinagem. G0 significou andar com velocidade máxima. E X100 e Z100 definiram as coordenadas em milímetros (G71) do ponto para o qual o programador desejou levar a torre (ferramenta) em relação à coordenada absoluta. Esse ponto é o ponto de segurança: o programador sempre deve levar até lá pra poder trocar a ferramenta, ou seja, para girar a torre. Essa coordenada do ponto pode ser alterada de acordo com o tamanho da máquina ou até mesmo da peça a ser usinada.

X X X X X Atenção: se você trocar a ferramenta em outro ponto ela poderá bater na peça.

TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO – DESAFIO 3

LLLLLIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃO 3 3 3 3 3

T0101 M6T0101 M6T0101 M6T0101 M6T0101 M6

Essa linha definiu qual ferramenta e qual corretor deveriam ser utilizados (nesse caso, ferramenta nº 1 e corretor nº 1 – T0101). Posteriormente liberou a troca por meio da função M6.

M02M02M02M02M02

Toda a programação quando termina o seu objetivo (que nesse caso foi trocar a ferramenta deixando no ponto de segurança a torre) deve terminar com uma função FIM. Nesse caso foi utilizada a função M02, mas poderia ter sido utilizada a função M30 no lugar.

Depois de tanta leitura você merece relaxar um pouquinho, o que você acha? Então, descanse um pouco antes de seguir para a próxima lição. Estudar na Modalidade a distância é bom, pois é você que faz o seu tempo para aprimorar seus conhecimentos!

Esperamos que as explicações do exemplo acima tenham sido bem aproveitadas. Na Lição 4 você encontrará um detalhamento da área de trabalho no momento da usinagem.

Vá em frente!

SSSSSISTEMAISTEMAISTEMAISTEMAISTEMADEDEDEDEDE REFERÊNCIAREFERÊNCIAREFERÊNCIAREFERÊNCIAREFERÊNCIA E FIXAÇÃOFIXAÇÃOFIXAÇÃOFIXAÇÃOFIXAÇÃO
DEDEDEDEDEFERRAMENTFERRAMENTFERRAMENTFERRAMENTFERRAMENTASASASASAS

LIÇÃO LIÇÃO LIÇÃO LIÇÃO LIÇÃO 4

Vamos estudar! Antes que você vá para a sua prática no Desafio 5 preparamos uma variedade de lições, nos desafios 3 e 4, para que você conheça bem a sua área de trabalho e os devidos procedimentos que devem ser realizados. Esta lição foi desenvolvida para lhe explicar os pontos de referência da sua área de trabalho, portanto, fique atento!

Um torno CNC possui uma torre de configuração dianteira ou traseira, dependendo da configuração solicitada ao fabricante. Essa torre possui assentos específicos para montagem de ferramentas que serão utilizadas na usinagem.

A fixação das ferramentas é feita diretamente na torre, utilizando suportes de fixação.

A área de trabalho, na qual as ferramentas se movimentam durante a usinagem de uma peça, tem os seguintes pontos de referência:

TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO – DESAFIO 3

LLLLLIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃO 4 4 4 4 4

O ponto zero da máquina encontra-se no nariz da árvore. O sistema de coordenadas da máquina fica definido a esse ponto zero. Lembre-se que todos os outros pontos de referência se relacionam a ele.

Como mencionado anteriormente, o ponto zero da peça é definido pelo programador ou operador. E essa definição é feita pela posição do mesmo ponto em relação ao ponto zero da máquina. Tal distância é resultado da soma do comprimento da placa mais a largura da castanha.

No assento da ferramenta que está na torre é encontrado o ponto de referência da ferramenta. A posição desse ponto pode ser definida no sistema de coordenadas da máquina por meio dos sistemas de medição. Ao utilizar as medidas X e Z, o comando calcula a distância da ponta da ferramenta ao ponto de referência da mesma, assim permite que a usinagem do contorno da peça seja executada de maneira correta.

Figura a – Alteração da área de trabalho devido às medidas da ferramenta.

O ponto de referência da máquina é uma posição fixa da torre em forma de cruz. A posição da torre, indicada na figura acima, é determinada por uma chave fim de curso. Toda vez que o comando CNC for ligado, a torre sempre deverá sobrepassar dessa maneira. Depois que o ponto de referência da máquina for localizado, o comando pode trabalhar com o sistema de medição e todos os valores de posicionamento transmitidos pelo sistema de coordenadas.

Você conheceu um pouco a respeito da sua área de trabalho no momento da usinagem, mas ainda precisa verificar como funciona o contrcontrcontrcontrcontrole de deslocamentoole de deslocamentoole de deslocamentoole de deslocamentoole de deslocamento! Venha conferir o que desenvolvemos para você. Avance e descubra!

X X X X X Lembre-se,Lembre-se,Lembre-se,Lembre-se,Lembre-se, sempre que você tiver dúvidas relacionadas ao conteúdo, ou quanto ao próprio andamento do curso, vá ao “Tira Dúvidas” do Ambiente Virtual de Aprendizagem e envie a sua pergunta. Logo o seu tutor irá respondê-la!

Figura b – Alteração da área de trabalho devido à placa de fixação.

TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO – DESAFIO 3

CCCCCONTROLEONTROLEONTROLEONTROLEONTROLELINEARLINEARLINEARLINEARLINEAR E CIRCULARCIRCULARCIRCULARCIRCULARCIRCULAR DEDEDEDEDE

LLLLLIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃO 5 5 5 5 5 DESLOCAMENTODESLOCAMENTODESLOCAMENTODESLOCAMENTODESLOCAMENTO

Nesta lição você estudará os detalhes deste tema para que construa o seu conhecimento de modo eficaz. Esta é uma lição relativamente curta, porém exige muita atenção.

Conheça as funções de programação que servem para controlar operações e processos envolvidos no torneamento das ferramentas. Vamos a elas?

FFFFFUNÇÃOUNÇÃOUNÇÃOUNÇÃOUNÇÃO G0 G0 G0 G0 G0

Aplicação: posicionar rapidamente.

Nessa função os eixos movem para o ponto programado com a maior velocidade de avanço disponível na máquina utilizada. A função G0 é Modal e também cancela funções G1, G2, G3 e G73, que você verá a seguir.

Veja o exemplo da função:

Z = coordenada desejada.

Na frente do X e na frente do Z, o programador colocará números para definir um valor para a posição da ferramenta. A ferramenta deslocará para o ponto X e Z com o avanço rápido. Veja a ilustração a seguir:

LIÇÃO LIÇÃO LIÇÃO LIÇÃO LIÇÃO 5

FFFFFUNÇÃOUNÇÃOUNÇÃOUNÇÃOUNÇÃO G1 G1 G1 G1 G1

Aplicação: fazer a interpolação linear com avanço programável.

Essa função é destinada para movimentos retilíneos e com avanço (F) predeterminado pelo programador. Usualmente é utilizado o avanço em m/rotação, mas também podemos encontrar em m/min.

O avanço é um dado muito importante, sendo que é determinado pelo material utilizado, a ferramenta e a operação a ser executada. Essa função é Modal e cancela funções G0, G2, G3 e G73.

Além do sentido do arco, deve-se programar as coordenadas do ponto final do arco em X e Z e também pelas funções I e K

TECNOLOGIAS APLICADAS E COMANDO NUMÉRICO COMPUTADORIZADO – DESAFIO 3

LLLLLIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃOIÇÃO 5 5 5 5 5

FFFFFUNÇÕESUNÇÕESUNÇÕESUNÇÕESUNÇÕES G2 G2 G2 G2 G2 E G3 G3 G3 G3 G3

Aplicação: fazer a interpolação circular.

Essas duas funções executam operações de usinagem de arcos por meio da movimentação apropriada e simultânea dos eixos.

Para programar tais funções, são observadas as seguintes regras:

o ponto de partida do arco é a posição de início da ferramenta;

(Parte 4 de 9)

Comentários