Evolução dos paradigmas da Administração Pública brasileira

Evolução dos paradigmas da Administração Pública brasileira

Evolução dos paradigmas da Administração Pública brasileira.

Jocélio Hércules Corneau1

O Brasil, a partir de sua Proclamação da República até os dias atuais, evoluiu muito na área da administração pública, pois ao longo desse período, as necessidades econômicas e sociais, associadas aos interesses políticos, contribuíram para a melhoria e uma adequação na forma em administrar as instituições públicas, onde a cada novo tipo de governo que assumia o poder, independentemente da forma de sua investidura, os paradigmas desta área eram quebrados, com o intuito de se adaptar às realidades que iam ocorrendo, portanto, o estudo da administração pública brasileira deve levar em conta as características peculiares da cultura nacional, de forma a evitar análises comparativas imprecisas e precipitadas (LEITE JR, p. 9 – 2009).

No período 1900-29, a Administração Pública era tratada como uma

Ciência Jurídica, período este conhecido como República Velha, havia grande necessidade de propor leis que regulamentasse as atribuições e deveres do Estado e Sociedade, que era comando pela Oligarquia, tendo no agronegócio a base da economia nacional. Entre o período de 1930 – 79, foi tratada como Ciência Administrativa, tendo muita influencia dos princípios da Administração de Empresas, onde o Estado teve como Governo tanto o regime militar como o regime democrático, onde a necessidade era administrar as grandes instituições criadas para sair de um sistema colonial para um sistema industrial. Já no período, entre 1980 – 89, coincidindo com o fim do regime militar, a Administração Publica era estudada como Ciência Política, pois o regime democrático sinalizava com uma vertente a ser mantido, e após esse período, está sendo chamada de propriamente como Administração Pública, e mantém até os dias atuais, onde se busca não mais somente a quantidade, mas sim a qualidade dos serviços prestados pelo Estado.

1 Engenheiro, Pós Graduação em Política e Estratégia pela ESG (Escola Superior de Guerra),

MBA em Gestão de Negócios e Especialização em Gestão Pública Municipal – UNEB.

Dessa forma, a Administração Pública em nosso país, após vários períodos de mudanças de regime de poder, planos para estabilização da economia, revoluções, revoltas, crescimento e redução do PIB, dentre outros acontecimentos, nas mais diversas áreas, tanto econômico, social e política, se encontra numa fase de grande maturidade, o que garante um regime democrático sustentável e em desenvolvimento, onde conforme Tânia Keinert, o desafio da Administração Pública é melhorar a qualidade dos serviços prestados aos cidadãos e procurar como desenvolvimento humano e econômico, tendo como um novo paradigma o avanço para as soluções de novas demandas sociais.

Referências.

LEITE Júnior, Alcides Domingues Desenvolvimento e mudanças no estado brasileiro / Alcides Domingues Leite Júnior. – Florianópolis: Departamento de Ciências da Administração / UFSC; [Brasília]: CAPES UAB, 2009. 90p. : il.

KEINERT, Tânia Margarete Mezzomo, Análise da evolução do campo de conhecimento em Administração Pública através dos paradigmas dominantes nos diversos períodos entre 1900 – 92, Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 34, n.3, p. 41-48, Mai./Jun. 1994

Comentários