Por Edinei Messias. - Odeio política, até quando?

Por Edinei Messias. - Odeio política, até quando?

ODEIO POLÍTICA, ATÉ QUANDO?

Edinei Messias Alecrim¹

edineimessias@hotmail.com

Atualmente ao caminhar pelas ruas, observa-se em esquinas, rodas de conversas sempre as pessoas dizendo: “odeio política”, como se a política em si fosse a responsável pelas imoralidades e desmandos praticados por pessoas dos mais diversos segmentos da sociedade. A palavra “política” significa a arte do bem governar, ou seja, a política no seu sentido mais amplo é o de governar para o bem comum de toda uma sociedade. Mas, por que a palavra política é tão ridicularizada, como se todo aquele que se envolve, se mancha, se suja?

Vivemos numa sociedade, onde não há formação adequada para a vivência da política ética no cotidiano da vida, quer na família, quer na escola, quer nos grupos sociais. Há uma enorme crise existencial que assola os valores em cada segmento do conjunto social.

A escola não está dando conta da formação para a cidadania, especialmente no campo político. Infelizmente, vivenciamos as nossas escolas preocupadas com o vestibular, esquecendo, ou trabalhando muito pouco a discussão política, os valores, a argumentação, exercício do posicionamento crítico que cada estudante deve ter frente às injustiças praticadas diariamente contra o cidadão. Nesse sentido, como se pode pensar no futuro em homens e mulheres que venham entender e discutir política, se não estão sendo bem formados para tal em nossas escolas? É papel indispensável da escola, formas seres politizados, no sentido amplo da palavra.

Todavia, qual a relação existente entre política e corrupção? Notadamente que, se existe numa determinada sociedade maus políticos, infelizmente teremos homens e mulheres corruptas. Mas o que vem ser a corrupção? Podemos compreender corrupção como “o ato de corromper por algo”. Por exemplo, desviar verbas públicas que era destinada para a construção de casas populares; aceitar o suborno de um motorista para não ser multado, receber pagamento de propina para não fornecer informações sobre algo, e tantas outras situações em que a corrupção é amplamente visível. Nesse sentido, a corrupção participa ativamente do cenário mundial, especialmente do Brasil.

Assim nota-se que a corrupção e a política até então visualizada no conjunto da sociedade brasileira, são faces de uma mesma moeda, pois uma dá suporte à outra, quando comandadas por ideais mesquinhos de homens e mulheres que ainda não descobriram o verdadeiro sentido do exercício da palavra política.

Portanto, não se pode mais pensar numa educação apenas para “passar no vestibular”, mas necessariamente para fazer o estudante pensar criticamente e que possa no futuro exercer seu direito de voz e vez na sociedade, tão carente de sujeitos ativos e corajosos. Assim, é preciso rediscutir os valores até então esquecidos, não se pode mais achar que “tudo é normal”, que tudo vai “acabar em pizza”, ainda existe em cada ser humano um coração que pulsa verdade e justiça.

Contudo, já dizia o filósofo Saja, “vivemos numa sociedade do espetáculo e numa cultura do extermínio”. Enquanto a corrupção e a política no Brasil se tornaram um grande espetáculo de imoralidade, homens e mulheres brasileiros cruzam os braços, passivos espectadores, e voltam a dizer: “odeio política”. Até quando?

Comentários