• Disciplina: Assistência de Enfermagem I

  • (Teoria e Prática)

  • Tema: Cateterismo Vesical

Anúria – diurese inferior a 100ml

  • Anúria – diurese inferior a 100ml

  • Oligúria – diurese inferior a 400ml

  • Poliúria- diurese superior a 2.500ml

  • Polaciúria – vontade excessiva de urinar

  • Nictúria – diurese excessiva a noite

  • Disúria – dor ao urinar

  • Incontinência – eliminação involuntária de urina

Comadre

  • Comadre

  • Após o uso, o enfermeiro esvazia e registra o volume de urina obtido. Realizar sua higienização.

Consiste na inserção de um tubo (sonda) no interior da bexiga, através da uretra, para drenar a urina ou instilar medicações ou líquidos.

  • Consiste na inserção de um tubo (sonda) no interior da bexiga, através da uretra, para drenar a urina ou instilar medicações ou líquidos.

Finalidades:

  • Finalidades:

  • Manter o paciente incontinente seco ( ultimo recurso);

  • Aliviar a distensão vesical;

  • Avaliar com precisão o equilíbrio hídrico;

  • Obter amostras estéreis de urina;

  • Instilar medicações no interior da bexiga.

Cateter Externos; dispositivo de coleta urinaria aplicado sobre a pele, fora da bexiga.

  • Cateter Externos; dispositivo de coleta urinaria aplicado sobre a pele, fora da bexiga.

  • Desvantagem:

  • Envoltório pode ser aplicado com pressão, restringindo o fluxo à pele e aos tecidos penianos.

  • Umidade ( ruptura de pele)

  • Vazamento

  • Obs: Aplicação correta vai prevenir esse problemas.

Cateter de Alívio – é uma sonda de drenagem de urina inserida na bexiga, mas que não permanece nela.

  • Cateter de Alívio – é uma sonda de drenagem de urina inserida na bexiga, mas que não permanece nela.

  • Cateter de Demora – também chamado de sonda retenção, permanecer no local. O tipo mais comum de cateter de demora é sonda Foley.

Sondas de demora: saída

  • Sondas de demora: saída

  • dupla ou tripla.

  • 1ª saída: drena a urina;

  • 2ª saída: inflar o balão;

  • 3ª saída: introdução de líquidos e irrigação;

  • O balão é inflado com 5 a 30 ml de água destilada estéril...mantém a sonda no interior da bexiga.

Prevenção de infecções: a sonda de foley, o equipo e a bolsa coletora formam um sistema fechado estéril.

  • Prevenção de infecções: a sonda de foley, o equipo e a bolsa coletora formam um sistema fechado estéril.

  • Lavar as mãos antes e após manusear a bolsa ou o equipo.

Urina bolsa de drenagem gravidade: drenagem direta.

  • Urina bolsa de drenagem gravidade: drenagem direta.

  • Drenagem eficaz:

  • Bolsa coletora abaixo da bexiga

  • Sonda e o equipo deve permanecer

  • desobstruídos

  • A bolsa coletora é presa à armação da cama.

MÉTODO ABERTO MÉTODO FECHADO

  • MÉTODO ABERTO MÉTODO FECHADO

- Remoção por ordem médica;

  • - Remoção por ordem médica;

  • - Remove o esparadrapo que fixa a sonda na coxa do paciente;

  • - Insere uma seringa na válvula de esvaziamento do balão, e o líquido que o enche é retirado;

  • - Traciona-se cuidadosamente a sonda e a remove colocando-a em uma cuba;

  • - Prossegue às anotações no prontuário: volume e aspecto da urina.

- Lavar períneo com água e sabão diariamente, enxaguar e secar;

  • - Lavar períneo com água e sabão diariamente, enxaguar e secar;

  • - Cuidar para não tracionar a sonda, isso expõe uma porção da sonda que estava na uretra; quando a tensão é desfeita, essa parte volta para a luz da uretra estéril, carreando microrganismos consigo.

Luvas estéril;

  • Luvas estéril;

  • Kit de cateterismo;

  • Sonda de folley;

  • Xylocaína a 2%;

  • Seringa de 20 ml;

  • Ampola de água destilada;

  • Solução antisséptica ( PVPI);

  • fita adesiva;

  • Coletor de urina sistema fechado;

  • Biombo.

Explicar à paciente o procedimento que será realizado ( se lúcida) separando seu leito com biombo; realizar íntima se necessário.

  • Explicar à paciente o procedimento que será realizado ( se lúcida) separando seu leito com biombo; realizar íntima se necessário.

  • Lavar as mãos;

  • Colocar a paciente em decúbito dorsal, com flexionados, e os pés apoiados, sobre e as pernas afastados.

4. Abril as ampolas de água destilada, deixando - as fora do campo com sonda vesical estéril e bolsa de drenagem.

  • 4. Abril as ampolas de água destilada, deixando - as fora do campo com sonda vesical estéril e bolsa de drenagem.

  • 5. Abrir o pacote de cateterismo vesical; retirar a seringa da embalagem original, dispondo-a sobre o campo juntamente com a agulha.

6 . Expor a região perineal;

  • 6 . Expor a região perineal;

  • 7. Despejar o PVP-I tópico na cuba redonda.

  • 8. Calçar as luva de látex estéreis com técnica asséptica;

  • 9. Aspirar para o interior da seringa o volume necessário de água destilada, deixar sobre o campo estéril.

  • 10. Retire a sonda vesical de sua embalagem e colocar sobre o campo estéril e testa;

11. Realizar assepsia da região perineal;

  • 11. Realizar assepsia da região perineal;

  • 12. Colocar o campo fenestrado sobre o paciente;

  • 13. Colocar a cuba – rim próxima às nádegas da paciente, para receber o fluxo de urina que drenará.

  • 14. Lubrificar a ponta da sonda com a gases + anestésico ;

  • 15. Introduzir a sonda vesical até iniciar drenagem de urina e então avançar a sonda cerca de cm .

16. Insuflar o balonete, com a quantidade de água destilada.

  • 16. Insuflar o balonete, com a quantidade de água destilada.

  • 17. Conectar a sonda vesical ao sistema da bolsa de drenagem.

  • Obs: Segundo especialistas em infecção hospitalar, o item 10 deve ser modificado : conectar a sonda ao sistema fechado, no momento da retirada da sonda de sua embalagem, modificando portanto também o item 17.

18 Fixar o cateter com fita adesiva na face interna da coxa.

  • 18 Fixar o cateter com fita adesiva na face interna da coxa.

  • 19. Retirar o campo fenestrado e as luvas.

  • 20. Fixar a bolsa em nível inferior a bexiga.

  • 21. Anotar na bolsa de diurese a data do cateterismo.

  • 22. Recolher o material utilizado e encaminhar ao centro de material.

  • 23. Registrar o procedimento, dificuldade, sangramentos, quantidade de diurese drenada.

DÚVIDAS???

  • DÚVIDAS???

  • Profa. Fernanda A. Alves

  • OBRIGADA!!!

  • Cristalina, 26/06/2012

Comentários