Apostila de enfermagem cirúrgica 2010

Apostila de enfermagem cirúrgica 2010

(Parte 3 de 9)

-Prevenir a detectar precocemente problemas respiratórios, que levam a hipoxemia devido a obstrução hipofaríngeo;

-Observar posicionamento do tubo endotraqueal;

-Conectar em respirador mecânico SN;

-Auxiliar nos procedimentos de desmame e extubação;

-Verificar FR, presença de cianose e expansibilidade torácica;

-Instalar oxigênio sob cateter nasal;

-Aspirar secreções;

-Verificar FC, ritmo, perfusão periférica;

-Monitorizar o paciente;

-Realizar ECG;

-Observar posicionamento de drenos, sondas e infusões venosas;

-Conectar funcionamento dos drenos e caracterizá-los.

Profª Glenda Agra

Padrão de prescrições de enfermagem para o cuidado pós-operatório do paciente durante a admissão na unidade clínica

1.Examinar a respiração e instalar oxigênio suplementar, se prescrito.

2.Monitorizar os sinais vitais e observar a pele quanto ao calor, umidade e coloração.

3.Avaliar o local da cirurgia e os sistemas de drenagem da ferida.

4.Avaliar o nível de consciência, a orientação e a capacidade para movimentar as extremidades.

5.Conectar todos os tubos de drenagem por gravidade ou por aspiração, se prescrito e, monitorizar intensivamente os sistemas de drenagem.

6.Avaliar o nível e as características da dor ( localização e qualidade) e horário, tipo e via de administração da última medicação analgésica.

7.Posicionar o paciente para promover o conforto, segurança e expansão pulmonar.

8.Avaliar as linhas endovenosas quanto à permeabilidade, assim como as infusões quanto à freqüência correta de fluxo e tipo de solução.

9.Avaliar o débito urinário no sistema de drenagem fechada ou a necessidade do paciente de urinar e distensão da bexiga.

10.Reforçar a necessidade de iniciar a respiração profunda e os exercícios para as pernas.

1.Posicionar ao alcance do paciente a campainha de chamada, a cuba-rim, as lascas de gelo ( se permitido) e a comadre ou o papagaio.

12. Proporcionar informação para o paciente e família

Profª Glenda Agra

Resumo de cuidado de enfermagem no período pós-operatório imediato

1.Avaliação e interpretação da freqüência respiratória, profundidade e qualidade.

2.Iniciar o oxigênio suplementar, os exercícios respiratórios ou o uso do espirômetro de incentivo.

3.Avaliação e interpretação da freqüência cardíaca, da pressão arterial, da coloração e umidade da pele.

4.Avaliação e interpretação da ingestão e excreção, os níveis de eletrólitos, hemoglobina e hematócrito.

5.Avaliação e tratamento da incisão cirúrgica.

6.Iniciação dos exercícios de pernas e calçamento de meias antiembolismo ou o dispositivo de compressão pneumática.

7.Avaliação do débito urinário e da capacidade de urinar voluntariamente.

8.Avaliação do estado mental.

9.Posicionamento quanto ao conforto, expansão pulmonar e prevenção da aspiração.

10.Avaliação e tratamento das náuseas e dos vômitos. 1.Iniciação dos líquidos orais ( a menos que contra-indicado pelo tipo de cirurgia).

Profª Glenda Agra

12.Avaliação e tratamento das necessidades psicossociais do paciente e da família.

13.Manutenção da segurança do paciente. Necessidades de instruções ao paciente após a cirurgia

Todos os pacientes no pós-operatório precisam de informação e instrução nas seguintes áreas:

1.O procedimento cirúrgico que foi realizado e quaisquer alterações permanentes na estrutura anatômica ou função.

2.Intervenções para adaptar quaisquer alterações permanentes na estrutura ou função.

3.Complicações potenciais, sinais e sintomas de complicações e medidas preventivas.

4.Regime terapêutico continuado, incluindo: medicação, dieta, atividade progressiva, incluindo atividades a serem evitadas, terapias adjuntas, cuidado da ferida

5.Atividades de promoção da saúde sugeridas ( ex: cessação do tabagismo, gerenciamento do estresse)

6.Recursos comunitários, encaminhamentos para o cuidado domiciliar. 7.Consultas de acompanhamento com cirurgião ou outros profissionais

Profª Glenda Agra

CLASSIFICAÇÃO DAS CIRURGIAS *De acordo com o atendimento

1.CIRURGIA DE EMERGÊNCIA: O paciente necessita de atenção imediata; o distúrbio pode ser ameaçador à vida.

(Parte 3 de 9)

Comentários