Teoria do Orbital Molecular

Teoria do Orbital Molecular

(Parte 2 de 2)

R = OEt R = Ph R = Me R = i-Pr R = t-Bu

160 °C 150 °C 200 °C 200 °C 200 °C

100 : 0 4.5 : 1 2 : 1 3 : 1 3.5 : 1

For R = Me:

CO 2 Me

CO 2 Me

2 Me

H fa vor ecid o desfavo recido

C 6H6, SnCl4 , 25 °C95 : 05

80 : 20CH 2 Cl2 , 0 °C

Ca tálise por ácidos de Le wisau me nt a dia ste re os seletivida deendo

DA Reactions Part I: The Reaction Mechanism, Sauer, Angew. Chem. Int. Ed., 1967, 6, 16-3

GR E Doad or

Do ador

Do ador GR E

Do ador

Doa dor GR E

An ális ede OrbitaisdeFron teira Orientação depende da melhor interação entre Coeficientes maiores melhor que

Veja Fleming, p. 121 fav orec ido de sfavorecid o

GRE = Grupo Retirador de Elétrons

CO 2 Me

CO 2 Me

NO 2

NO 2

CO 2 Me

NO 2

CO 2 Me

RO CO 2 Me

CO 2 MeRO

CO XRO base

Prob lem aint eressan te fa vore cid o des fav orec ido

Empregando um susbstituínte que pode depois ser removido, é possível ter acesso ao diastereoisômero desfavorecido

Danishefsky, JACS 1978, 100, 2918: O grupo NO2 é forte diretor pode ser removido por eliminação ou por redução Ono, Tet. 1985, 4013

O Me O

Me Me

O Me

O Sn

Cl 4

O Me

O Me

Me O O

O MeO

Me H

O MeO

BF 3•OEt 2 (-20 °)

Me H

O Me O

Me Reg ioc ontrolec omdien ófilos de Quino na s

Orientação controlada pela estrutura do ácido de Lewis

Cond ições Proporç ão térmica (100 °)

SnC l 4 (-20 °)

<5 : 95 80 : 20 δ+ seletividade 80 : 20 seletividade >95 :5 δ+

Reusch JOC 1980, 45, 5013

Resultados similares: Stoodley Chem. Comm. 1982, 929

(Parte 2 de 2)

Comentários