Caracterização de lipídios

Caracterização de lipídios

(Parte 2 de 2)

2 - SEPARAÇÃO DE ÁCIDOS GRAXOS

Retirou-se o tubo do banho-maria e adicionou 1 ml de ácido clorídrico concentrado e depois colocou-o novamente no banho-maria até haver a separação de uma camada oleosa na superfície do líquido.

3 - SOLUBILIDADE NOS SOLVENTES

Após a experiência de numero 2 retirou-se com um bastão uma pequena quantidade de ácidos graxos e dividiu em 3 tubos de ensaio:

Tubo 1: Ácido graxo + 2ml de éter;

Princípios de Bioquímica

Wanderley Gonçalves

Tubo 2: Ácido graxo + 2ml de água destilada;

Tubo 3: Ácido graxo + 2ml de álcool.

Agitou-se os três tubos após a adição de cada solvente. 4 - FORMAÇÃO DE SABÕES POR REDISSOLUÇÃO DOS ÁCIDOS GRAXOS

Pegou o tubo com água destilada da experiência 3 e adicionou-se mais 8 ml

maria por 5 minutos

de água destilada mais 6ml de solução de KOH 0,5N. Depois aqueceu em banho-

5 - SEPARAÇÃO DOS SABÕES POR SALIFICAÇÃO

20ml. Nessa solução foi adicionado cloreto de sódio até a solução se saturar

Pegou-se 3ml da solução de sabão da experiência 4 e a colocou em uma proveta de 25ml depois acrescentou na proveta água destilada até a marca dos

6 - FORMAÇÃO DE SABÕES INSOLÚVEIS

Utilizando novamente a solução de sabão da experiência 4 pipetou-se essa solução em dois tubos de ensaio:

Tubo 1: solução de sabão + 10 gotas de solução de CaCl2 5%; Tubo 2: solução de sabão + 10 gotas de acetato de chumbo a 5%;

Princípios de Bioquímica

Wanderley Gonçalves

Na saponificação após o aquecimento observou-se a divisão da substancia em duas etapas: um amarelo ovo (óleo), e a outra em amarelo claro. E com isso a formação de sais alcalinos de ácidos graxos (sabão. Onde o KOH a 5% teve como principal função converter o éster em ácido graxo para sal de ácido graxo e glicerol. O ácido clorídrico serve para a quebra das ligações de sais de ácidos graxos tendo por fim a separação da camada oleosa na superfície do liquido. Observou-se essa analise na Figura1.

Figura 1: saponificação

R3– COOH3C– R2 – COOHC – CH3OOC – R1 + KOH
CH2OH – CHOH – CH3OH + K1 – COOH – K2 – COOH – K3 – COOH
GLICEROLSAIS DE ÁCIDOS GRAXOS

Depois da saponificação observou-se a separação dos ácidos graxos. Nessa separação observou-se a formação de uma camada solida de ácido graxo em cima da solução de 1 ml de ácido clorídrico. Como pode ser observado na Figura 2.

Figura 2: separação dos ácidos graxos

R1 – COOH + R2 – COOH + R3 – COOH + 3HCl(concentrado)

Após a obtenção dos ácidos graxos testou-se a solubilidade do mesmo com solventes polares e apolares:

Tubo 1: Ácido graxo + 2ml de éter;ocorre a completa dissolução do ácido

graxo devido as características apolares dos dois.

Princípios de Bioquímica

Tubo 2: Ácido graxo + 2ml de água destilada;não ouve dissolução, pois a

Wanderley Gonçalves água é um solvente polar e não dissolve substancias apolares.

Tubo 3: Ácido graxo + 2ml de álcoolOcorreu uma dissolução parcial devido o

álcool possuir em sua molécula uma parte apolar (OH-)

Após a solubilidade dos ácidos graxos obtidos na experiência anterior passamos para a formação dos mesmos deixando o liquido esbranquiçado e a formação de um anel amarelado, isso devido a suspensão de sais de ácidos graxos insolúveis em água. Como mostra a Figura 3.

Figura 3: formação de sabões por redissolução dos ácidos graxos

R1 – COOH + R2 – COOH + R3 – COOH + KOH

Na separação de sabões por salificação notou-se um aumento da tensão superficial que ocasionou a formação de floculação dos sais de ácidos graxos, característica dos sabões contendo potássio, e flutuação devido a sua maior densidade.

Tubo 1: solução de sabão + 10 gotas de solução de CaCl2 5%;a formação

Para a formação de sabões insolúveis observou-se: de precipitado, pois os sabões de massa molecular mais alto são menos solúveis do que os com sódio e cálcio.

Tubo 2: solução de sabão + 10 gotas de acetato de chumbo a 5%;a

formação de uma parcial precipitação devido a sua solubilidade limitada.

Esse experimento está exemplificado na Figura 4. Figura 4: formação de sabões insolúveis

R – COOH + CaCl2(RCOO)2Ca + 2KCL

Princípios de Bioquímica

CONCLUSÃO

Wanderley Gonçalves

Concluiu-se então que a reação de saponificação consistiu na adição de uma base forte, como no caso reportado que foi KOH, ao sistema contendo os triglicerídeos e por aquecimento para romper as ligações e conseguir glicerol e sais de ácidos graxos e notou também que sua solubilidade deveu-se à solventes apolares, como no éter e em parte no álcool que possui uma parte apolar. Comprovou-se também que sabões contendo Na+ e K+ são solúveis em água como foi reportado na literatura usada.

Princípios de Bioquímica

Wanderley Gonçalves

CHAMPE, P. C., HARVEY, R. A. Bioquímica Ilustrada. 2. Ed. Porto Alegre: Artes Médicas, 2006.

DIAS DE SOUZA, Karina A. Freitas, NEVES, Valdir A. Experimentos de Bioquímica, um guia eletrônico. Disponível em:

<http://w.fcfar.unesp.br/alimentos/bioquimica/menu.htm>. São Paulo: UNESP, 2009.

NELSON, D. L., COX, M. M. Lehninger. Principio de Bioquímica. 3. Ed. São Paulo: Savier, 2006.

VOET, D., VOET, J. G. Fundamentos de Bioquímica. 3. Ed. Porto Alegre: Artmed, 2006.

(Parte 2 de 2)

Comentários