(Parte 4 de 5)

Energia de outras fontes renováveis

Maximização da recuperação de petróleo

Desenvolvimento da produção, das operações e da logística do Pré-sal

Otimização e confiabilidade operacionais

Soluções logísticas do gás natural em ambientes remotos

Exploração de novas fronteiras

Gerenciamento de

CO2 e outras emissões

Gerenciamento de água e efluentes

Eficiência Energética

Flexibilização do parque de refino

Petroquímica Gasquímica

Inovação em combustíveis, lubrificantes e produtos especiais Biocombustíveis

Caracterização da rocha e dos fluidos do Présal e de outros reservatórios complexos

Desenvolvimento de nova geração de sistemas marítimos e submarinos de produção

Agregação de valor e Diversificação dos produtos

Expansão dos limites

Sustentabilidade

Redução da Complexidade dos projetos e uso de soluções padronizadas

Contribuir para a consolidação do Brasil como um pólo fornecedor de bens e serviços de engenharia com padrões internacionais de competitividade

Utilizar padrões e métricas internacionais de engenharia nos projetos de nossas instalações industriais

Desafios da Engenharia

A grande área em azul representa possibilidades de ocorrências de reservas no pré-sal, mas não indica um reservatório único.

A província do Pré-Sal

Tecnologia de separação / captura de CO2

Centro de logística Offshore

GNL Flutuante Armazenamento de gás

Offshore em caverna de sal

Centro de tratamento de fluidos Offshore

Injeção alternativa de água e gás (HC ou CO2)

Poços inclinados de longo alcance (sal)

Sistemas de completação a seco (SPAR, TLP, FPDSO, …) Caracterização do

Reservatório

Armazenamento de CO2 em aqüíferos salinos, campos maduros e caverna de sal

Monobóias em águas profundas

Garantia de fluxo e controle de formação de danos

PLANSAL -Desenvolvimento do Plano Diretor do Pré-Sal

Desenvolvimento

Definitivo do Pré-sal

DESENVOLVIMENTOS TECNOLÓGICOS EM AVALIAÇÃO Otimização: o principal desafio do pré-sal

Desafios Tecnológicos

Determinadas áreas do Pré-Sal tem apresentado uma concentração de CO2 superior à normalmente encontrada em outros campos.

A Petrobras, assumindo uma postura pró-ativa, e adiantando-se a qualquer regulamentação a respeito, definiu como diretriz básica de projeto para o desenvolvimento do Pólo não ventilar para a atmosfera o CO2 associado ao gás natural produzido.

Para isto diversos paradigmas e gargalos tecnológicos precisarão ser vencidos, como:

Separação e Captura de CO2, em ambiente offshore

Definição da alternativa para destinação final do gás carbônico produzido.

CO2Corrosão por CO2 em coluna de produção

Tubo inconel cladeado

Desafios Tecnológicos

Grandes gargalos estão relacionados com tamanho, peso e eficiência das plantas de separação de CO2.

(Parte 4 de 5)

Comentários