Apost. Tec. Manutenção p - 2013

Apost. Tec. Manutenção p - 2013

(Parte 1 de 10)

Prática da Manutenção Centro de Formação Profissional “Anielo Greco”

Prática da Manutenção

Divinópolis 2.006 Técnico em Mecânica Industrial

Prática da Manutenção

Presidente da FIEMG Robson Braga de Andrade

Gestor do SENAI Petrônio Machado Zica

Diretor Regional do SENAI e Superintendente de Conhecimento e Tecnologia Alexandre Magno Leão dos Santos

Gerente de Educação e Tecnologia Edmar Fernando de Alcântara

Elaboração Gledson Pereira Maia

Unidade Operacional Centro de Formação Profissional “Anielo Greco”

Técnico em Mecânica Industrial

Prática da Manutenção SumárioSumário

SUMÁRIO3
APRESENTAÇÃO5
1. MANUTENÇÃO CONCEITOS E OBJETIVOS6
1.2.TÉCNICAS DE DESMONTAGEM DE CONJUNTOS MECÂNICOS:8
1.3.MONTAGEM DE CONJUNTOS MECÂNICOS1
2.TÉCNICAS PREDITIVAS DE MANUTENÇÃO13
2.1.MONITORAMENTO13
2.2.ANÁLISE DE VIBRAÇÕES13
2.3.ANÁLISE DE LUBRIFICANTES POR MEIO DA TÉCNICA FERROGRÁFICA19
2.4.TERMOGRAFIA25
3.TRANSMISSÔES MECÂNICAS25
3.1.EIXOS25
3.2.CORRENTES28
3.3.POLIAS E CORREIAS30
3.4.ENGRENAGENS40
4.ACOPLAMENTOS46
4.1.CLASSIFICAÇÃO46
4.2.MONTAGEM DE ACOPLAMENTOS48
4.3.LUBRIFICAÇÃO DE ACOPLAMENTOS48
5.ROLAMENTOS49

Técnico em Mecânica Industrial

5.1.CLASSIFICAÇÃO49
5.2.IDENTIFICAÇÃO53
5.3.MANUTENÇÃO57
5.4.LUBRIFICAÇÃO67

Prática da Manutenção Técnico em Mecânica Industrial

“Muda a forma de trabalhar, agir, sentir, pensar na chamada sociedade do conhecimento. “ Peter Drucker

O ingresso na sociedade da informação exige mudanças profundas em todos os perfis profissionais, especialmente naqueles diretamente envolvidos na produção, coleta, disseminação e uso da informação.

O SENAI, maior rede privada de educação profissional do país,sabe disso , e ,consciente do seu papel formativo , educa o trabalhador sob a égide do conceito da competência:” formar o profissional com responsabilidade no processo produtivo, com iniciativa na resolução de problemas, com conhecimentos técnicos aprofundados, flexibilidade e criatividade, empreendedorismo e consciência da necessidade de educação continuada.”

Vivemos numa sociedade da informação. O conhecimento , na sua área tecnológica, amplia-se e se multiplica a cada dia. Uma constante atualização se faz necessária. Para o SENAI, cuidar do seu acervo bibliográfico, da sua infovia, da conexão de suas escolas à rede mundial de informações – internet- é tão importante quanto zelar pela produção de material didático.

Isto porque, nos embates diários,instrutores e alunos , nas diversas oficinas e laboratórios do SENAI, fazem com que as informações, contidas nos materiais didáticos, tomem sentido e se concretizem em múltiplos conhecimentos.

O SENAI deseja , por meio dos diversos materiais didáticos, aguçar a sua curiosidade, responder às suas demandas de informações e construir links entre os diversos conhecimentos, tão importantes para sua formação continuada !

Gerência de Educação e Tecnologia

Técnico em Mecânica Industrial 5

1. MANUTENÇÃO CONCEITOS E OBJETIVOS1. MANUTENÇÃO CONCEITOS E OBJETIVOS

Podemos entender manutenção como o conjunto de “cuidados técnicos” indispensáveis ao funcionamento regular e permanente de máquinas, equipamentos, ferramentas e instalações. Esses cuidados envolvem a conservação, adequação, a restauração, a substituição e a prevenção. De modo geral, a manutenção em uma empresa tem como objetivos:

Manter equipamentos e máquinas em condições de pleno funcionamento para garantir a produção normal e a qualidade dos produtos.

Prevenir prováveis falhas ou quebras dos elementos das máquinas.

No passado a manutenção era vista como um mal necessário que envolvia um certo custo fixo e no qual a má sorte tinha um lugar freqüentemente. Hoje a tendência nas indústrias competitivas é aplicar na manutenção os mesmos métodos de tecnologia e de gerência que são usados com sucesso na operação da planta. Enfim, a manutenção ideal de uma máquina é a que permite alta disponibilidade para a produção durante todo o tempo em que ela estiver em serviço a um custo adequado.

1.1.TIPOS DE MANUTENÇÃO

Existem dois grandes grupos de manutenção: a programada e a não programada. A manutenção programada classifica-se em quatro categorias: preventiva, preditiva, TPM e Terotecnologia. A manutenção preventiva consiste no conjunto de procedimentos e ações antecipadas que visam manter a máquina em funcionamento. Presume-se que o serviço de manutenção possa ser planejado em termos de número de horas de operação de máquina ou mesmo de um tempo total decorrido, em horas, ano, ciclos, quilometragem percorrida, capacidade produzida ( t, Kg), etc. A preventiva tem como vantagens:

O serviço é planejado dessa forma superando diversas desvantagens da manutenção por quebra.

Ocorrem menos quebras repentinas.

Por outro lado, a preventiva apresenta as seguintes desvantagens:

Realiza-se trabalho desnecessário quando o programador de manutenção tenta evitar quebras repentinas (paradas de emergência) realizando manutenção e/ou revisando máquinas enquanto elas ainda estão em boas condições.

Os defeitos ainda acontecem, uma vez que o programa de manutenção, leva em consideração apenas as condições médias dos equipamentos da planta, baseado em histórico e/ou recomendação do fabricante.

A manutenção preditiva é um tipo de ação preventiva baseada no conhecimento das condições de cada um dos componentes das máquinas e equipamentos. É usada para maximizar o uso da máquina e é baseada na premissa de que a condição de todos os componentes relevantes da máquina é sabida o tempo todo. O planejamento da manutenção é baseado tanto na produção quanto nas necessidades conhecidas de manutenção. Testes e medições são feitos periodicamente para determinar a época adequada para substituições ou reparos de

Técnico em Mecânica Industrial 6

peças. Exemplos: análise de vibrações, análise de óleo, etc. A preditiva tem como vantagens:

A disponibilidade da máquina é maximizada resultando em maior utilização do capital investido

O tempo de parada da planta pode ser programado economicamente, para atender as necessidades da produção.

As quebras inesperadas são minimizadas, bem como os seus danos resultantes.

Os custos manutenção são minimizados ao reduzir os eventos de manutenção desnecessários.

O inventário de peças de reposição é minimizado (baixo estoque). Por outro lado, a preditiva apresenta como desvantagem o alto custo de operação, pois os instrumentos e aparelhos utilizados para medições e/ou ensaios são sofisticados e caros. Estudaremos um pouco mais detalhado no capítulo 2, algumas técnicas de manutenção preditiva. A TPM ( manutenção produtiva total) foi desenvolvida no Japão. É um modelo baseado no conceito “ de minha máquina cuido eu”.A TPM inclui programas de manutenção preditiva e preventiva. A manutenção produtiva total é baseada em cinco pilares básicos: Eficiência: atividades que aumentam a eficiência do equipamento.

Auto reparo: estabelecimento de um sistema de manutenção autônomo pelos operadores. Planejamento:estabelecimento de um sistema planejado de manutenção.

Treinamento: estabelecimento de um sistema de treinamento objetivando aumentar as habilidades técnicas do pessoal.

Ciclo de vida: estabelecimento de um sistema de gerenciamento do equipamento.

A Terotecnologia é uma técnica inglesa que determina a participação de um especialista em manutenção desde a concepção do equipamento até sua instalação e primeiras horas de produção. O objetivo é obter equipamentos que facilitam a intervenção dos mantenedores. A manutenção não programada, ou corretiva, ou “por quebra”, acontece quando ocorre o imprevisto, ou seja a falha. Excluindo-se a lubrificação, não é realizada nenhuma manutenção planejada. As máquinas são consertadas ou substituídas quando se tornam improdutivas, seja devido a deterioração gradual da sua performance, seja em função dos baixos resultados de produção ou devido a defeito repentino, gerando parada de emergência. Tem como vantagens: As vezes pode ser a opção mais barata no curto prazo

Não exige nenhum planejamento.

Por outro lado a corretiva apresenta as seguintes desvantagens:

Interrupções não planejadas devido a defeitos causam perdas desnecessárias na produção

As interrupções podem ocorrem em horas desvantajosas quando não há mão-de-obra disponível.

(Parte 1 de 10)

Comentários